Conectado com

Notícias

Francisco Turra é reeleito vice-presidente da Associação Latino Americana de Avicultura

Publicado em

em

O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra, foi reeleito como vice-presidente da Associação Latino-Americana de Avicultura (ALA).  A posse da nova diretoria aconteceu durante o Congresso Latino-Americano de Avicultura, realizado em El Salvador.
 
Como tradicionalmente acontece nas edições do Congresso Latino-Americano, o presidente da entidade nacional do país-sede do evento, no caso o presidente da Asociación de Avicultores de El Salvador, Augustín Martinez, foi escolhido para liderar a ALA nos próximos dois anos. 
Como vice-presidente, Turra continuará seu trabalho focado na integração das cadeias produtivas dos países associados à ALA, especialmente com relação às questões sanitárias e comerciais.
 
“Queremos integrar os trabalhos e ganhar eficiência, especialmente para proteger o sistema produtivo do continente contra enfermidades, como Influenza Aviária. Além disso, desejamos ampliar o papel dos países avícolas latino-americanos como players da segurança alimentar mundial”, destaca Turra.
 
Premiações – Em cerimônia também realizada durante o Congresso Latino-Americano de Avicultura, o diretor de Produção da UBABEF, Ariel Antônio Mendes, e o presidente do Conselho Diretivo da entidade avícola brasileira, Antônio Augusto de Toni, foram indicados como destaques do setor.
Ariel  Mendes foi escolhido Profissional Avícola Destacado no Brasil. Ele é médico veterinário pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), mestre pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), doutor pela Universidade Nacional Autónoma do México e pós-doutor pela Universidade de Arkansas, Estados Unidos. Em 1997, iniciou sua carreira universitária como professor de avicultura para estudantes de graduação e pós-graduação da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp de Botucatu, por onde se aposentou em 2009, como professor titular. Atualmente, continua ligado à universidade como professor colaborador e foi nomeado, em 2012, como professor emérito.  
 
Possui uma intensa atividade de pesquisa, tendo publicado mais de 100 trabalhos em revistas científicas especializadas no Brasil e no exterior. Apresentou 350 trabalhos em congressos e escreveu vários artigos em revistas técnicas e de divulgação.  Vários destes foram premiados em congressos nacionais e internacionais. Recebeu várias homenagens, com destaque para as escolhas como “Profissional Distinguido de Brasil”, em 2003, “Personalidade da Área Técnica da Avicultura Brasileira”, em 2004, e “Personalidade Destaque da Avicultura", em 2006. Em 2011, passou a fazer parte do Salão da Fama da Avicultura Latino-Americana. Além da carreira acadêmica, Ariel Mendes foi presidente da Fundação Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas (FACTA). Também presidiu a Associação Latino-Americana de Avicultura (ALA) e a antiga UBA, estando entre os coordenadores do processo de união com a antiga ABEF, que resultou na criação da União Brasileira de Avicultura (UBABEF).
 
Já Antônio Augusto de Toni, indicado como Empresário Avícola Líder, é Presidente do Conselho Diretor da UBABEF, membro do Conselho Superior de Comércio Exterior da FIESP e diretor vice-presidente de Mercado Externo da BRF S.A. De Toni trabalhou como gerente e diretor de comércio exterior da Chapecó Companhia Industrial de Alimentos e diretor executivo da Chapecó Trading S.A. na Perdigão. Assumiu a Diretoria de Comércio Exterior em abril de 2007. É bacharel em Administração de Comércio Exterior pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, com especializações em Administração de Marketing, Administração Internacional e Finanças Corporativas, além de MBA em Agribusiness pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), da Universidade de São Paulo (USP).

Fonte: Ass. Imprensa da Ubabef

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Nucleovet 2

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.