Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas Bovinos

Prevenção é primordial para um rebanho de qualidade

Atuar preventivamente contra doenças que prejudicam o desempenho e que são potencialmente fatais para o gado é uma forma de evitar prejuízos e reflete em produtos de maior qualidade

Publicado em

em

Foto: Assessoria

Prevenir doenças é a melhor medida que o pecuarista pode tomar para garantir uma produção de alta qualidade e em quantidade adequada. Além de reduzir os custos com mão de obra e tratamentos, evitar que o gado desenvolva doenças virais, bacterianas e verminóticas possibilita que a genética destes animais expresse o seu melhor potencial produtivo, gerando mais lucros ao produtor.

“De forma geral, o pecuarista brasileiro prefere concentrar os cuidados sanitários do rebanho como a realização dos reforços vacinais anuais no momento de vacinação global contra a Febre Aftosa, pela facilidade do manejo e melhor utilização da mão de obra. O ponto de atenção é que atualmente uma grande parte dos estados e municípios já não vacina mais contra esta doença, o que pode atrapalhar um pouco a organização das fazendas na prevenção de outras enfermidades”, declara Marcos Malacco, médico-veterinário gerente de serviços veterinários para bovinos da Ceva Saúde Animal.

Doenças importantes como a Raiva e as Clostridioses são potencialmente fatais para o gado e necessitam de protocolos adequados primovacinação e de revacinações em todo o rebanho. “As duas doenças estão associadas ao ambiente em que os bovinos se encontram. A raiva bovina é transmitida principalmente pelos morcegos hematófagos (“vampiros”), que são comuns em muitas áreas rurais, principalmente próximo de matas, furnas e outros locais que possam servir de refúgio para estes morcegos. Já as clostridioses estão relacionadas à um gênero de bactérias muito resistentes, Clostridium spp, que podem contaminar o rebanho por meio da ingestão de seus esporos ou de toxinas produzidas por elas nos alimentos, na água ou até mesmo em carcaças de animais mortos. Uma outra forma de se contrair uma das clostridioses, a Gangrena Gasosa, é a introdução dos esporos dos clostrídios envolvidos no tecido subcutâneo e musculatura através de ferimentos acidentais ou cirúrgicos, ou mesmo agulhas. Nestes casos, é muito mais complexo controlar o ambiente do que imunizar os animais”, reforça Malacco.

Dentre as principais clostridioses que acometem o gado, o médico-veterinário destaca: o Carbúnculo Sintomático (manqueira), a Gangrena Gasosa, o Botulismo,  e as Enterotoxemias. Todas elas com uma rápida progressão e que, na maioria das vezes, termina em óbito dos animais, sendo comum também os casos de “morte súbita”.

No caso destas doenças, o prejuízo potencial e percebido são muito mais impactantes para o bolso do produtor do que os custos com a revacinação dos animais.

Além das doenças anteriormente mencionadas a preocupação com as parasitoses também deve ser levada em conta. Merece destaque o controle estratégico das verminoses, que impactam negativamente o desempenho do rebanho e passam despercebidas, por não serem de fácil percepção.

“O território brasileiro tem clima e características naturais propícios à proliferação das diversas espécies de vermes redondos gastrointestinais no ambiente. Entretanto, na grande maioria das vezes os bovinos não demonstram sinais claros dessas verminoses, sendo dado menos importância global ao seu controle nos animais e, consequentemente, no ambiente em que vivem. Este fato pode ter grande impacto negativo no desempenho do rebanho”, Malacco elucida.

Os bovinos com verminoses, mesmo sem aparentar o problema (verminose subclínica), têm comprometidos o apetite, a absorção, conversão e o aproveitamento dos nutrientes. Isso ocorre devido à pequenas lesões e inflamação na parede gastrointestinal interna, desvio de nutrientes para reparação dessas lesões e produção de muco, perda de sangue e alterações em níveis de hormônios que controlam o apetite.

A sensibilidade às verminoses varia de acordo com as categorias de bovinos. Os impactos negativos mais pronunciados ocorrem nos animais entre os 3 a 4 meses de idade até em torno dos 24 a 30 meses. Esta fase coincide com aquela em que o desenvolvimento corporal é priorizado em detrimento às outras funções e, por isso, o impacto negativo das verminoses nesta fase é mais pronunciado.

Já os animais adultos, em função de sucessivas infecções prévias que servem para estimular seu sistema imune, o impacto negativo das verminoses costuma ser menor. No entanto, em momentos que favoreçam a  queda de imunidade geral decorrentes de situações de estresse como  alterações de lotes, mudanças de dieta,  longas viagens, por exemplo, os impactos negativos são mais pronunciados nessa categoria de animais. Outro momento em que ocorre a queda da imunidade geral é o periparto nas fêmeas. Este é um fenômeno natural e que pode contribuir para menor produção de leite, aumento do impacto do Balanço Energético Negativo (BEN), interferindo na performance reprodutiva pós-parto.

