Conectado com
Cobertura SBSA

Notícias Mercado Externo

Santa Catarina encerra 2018 com alta nas exportações de carnes

Ao todo, o faturamento com as exportações dos dois produtos passou de US$ 2,44 bilhões no último ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Grande produtor de carnes, Santa Catarina amplia sua presença internacional e encerra 2018 com crescimento nos embarques de carne de frango e de suínos. Ao todo, o faturamento com as exportações dos dois produtos passou de US$ 2,44 bilhões no último ano, com 1,4 milhão de toneladas vendidas para outros países.

A carne de frango é o principal produto da pauta de exportações catarinense e em 2018 foram mais de 1 milhão de toneladas embarcadas para mais de 135 países – gerando receitas de US$ 1,8 bilhão. Os valores são, respectivamente, 12,16% e 1,35% maiores do que os registrados em 2017. Santa Catarina respondeu por 28,67% do faturamento brasileiro com as exportações de carne de frango no último ano. Os principais mercados para o produto catarinense foram: Japão, China e Arábia Saudita.

De acordo com o secretário da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa, a expectativa é de que o ano de 2019 seja ainda melhor para as exportações catarinenses. “Esperamos retomar os embarques de carne suína para a Rússia, além de abrir novos mercados importantes como México e Canadá. Para a carne de frango também há uma tendência de crescimento, principalmente com o retorno das exportações para a União Europeia. Sem contar a China, que continuará sendo um grande destino para as carnes produzidas em Santa Catarina”, destaca.

O bom resultado catarinense vai na contramão do cenário nacional – o país acabou 2018 com uma queda de 10,13% no faturamento com as exportações de carne de frango. Ao longo do ano, o Brasil embarcou 4 milhões de toneladas do produto, gerando receitas que passam de US$ 6,4 bilhões.

Carne Suína

Maior produtor nacional de suínos, Santa Catarina respondeu por 51% das exportações brasileiras do produto em 2018. Foram 326,3 mil de toneladas embarcadas para mais de 68 países, resultando num faturamento de US$ 608,4 milhões.

O estado registrou um aumento de 18,1% na quantidade exportada e uma queda de 4,8% nas receitas. O analista de Socioeconomia e Desenvolvimento Rural da Epagri/Cepa, Alexandre Luís Giehl, explica que, com o embargo russo às carnes brasileiras, Santa Catarina redirecionou as exportações para outros países, porém esses mercados acabam pagando um valor menor pela tonelada, por isso o crescimento na quantidade e a queda no valor arrecadado ao longo ao ano.

Os principais mercados para carne suína catarinense foram China, Hong Kong e Chile. A China passou a ser o maior comprador do produto, ampliando em 172,4% as importações em relação a 2017. Também chama a atenção o crescimento das exportações para as Filipinas, que registraram crescimento de 623,2% no volume importado de Santa Catarina – o país passou a ser o sétimo maior comprador da carne suína catarinense.

Assim como acontece com a carne de frango, o Brasil registrou uma queda significativa nos embarques de carne suína em 2018. O país embarcou 635,4 mil toneladas, faturando aproximadamente US$ 1,2 bilhão – o valor é 26,2% menor do que em 2017.

Os números foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

Diferencial catarinense

A sanidade agropecuária é o grande diferencial de Santa Catarina. O estado se mantém como única zona livre de febre aftosa sem vacinação do Brasil, além de zona livre de peste suína clássica, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal. O status sanitário diferenciado garante o acesso aos mercados mais exigentes.

Além disso, Santa Catarina foi o primeiro lugar do mundo a implantar a compartimentação da avicultura de corte, certificado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e implantado na Seara Alimentos em Itapiranga. A compartimentação funciona mapeando e isolando os aviários e frigoríficos, como um sistema fechado, e é garantia de sanidade animal e segurança alimentar.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 5 =

Notícias Piscicultura

Santa Catarina quer retomar exportação de pescados para União Europeia

Parceria entre SAP/MAPA e Secretaria de Estado é primeiro passo para retorno dos embarques de pescado para bloco europeu

Publicado em

em

Divulgação

 Maior produtor de pescados do Brasil, Santa Catarina se prepara para retomar as exportações para União Europeia. Uma parceria entre a Secretaria Nacional de Aquicultura e Pesca (SAP/MAPA) e a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca garantirá a inspeção nos barcos da pesca industrial e dará o primeiro passo para o retorno dos embarques de pescado para o bloco europeu. Os detalhes do acordo foram discutidos entre o secretário da Agricultura de Santa Catarina, Ricardo de Gouvêa, e o secretário Nacional da Pesca, Jorge Seif Junior, na segunda-feira (25), em Florianópolis.

“Estamos sensibilizados com o fim das exportações para União Europeia e vamos atuar em várias frentes para resolver esse problema. Eu conheço Santa Catarina e sei que aqui a parceria com o Governo do Estado irá trazer excelentes resultados”, ressaltou o secretário Jorge Seif Junior.

A intenção dos dois secretários é assinar um termo de cooperação técnica para que a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) faça a inspeção dos barcos de pesca industrial aptos a exportar para a Europa.  O trabalho será realizado seguindo um check-list enviado pela Secretaria Nacional de Pesca e a partir disso, o Governo Federal poderá certificar as embarcações – requisito básico para a habilitação das exportações.

