Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas

Como o bem-estar animal impacta de fato a produtividade na suinocultura?

Especialista da MSD Saúde Animal orienta sobre a aplicação dos princípios do bem-estar animal e como a prática resulta em mais respeito no processo e melhores resultados produtivos

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

O principal erro na produção animal é não conhecer as características e o comportamento da espécie trabalhada, é o que afirma Filipe Dalla Costa, coordenador de Bem-Estar Animal na MSD Saúde Animal. Segundo o especialista, ao entender as reações dos animais frente as nossas ações, é possível interagir de forma positiva, criando conexões homem-animal que facilitam o manejo, previnem acidentes de trabalho e melhoram a saúde e o bem-estar, impactando em produtividade e rentabilidade. Tratando-se especificamente de suínos, ainda é preciso entender que eles têm uma natureza gregária e de presa na natureza, por isso, a redução do estresse durante as práticas rotineiras de manejo diminui o estímulo a comportamentos de luta ou fuga, que podem ocasionar acidentes, lesões e, consequentemente, perdas produtivas.

“Precisamos lembrar que não é a força, mas, sim, o jeito que trabalhamos que determina o sucesso produtivo. São ajustes simples e de grande impacto. Por exemplo, a condução de lotes em grupos, evitando o isolamento de indivíduos, facilita a movimentação dos animais por se sentirem mais seguros”, diz Filipe. Animais estressados ou que enxergam o manejador como uma ameaça reduzem a expressão de sinais clínicos de doenças nas fases iniciais e subclínicas, dificultando a identificação precoce de enfermidades, o que gera maior uso de antibióticos na produção e comprometimento geral da saúde e bem-estar único, que considera a relação harmônica entre animais, pessoas e meio ambiente. É necessário entender que o sistema de luta-fuga do animal é ativado pela adrenalina e noroadrenalina, que preparam o corpo para combate, camuflando tosses, espirros, lesões etc.

 

Ajustando o sistema produtivo

No que tange as soluções e harmonia na produção, Filipe indica que se deve sempre trabalhar dentro dos cinco domínios do bem-estar animal (Alimentação, Saúde, Comportamento, Ambiência, Emoções positivas). “Eles interagem de forma dinâmica, e a falha em um dos domínios leva ao desequilíbrio para compensação em outro. Assim, evitar estresses agudos e crônicos reduz a chance de prejuízos orgânicos aos animais”, pontua o especialista. Ainda segundo ele, “precisamos estar cientes de que somos todos produtores de alimentos, independentemente da espécie trabalhada; quando utilizamos esse mindset, entendemos que cada ação impacta diretamente na qualidade do nosso produto final”.

Prejuízos que levem a desequilíbrios no bem-estar animal resultam em maior uso de antibiótico, mortalidade, disseminação de enfermidades, acidentes de trabalhos e, logo, menos sustentabilidade na produção de alimentos. “Aquele animal que morreu no embarque, por exemplo, consumiu recursos naturais e não foi transformado em alimento. Assim, quando consideramos a emissão por kg de alimento produzido, produções com menores níveis de bem-estar animal e maior percentual de hematomas, lesões e mortalidade de animais que não são transformados em alimentos são menos sustentáveis.”

Por isso, é fundamental ter atenção a pontos básicos, mas essenciais ao sistema produtivo e ao aumento da rentabilidade. A alimentação em quantidade e qualidade adequadas é o mínimo necessário, contudo, muitas unidades produtivas falham na redução de disputa entre indivíduos, principalmente no espaço no comedouro, na proporção de bebedouros por animal e na garantia da vazão mínima, ressalta Filipe. “Se você já tomou água em um bebedouro com vazão baixa, sabe do que estou falando. Provavelmente, você saiu com sede e frustrado, desistindo do recurso depois de um tempo. Ou se já recebeu um jato de água do bebedouro que saiu pelo nariz, vai entender”, exemplifica.

O uso de enriquecimento ambiental para promoção de comportamentos normais da espécie e redução de comportamentos agonísticos de mordedura de cauda e estereotipias vem sendo bastante discutido. No entanto, de acordo com o especialista, é preciso simular ao máximo o ambiente da granja ao natural da espécie. “Na maternidade, por exemplo, o comportamento da fêmea de preparar o ninho para o parto é algo inato e que promove emoções positivas, basta ter recursos disponíveis. Uso de materiais para exploração são essenciais, uma vez que na natureza o suíno pode passar 80% do tempo chafurdando. Ignorar ou não possibilitar a expressão desses comportamentos pode ser crucial para a manutenção de um bom nível de bem-estar animal e redução de efeitos sobre a saúde e produtividade.”

