Conectado com
FACE

Empresas

Resposta imune de aves está associada ao equilíbrio da microbiota intestinal

Uso de probióticos desde o nascimento reflete-se em aves mais preparadas para os desafios sanitários até o abate, destaca especialista da Biomin

Publicado em

em

Foto Divulgação BIOMIN

O equilíbrio da microbiota intestinal das aves está diretamente ligado à saúde e ao desempenho durante o período de desenvolvimento. Os micro organismos presentes no instestino das aves podem protegê-las de agentes patogênicos, que competem por espaço e nutrientes, além de fortalecer a resposta imune. Segundo Christiane Matias, gerente técnico-comercial da Biomin, logo após a eclosão do ovo os pintinhos passam a ter contato com micro organismos de forma constante. “Eles estão presentes na cama, poeira, água e até na ração”, alerta a especialista da Biomin.

Nas primeiras semanas de vida, como a microbiota ainda não está completamente desenvolvida e com pouca diversidade de agentes benéficos, as aves estão mais vulneráveis a potenciais invasores.

“É muito importante o cuidado com relação ao status sanitário das matrizes, pois a colonização dos patógenos pode ocorrer de forma vertical, já que os micro organismos presentes no aparelho reprodutor das aves podem colonizar o embrião durante a formação do ovo”, explica Christiane Matias.

A presença de bactérias – inclusive a dimensão da população – varia ao longo do trato intestinal, dependendo de fatores como idade, dieta e ambiente. “O estimulo à colonização por microbiota benéfica pode ser feito por meio de aditivos alimentares, como ácidos orgânicos e inorgânicos, fitogênicos, prebióticos, probióticos e simbióticos. Os probióticos têm a capacidade de fazer a modulação da flora intestinal, permitindo o aumento significativo de bactérias benéficas”, aponta a especialista da Biomin.

Após os 30 dias de vida, considera-se que as populações de micro organismos atinjam a maturidade. É no ceco que a atividade bacteriana acontece com maior intensidade, devido à fermentação e ao trânsito mais lento, propício para o desenvolvimento bacteriano. Já no duodeno, as condições não são tão favoráveis, pois existe a atividade de diferentes enzimas e sais biliares que atuam como antimicrobianos.

“Oferecer matérias-primas de boa qualidade e planejar uma dieta que atenda a todas as necessidades nutricionais das aves, contribui para o fortalecimento da resposta imune frente aos patógenos. Por outro lado, a presença de micotoxinas, falta de infraestrutura, estresse térmico e jejum podem impactar de forma negativa o equilíbrio da microbiota”, destaca.

Uma vez presentes no trato gastrointestinal, os patógenos podem causar lesões e colonizar o sistema digestório, podendo chegar à corrente sanguínea, com consequências agravantes para a saúde das aves e da granja. “Os probióticos representam uma excelente ferramenta para promover a redução das bactérias patogênicas, porque atuam por meio da regulação do sistema imunológico, competição por espaço na mucosa intestinal, fortalecimento da barreira epitelial, produção de ácidos graxos e liberação de bacteriocinas – toxinas capazes de impedir o crescimento bacteriano”, enfatiza Christiane Matias.

Segundo a FAO/OMS, os probióticos são definidos como “micro organismos vivos que, quando administrado em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro”. “Ao analisar a formação da microbiota intestinal das aves, é possível concluir que sua composição não é a mesma sempre. A colonização acontece ao longo do tempo e depende de diferentes fatores. O uso de probióticos, principalmente na fase inicial, pode auxiliar na modulação da microbiota intestinal, já que as primeiras bactérias a chegar ao intestino podem bloquear de forma efetiva o crescimento de patógenos introduzidos posteriormente no ecossistema”, complementa a gerente técnico-comercial da Biomin.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =

Empresas Parceria

MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções para suinocultura

Soluções têm propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões

Publicado em

em

Arquivo / OP Rural

Reforçando o compromisso em levar aos clientes soluções inovadoras em Nutrição e Saúde Animal, o Grupo MCassab vem investindo cada vez mais em soluções pautadas de tecnologias. O objetivo é atender os mais variados mercados importadores de proteína animal.

Para tornar o objetivo uma realidade, a Linha de Saúde Animal e Especialidades ganha um reforço importante no portfólio de produtos naturais e na substituição de soluções convencionais.

Em parceria com a empresa Francesa IDENA, referência em soluções naturais na Europa, o Grupo MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções: o ValiMP e o Forcix SW, ambos com propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões.

O Grupo MCassab continua desenvolvendo soluções inovadoras, juntos com os parceiros, para entregar o melhor ao agronegócio.

Continue Lendo

Empresas Suinocultura.

Pigger Cream a escolha ideal para o apoio a matrizes hiperprolíficas

O desenvolvimento da suinocultura nacional exige o uso de tecnologias nutricionais e ferramentas para o suporte aos desafios diários da atividade

Publicado em

em

Claudilene Aparecida Costa / Divulgação

Sempre em busca por soluções nutricionais voltadas para a suinocultura é que a Polinutri, empresa especializada em nutrição animal sediada em Osasco (SP), trouxe para o mercado o Pigger Cream, produto lançado no início de 2019 como forma de apoio ao manejo as fêmeas hiperprolíficas em parceria com a Liprovit (Holanda).

“Este é um alimento em linha ao notório avanço genético e a alta prolificidade das granjas nacionais que em muitos casos atingem índices superiores a 18 leitões vivos/porca”, explica a Gestora Comercial da Polinutri, Camila Brandão.

De acordo com o Gerente de Negócios Suinocultura da Polinutri, Felipe Ceolin, ao longo deste período, os resultados da parceria entre a Polinutri e a empresa holandesa têm sido consistentes e motivo de comemoração. Isso por conta da qualidade e facilidade do uso do Pigger Cream. “Oferecemos para o mercado um leite UHT palatável de elevada qualidade nutricional que atua diretamente para o desenvolvimento de leitões fortes e saudáveis, além de ser pronto para uso”, detalha Felipe.

Quem atesta todas essas considerações é a encarregada de Maternidade na Agropecuária Ponta Verde, Leopoldo de Bulhões (GO), Claudilene Aparecida Costa. Em um plantel formado por 626 matrizes ela relata que passou a fazer uso do Pigger Cream com objetivo de reduzir os índices de mortalidade neonatal da granja.  “Passamos a utilizar o Pigger Cream para leitões de baixa viabilidade. Estratégia que já apresenta resultados por meio da redução da mortalidade desses leitões”, relata e continua: “o que mais surpreendeu foi uma leitegada prematura com 106 dias de gestação. Fornecemos o Pigger Cream misturado ao leite, 50% de cada nos dois primeiros dias. Dos 12 leitões nascidos conseguimos salvar 10 leitões.”

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Contratação

Departamento Técnico/Comercial Aves – Norte conta com reforço

Área de avicultura da Vetanco conta com os trabalhos de Roney desde Novembro de 2020

Publicado em

em

Roney da Silva Santos / Divulgação

O Técnico Agrícola Roney da Silva Santos passou a integrar o time da Vetanco desde novembro do ano passado.

Roney tem formação no Técnico Agrícola com Habilitação em Agricultura e Zootecnia pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí (hoje Instituto Federal de Minas Gerais – IFMG) e é pós-graduando em Gestão do Agronegócio pela Faculdade Famart de Itaúna/MG.

O Assistente Técnico tem experiência na área de avicultura onde atuou na assistência técnica para a criação de frangos de corte, biossegurança e construção de aviários.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Boehringer webinar

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.