Conectado com

Notícias

Vetanco promove Pedágio do Brinquedo

Publicado em

em

Uma grande alegria protagonizada pelo som de papéis rasgados, vários sorrisos e gargalhadas. Esse foi o clima no último sábado (19-10) nas dependências do Programa Viver, no Bairro Quedas do Palmital em Chapecó (SC). Em meados do mês de setembro, a Vetanco do Brasil, através do Departamento de MKT, idealizou um projeto denominado Pedágio do Brinquedo – Distrito Industrial Flávio Baldissera, com uma sistemática muito simples, chamar todos os parceiros e colaboradores da Vetanco do Brasil e envolver as empresas sediadas no Distrito Industrial. "Nossa meta era modesta, arrecadar 80 brinquedos novos para serem doados ao Programa Viver e também brinquedos usados que seriam destinados ao Abrigo Municipal de Chapecó", relata Neimar Grando, Gerente de comunicação e marketing da Vetanco do Brasil.
"Podemos dizer que ficamos muito felizes com o número das doações recebidas e com o envolvimento de todos com a nossa modesta ação, pois foram arrecadados 199 brinquedos novos e muitos usados", destacou Grando. Isso demonstra que quando o objetivo é nobre e quando se tem foco no objetivo, o resultado sempre é alcançado.
Segundo o gerente de comunicação e marketing da Vetanco, Neimar Grando, a ideia inicial era que para cada brinquedo doado, vários sorrisos seriam gerados, simplesmente pelo poder que essa doação tem. "É uma corrente, sorri a pessoa que doa, sorri quem organiza o projeto, sorri o Programa beneficiado e o mais importante, sorri a criança que brinca", destaca, Neimar Grando.
"Um agradecimento especial as empresas que entraram de cabeça com a Vetanco nesta empreitada: Obrigado a Camila (Cristal Flex) e a Tatiana (Embritech), que colaboram muito na organização. As empresas que doaram, seja um ou 50 brinquedos, Cristal Flex, Embritech, Paster Ovos, Modd Industria de Móveis, Academia Movimento, Brindere Brindes, Restaurante Industrial, Transportadoras Alfa e Princesa e principalmente aos colegas do Administrativo e Comercial da Vetanco, valeu mesmo", disse Neimar!

Fonte: Ass. Imprensa da Vetanco

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.