Conectado com

Empresas

Nova estratégia da BASF visa crescimento rentável e neutro em termos de emissão de CO2

BASF irá alavancar o Verbund, inovação, sustentabilidade, digitalização e excelência operacional.

Publicado em

em

"Com a nossa nova estratégia, a BASF está inserida em uma trajetória em direção ao crescimento", disse o Dr. Martin Brudermüller na apresentação da nova estratégia da BASF em Ludwigshafen. O Presidente do Conselho Administrativo destacou a evolução positiva dos últimos anos. “Desde 2012, nossa receita de operações antes da depreciação, amortização e itens extraordinários cresceu em média 8% ao ano, bem mais rápido do que o aumento de 3% nos custos fixos por ano”. O crescimento dos lucros da BASF também ultrapassou o aumento anual de 3,7% na produção química global. Além disso, houve um grande avanço no fluxo de caixa líquido nos últimos anos e um alto retorno sobre o capital empregado (ROCE), mais recentemente 15,4%. Acima de tudo, a nova estratégia visa aumentar as vendas e os volumes. A BASF está se concentrando no crescimento orgânico do negócio. Para crescer mais rapidamente, a empresa focará ainda mais em seus clientes e desenvolverá ofertas sob medida para eles. Com o objetivo de se tornar mais rápida e flexível, a empresa simplificará consideravelmente as estruturas e processos, aperfeiçoará seu portfólio e fortalecerá o Verbund. "Iremos transformar nossa organização para ser mais focada no cliente e ágil", disse Brudermüller.

O mercado asiático, onde a BASF já está bem estabelecida, desempenha um papel importante em sua estratégia de crescimento. Com uma participação no mercado mundial de mais de 40%, a China é o maior mercado de químicos e direciona o crescimento da produção química global. "Até 2030, a participação da China no mercado aumentará para quase 50% e queremos fazer parte desse crescimento", disse Brudermüller. "Nosso novo site Verbund em Zhanjiang, na província de Guangdong, e a expansão do site em Nanjing aumentarão significativamente nosso crescimento neste mercado dinâmico."

 

BASF estabelece ambiciosas metas financeiras e não financeiras

Com sua nova estratégia, a BASF está buscando metas ambiciosas – financeiras e não financeiras. "Queremos crescer mais fortes do que o mercado e nosso objetivo é aumentar nossos volumes de vendas acima do crescimento da produção global de químicos", disse o CFO e vice-presidente do Conselho Administrativo Dr. Hans-Ulrich Engel.

A BASF também quer aumentar ainda mais a rentabilidade e visa um aumento no EBITDA antes dos itens extraordinários de 3 a 5% ao ano. “Além disso, a BASF visa obter um retorno sobre o capital empregado bem acima do custo da porcentagem de capital a cada ano. Isso significa que criamos um verdadeiro valor agregado”, disse Engel.

A BASF também busca ser líder aos olhos de seus investidores e tem como objetivo oferecer um valor acima da média em comparação com a indústria química. "Consequentemente, queremos aumentar nosso dividendo por ação a cada ano, apoiados por um forte fluxo de caixa líquido", disse Engel.

Para ajudar a atingir essas metas ambiciosas, a BASF está iniciando um novo programa de excelência que estará em vigor de 2019 a 2021. A meta é de contribuições de ganhos anuais de € 2 bilhões a partir do final de 2021. O programa incluirá medidas voltadas para produção, logística, pesquisa e desenvolvimento, bem como atividades de digitalização, automação e desenvolvimento organizacional.

