Conectado com
LINKE

Empresas

IATF Control, o pacote reprodutivo da Boehringer Ingelheim é o mais prático, eficaz e sustentável

A técnica de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) é utilizada em cerca de 10 a 12% das fêmeas do rebanho brasileiro

Publicado em

em

A técnica de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) é utilizada em cerca de 10 a 12% das fêmeas do rebanho brasileiro – o dobro em relação à inseminação artificial convencional na década passada. “Avançamos, porém é perfeitamente possível irmos muito mais além. Afinal, ainda existem outros 88% de fêmeas em idade reprodutiva no país que podem ter sua eficiência melhorada”, explica Rafael Moreira, gerente de produtos para bovinos da Boehringer Ingelheim Saúde Animal.

A comparação dos dados reprodutivos do Brasil, com outros países de destaque em produção de carne, comprova que a eficiência reprodutiva ainda é baixa, principalmente no gado de corte. Dados do CEPEA/USP mostram que a taxa média de prenhez no Brasil é de apenas 40%. Já a taxa de desmame é de apenas 60%, enquanto nos Estados Unidos, Argentina e Austrália é de 80%. Nesses países, a idade média da fêmea ao primeiro parto é de 36 meses, enquanto no Brasil é preciso um ano a mais (48 meses de idade). “Com melhoria destes índices, podemos promover a lucratividade na pecuária e tornar o Brasil um país ainda mais competitivo em produção de carne e leite” acrescenta Rafael Moreira.

 

Linha IATF Control

A Boehringer Ingelheim Saúde Animal, uma das maiores empresas globais de saúde animal, está colocando no mercado de reprodução animal a Linha IATF Control, pacote tecnológico que representa um novo ciclo de evolução da técnica de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) no país.

“O mercado brasileiro está maduro e pronto para esta nova tecnologia reprodutiva, com visão de cadeia produtiva sustentável e geração de valor muito clara”, explica o Prof. Ed Hoffmann, especialista da USP – Campus de Pirassununga e pesquisador e idealizador dos produtos e inovações da Linha IATF Control. “Esse pacote inovador reúne toda a minha experiência de mais de três décadas em reprodução bovina”, complementa o Prof. Ed Hoffmann.

Com a Linha IATF Control, a Boehringer Ingelheim oferece à pecuária brasileira tecnologias que, comprovadamente, “contribuem para  melhorar a  eficiência dos programas de IATF, proporcionando diferenciais, indiscutíveis, em termos de sincronização da onda folicular, qualidade dos folículos e melhores taxas de prenhez, levando também em consideração o bem-estar das fêmeas envolvidas e a sustentabilidade do sistema: desde o processo produtivo até o manuseio e descarte no campo – explica Kleber Lemes, Coordenador Técnico da Linha IATF Control e Doutor em Reprodução Animal.

“O resultado econômico na pecuária resume-se ao nascimento de um maior número de bezerros, que apresentem bom ganho de peso e qualidade de carcaça. Entretanto, quando são utilizados sistemas de inseminação artificial baseados na detecção de estros, a taxa de serviço geralmente é baixa, devido aos desafios a campo. A IATF auxilia na resolução dessa questão ao possibilitar a inseminação de 100% das fêmeas do rebanho durante um curto período de tempo. Porém, nem tudo se resume à IATF. É preciso pensar além, considerando a sustentabilidade da técnica, incluindo os reflexos no meio ambiente (menos descarte de dejetos), mais agilidade, menos desperdícios de materiais e insumos. A Linha IATF Control abre as portas para esses avanços”, explica o prof. Ed Hoffmann, da USP Pirassununga.

 

Pacote tecnológico

O pacote reprodutivo IATF Control incorpora várias inovações. Para começar, o dispositivo intravaginal Progestar® é monodose, tem design inovador, ajustando-se melhor à vagina da fêmea, com menor taxa de queda do mercado, além de ser mais higiênico e  seguro. Além disso, gera menos resíduos ao meio ambiente e a quem o manuseia.

O sincronizador de ondas foliculares Betaproginn®, fármaco injetável, tem formulação única no mercado. Com seu efeito na sincronização da emergência da onda folicular (antecipa em um dia a emergência de uma nova onda), permite a produção de folículos com maior diâmetro e de melhor qualidade ao final do protocolo para IATF. Cioprostinn® é o agente luteolítico de ação rápida e  altamente eficaz. Com  componentes altamente controlados e formulação devidamente tamponada e equilibrada, tem sua ação potente e flexível, permitindo seu uso em diferentes momentos e tipos de protocolos para sincronização do ciclo estral. Estrovulinn® é o benzoato de estradiol do pacote reprodutivo da Boehringer Ingelheim. Com óleo de gergelim como veículo, proporciona melhor efeito biológico do composto estradiol, sendo altamente eficaz e preciso na indução de ovulações sincronizadas.

“São produtos altamente tecnológicos, que se destacam pela precisão de ação e entrega de resultados, sendo sua aplicação perfeitamente adequada a diferentes tipos de protocolos, os quais podem ser aplicados de acordo a necessidade de manejo e objetivos produtivos de cada propriedade”, completa Rafael Moreira. 

