Conectado com
LINKE

Empresas De Heus

Estância Shalom apresenta case de alta produtividade baseado em plano de nutrição para bezerros

Depois de oito anos criando vacas holandesas, a fazenda já produz 2,7 milhões de litros de leite por ano.

Publicado em

em

Divulgação De Heus

A convite da De Heus, o produtor Fernando Sleutjes participou de uma live pelo Instagram com o gerente de Produtos – Ruminantes da empresa, Leonardo Corso, para compartilhar o case de sucesso da sua fazenda Estância Shalom, que está localizada em Piraí do Sul, no Paraná. Depois de oito anos criando vacas holandesas, a fazenda já produz 2,7 milhões de litros de leite por ano. No início, tinha 60 vacas em lactação, e hoje conta com 480 animais no rebanho, 280 em recria e 200 em lactação.

Com origem holandesa, Sleutjes já está na terceira geração de produtores de leite, atividade iniciada pela família em 1950. O produtor divide a fazenda com as atividades de pecuária e agricultura: a criação de vacas leiteiras e a leiteria ocupam uma área de 100 hectares; paralelamente, trabalha com 70 hectares de plantação de milho e dois cultivos de aveia — com mais de 140 hectares.

Segundo ele, a Estância Shalom foca não somente na produção eficiente, mas também na recria: “Para termos um bom ganho com gados de leite, trabalhamos com uma meta de animais parindo, pois uma novilha holandesa, com 570 quilos, na faixa etária entre 23 e 24 meses, atinge a produção que temos alcançado, entre 40 e 45 litros no pico na primeira lactação, alcançando a eficiência na recria”.

Nutrição de novilhas

Para obter alta produção, Leonardo Corso informou que a Estância Shalom utiliza o plano de criação de novilhas KALIBER®, da De Heus, cujo o objetivo é criar animais jovens de forma saudável e econômica, usando como referência às proporções do animal em termos de altura, peso e tamanho. Com isso, o animal terá um bom desenvolvimento esquelético, sem engordar. “É um plano dividido em quatro fases: inicial, jovem, puberdade e gestação. Cada fase possui diferentes requerimentos nutricionais, como proteínas, amido, fibras, minerais e vitaminas. As dietas de cada fase são formuladas para atender às exigências dos animais e se encaixarem com as forragens disponíveis na fazenda”, explica.

Na fase inicial, entre zero e cinco meses, o produtor faz algumas recomendações, como atenção ao uso do colostro, cura do umbigo, aleitamento, água limpa de qualidade, ambiente seco, limpo, ventilado, higiene, alimentação de concentrado e feno de média e boa qualidade.  “A partir da primeira semana de vida, a ração deve estar à disposição 24 horas, em pequenas quantidades para que o animal consiga atingir o consumo máximo do concentrado o mais rápido possível. O ideal é que consuma pelo menos dois quilos da ração nos três últimos dias antes da desmama. O feno pode ser oferecido à vontade a partir da terceira semana de vida. Depois dessa fase de aleitamento que dura entre, 70, 80 ou 90 dias, o ideal é que a bezerra continue tendo bom ganho de peso”, explana.

Fase de bezerro

Segundo ele, depois do período de desmame, os animais vão para as baias coletivas, que reúnem até quatro bezerras, e comem 2,5 kg de ração, tendo também feno à vontade: “Essas novilhas têm ganhado, em média 1 kg de peso por dia na fase de bezerreiro, e, quando jovem, até a primeira inseminação, um ganho de peso de 1 kg durante a fase inteira”.

Fernando Sleutjes explica que ao sair da fase de bezerra, o animal toma a primeira vacina polivalente e entra numa dieta mais concentrada: “Nessa etapa também recebe uma vacina sanitária obrigatória e se unirá a outras bezerras. Até chegar à faixa etária entre oito e nove meses, uso um pré-secado bom, um pouco de feno e ração em torno de 2,5 kg por dia. Na fase dois do plano KALIBER®, da De Heus, elas chegam a ganhar entre 1 kg e 1,2 kg de peso por dia”.

Fase de inseminação

O produtor segue um programa reprodutivo para a fase de inseminação, acompanhando o desenvolvimento fisiológico do animal, para alcançar uma taxa favorável de concepção: “Como estão crescendo demais, espero 12 meses, quando já estão com 370 kg, começo a inseminar. Com isso, estou conseguindo uma concepção excelente, com partos em faixa etária entre 22 e 23 meses”.