A empresa também estabeleceu metas ambiciosas não financeiras. “A BASF se compromete a manter uniforme suas emissões de gases de efeito estufa de 2018 até 2030 – mesmo visando um considerável crescimento anual da produção”, disse Brudermüller. "Isso significa que vamos dissociar nossas emissões de gases de efeito estufa do crescimento orgânico." A meta inclui grandes investimentos planejados, como o novo site Verbund na província de Guangdong, no sul da China. Para tanto, a BASF melhorará a gestão, eficiência e integração de suas fábricas e, sempre que possível, comprará uma parcela maior de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis. “Considerando os padrões tecnológicos já muito altos de nossas fábricas, essa é uma meta muito ambiciosa que exigirá criatividade excepcional para fazer as coisas de maneira diferente”, disse Brudermüller. Ele acrescentou que isso exigiria um ambiente regulatório adequado na Alemanha, Europa e em todo o mundo. A BASF já reduziu suas emissões de gases de efeito estufa em 50% em termos absolutos, em comparação com os níveis de 1990 – ao passo que seus volumes de produção dobraram nesse período.

Além da meta de crescimento neutro de CO2 até 2030, a BASF quer gerar cerca de € 22 bilhões em vendas com produtos Accelerator em 2025. São produtos que contribuem substancialmente para a sustentabilidade na cadeia de valor.

“Entretanto, nada disso será possível sem os nossos colaboradores. É por isso que, pela primeira vez, estamos estabelecendo uma meta para a satisfação dos colaboradores”, disse Brudermüller. “Queremos que mais de 80% dos nossos colaboradores sintam que na BASF eles podem prosperar e ter o melhor desempenho.”

 

Áreas de atuação para atingimento das metas

“Queremos que nossos clientes tenham uma nova experiência com a BASF”, disse Brudermüller. Portanto, a BASF continuará desenvolvendo sua organização para trabalhar de maneira mais eficaz e eficiente e ser ainda mais centrada no cliente. “Queremos fortalecer nossa paixão por nossos clientes em toda a organização, antecipar e atender ainda mais as necessidades de nossos clientes”, disse Brudermüller. Combinar a expertise exclusiva da BASF na indústria química com as competências de seus clientes permitirá o desenvolvimento de soluções lucrativas e responsáveis. Para tanto, a BASF está lançando uma série de medidas que, entre outras coisas, aumentará a transparência para os clientes, melhorará o atendimento ao cliente e explorará o potencial de crescimento conjunto. A empresa se concentrará nas seguintes áreas de atuação: portfólio, pessoas, inovação, sustentabilidade, operações e digitalização.

 

Desenvolvimento futuro da estrutura de segmentos da BASF

A BASF realizou uma revisão de sua estrutura de segmentos e fará a introdução de mudanças a partir do início de 2019. “Vamos aprimorar nosso portfólio e focar nossa alocação de capital para áreas de negócios em crescimento”, disse Brudermüller. "A nova estrutura de segmentos da BASF criará mais transparência em relação a como direcionar nossos negócios, a importância das cadeias de valor e o papel do nosso Verbund.

"A partir de 1º de janeiro de 2019, a BASF terá seis segmentos, cada um contendo duas divisões de negócios, com exceção de Soluções para Agricultura, que continuará englobando uma divisão:

  • Químicos
    Petroquímicos e Intermediários
  • Materiais
    Materiais de Performance e Monômeros
  •  Soluções para Indústria
    Dispersões e Pigmentos e Químicos de Performance
  • Tecnologias para Superfícies
    Catalizadores e Revestimentos
  • Nutrição e Care
    Care Chemicals e Nutrição e Saúde
  • Soluções para Agricultura

A BASF pretende posicionar seus negócios de maneira clara perante seus concorrentes relevantes constituindo uma BASF com alta performance, permitindo o êxito da empresa em um ambiente de mercado cada vez mais competitivo.

A empresa se concentrará principalmente no crescimento orgânico por meio de investimentos e inovação, mas fará aquisições onde for necessário. “Nossa ênfase principal será em design de processos eficientes e confiáveis. As empresas que não conseguirem alcançar tal posicionamento acabarão fora do mercado”, afirmou Brudermüller.