Fonte: Ass. de Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − oito =

Empresas

Baixas temperaturas do inverno prejudicam o metabolismo e a reprodução de peixes

Em viveiros escavados, a redução da oferta de água das chuvas também impacta a saúde dos peixes no inverno, uma vez que a menor troca de água compromete sua qualidade

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A chegada dos meses mais frios do ano liga o alerta dos piscicultores brasileiros. A variação negativa das temperaturas impacta o metabolismo dos peixes. Como consequência, reduz a taxa de reprodução da tilápia, espécie mais disseminada no país, com 486 mil toneladas/ano (cerca de 61% do total nacional) de acordo com a Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR). “A temperatura é uma das alterações ambientais que mais afeta os peixes de cultivo. A partir da sua redução ocorrem diversas reações em cascata. Com a queda na temperatura da água, o metabolismo dos peixes é reduzido e, com isso, o consumo de ração também cai. Ingerindo menos nutrientes, os peixes passam a ter menor capacidade de superar os desafios do período – inclusive sanitários –, o que impacta negativamente no desenvolvimento normal”, afirma o zootecnista Daniel Fuziki, gerente de negócios de aquicultura da Phibro Saúde Animal.

“Nesse cenário, algumas bacterioses sazonais, como a franciselose, encontram terreno ideal para desenvolvimento. Com a queda da resistência dos peixes, há suscetibilidade maior para infecções, o que impacta seriamente os resultados produtivos dos piscicultores. É preciso implementar um programa de manejo sanitário e nutricional adequado”, complementa Fuziki.

Em viveiros escavados, a redução da oferta de água das chuvas também impacta a saúde dos peixes no inverno, uma vez que a menor troca de água compromete sua qualidade.

O gerente da Phibro relata que a diminuição da temperatura no inverno geralmente reduz a taxa de reprodução da tilápia, principalmente nas regiões Sul e Sudeste. Nessas regiões, as variações climáticas acentuadas exigem o emprego de tecnologias para manter a produção de alevinos ao nível mínimo nessa fase. Uma boa opção é a cobertura em viveiros de matrizes em reprodução para elevar a temperatura da água e favorecer o nível nutricional dos peixes.

“Em relação aos peixes nativos, neste período do ano a reprodução cai. Há produtores que estocam os alevinos para povoar ao longo do ano. Dessa forma, assim como é feito com a tilápia, a nutrição no inverno deve ser adequada, balanceada e de qualidade, com o objetivo de manter os peixes saudáveis durante a estocagem”, destaca Daniel Fuziki.

Diante destes desafios, manter a atenção aos macro e aos micronutrientes é essencial, assim como o reforço nutricional das rações, devido à diminuição do metabolismo. “Os piscicultores também devem se atentar para as bacterioses, a fim de evitar mortalidade elevada. Evitar manejos desnecessários ou mesmo aumentar o intervalo entre eles no inverno pode ser eficaz para reduzir estresse e eventuais danos físicos”, finaliza o zootecnista.

Para auxiliar o piscicultor, a Phibro disponibiliza uma linha completa para saúde e nutrição em aquicultura, com produtos naturais que aumentam a capacidade dos peixes de suportar o estresse causado pelos desafios das baixas temperaturas, aumentando sua imunidade e a função digestiva, prevenindo bacterioses e melhorando a microbiologia em ambientes aquáticos. Tudo isso com elevado padrão de qualidade para atender às necessidades dos piscicultores brasileiros.

Entre as soluções estão dois produtos naturais, PAQ-Gro é um premix para aquicultura que, juntamente com uma nutrição balanceada, reduz os efeitos do estresse e promove ganho de peso; e PAQ Protex, um aditivo feito à base de duas saponinas extraídas de plantas (Yucca e Quillaja) que classicamente possuem a capacidade de melhora da saúde de peixes e camarões e proporcionando uma melhor função intestinal para aproveitamento das dietas. O portfólio da Phibro conta ainda com o aditivo probiótico Bioplus PS e o antimicrobiano TM 700.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Bronquite Infecciosa

Ceva traz informações relevantes em vídeo sobre a doença de maior impacto na avicultura brasileira

Os interessados pelo tema poderão conferir os vídeos apresentados de forma prática pelo Gerente Nacional de Serviços Técnicos da companhia, Dr. Jorge Chacón

Publicado em

em

Dr. Jorge Chacón, Gerente Nacional de Serviços Técnicos CEVA - Foto: Assessoria

Enfermidade de elevada patogenicidade e altamente contagiosa, a Bronquite Infecciosa (BI) é uma doença causadora de consideráveis perdas econômicas e disseminada nos plantéis avícolas afetando frangos de corte, galinhas reprodutoras e poedeiras comerciais, e no Brasil o cenário não é diferente.

Por esta razão e atenta ao status sanitário, zootécnico e econômico de seus clientes, a Unidade Aves da CEVA apresenta vídeo destacando os pontos-chave, de forma prática, sobre causas, desafios, tecnologias e controles sobre a Bronquite Infecciosa.