 

Controle sanitário efetivo

“Muitas propriedades aguardavam o momento da vacinação contra a Aftosa para realizar outros diversos controles profiláticos, como administrar  antiparasitários e revacinar contra outras doenças. É importante que essa manutenção do calendário sanitário aconteça mesmo sem a vacinação da Aftosa, para que os animais não fiquem suscetíveis às outras enfermidades, que também são potencialmente fatais e promovem prejuízos importantes ao produtor”, Malacco alerta.

A Ceva Saúde Animal, parceira do pecuarista, traz em seu portfólio vacinas consagradas como a Rabmune®, que combate à raiva, e a Botulinomax®, que afere proteção ao gado contra as principais clostridioses que podem acometer os animais, ambas essenciais para um protocolo vacinal de excelência dos bovinos. Já Ticson 3.50® é um dos principais endectocidas do mercado que previne e trata as infecções causadas pelos principais vermes gastrointestinais do rebanho, atuando também contra berne e carrapatos.

“Os cuidados com a sanidade do gado ajudam a promover mais saúde e bem-estar para os animais, o que reflete na qualidade do produto ao final da cadeia produtiva. Não é novidade que um gado saudável tem melhores resultados, traz mais lucro para o pecuarista e mais atributos para a cadeia produtiva. Este é um dos pilares cruciais para uma pecuária mais competitiva e de excelentes resultados”, finaliza

Fonte: Assessoria

Empresas

Agroceres PIC inicia entrega dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis

Líder no mercado brasileiro e argentino de genética de suínos, a Agroceres PIC inaugura um novo e decisivo capítulo de sua história ao iniciar as entregas dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis, maior núcleo genético da América Latina

Publicado em

em

Foto e texto: Assessoria

Primeiros animais produzidos no maior núcleo genético de suínos da América Latina foram enviados a clientes da Agroceres PIC no Brasil e Argentina. Operação marca o início de uma nova era para suinocultura brasileira e sul-americana, garantindo reprodutores do mais alto nível genético aos produtores.

Líder no mercado brasileiro e argentino de genética de suínos, a Agroceres PIC inaugura um novo e decisivo capítulo de sua história ao iniciar as entregas dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis, maior núcleo genético da América Latina. Os dois primeiros lotes de suínos de elite foram enviados nesta semana, dia 10 de abril, diretamente de Paranavaí (PR) para clientes no Brasil e Argentina.

A chegada dos reprodutores ao mercado representa um marco para a suinocultura brasileira e sul-americana, uma vez que oficializa o início da produção da Gênesis, primeira unidade para produção de reprodutores elite no Brasil.

“É um momento muito importante para todos nós, pois marca a produção inaugural da Gênesis, um centro de excelência genética idealizado e construído pela Agroceres PIC para dar suporte ao crescimento dos produtores em cenários mais complexos e competitivos”, observa Nevton Brun, gerente de Produção. “Temos plena convicção de que a altíssima qualidade genética e sanitária dos suínos produzidos na Gênesis impulsionará a eficiência zootécnica dos sistemas produtivos e potencializará o retorno econômico dos produtores”, acrescenta.

 

Uma nova era de eficiência e rentabilidade

Maior investimento da história da Agroceres PIC desde que implantou seu primeiro núcleo genético no país, a Granja Gênesis estabelece um novo modelo de melhoramento genético de suínos no Brasil, posicionando o país como produtor e exportador de material genético.

“A Gênesis é um divisor de águas em nossa trajetória e um investimento primordial para nossa estratégia de negócios. Ela foi concebida para quebrar paradigmas e carrega consigo uma missão ousada: revolucionar a eficiência e a rentabilidade dos nossos clientes”, finaliza Brun.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Estratégia de expansão

Evonik anuncia novo gerente de Negócios de Ruminantes no Brasil

O médico veterinário Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho, tem mais de 20 anos de experiência na área e assume a nova posição em estratégia de expansão da companhia

Publicado em

em

Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho / Divulgação Evonik

A Evonik anuncia a contratação do médico veterinário Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho, como gerente de Negócios de Ruminantes no Brasil. Médico veterinário formado pela Unesp – Campus de Jaboticabal, ele tem mestrado em Nutrição e Produção Animal pela Unesp – Campus de Botucatu, MBA em Marketing com ênfase em vendas e cerca de 20 anos de atuação no segmento.

Tales Lelis, diretor Regional de Negócios e Soluções para Ruminantes da Evonik

A contratação de um especialista na área técnica faz parte da estratégia de expansão da companhia no setor de ruminantes, destaca o diretor Regional de Negócios e Soluções para Ruminantes da Evonik, Tales Lelis. “A vinda do Chiquinho é parte da nossa estratégia para ganhar mercado e expandir o nosso departamento técnico e comercial. Ele é um profissional com uma bagagem muito importante e que pode agregar bastante a nossa equipe no país”, completou Lelis.