 

O Verbund desempenha um papel central

O Verbund continuará desempenhando um papel central para a BASF. O portfólio da BASF tem benefícios exclusivos devido às vantagens físicas, tecnológicas, de mercado e digitais. O Verbund ajuda a empresa obter vantagens tecnológicas em todos os segmentos. A BASF pode efetivamente apoiar seus clientes com um amplo portfólio.

Além disso, as cadeias de valor só podem ser operadas com verdadeira eficiência no Verbund. Devido à produção integrada do Verbund, a BASF economiza, em termos de custos, pelo menos € 1 bilhão por ano, por exemplo, em matérias-primas, energia e logística. Ao mesmo tempo, a empresa evita emissões significativas como resultado do Verbund. A BASF continuará a liderar o setor na construção e desenvolvimento de estruturas do Verbund e na consolidação de operações em um número menor de sites altamente eficientes.

 

Criando uma organização de alta performance

Para ter êxito em sua mudança, a empresa também está melhorando os processos internos e a maneira como as pessoas trabalham juntas. Os colaboradores são a chave para a implementação bem-sucedida da nova estratégia. A BASF fornecerá estruturas flexíveis e garantirá que os colaboradores tenham as ferramentas e habilidades necessárias para oferecer aos clientes produtos e serviços diferenciados e personalizados. "É essencial nos tornarmos mais rápidos e mais ágeis e, portanto, mais eficientes e eficazes", disse Engel.

Como parte do futuro desenvolvimento da organização, a BASF está criando estruturas mais enxutas para serviços, em P&D e em funções de governança. Ao incorporar partes significativas dos serviços funcionais nas divisões de negócios, a empresa está aproximando seus colaboradores de seus clientes. Além disso, as atividades funcionais e de pesquisa remanescentes serão organizadas de maneira mais eficiente. Aproximadamente 20.000 colaboradores em todo o mundo serão direta ou indiretamente afetados por essa reorganização. "Esperamos que todas essas medidas resultem em uma melhor diferenciação das unidades de negócios, além de ganhos substanciais de produtividade", disse Engel.

Quando for o momento, daremos maior autoridade em termos de tomada de decisão para as unidades de negócios. “Isso significa que vamos permitir mais liberdade empreendedora, mas também atribuir responsabilidades claras", comenta Engel. Assim, a BASF está aumentando a eficácia das unidades de negócios e, consequentemente, melhorando a satisfação do cliente. Para garantir que a BASF aproveite potenciais oportunidades de mercado em todos os países, a empresa introduzirá modelos de desenvolvimento de mercado complementares. As divisões de negócios decidirão quais mercados locais serão foco, sendo atendidos pelos seus próprios colaboradores e em quais mercados eles irão transferir as atribuições dos negócios para as organizações locais do país. Adicionalmente, a BASF estabeleceu uma força-tarefa de simplificação de processos para tornar os processos-chave menos complicados. A empresa simplificará e encurtará os processos possibilitando uma tomada de decisão mais rápida.

 

Resolvendo desafios com soluções inovadoras

A BASF sempre trabalhou no desenvolvimento de inovações mais atraentes para seus clientes. “Competitividade e relevância para o cliente são alcançadas por meio da excelência em processos e tecnologias. Nosso novo alinhamento estratégico irá agora aproximar nossas unidades de pesquisa das necessidades dos negócios e dos clientes”, disse Brudermüller. A pesquisa e o desenvolvimento da BASF estarão mais conectados organizacionalmente e, portanto, mais focados nas necessidades dos clientes ajudando a reduzir o tempo de comercialização, acelerando o crescimento orgânico da empresa.

 

Ser o operador líder

A excelência operacional sempre foi um dos principais pontos fortes da BASF. “Nossos clientes esperam que os produtos sejam entregues no prazo e dentro das especificações”, disse Engel. “Para tanto, devemos gerir nossa produção com segurança, eficiência e confiabilidade”. A BASF aumentará a confiabilidade de suas fábricas e melhorará a flexibilidade. Portanto, a empresa aumentou seu orçamento para € 400 milhões por ano dedicado para alavancar a excelência operacional, o que está significativamente acima da média nos últimos anos.

