Conectado com

Notícias Planejamento

ANCP reúne consultores de todo Brasil para planejar atuação em 2019

Evento teve a participação de 23 consultores que atuam em todo o Brasil, incluindo dois profissionais da Bolívia e um da Colômbia

Publicado em

em

Divulgação/Assessoria

Como tradicionalmente acontece no início de cada ano, a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP) reuniu em sua sede, em Ribeirão Preto (SP), seus consultores para discutir o plano de atuação da Entidade em 2019.

Contando com a participação de 23 consultores que atuam em todo o Brasil, incluindo dois profissionais da Bolívia e um da Colômbia, o evento, realizado no dia 31 de janeiro, contou com uma série de palestras e discussões apresentada pela equipe técnica da Instituição.

O diretor técnico Argeu Silveira comandou a discussão sobre “Precocinhas x Facilidade de Parto”. O presidente da ANCP, Prof. Raysildo Lôbo, falou sobre “Estado da Arte da Genômica”. Já Carina Ubirajara de Faria, também diretora técnica, dissertou sobre “Eficiência Alimentar: Evolução e Desafios”, enquanto Daniel Lôbo, do CTAG (Centro Técnico de Avaliação Genética), deu orientações e tirou dúvidas sobre o “Aplicativo ANCP”.

Foram realizadas também discussões sobre os temas “Programa ANCP de Melhoramento Genético de Gado Comercial”, “Programa ANCP Senepol (PAS)”, “Reprodução Programada 2018: Resultados e Balanço” e “Reprodução Programada 2019: Planejamento e Estratégias”.

A reunião ainda abordou temas como a aplicação da metodologia single-step nas análises da avaliação genética, a comemoração dos 20 anos do programa Guzerá Brasil, com o lançamento da DEP de eficiência alimentar exclusiva para a raça Guzerá, e o uso da consanguinidade genômica, que permite melhor delineamento e tomadas de decisões em acasalamentos otimizados.

Durante o treinamento também foram apresentadas algumas informações sobre o 25º Seminário ANCP, que neste ano será realizado no dia 10 de maio, no Centro de Convenções de Ribeirão Preto.

Argeu Silveira explica que a reunião foi muito produtiva, com bastante participação dos consultores. “Realizado pelo menos uma vez por ano, o encontro é importante para trocar experiências, saber como é o dia a dia dos nossos técnicos e promover ações para melhorarmos ainda mais o nosso relacionamento com os associados”, destaca.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =

Notícias Mercado

Importação de soja pela UE em 2019/20 atinge 7,4 mi t até 19 de janeiro

Número é 6% abaixo do volume registrado em 13 de janeiro do ano passado, apontaram os dados

Publicado em

em

Divulgação

As importações de soja pela União Europeia na temporada 2019/20, iniciada em 1º de julho, atingiram 7,4 milhões de toneladas até 19 de janeiro, mostraram dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (20). O número é 6% abaixo do volume registrado em 13 de janeiro do ano passado, apontaram os dados.

Já as importações de farelo de soja pela UE chegaram a 10,3 milhões de toneladas, alta de 9% ante igual período do ano anterior, enquanto as aquisições de óleo de palma ficaram em 2,9 milhões de toneladas, queda de 21%. A publicação dos dados da UE havia sido adiada no início deste mês devido a problemas técnicos.

Fonte: Reuters
Continue Lendo

Notícias Gestão de Riscos

Mapa negocia R$ 1,5 bilhão para apoiar contratação do seguro rural em 2021

Orçamento será articulado entre o Mapa e a área econômica com o objetivo de impulsionar o seguro rural como principal instrumento mitigador de riscos climáticos na agricultura

Publicado em

em

Divulgação

Desde o dia 2 de janeiro, os produtores podem procurar os corretores, instituições financeiras, cooperativas e revendas para contratar as apólices de seguro no âmbito do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). São 14 companhias seguradoras credenciadas no programa operando em todas as regiões do país e ofertando seguros rurais para mais de 60 culturas e atividades. Para 2020, está previsto R$ 1 bilhão para o programa, maior valor para subvenção desde sua criação.

Com o objetivo de dar continuidade à promoção do seguro rural como principal instrumento mitigador de riscos climáticos, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) irá debater com a área econômica do governo federal a meta de ampliar o orçamento do programa para R$ 1,5 bilhão no exercício de 2021.

Regras em 2020

Novas regras de subvenção entram em vigor este ano, o que irá permitir que mais produtores tenham acesso à subvenção (veja tabela). A estimativa é apoiar a contratação de aproximadamente 250 mil apólices, possibilitando a cobertura de 18 milhões de hectares e um valor segurado de R$ 50 bilhões.  A projeção considera o comportamento de contratações em anos anteriores e pode variar dependendo do perfil de contratação de seguro rural por atividade e tamanho de produtor.

A partir dos ajustes feitos nas regras, em torno de 17% a mais de produtores sejam contemplados com seguro rural no PSR, quando comparado com a regra anterior. Para as culturas de frutas, olerícolas, cana-de-açúcar, pecuária, aquícola e florestas, a subvenção ao prêmio do seguro aumentou de 35% para 40%. Além disso, produtores de culturas de inverno, como trigo e milho de segunda safra, terão subvenção de 40% no tipo de cobertura de multirrisco, que antes estava em 35%.