Chiquinho, como é conhecido, assume esta nova posição com o desafio de desenvolver o mercado de aditivos para ruminantes. “A Evonik é uma empresa que vem crescendo bastante e ganhando cada vez mais mercado. A metionina é o nosso principal foco de atuação e agimos especialmente na aplicação adequada, o que exige um elevado nível técnico da equipe, com base em dados científicos. E é justamente aí que está a nossa força, porque temos uma estrutura toda que dá amparo técnico e científico em nossas ações, buscando valorizar as relações de confiança. Assim, acredito que a minha posição será importante para incrementar o conceito de venda consultiva”, disse.

Paulo Teixeira, vice-presidente da Linha de Negócios de Saúde e Nutrição Animal da Evonik nas Américas

O vice-presidente da Linha de Negócios de Saúde e Nutrição Animal da Evonik nas Américas, Paulo Teixeira, destaca o bom momento da companhia. “Nosso negócio de ruminantes está em expansão, a nossa equipe está crescendo, então a chegada do Chiquinho é extremamente positiva, pois estamos investindo em melhorias no atendimento ao cliente, com mais presença em campo e sempre com embasamento técnico”, salientou o executivo apontando o entusiasmo do novo gerente com a chegada em nova casa.

Os investimentos da Evonik e a posição de destaque da empresa foi reforçada pelo especialista. “Vínhamos observando o crescimento da Evonik, os investimentos e a aposta da companhia no Brasil, então estou lisonjeado em participar deste momento. Estou vendo a aceitação do mercado e o crescimento consistente de seus produtos e serviços no campo. O objetivo agora é ampliar essa base de relacionamento e trazer todo o know-how em nutrição que adquiri ao longo dos 20 anos de experiencia neste setor”, disse Chiquinho.

Desafio do setor leiteiro

A pecuária leiteira do país vem se desenvolvendo rapidamente nos últimos anos em busca de melhor eficiência, qualidade e rentabilidade. E essa busca por resultados melhores exige o uso de novas tecnologias para avançar, defende o especialista. “Hoje temos um setor muito mais técnico e tecnificado. Este mercado cresceu para ganhar eficiência do sistema e levar a uma remuneração mais adequada. Como um negócio mesmo”, disse.

Neste cenário, ele defende o uso de uma estratégia nutricional direcionada para um melhor equilíbrio dos animais. “O uso de tecnologias, como o Mepron, contribuem com um melhor balanço nutricional entre estes aminoácidos essenciais para a máquina biológica de vacas leiteiras, que passam a trabalhar de forma mais eficiente. Assim, conseguimos uma melhor eficiência alimentar, além de ter animais mais preparados para enfrentar desafios como o estresse provocado pelo calor em dias quentes”, afirmou.

De acordo com ele, a tecnologia de proteção da metionina é o ponto mais importante na busca de aumento da eficiência da produção de leite. “O uso de aminoácidos essenciais, como metionina e lisina, depende de uma proteção para evitar que eles se degradem no rumem e cheguem íntegros no intestino, assim conseguimos alcançar alta performance do rebanho”, encerrou.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

DanBred Brasil recebe visita do CEO e gerente comercial Latam para discussão estratégica

Visita foi marcada por discussões estratégicas sobre as particularidades e o potencial do mercado brasileiro, bem como o progresso alcançado desde o estabelecimento da bem-sucedida parceria há 27 anos.

Publicado em

em

Fotos: Divulgação/DanBred Brasil

Durante a primeira semana de abril de 2024, o escritório central da DanBred Brasil recebeu Torben Aarris, CEO da DanBred, e Lasse Jensen, gerente comercial para a América Latina. A visita foi marcada por discussões estratégicas sobre as particularidades e o potencial do mercado brasileiro, bem como o progresso alcançado desde o estabelecimento da bem-sucedida parceria há 27 anos.

O encontro abordou a intensificação do trabalho colaborativo entre a DanBred e seus parceiros no Brasil, visando atender às demandas específicas da suinocultura brasileira e da América Latina. Além disso, foram discutidas as expectativas de crescimento e os avanços planejados para os próximos anos.

“O Brasil é um mercado estratégico para a DanBred, e estamos muito satisfeitos em ver o alinhamento coeso e estruturado do nosso trabalho entre a Dinamarca e o Brasil ao longo dos anos. Esse desenvolvimento está gerando resultados excepcionais e lucrativos para nossos clientes DanBred no Brasil e na América Latina,” ressalta Torben Aarris, CEO da DanBred.

A presença do CEO e do Gerente Comercial da DanBred reforça o compromisso da empresa com o mercado brasileiro e sua determinação em oferecer soluções inovadoras e de alta qualidade para impulsionar o setor suinícola na região.

A recepção aos visitantes foi conduzida pelo fundador Décio Bruxel, juntamente com Daniel Bruxel e Marcos Bruxel, Diretores Executivo, Geraldo Shukuri, Diretor Técnico, e Diego Alkmin, Gerente Comercial Brasil, destacando o alinhamento estratégico e o compromisso conjunto com o sucesso da DanBred no Brasil.

 

Fonte: Assessoria DanBred Brasil
Continue Lendo
IMEVE AVES EXCLUSIVO

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.