Segundo o secretário da Agricultura de SC, Ricardo de Gouvêa, este é um grande passo para a retomada das exportações. “Estávamos ansiosos para essa reunião com o secretário nacional da Pesca. Esta é uma das cadeias produtivas prioritárias para Santa Catarina, nós queremos construir um plano de trabalho para fortalecer e profissionalizar a pesca e a maricultura no estado”, destacou.

A certificação da Cidasc terá abrangência em toda a costa brasileira, podendo ser feita inclusive em barcos de outros estados que estiverem em Santa Catarina.  Isso é possível porque Santa Catarina aderiu ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA) – sistema que garante a inspeção e fiscalização de produtos de origem animal e vegetal de maneira uniforme e equivalente em todos os estados. Os profissionais da Cidasc poderão inclusive treinar equipes de outros estados para replicar a ação realizada em Santa Catarina.

Pesca em SC

Santa Catarina é o maior produtor de pescado do Brasil. O setor da pesca de Santa Catarina gera 60 mil empregos diretos e indiretos, em torno de 60 indústrias. De acordo com o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), o valor das exportações catarinenses de pescado totalizou US$ 26,7 milhões em 2018. Em 2017, as exportações para União Europeia somaram US$ 2,48 milhões.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Equipe

ABPA fortalece estrutura com novos membros em sua gestão

Sula Alves entra como diretora técnica adjunta e Marcelo Osório inicia seus trabalhos como diretor de projetos especiais

Publicado em

em

Divulgação

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) recebeu neste início de ano dois novos membros em sua gestão. Sula Alves entra como diretora técnica adjunta e trabalhará na sede da entidade, em São Paulo (SP) e Marcelo Osório inicia seus trabalhos como diretor de projetos especiais e atuará diretamente do escritório de Brasília (DF).

Sula Alves é zootecnista e começou sua trajetória no setor com educação e pesquisa. Foi uma das pioneiras em estudos de bem-estar de animais de produção no Brasil e iniciou seus trabalhos como consultora junto à União Brasileira de Avicultura ainda em 2007.

Atuou por sete anos na ABPA, na área técnica de acesso aos mercados desde a origem ABEF, passando pela fusão UBABEF até ABPA. Em 2015, passou a atuar como gerente executiva de relações institucionais e também de sustentabilidade na BRF.

 Marcelo é graduado em administração e comércio exterior, possui sólida experiência em relações governamentais e atuou em diversos setores do agronegócio, entre eles proteínas, soja, fertilizantes, trigo e milho; possui 25 anos de experiência na área de compras, operações e Supply Chain em multinacionais como Yara fertilizantes, Cargill e Mars Brasil. Foi assessor especial do Ministro da Agricultura e atuou em diversas frentes para desburocratizar o setor e acelerar os resultados fiscais.

“Temos boas expectativas com a chegada destes dois grandes profissionais. A Sulivan volta à ABPA com uma bagagem ainda mais enriquecedora para o trabalho especializado da entidade. E o Marcelo contribuirá para expandir os projetos e relacionamentos. Acredito que os dois profissionais estão preparados para assumir as responsabilidades e defender os interesses da ABPA”, comenta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Congresso de Ovos APA

CDA e APA realizam treinamento para habilitação de emissão de GTA

Dia reservado é 27 de março, quarta-feira, entre 8 e 17 horas, no Centro de Convenções de Ribeirão Preto

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Médicos veterinários privados do Estado de São Paulo que atuam nas áreas de avicultura de postura, de corte ou nas áreas de reprodução e laboratórios terão a oportunidade de participar de um treinamento para a habilitação de emissão de GTA (Guia de Trânsito Animal). O evento acontece durante o Congresso de Ovos da APA (26 a 28 de março, Ribeirão Preto, SP). O dia reservado é 27 de março, quarta-feira, entre 8 e 17 horas, no Centro de Convenções de Ribeirão Preto.

A organização é da CDA (Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão vinculado à Secretária de Agricultura e Abastecimento) e a APA (Associação Paulista de Avicultura) cedeu o espaço do Congresso de Ovos para a organização do treinamento.

O cadastro/habilitação de médicos veterinários e de outros profissionais não integrantes da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, credenciados para atuação na área de defesa sanitária animal no Estado é uma dentre outras medidas de fiscalização, de defesa sanitária animal e de vigilância epidemiológica.

Entre os palestrantes estarão Luciano Lagatta (Sanidade avícola e requisitos sanitários), Jesualdo Gonçalves Filho (Procedimentos para habilitação de GTA), Leonardo Soares (Ética), Carlos Alberto Fogaça (Normas e Manuais), Paulo Roberto de Lima Dias  (aves e Laboratórios).

As inscrições pelo site da APA já estão encerradas, mas poderão ser feitas também no dia do treinamento mediante o pagamento da taxa de R$150, que inclui um almoço e um coffee break.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
APA
Biochem site – lateral
Facta 2019
Abraves
Nucleovet 2
Conbrasul 2019

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.