A ambiência reflete as características das instalações, onde podem ser trabalhadas questões de qualidade do ar, temperatura, umidade, ventilação, nível de gases, espaço disponível por animal e qualidade do piso. Filipe orienta que “a redução do espaço por animal (densidades mais altas) pode promover interações agonísticas entre indivíduos (brigas), disputa por recursos, lesões, redução na qualidade do ar e prejuízos econômicos graves”.

Dessa forma, o coordenador de Bem-Estar Animal da MSD Saúde Animal é enfático em dizer que, “após um certo limite, menos é mais, ou seja, manter menos animais na instalação é ter uma produtividade maior, menos risco de perdas e maior qualidade da produção”. Outro ponto de atenção é a qualidade do piso, pois pode afetar a movimentação dos suínos e levar a lesões que impeçam a movimentação, além de ocasionar dor crônica quando não tratada. “É essencial avaliar o ambiente para reduzir chances de perdas e promover melhorias para a saúde”, afirma.

 

Apoio ao mercado

Como forma de incentivar a constante evolução do setor e o avanço das práticas, com bem-estar animal e segurança alimentar, a MSD Saúde Anima investe em pesquisas para trazer aos produtores soluções e programas que de fato agreguem em performance e rentabilidade. Um exemplo é o Sistema IDAL, que revolucionou a imunização de suínos contra importantes doenças, como Pneumonia Enzoótica, Circovirose dos Suínos, Doença de Aujeszky e PRRS, priorizando o bem-estar animal, com a eliminação da dor, a redução da lesão tecidual e a facilidade na aplicação, sem perder a eficácia frente às vacinas intramusculares.

O dispositivo permite aplicação da vacina em baixa dosagem na pele, sob pressão controlada e sem uso de agulhas, garantindo que a vacinação seja segura e menos estressante para os animais. Já para os suinocultores, proporciona maior conveniência e eficiência. Somente em 2021, mais de 6.5 milhões de suínos foram vacinados com IDAL no Brasil. A tecnologia está presente em diversas empresas produtoras, incluindo três maiores agroindústrias do país.

“O IDAL melhora o manejo, reduz o índice de cortisol durante a vacinação – o que impacta diretamente no bem-estar animal –, diminui a geração de resíduos para o meio ambiente e permite facilidades aos trabalhadores do campo com a tecnologia oferecida, evitando a ocorrência de injeções acidentais que podem acontecer ao manejar agulhas”, pontua Tiago Salomão, coordenador de marketing da unidade de negócios de Suinocultura da MSD Saúde Animal.

Também fazem parte das ações da empresa o programa Criando Conexões Multiespécie, que reforça o manejo de baixo estresse por meio de consultoria em diferentes espécies para otimizar a cadeia produtiva de maneira consciente, gerando ganhos importantes de eficiência operacional e produtividade, e a recém-lançada Certificação em Bem-Estar Único – Missão de Cuidar, que abrange produções de bovinos, suínos e aves e segue mais de 150 critérios de avaliação adaptados ao clima tropical, definindo produções sustentáveis e focadas em bem-estar. O selo é auditado pela QIMA/WQS.

 

Fonte: Assessoria

Empresas Soluções nutricional

Polinutri destaca os efeitos benéficos do uso de suplementos polivitamínicos hidrossolúveis contendo probióticos na produção avícola industrial

Nova tecnologia lançada pela empresa auxilia na saúde intestinal, atuando de forma eficaz para a estabilidade da flora intestinal das aves

Publicado em

em

Arquivo / OP Rural

A Polinutri apresenta ao mercado sua mais nova solução nutricional, cuja proposta é auxiliar o desenvolvimento zootécnico, uma tecnologia estratégica para manter o equilíbrio da flora intestinal durante o período de estresse das aves. “A Polinutri acaba de apresentar uma ferramenta estratégica e indispensável para a avicultura brasileira, o Provitam Bio Aves. Lançada oficialmente durante nossa participação na Pecnordeste 2024, que ocorreu de 6 a 8 de junho no Centro de Convenções do Ceará, em Fortaleza, e foi muito bem recebida por todos que visitaram nosso estande”, destaca Cristiano Kraemer, Gerente da Unidade de Negócios Avicultura da Polinutri.

O Provitam Bio Aves chega ao mercado com o aval técnico-científico da equipe do departamento técnico da Polinutri, referência no mercado de nutrição. Sua proposta é agir em diferentes situações do período de produção das aves, garantindo o balanço da flora intestinal natural frente a uma série de fatores comuns relacionados à intensa pressão da produção e seus efeitos negativos causadores do estresse das aves, sejam elas de corte, postura, ornamentais ou de estimação.

“O Provitam Bio Aves é um suplemento vitamínico completo que melhora a estabilidade da microbiota intestinal com aminoácidos, eletrólitos, osmoprotetores e probióticos. Trata-se de um produto desenvolvido para promover a saúde intestinal e reforçar a suplementação de vitaminas essenciais”, ressalta Cristiano Kraemer.