Em pesquisa interna da fazenda, foi constatado que, em 2018, uma primípara produzia 10.980 litros de leite, em 365 dias; em 2019, alcançou 11.500 por primípara; agora, em 2020, está entre 12.200 e 12.500, em 365 dias: “São quase cinco litros em três anos, só com a melhora na criação de novilhas e na genética. A nutrição de qualidade também influencia bastante na genética e nos resultados”, diz Sleutjes.

Case de sucesso

A parceria entre a fazenda Estância Shalom e a De Heus se iniciou há oito anos —quando a multinacional chegou ao Brasil —, período em que o produtor começou a criação. “Eu avalio a De Heus como uma empresa que, além de fornecer produtos de alta qualidade, também oferece o conhecimento para atingirmos resultados superiores por meio de pesquisas que, colocadas na prática, nos leva a atingir todas as metas de criação”, completa.

Segundo Leonardo Barros Corso, gerente de Produtos – Ruminantes da De Heus, todo o trabalho desenvolvido pela companhia tem como foco ver o progresso e a evolução de clientes, como acontece com a Estância Shalom: “Ver na prática, os conceitos nutricionais da De Heus funcionando perfeitamente em solo brasileiro, com tanto sucesso, é muito gratificante. Sleutjes, sua família e colaboradores trabalham com alto profissionalismo, comprometimento e disposição para fazer o melhor pelos animais. Queremos seguir juntos para ainda mais evoluções, nas próximas etapas de criação da Estância Shalom”.

Fonte: Ass. de Imprensa De Heus
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 18 =

Empresas Vetoquinol

Usar antiparasitários de alta performance e baixo período de carência é ideal para fase de terminação dos bovinos

Publicado em

em

Divulgação Vetoquinol

Diversos desafios ligados à infestação de parasitas afetam os bovinos durante o ciclo de produção, reduzindo o desempenho produtivo e a lucratividade dos produtores. A recomendação é lançar mão de medidas de controle efetivo, prevenção e tratamentos eficazes específicos para cada fase de criação. Humberto Moura, gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal, explica que durante a fase de engorda e terminação o controle dos parasitas torna-se um dos maiores desafios dos pecuaristas. “O controle efetivo dos parasitas com uma solução apropriada a essa fase é fundamental para a obtenção de animais mais pesados, bem terminados e produzindo carne de qualidade e segura para o consumo”, diz.

Segundo estimativas, cerca de 6 milhões de animais devem ser terminados no sistema de confinamento em 2020. Porém, a maioria dos animais abatidos no Brasil (cerca de 30 milhões) ainda é terminada a pasto. “Independente do sistema de engorda – seja pasto, confinamento ou semiconfinamento – o controle dos parasitas internos e externos é de extrema importância, principalmente com o uso de produtos e protocolos sanitários que promovam resultados efetivos, tanto em termos de menor manejo possível e baixo períodos de carência”, reforça Humberto Moura.

Com amplo portfólio para controle parasitário, a Vetoquinol Saúde Animal, uma das 10 maiores empresas de saúde animal do mundo, oferece o inovador endectocida Contratack Injetável Plus. De alta tecnologia, o produto é eficaz para combater os parasitas internos e externos e assegurar a produtividade necessária para a fase de terminação com segurança.

“Contratack Injetável Plus é uma solução ideal para a fase de engorda e terminação. Além de ter baixo período de carência (17 dias), a associação da Eprinomectina 1,8% com Fluazuron proporciona alta performance, contribuindo para elevar a produtividade na terminação. O rebanho fica limpo e protegido. Contratack Injetável Plus é sinônimo de produção de carne mais segura para o consumo, atendendo às exigências dos mercados regulatórios e dos consumidores”, finaliza o gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas

Trouw Nutrition investe R$ 15,6 milhões em aumento da capacidade de produção. Novos investimentos estão programados para 2021

A capacidade de produção das fábricas de Mirassol e Cuiabá aumentou 17%, em 2020

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A Trouw Nutrition, uma das líderes globais em nutrição animal, concluiu investimentos de R$ 15,6 milhões em suas plantas industriais de Arujá (SP), Mirassol (SP) e Cuiabá (MT), em 2020. São dois objetivos principais: aumento da capacidade produtiva e redução de custos operacionais, explica Tiago Nicoletti, Diretor de Operações LATAM. “A  Trouw Nutrition busca continuamente melhorar a eficiência e produtividade das suas fábricas, com foco na expansão do atendimento para os clientes de todo o Brasil”.

