Conectado com
Suínos e Peixes – Maio

Empresas Avicultura

Os impactos da doença Newcastle para avicultura mundial e o papel das vacinas vetorizadas na proteção das aves

As regiões com aves contaminadas sofrem uma série de sansões, entre elas, a proibição da exportação de produtos avícolas não processados para países livres da enfermidade

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

A doença de Newcastle é um dos maiores desafios enfrentados pela avicultura mundial, tendo como agente um Paramyxovirus aviário, sorotipo 1, a enfermidade é responsável por uma série de perdas econômicas associadas às altas taxas de mortalidade, quedas no desempenho produtivo e aumento das condenações no abatedouro.

Por conta do alto poder epidêmico, a Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) exige aos produtores o reporte imediato de casos da doença. As regiões com aves contaminadas sofrem uma série de sansões, entre elas, a proibição da exportação de produtos avícolas não processados para países livres da enfermidade.

A América Latina é uma das regiões que mais sofrem com os impactos da doença de Newcastle. Atualmente, México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, República Dominicana, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia são classificados como países endêmicos pela OMSA.

Por conta da aparição frequente de casos severos da doença, a imunização das aves industriais é imprescindível para controlar o agente viral em regiões endêmicas. Já em países livres da doença, a vacinação preventiva exerce um papel fundamental, imunizando os plantéis para garantir proteção das aves em casos de surto da doença.

Para enfrentar os desafios de campo, ao final dos anos 40 foram desenvolvidas vacinas vivas e inativadas. Essas vacinas têm sido utilizadas no controle da doença através de programas vacinais que incluem revacinações ao longo do ciclo produtivo. Neste caso, o número de doses depende, basicamente, da situação epidemiológica da região onde a granja está localizada, e ao tipo de criação.

Entretanto, diversos estudos científicos identificaram que as vacinas convencionais têm importantes limitações biológicas e de natureza prática (como necessidade de revacinações por exemplo). Para eliminar essas limitações, foram desenvolvidas vacinas vetorizadas  rHVT-F. A vectormune ND, é um exemplo dessa tecnologia. A vacina é composta pela cepa vacinal HVT da doença de Marek, com inserção do gene da proteína F do vírus da doença de Newcastle em seu genoma.

A eficácia desta vacina foi avaliada em muitos experimentos controlados e de campo realizados com poedeiras e frangos de corte. Os estudos demonstraram que a vacina confere proteção efetiva já nas primeiras semanas de vida. Além disso, a vacina proporciona imunidade duradora, com proteção total em poedeiras por até 72 semanas de idade.

Outro destaque importante do uso da Vectormune ND é relacionado ao controle da circulação do vírus nos sistemas produtivos. Aves vacinadas com Vectormune ND apresentaram melhores índices de proteção clínica e uma menor taxa de excreção viral, resultados superiores aos apresentados pelos programas vacinais convencionais. Vários estudos foram conduzidos para avaliar a proteção conferida por Vectormune ND frente a diferentes genótipos de vírus velogênicos. Os resultados destes estudos demostraram que além de totalmente protegidas contra sinais clínicos e mortalidade induzidas pelos diferentes tipos de desafio, as aves vacinadas excretaram, em média, 759 vezes menos vírus do que as aves não imunizadas. Estes resultados mostraram a eficácia de Vectormune ND em proteger aves desafiadas com diferentes genótipos de vírus velogênicos da doença, além de controlar a circulação de vírus de campo.

Texto baseado em artigo produzido por Luiz Sesti, Gerente de Serviços Veterinários Latinoamérica da Ceva Saúde Animal.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + dezesseis =

Empresas Suinocultura

Resultado  do Prêmio Melhores da Suinocultura Agriness comprovam excelência genética da DB – DanBred

Consolidando o resultado, a DB Genética Suína, em parceria com a DanBred, levou também o Leitão Black, o prêmio que reconhece as granjas que registram novos recordes de produção de leitões em seus países

Publicado em

em

Gerente da Granja Boa Esperança, José dos Reis Amaral, que conquistou o prêmio Leitão Black -Foto: Divulgação

Na última quarta-feira (22), aconteceu a cerimônia de premiação da 11ª Edição do Prêmio Melhores da Suinocultura Agriness. A DB Genética Suína conquistou os primeiros lugares em quatro das cinco categorias do prêmio, um resultado impressionante, que comprova a superioridade genética da sua matriz DB90, líder absoluta no mercado de fêmeas.

Principal premiação de produtividade do setor suinícola por sua extensão e alcance, o Melhores da Suinocultura Agriness estabelece um benchmarking setorial, com base nos índices de produção, permitindo a comparação entre mais de 1400 granjas participantes, de diferentes portes e sistemas de produção, distribuídas por todas as regiões do Brasil.

A partir das informações alimentadas mensalmente no software de gestão S2, a Agriness traça um ranking anual de produtividade das granjas que utilizam o sistema e premia as dez com o melhor resultado, considerando cinco categorias ou faixas de enquadramento: granjas com até 300 matrizes, entre 301 e 500 matrizes, 501 a 1000 matrizes, 1001 a 3000 matrizes e com mais de 3000 matrizes. O principal critério de classificação é o indicador de desmamados/fêmea/ano (DFA).

A DB Genética Suína, por meio de granjas parceiras, que utilizam em suas linhagens maternas genética 100% DB, conquistou o primeiro lugar na categoria de granjas com até 300 matrizes, o primeiro e segundo lugares na categoria de 301 a 500 matrizes, o primeiro e segundo lugares na categoria de 1001 a 3000 matrizes, e o terceiro lugar na categoria de granjas com mais de 3000 matrizes.

