Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas

Fabricação de alimentação animal com medicamento exigirá autorização a partir de 28/11

Os subgrupos A, B e C de fabricantes produtores rurais varia conforme a nova caracterização de risco da atividade, que considera quantas espécies e categorias, assim como o número total de animais que são atendidos

Publicado em

em

Foto: Assessoria

A fabricação de alimentação animal com medicamento veterinário exigirá autorização a partir do próximo dia 28 de novembro. O prazo foi determinado na Portaria Nº 798, publicada no dia 15 de maio pelo MAPA (Ministério da Agricultura e Pecuária).

A norma revoga as Instruções Normativas Nº 65/2006 e Nº 14/2016, trazendo novas regras para a fabricação e emprego de produtos destinados à alimentação animal com medicamentos de uso veterinário. O dia 28 de novembro é o prazo final para as adequações pelos estabelecimentos fabricantes que utilizam medicamentos ou produtos intermediários medicamentosos na fabricação de seus produtos.

Até o último dia 25 de setembro, 17 produtores rurais estavam autorizados pelo MAPA, conforme as normas determinadas na Portaria nº 798/2023, sendo seis fabricantes de MG, seis de GO, dois do PR, um do MT, um de SP e um de SC. A lista de produtores rurais autorizados é atualizada semanalmente pelo MAPA e disponibilizada no site da Secretaria de Defesa Agropecuária.

Os estabelecimentos são classificados pelo MAPA em duas categorias de fabricantes: os registrados e os produtores rurais. Conforme a classificação, muda o tipo de documentos e informações que devem ser apresentadas através do sistema automatizado do Ministério.

A categoria produtores rurais abrange os fabricantes cuja ração medicamentosa é destinada aos seus próprios animais e é subdivida em três Grupos (A, B e C). Já os fabricantes registrados são aqueles que pretendem vender ou transferir a propriedade, desses produtos para terceiros, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas.

Os subgrupos A, B e C de fabricantes produtores rurais varia conforme a nova caracterização de risco da atividade, que considera quantas espécies e categorias, assim como o número total de animais que são atendidos. “Quanto maior o grau de abrangência do estabelecimento, maior o risco da atividade e, por consequência, maior é o grau de exigência de documentos e ações a serem adotadas”, explica Gabriela Galvão, que é analista de assuntos regulatórios na Agroceres Multimix e tem feito palestras sobre a nova Portaria em diferentes estados brasileiros.

 

Apoio aos Produtores Rurais 

Desde a publicação da nova Portaria, a Agroceres Multimix, que é uma das maiores produtoras brasileiras de alimentação animal, vem mobilizando sua equipe para levar informação de qualidade aos produtores de proteína animal. No dia 24 de maio, a empresa publicou um artigo acompanhado de um vídeo com esclarecimentos para as principais dúvidas que chegavam de produtores.

A equipe técnica da empresa também tem feito palestras em diferentes eventos voltados para produtores de suínos e aves. Gabriela Galvão já esteve em Braço do Norte (SC), Pará de Minas (MG), Bastos (SP), Arapongas e Guarapuava (PR).

No último dia 27/9, a Agroceres Multimix disponibilizou uma página em seu site com diferentes materiais de orientação aos produtores de proteína animal. Uma das cartilhas criada pela equipe técnica da empresa, traz um roteiro de identificação de estabelecimentos e solicitação de autorização.

Outras três cartilhas disponibilizadas na página trazem um guia para elaboração de Manual de Boas Práticas de Fabricação, um guia para elaboração de Plano de Sequenciamento da Produção e um guia para a condução de teste de homogeneidades de mistura.

“A Agroceres Multimix tem como premissa oferecer aos seus clientes e ao setor de produção de proteína animal muito mais que nutrição”, salienta Ricardo Ribeiral, que é diretor da empresa. “E essa ação de apoio aos produtores nesse processo de transição e adequação está totalmente ligada a esse propósito”, conclui.

A página com as cartilhas de orientação aos produtores rurais, além de link para o artigo técnico e vídeo que tratam da Portaria Nº 798 está disponível a todos os interessados e pode ser acessado em www.agroceresmultimix.com.br/portaria798 .