A capacidade de produção das fábricas de Mirassol e Cuiabá aumentou 17%, em 2020. “O investimento não para por aí. No próximo ano, temos aprovação para aplicar R$ 12 milhões em nova rodada de crescimento da capacidade produtiva das plantas em mais 10%. Isso inclui aquisição de novos maquinários e uma infraestrutura cada vez mais robusta”, complementa Nicoletti.

“A Trouw Nutrition quer estar cada vez mais presente no mercado brasileiro, oferecendo soluções nutricionais modernas e eficazes para contribuir para o contínuo aumento da produtividade de aves, suínos e bovinos – além do segmento de petfood. Os investimentos feitos e a fazer estão em linha com esse planejamento. Esperamos retorno financeiro em até três anos”, explica o Diretor de Operações LATAM.

Tiago Nicoletti acrescenta que na fábrica de Arujá os investimentos em expansão da capacidade tornaram possível a inclusão de linha de produção exclusiva para soluções pet, um diferencial no mercado de animais de companhia. “Nossa infraestrutura permite a distribuição consistente dos ingredientes em nossos premixes, atendendo às exigências de qualidade e segurança alimentar. Para isso, temos áreas específicas de estoque, pesagem, mistura e ensaque, o que evita a contaminação cruzada com outras áreas.

A salubridade do ambiente de trabalho é outro foco de atenção da empresa. “Estamos frequentemente revisitando normas de segurança e iniciativas para a redução de acidentes de trabalho. É uma preocupação constante. Os números comprovam: estamos há mais de dois anos sem acidentes em nossas unidades fabris. Desde 2018, os investimentos nas plantas somaram R$ 32 milhões – somente na área de HSE (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) foram R$ 10 milhões”, informa Nicoletti. “Esse é um dos motivos que explica o crescimento do nosso negócio a cada ano, além da confiança dos clientes e importância dos colaboradores como um pilar forte para a consolidação da Trouw Nutrition no mercado de nutrição animal”, reforça o diretor.

Continue Lendo

Empresas Treinamento

IHARA é parceira do Sindiveg na orientação ao agricultor sobre uso correto e seguro de defensivos

Plataforma digital de treinamentos capacita agricultores levando boas práticas e segurança ao campo

Publicado em

em

Arquivo OP Rural

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento especializada em tecnologias e defensivos para a proteção de cultivos, é parceira do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos Para Defesa Vegetal (Sindiveg) em promover conhecimento e capacitação sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas no campo, indicando aos seus agricultores e distribuidores a plataforma digital de treinamentos da entidade.

“A IHARA tem orgulho de participar de projetos como esse que levam informações e orientações para que nossa agricultura continue prosperando com segurança. Entendemos que, mais do que desenvolvermos e levarmos soluções para a proteção de cultivos dos nossos agricultores, temos a responsabilidade de orientá-los para que façam o uso dos nossos produtos da melhor e mais segura forma possível. Produtos especiais requerem cuidados especiais”, afirma Gabriel Saul, Gerente de Comunicação da IHARA.

Com a utilização correta dos defensivos e a otimização das aplicações evita-se o desperdício e a dispersão de resíduos. Além disso, as lavouras estarão protegidas por meio do controle eficaz das pragas, doenças e plantas daninhas, garantindo assim alta produtividade, qualidade e segurança dos alimentos para o consumo.

“Além de contribuirmos ativamente no Sindiveg para o desenvolvimento dessas ações, criamos praticamente uma “força-tarefa” dentro da IHARA, envolvendo todo nosso time comercial e distribuidores, para que essas importantes informações cheguem até o campo alcançando o maior número de agricultores possível. Os resultados”, completa Gabriel.

Completando três meses no ar, a ferramenta, que é totalmente gratuita, já certificou milhares de agricultores. Os interessados podem acessá-la no link https://treinamentos.sindiveg.org.br/login.php

10 Regras de Ouro do Uso Correto e Seguro de Defensivos Agrícolas

Como complemento à plataforma de treinamentos online, o Sindiveg, com o apoio de suas associadas, criou as 10 Regras de Ouro para o Uso de Defensivos Agrícolas com o objetivo de disseminar, de forma simples e rápida, as principais regras para o uso correto desses indispensáveis insumos.

As recomendações envolvem o fluxo completo de uso dos defensivos, desde o planejamento de compra até o descarte das embalagens, que podem ser lidas no informativo digital completo: https://bit.ly/10RegrasdeOuroDefensivos

Fonte: Ass. de Imprensa IHARA
Continue Lendo
Dia Estadual do Porco – ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.