Consolidando o resultado, a DB Genética Suína, em parceria com a DanBred, levou ainda o Leitão Black, o prêmio que reconhece as granjas que registram novos recordes de produção de leitões em seus países. O excelente resultado de 36,31 desmamados/fêmea/ano é da granja Boa Esperança, de propriedade de Agostinho Mansano, localizada no município mineiro de Presidente Olegário, parceira da DB Genética Suína há quase dez anos.

Os resultados do Prêmio Melhores da Suinocultura Agriness 2019 evidenciam que a genética DB é imbatível a campo e traz os melhores resultados para o produtor.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Biomin patrocina instalação de Laboratório Christian Doppler de Inovação para Saúde Intestinal de Animais de Produção

O laboratório conta com módulo principal no campus da Universidade de Medicina Veterinária de Viena e módulo externo na Universidade de Pesquisas Naturais e Ciências da Vida, também na capital austríaca.

Publicado em

em

A Biomin, indústria global de nutrição animal com presença em mais de 150 países, incluindo o Brasil, e o Ministério dos Negócios Econômicos e Digitais da Áustria juntaram-se para patrocinar a instalação de moderna unidade do Laboratório Christian Doppler de Inovação para Saúde Intestinal dos Animais. O laboratório conta com módulo principal no campus da Universidade de Medicina Veterinária de Viena e módulo externo na Universidade de Pesquisas Naturais e Ciências da Vida, também na capital austríaca.

“Procuramos levar o conhecimento da saúde intestinal para o próximo nível e infundir essas descobertas em soluções inovadoras que agreguem valor aos nossos clientes, apoiando animais saudáveis”, observa o dr. Gerd Schatzmayr, diretor do Centro de Pesquisas da Biomin.

O Laboratório Christian Doppler de Inovação para Saúde Intestinal dos Animais de Produção foca o seu trabalho na ciência nutricional avançada, em modelos intestinais integrativos e em tecnologia de ponta, com o objetivo de evoluir o conhecimento e descobrir soluções para o avanço sustentável da saúde intestinal e sistêmica em suínos e bovinos.

“Para isso, trabalhamos a pesquisa em múltiplos estágios e com base em diferentes modelos intestinais complementares in vitro, ex vivo e in vivo, para fechar lacunas de conhecimento no campo da saúde intestinal”, explica o professor Qendrim Zebeli, chefe do Laboratório e do Instituto de Nutrição Animal da Universidade de Medicina Veterinária de Viena.

A dra. Eva Maria Binder, diretora de Pesquisas e diretora executiva do Conselho do Erber Group, ressalta que “por meio de parcerias globais com organizações inovadoras, como a Christian Doppler, o grupo está bem posicionado para conduzir pesquisas puras e aplicadas para aumentar a segurança alimentar e tornar a produção animal uma atividade mais sustentável”.

“Produção animal mais saudável e menor uso de antibióticos por meio da inovação no campo das ciências da vida. Esta é a finalidade da cooperação de empresas e da ciência, com benefícios para todos os envolvidos”, destaca Margarete Schramböck, ministra dos Negócios Econômicos e Digitais da Áustria.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Evento essencial para setor

DB elogia tradição e papel primordial do SNDS para suinocultura

Empresa de genética suína apoia 18ª edição do evento que debaterá competitividade, inovação, marketing, consumo e gestão no setor

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A DB DanBred patrocina do XVIII Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (SNDS), principal evento de lideranças do setor, que ocorrerá entre os dias 1 e 2 de agosto, no Sheraton Grand Rio Hotel & Resort, do bairro Leblon, no Rio de Janeiro.

Nas palavras de Vladimir Fortes, diretor comercial da DB, apoiar novamente o evento bianual demonstra o comprometimento da Empresa com a suinocultura nacional. “O SNDS é o tradicional evento de líderes e apoiar um encontro como este é estar comprometido com os produtores de todo o país”, comentou.

Organizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), o SNDS reafirma o compromisso da entidade nacional com o desenvolvimento do setor a cada dois anos e, nas últimas três edições, reuniu os gestores de ao menos 70% das matrizes do país, além de indústria, varejo e empresas de insumos do segmento.

“Estarão reunidos os representantes que fomentam a cadeia suinícola nacional. Considerando os atuais cenários políticos e econômicos mundiais, debater os desafios se torna primordial para o crescimento da nossa atividade”, completou o executivo da DB.

Fundada em 1976, a DB Agricultura e Pecuária é consolidada como uma das principais referências de genética suína no mercado nacional há mais de 20 anos. Por meio de um sólido histórico de resultados, a marca repete entre os produtores brasileiros o mesmo sucesso obtido na suinocultura dinamarquesa.

Inscrições abertas

Realizado há mais de 35 anos, o SNDS XVIII traz em 2019 o desafio de transformar a suinocultura tradicional em um setor dinâmico e competitivo, sustentado em ciência e tecnologia, com o tema “O poder da evolução está nas novas maneiras de ver o mundo”.

Para isso, contará com palestras de especialistas de referência nacional e internacional, com uma programação diversificada em sintonia com o momento vivido pela cadeia, ampliando o debate com quatro painéis, discutindo competitividade, inovação, marketing, consumo e gestão de negócio.

Para garantir sua vaga entre em contato com a sede da ABCS, em Brasília, pelo telefone (61) 3030-3200. Todas as informações sobre o evento, como programação, localização, inscrições, valores de investimento e patrocinadores podem ser encontradas no site do evento.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Sindiavipar- maio 2019
Ecobiol- Evonik
Conbrasul 2019
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.