 

Fonte: Assessoria

Empresas

Boehringer levará suas soluções para saúde avícola durante o XXI Congresso APA de Produção e Comercialização de Ovos 2024

Durante a 21ª edição do congresso, a Boehringer Ingelheim estenderá seu compromisso com a inovação e o bem-estar animal na avicultura

Publicado em

em

Filipe Fernando, Gerente de Marketing de Aves e Suínos da Boehringer Ingelheim - Crédito: Divulgação

A Boehringer Ingelheim, empresa especializada em saúde animal, confirma sua participação no XXI Congresso APA de Produção e Comercialização de Ovos 2024, que será realizado de 11 a 14 de março no Centro de Convenções de Ribeirão Preto (SP), um dos eventos mais importantes do setor avícola de postura do Brasil, organizado pela Associação Paulista de Avicultura (APA) e com o apoio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo (CDA), órgão ligado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Governo do Estado de São Paulo.

Durante a 21ª edição do congresso, a Boehringer Ingelheim estenderá seu compromisso com a inovação e o bem-estar animal na avicultura, apresentando seu portfólio de vacinas, entre elas, a Vaxxitek® HVT+ND, Vaxxitek® HVT+IBD+ND, Prevexxion® RN e Newxxitek® HVT+ND, . Além disso, a empresa prepara o anúncio de uma grande novidade para o setor, que promete trazer ainda mais tecnologia e inovação para o combate cruzado de três enfermidades recorrentes na avicultura.

Segundo Filipe Fernando, Gerente de Marketing de Aves e Suínos da Boehringer Ingelheim, o Congresso APA de Produção e Comercialização de Ovo é um evento crucial para reencontros com colegas da cadeia produtiva de ovos, entre eles clientes e parceiros, além de considerar o evento essencial para atualização e prospecção de negócios. “O congresso tem um papel fundamental para o setor produtivo dada a qualidade da programação que aborda as últimas tendências, inovações tecnológicas e conjunturas de mercado, essenciais para projetar o futuro da produção de uma atividade essencial para a economia nacional”, destaca.

As tecnologias e serviços que serão apresentadas, segundo Filipe, reforçarão o compromisso da multinacional com o setor de ovos por meio de uma linha abrangente de vacinas e sistemas de administração para garantir a saúde e o bem-estar das aves de postura, esforços que visam assegurar ovos seguros, acessíveis, abundantes e sustentáveis.

A expectativa da Boehringer Ingelheim para a edição 2024 é altamente positiva, pois representa uma oportunidade valiosa para troca de conhecimentos, estabelecimento de novas parcerias e fortalecimento de redes profissionais. “Estaremos ansiosos para contribuir com o setor de ovos, compartilhar nossas inovações e fortalecer parcerias. Estamos comprometidos em desempenhar um papel ativo no avanço do setor e esperamos que este evento seja um passo importante nesta jornada”, completa Filipe Fernando.

 

Serviço:

XXI Congresso APA de Produção e Comercialização de Ovos 2024

DATA: 11, 12, 13 e 14 de março de 2024

LOCAL: Centro de Convenções de Ribeirão Preto (Ribeirão Preto/SP)

Organização: Associação Paulista de Avicultura (APA)

Apoio: Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo (CDA)

Acesse: www.congressodeovos.com.br

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Tecnologia Dry® é fundamental para manter a qualidade dos suplementos nutricionais no período das águas

Publicado em

em

As chuvas são essenciais para atividade agropecuária, no entanto, a interação da água com os suplementos minerais linha branca pode causar perda da qualidade destes produtos: causar o empedramento no cocho, reduzir o consumo e afetar a produtividade dos animais.

O período de chuvas é o momento ideal para potencializar o ganho de peso dos bovinos, devido à combinação de pasto de qualidade e suplementação adequada. Contudo, neste período ocorre maior exposição do suplemento mineral à água. Esta situação pode causar um desbalanceamento da mistura mineral, uma vez que alguns componentes do suplemento como o Sódio e Zinco, por exemplo, podem ser lixiviados com a ação da água, além dos problemas com o empedramento do mineral no cocho. “Além de comprometer o desempenho dos bovinos, a deficiência de minerais pode acarretar redução da imunidade e aparecimento de problemas reprodutivos. Atender aos requerimentos dos bovinos é fundamental”, alerta Felipe Landim, consultor técnico beef da Trouw Nutrition.

A exposição dos minerais à chuva pode comprometer a qualidade do suplemento fornecido aos bovinos. O problema resulta tanto em perdas diretas devido a perda de qualidade, desperdício do produto e perdas zootécnicas.