Para grãos de verão, como soja e milho, e para o café,,a subvenção pode variar entre 20% e 30%, a depender do tipo de cobertura e de produto contratado. As mudanças também foram realizadas no limite financeiro anual por beneficiário na modalidade agrícola, que passou de R$ 72 mil para R$ 48 mil, considerando que um pequeno número de apólices era beneficiada com os limites maiores e a redistribuição desses valores possibilitará que mais agricultores tenham acesso à subvenção.

O diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola, ressaltou que a simplificação nas regras foi aprovada pelo Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural no ano passado. “Essas mudanças atendem demandas do setor para tornar o seguro mais acessível”, disse.

Além disso, o Mapa está com projetos para melhorar os produtos e serviços entregues pelas seguradoras habilitadas. “Estamos criando um monitor do seguro rural em que as entidades poderão, com auxílio do Mapa, formalizar para o mercado segurador demandas fundamentadas visando aperfeiçoar ou desenvolver novos produtos de seguro rural”.

Outro objetivo do Mapa é elevar o patamar de qualidade dos serviços entregues pelas seguradoras aos produtores. “Vamos cobrar melhorias nas coberturas e produtividades estipuladas, bem como dos serviços dos corretores e de peritos agrícolas. Esses últimos terão que fazer parte de um cadastro nacional e serão submetidos a cursos de capacitação e de certificação até 2022. Todas essas ações fazem parte do Programa AGIR – Agro Gestão Integrada de Riscos no âmbito do projeto de Promoção do Seguro Rural”, finalizou.

Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) – 2020

Modalidades
de  Seguro

Grupos de Atividades

Tipo de
Cobertura

Tipo de Produto

Percentual
Subvenção

Limite Anual (R$) 

Agrícola Grãos de Verão e café*

Riscos Nomeados

Custeio/Produtividade

20%

48.000
Multirrisco

Custeio/Produtividade

25%

Receita

30%

Grãos de Inverno**

Riscos Nomeados

Custeio/Produtividade

35%

Multirrisco

Custeio/Produtividade/Receita

40%

Frutas, Olerícolas e Cana-de-Açúcar

40%

Florestas

Silvicultura (florestas plantadas)

40%

24.000

Pecuário

Aves, bovino, bubalinos, caprinos, equinos, ovinos e suínos

24.000

Aquícola

Carcinicultura, maricultura e piscicultura

24.000

Valor Máximo Subvencionável (CPF/ano)

120.000

Fonte: Resolução nº 68, de 08 de agosto de 2019
*Grãos de Verão: algodão, amendoim, arroz, café, fava, feijão, girassol, milho 1ª safra e soja.
**Grãos de Inverno: aveia, canola, cevada, centeio, milho 2ª safra, sorgo, trigo e triticale.

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Notícias Na Índia

ABPA, MAPA e Apex-Brasil promovem seminário sobre parcerias para segurança alimentar

Tema do seminário será “Complementariedade e Parcerias para a Segurança Alimentar”

Publicado em

em

Divulgação

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), promoverão na quinta-feira (23), em Nova Délhi, um seminário para tratar sobre parcerias entre Brasil e Índia para a segurança alimentar.

Com o tema “Complementariedade e Parcerias para a Segurança Alimentar”, o seminário contará com apresentações da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; do Embaixador do Brasil na Índia, André Correa do Lago; do presidente da Apex-Brasil, contra-almirante Sergio Ricardo Segóvia Barbosa; além do diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin.

O seminário antecede a Missão Presidencial do Brasil à Índia. Além de destacar parcerias para a ampla oferta de alimentos à população indiana, o evento abordará o modelo produtivo brasileiro, focado na qualidade dos produtos, no status sanitário e na sustentabilidade da produção.

“Queremos reforçar nossa posição como Nação parceira para a oferta de proteína animal em complemento à produção local, no momento em que a economia da Índia cresce, juntamente com a renda média da população, o que naturalmente deve incrementar a presença de cárneos na dieta indiana”, analisa Santin.

Exportações

Além do seminário, a ABPA entregou à Presidência da República do Brasil e à Ministra da Agricultura as demandas do setor produtivo na pauta de negociações com a Índia.  A principal delas é a redução das tarifas para a importação de carne de frango e suína brasileiras.

Embora aberto para o frango brasileiro, o mercado indiano impõe tarifas de 30% para produtos inteiros, 100% para cortes de frangos e 27% para suínos.

Com a segunda maior população do mundo, a Índia caminha para incrementar sua demanda por proteínas. “Hoje, o consumo per capita de carne de frango é baixo na Índia. Com o aumento da renda média do país, haverá necessidade de mais alimentos. Nesse quadro, a redução de barreiras tarifárias é fundamental, e beneficiará especialmente o consumidor indiano”, conclui o diretor executivo da ABPA.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral
Mais carne

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.