Conectado com

Notícias

Painel na InterCorte debate "A Comunicação Além da Porteira"

Com mediação do jornalista Ricardo Boechat, serão apresentadas ações de comunicação que vêm sendo desenvolvidas por setores como trigo, cacau, suco de laranja e algodão

Publicado em

em

Como conseguir se comunicar melhor com a sociedade? Para responder a essa problemática verificada principalmente na pecuária de corte, a InterCorte, principal encontro da cadeia produtiva da carne bovina, que se realiza em São Paulo de 21 a 23 de novembro, no WTC Golden Hall, terá um painel denominado “A Comunicação Além da Porteira”. Mediado pelo jornalista Ricardo Boechat, o painel terá a apresentação de ações de comunicação que vêm sendo desenvolvidas por setores como trigo, cacau, suco de laranja e algodão.

“O objetivo desse painel é ser um espaço de troca de informações sobre boas práticas e projetos de outros setores do agronegócio voltados à comunicação com a sociedade. A ideia é ser uma espécie de benchmarking que possa auxiliar o setor da carne bovina a estruturar um projeto como cadeia produtiva diante da dificuldade de se comunicar com a sociedade”, explica a diretora do Terraviva Eventos, Carla Tuccilio, que realiza a InterCorte.

Boechat dará início com a visão de um jornalista de fora do agronegócio sobre como o setor se comunica com a sociedade. O painel terá a participação da nutricionista da Abitrigo – Associação Brasileira das Indústrias do Trigo, Vanderli Marchiori, que compartilhará a experiência da cadeia produtiva do trigo, que se viu desafiada diante da onda anti-glúten no Brasil; do diretor-executivo da Citrus Br – Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, Ibiapaba Netto que mostrará as ações de ações de marketing que procuram recuperar o consumo de suco de laranja nos principais mercados, em queda durante a última década; do Diretor Executivo da AIPC – Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau, Eduardo Bastos para trazer a experiência desse setor; e de representante da Abrapa – Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, que encabeça a campanha “Sou de Algodão” para incentivar o uso da fibra na indústria têxtil com recente ação na SPFW com um desfile do estilista João Pimenta totalmente com algodão.

“Após as apresentações faremos um debate com a participação do público para tirar dúvidas sobre dificuldades encontradas, resultados obtidos e pensar em como criar e implementar o caminho da comunicação da cadeia produtiva da carne bovina. Em seguida será preparado um documento oficial com as ações efetivas retiradas das discussões que será enviado a todas as entidades do setor produtivo”, conta Carla.

Fonte: Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + cinco =

Notícias Sanidade

ABPA e DIPOA promovem encontro sobre inspeção

Será apresentado o sistema de treinamento na inspeção ante e post mortem de aves e suínos

Publicado em

em

Divulgação/Agrostock

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura (DIPOA/MAPA) realizam ao longo desta semana um encontro conjunto para tratar sobre temas do sistema de inspeção do setor de proteína animal. A programação do evento, iniciada na segunda-feira (18), segue até sexta-feira (22), em São Paulo, SP.

Na ocasião, será apresentado o sistema de treinamento na inspeção ante e post mortem de aves e suínos. Além disso, também serão discutidas as ações e procedimentos de verificação oficial dos controles em estabelecimentos produtores de carne e suínos. Participam do encontro técnicos das agroindústrias produtoras e exportadoras e auditores fiscais do Ministério da Agricultura.

“Este é um trabalho que tem como princípio o fortalecimento do trabalho pela qualidade e a reconstrução da imagem do setor produtivo, seguindo todos os parâmetros legais em uma parceria do setor público e da iniciativa privada.  Esperamos realizar, em breve, novos eventos com o mesmo objetivo”, ressalta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Mercado Leiteiro

Estoques reduzidos e menor produção elevam preço do UHT

Altas estiveram atreladas aos estoques, que continuam controlados, e à redução da produção por parte de alguns laticínios

Publicado em

em

Divulgação

O preço do leite UHT negociado no atacado do Estado de São Paulo subiu 0,24% entre as duas últimas semanas, fechando com média de R$ 2,4357/litro no período entre 11 e 15 de fevereiro. Conforme colaboradores do Cepea, as altas estiveram atreladas aos estoques, que continuam controlados, e à redução da produção por parte de alguns laticínios.

Apesar da valorização, as negociações entre laticínios e atacados permaneceram baixas. Já o queijo muçarela se desvalorizou 0,83% na mesma comparação, fechando com média de R$ 17,2862/kg entre 11 e 15 de fevereiro. Quanto à liquidez no mercado deste derivado, permaneceu estável no período.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias No Paraná

Trigo pode ser boa alternativa ao produtor na 2ª safra

Como o clima está favorável, os preços e custos de produção irão balizar tomada de decisão dos agricultores

Publicado em

em

Divulgação/SECS

Com o avanço da colheita dos grãos de verão no Paraná, triticultores do Estado já planejam a divisão das áreas de semeio na segunda safra. Como o clima está favorável ao desenvolvimento tanto do trigo quanto do milho, os preços e custos de produção é que irão balizar a tomada de decisão dos agricultores por um ou outro.

Segundo dados da equipe de custos agrícolas do Cepea, em Cascavel, PR, o custo operacional de produção do milho 2ª safra foi calculado em R$ 2.822,54/hectare, contra R$ 1.901,03/ha para o trigo. A produtividade média das últimas três safras foi de 93 sacas/ha para o milho e de 49 sc/ha para o trigo, de acordo com dados do Deral/Seab.

Considerando-se os valores médios de venda em janeiro/19, as receitas geradas seriam de R$ 2.724,08/ha para o milho e de R$ 2.343,38/ha para o trigo. Portanto, a receita obtida com a cultura do trigo foi suficiente para saldar os custos operacionais e gerar margem positiva ao produtor, de R$ 442,35/ha. Já a receita obtida com o milho 2ª safra não foi suficiente para cobrir o total de desembolsos, resultando em margem negativa ao produtor, de R$ 98,46/ha.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Facta 2019
Biochem site – lateral
Nucleovet 2

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.