“Esta é mais uma prestação de serviços que estendemos para os nossos clientes bem como para todos os profissionais da avicultura interessados em conhecer a visão, ações, experiências e soluções CEVA para um assunto que merece atenção de todos atores da cadeia produtiva avícola”, insere o Gerente Aves Ciclo Curto, Tharley Carvalho.

Felipe Pelicioni, Gerente Aves Ciclo Longo, considera o vídeo um compilado resumido das inúmeras experiências exitosas de imunização e prevenção sobre a doença. “Um material enriquecedor que trata da qualidade, segurança, eficácia, inovação e tecnologia CEVA reconhecida por todo o mercado avícola nacional”, salienta.

Apresentada pelo Dr. Jorge Chacón, Gerente Nacional de Serviços Técnicos CEVA, com muita propriedade, aborda a variante de maior prevalência no país, a do grupo BR-I. Em um levantamento de 2015 realizado em 453 amostras suspeitas em frangos de corte, galinhas reprodutoras e poedeiras comerciais, referenda esta informação. “Foi detectado uma grande prevalência do vírus BR em todas as regiões do país”, afirma Chacón e continua: “ao avaliar 278 amostras positivas entre frango de corte, galinhas reprodutoras, poedeiras comerciais e avós, 75,9% dos vírus eram do genótipo BR-I, o restante eram vírus vacinal Massachusetts.”

Por esta razão, continua o Gerente Nacional de Serviços Técnicos, “as vacinas vivas Cevac IBras e as inativadas, Cevac Maximune Pró e Cevac Eggmune, desenvolvidas pela Ceva com o vírus BR-I têm contribuído enormemente à produtividade e rentabilidade das grandes avícolas do país porque estas vacinas conferem excelente proteção contra a doença causante pelos maiores prejuízos econômicos da indústria avícola atual.”

 

Para assistir o vídeo acesse: https://www.youtube.com/watch?v=gJPDffFZr54&list=PLvOUUCnxp-CNxoHdWbj5PGKEzVKyVd5Mu&index=8

 

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Bovinos

Segmento de gado de corte se consolida como uma das grandes apostas do agronegócio

Cenário é estimulado pelo aumento da demanda por carne bovina brasileira, crescimento da população mundial e soluções personalizadas que contribuem para o bem-estar animal

Publicado em

em

A constante demanda mundial por carne tem impulsionado a intensa produção de bovinos de corte. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aponta que, em 2021, esse consumo deve bater recordes, atingindo cerca de 60 milhões de toneladas de carne bovina. Atrelado a isso, a ONU prevê que a população mundial será de 9,7 bilhões de pessoas em 2050, cerca de 26% maior do que o quadro atual, de 7,7 bilhões de habitantes.

Dentro deste contexto, a Wisium, marca global referência em premixes, aditivos e serviços, registra sólida e consistente expansão, por conta da equipe altamente qualificada, dos resultados comprovados e das soluções personalizadas que contribuem para o bem-estar animal, entre outros diferenciais de mercado.

Este posicionamento da Wisium será ainda mais evidente com a atuação de Letícia Custódio, que acaba de ser anunciada como Gerente Técnica Comercial – Bovinos de Corte. Formada em Zooctenia pelo Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos, a profissional tem mestrado em Ciência Animal e Pastagens, com o professor Nussio, na ESALQ/USP, com foco em tecnologias aplicadas a conservação de forragens. Na sequência, iniciou doutorado em Zootecnia na UNESP, em Jaboticabal, em parceria com a APTA em Colina, sob a orientação do professor Gustavo Siqueira, tendo como principal objetivo avaliar a importância de micotoxinas para bovinos de corte confinados.

Letícia explica que seu foco na Wisium será atendimento personalizado e treinamento técnico diferenciado para clientes e equipe comercial. “Participarei ativamente da conquista de resultados, além do controle e gerenciamento das metas de bovinos de corte do time de vendas. Focarei diariamente no pleno e saudável crescimento da equipe, por meio da seleção e contratação de novos representantes para expansão da Wisium no território nacional, de forma estratégica e extremamente eficaz”, destaca.

 

Tecnologias e Bem-Estar Animal

A Gerente Técnica Comercial – Bovinos de Corte acrescenta que a inclusão de tecnologia nas soluções Wisium está muito atrelada ao crescimento com eficiência. “O crescimento horizontal das grandes propriedades brasileiras não é mais a melhor forma de desenvolvimento. Precisamos focar no crescimento vertical dos grandes negócios com a inclusão de novas tecnologias, com as quais conseguimos produzir mais com menos. Para isso, é necessário muito estudo e planejamento das estratégias aplicadas no campo”, pontua.

Nesse cenário, o principal enfoque da marca global será o bem-estar animal. “O cuidado com o bem-estar dos animais de produção é o grande objetivo da Wisium e está cada vez mais evidente no meio pecuário. Além de ser a forma correta e ética de produção, é também a forma mais rentável, pois animais que se encontram em situações de conforto produzem mais e melhor”, finaliza.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.