No campo, o porta-voz salienta que os avicultores ganharão ainda mais eficiência ao permitir a estabilidade da flora intestinal. Ele descreve que o Provitam Bio Aves foi desenvolvido para equilibrar e promover a microbiota intestinal benéfica, reforçando a suplementação de vitaminas que participam de diversas funções vitais, como a produção de energia, a síntese de proteínas, a formação de ossos e penas, e a proteção contra radicais livres.

“Seja em situações de desafios sanitários, quedas de imunidade, mudança de ambiente, elevada densidade populacional ou mesmo desidratação e estresse térmico, o Provitam Bio Aves passa a ser uma grande aliada da avicultura brasileira”, completa Kraemer.

De acordo com Andre Viana, Diretor Técnico da Polinutri, a tecnologia presente na solução nutricional conta com quatro cepas de micro-organismos em elevada concentração, que restauram e regulam a microbiota intestinal, colonizando o ambiente para uma microbiota mais saudável. As vitaminas presentes no Provitam (dos complexos C e B) auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico e são cofatores de diversas reações do metabolismo das aves, além dos probióticos.

O produto também se destaca por sua fácil aplicação e versatilidade, sendo resistente ao cloro presente na água tratada, por exemplo, ou podendo ser adaptado à melhor forma de uso do avicultor, seja na ração farelada ou na água. “Todos esses benefícios elevarão a estratégia de produção, um compromisso da Polinutri, uma companhia que há 35 anos acredita que, ao lado dos nossos clientes, podemos ir mais longe”, completa Marcelo Torretta, Diretor Comercial Multiespécies da Polinutri.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Cota coffee break

Vaxxinova patrocina o Congresso de Suinocultores, com ação durante o evento

Em formato híbrido, o Congresso de Suinocultores, que acontece no dia 11 de junho, será transmitido ao vivo

Publicado em

em

Arquivo / OP Rural

A Vaxxinova, reconhecida por sua atuação no setor de saúde animal, patrocina o Congresso de Suinocultores, que ocorrerá no dia 11 de junho, em Marechal Rondon, no Paraná. Durante o evento, a Vaxxinova irá realizar um sorteio especial, proporcionando aos participantes a chance de ganhar uma Alexa. Além disso, a empresa oferecerá um coffee break, reforçando seu compromisso em apoiar e enriquecer o setor de suinocultura no país.

O Brasil é o quarto maior produtor e exportador de carne suína do mundo, e o congresso é de suma importância para todo o setor produtores do Paraná, visto que, na cadeia de suínos, o estado ocupa a segunda posição no ranking nacional, produzindo 12 milhões de unidades em 2023, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Como o Brasil tem um papel significativo nesse mercado global, este evento é uma oportunidade vital para os produtores brasileiros se atualizarem sobre as melhores práticas e inovações, promovendo um intercâmbio de ideias para fortalecer ainda mais o setor”, comenta Rogério Petri, Gerente da Unidade de Negócios Suínos Vaxxinova.

Com uma programação rica e diversificada, o congresso, que reúne nomes importantes da suinocultura do estado e do Brasil, é promovido pelo jornal “O Presente Rural”, em parceria com Lar Cooperativa Agroindustrial e Frimesa e com o apoio do Sindiavipar e da ABCS. O evento terá participação presencial de convidados e transmissão ao vivo pelo Facebook e pelo YouTube do jornal, o que amplia o alcance do congresso, permitindo que mais pessoas se beneficiem das discussões e apresentações.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Visita da APCS ao Escritório da DanBred Brasil em Patos de Minas

Publicado em

em

(Foto: Divulgação)

A DanBred Brasil teve o prazer de receber a visita da liderança da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS) e produtores do estado de São Paulo ao nosso escritório em Patos de Minas, nos dias 3 e 4 de junho de 2024. Este encontro teve como objetivo fortalecer a colaboração e parceria de longa data, promovendo o intercâmbio de conhecimentos e experiências no setor de suinocultura.

Durante a visita, os representantes da APCS tiveram a oportunidade de conhecer nossa estrutura e as inovações tecnológicas implementadas pela DanBred Brasil. Tivemos o prazer de contar com uma apresentação do presidente da APCS, Valdomiro Ferreira, que falou sobre o presente e futuro da suinocultura, enriquecendo o conhecimento de todos os envolvidos no setor de suinocultura da DanBred Brasil.

A programação incluiu reuniões com nossa equipe técnica e visitas às nossas instalações, onde apresentamos nossa estrutura de produção e melhoramento genético, bem como a evolução dos resultados que estamos trazendo para este ano.

Estamos entusiasmados com o fortalecimento dos laços com a APCS e de contribuir para o avanço do setor suinícola no Brasil.

Continue Lendo
SIAVS 2024 E

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.