O emblocamento do suplemento reduz o consumo diário de mineral e, consequentemente, o desempenho. Como ilustra a pesquisa feita por Ortolani (1999), à medida que a forma de apresentação do suplemento mineral passa de farelado para parcialmente emblocado ou firmemente emblocado (empedrado), há uma redução do consumo de 60 +/- 5g para 27 +/- 15g/cabeça/dia e do ganho médio diário (0,52 para 0,455 kg/cabeça/dia) de bovinos em pastejo.

Influência da forma do suplemento mineral oferecido no consumo e ganho médio diário (GMD) dos animais:

FONTE: ADAPTADO DE ORTOLANI (1999)

Os produtores devem se atentar ainda que os cochos estejam cobertos, já que os suplementos podem ser molhados em razão das chuvas com ventos. As regiões com alta umidade relativa do ar também pode ter alteração na forma de apresentação do suplemento mineral. “Em propriedade com pouca estrutura de suplementação, arrendamentos, alta incidência de chuvas e dificuldade operacional na salga dos animais, a tecnologia Dry®, da Trouw Nutrition, é indispensável, pois mantém os suplementos sempre farelado e seco, preserva sua qualidade e aparência física após exposição à chuva ou à umidade do ambiente”, recomenda Landim.

A Trouw Nutrition oferece aos pecuaristas soluções específicas durante o período de chuvas, como os suplementos minerais não proteicos da linha Bellman. “As soluções com tecnologia Dry® são formuladas para atender às necessidades de cria, recria e engorda do gado, proporcionando uma abordagem completa e eficaz para a suplementação mineral em condições desafiadoras, como de chuvas intensas”, conclui o consultor.

Continue Lendo

Empresas Novo posto

Aviagen América Latina apresenta Jorge Amado como novo Gerente Técnico Regional

Jorge Amado substituirá Mário Sérgio Assayag que, a partir de 1º de março, assumirá novas funções no time veterinário global

Publicado em

em

Jorge Amado / Divulgação Aviagen

A Aviagen® América Latina anuncia Jorge Amado como novo gerente Técnico Regional (RTM, na sigla em inglês) da empresa, com início em 1 de março. Amado iniciou na Aviagen em 2012 como gerente de Serviços Técnicos e, desde 2018, ocupou a função de gerente sênior de Serviços Técnicos responsável pela América Central, México e Caribe (CAME), fornecendo aos clientes Ross® das regiões um trabalho de alta performance.

Amado substituirá Mário Sérgio Assayag, atualmente em transição para uma nova função a partir de março com o time Veterinário Global. Além de suas atribuições como responsável pela região CAME, Amado focará também no fortalecimento do sucesso dos clientes em toda a América Latina. Ele reportará indiretamente ao presidente da Aviagen América Latina, Ivan Lauandos, presidente da Aviagen America Latina, com referência ao desempenho das aves.

Como gerente Regional Técnico, Amado terá uma colaboração estreita com a equipe de Serviços Técnicos e Vendas nas sub-regiões da Aviagen na América Latina, incluindo Argentina, Brasil, Colômbia, Peru, CAME e SAEB (América do Sul, excluindo Brasil).

Uma carreira de sucesso e compromisso com a excelência

Amado traz uma vasta experiência e conhecimento para sua nova e expandida função. Natural da Colômbia, é formado em Medicina Veterinária pela Universidade Nacional da Colômbia, com especialização em Administração de Empresas. Com mais de 30 anos de experiência na indústria avícola, abrangendo avós, matrizes, incubação e manejo de frangos de corte, agrega um profundo conhecimento do setor para a sua nova função.

Antes de juntar-se à Aviagen, Amado trabalhou como gerente de Serviços Técnicos para um distribuidor das aves Ross, na Colômbia e Equador, aprimorando ainda mais sua experiência e conhecimento no setor.

“Jorge tem demonstrado consistentemente sua liderança e desempenho excepcionais, especialmente na função como gerente sênior de Serviços Técnicos para a região CAME. Sua nomeação como gerente Técnico Regional para a América Latina reflete nossa confiança em suas habilidades e dedicação aos nossos clientes”, comenta o presidente da Aviagen América Latina, Ivan Lauandos.

“Agradeço por assumir esse novo papel e continuarei servindo nossos clientes na América Latina. Estarei empenhado em garantir o bem-estar e o desempenho de suas aves e continuarei a contribuir para o sucesso dos seus negócios”, expressa Amado com entusiasmo para o seu novo desafio.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.