 

Alavancar a digitalização por toda a empresa

A digitalização oferece oportunidades inigualáveis ao longo de todo o ciclo de vida dos ativos da BASF. Por exemplo, diferentes processos ou ideias de investimento podem ser simulados em computadores, o que ajuda a minimizar os custos. A realidade aumentada já está sendo usada para dar apoio para a força de trabalho da BASF nas operações diárias. A BASF pretende digitalizar os processos em mais de 350 de suas plantas em todo o mundo até 2022.

A digitalização será parte integrante dos negócios da BASF. A empresa criará valor adicional para os clientes, aumentará seus negócios e melhorará a eficiência através da digitalização. A empresa também irá aumentar a criatividade em P&D, utilizando mais intensamente seu supercomputador Quriosity. Para garantir que a BASF obtenha o melhor valor de seus dados, irá melhorar ainda mais a disponibilidade e a qualidade dos dados, fornecendo a infraestrutura necessária para conectar seus sistemas de back-end e usar os dados existentes para apoiar a tomada de decisões. A BASF ganhará velocidade, impacto e alcance em seus esforços de digitalização para ficar à frente de seus pares na indústria química.

Fonte: Ass. de Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Empresas

Fibra: a nova aposta na dieta de fêmeas suínas

Evento nesta terça-feira, 19, em Toledo, no Paraná, reúne especialistas no assunto. 1º Fiber Week continua na quinta-feira, 21, em Castro

Publicado em

em

Evento acontece nesta terça-feira, 19, em Toledo, PR

A Biosen, a Agromed Natural Effects e a Matriagro Agronegócios reúnem nesta semana alguns de seus principais clientes no Paraná para a realização do primeiro Fiber Week, encontro técnico em formato de mesa redonda para debater a produção de leitões de boa qualidade em granjas de alto desempenho. Nesta terça-feira, 19, o evento acontece em Toledo, alguns de seus clientes para um dia de repasse de informações técnicas e científicas em torno dos novos modelos de nutrição para as fêmeas suínas e suas leitegadas. Especialistas do Brasil e exterior defendem que a nutrição não só deve alimentar, como cuidar da saúde de matrizes e da leitegada.

Com a mudança do cenário genético, de acordo com o professor da Universidade de Viçosa, MG, Bruno Silva, é preciso mudar também as formulações das rações das matrizes suínas. “Com a mudança proposta pelas casas genéticas estão mudando também os requerimentos nutricionais das fêmeas”, destacou em sua palestra.

De acordo com Pierre Lebreton, diretor de francesa Even, uma das alternativas para essa nova nutrição é a adição de fibras à dieta. “A adição de fibras à nutrição hoje considerada por muitos profissionais tão importante quando a proteína na dieta animal”, avalia.

O Jornal O Presente Rural participou do evento e traz a cobertura em sua próxima edição impressa dedicada a Suínos e Peixes. O próximo evento da Fiber Week acontece nesta quinta-feira, 21, em Castro, nos Campos Gerais do Paraná.

Fonte: O Presente Rural
Continue Lendo

Empresas Agronegócios

Universidade de Pittsburgh (EUA) oferece MBA Executivo para líderes, empreendedores e profissionais que desejam assumir posições globais

Para se habilitar ao MBA Executivo da University of Pittsburgh, é preciso ter experiência profissional mínima de cinco anos

Publicado em

em

Karla Alcides, diretora da Universidade de Pittsburgh para a América Latina - Foto: Divulgação

Aulas 100% em inglês, quatro fóruns globais (São Paulo, Pittsburgh e China), intensa troca de experiências com profissionais de várias partes do mundo, desenvolvimento de mentalidade estratégica e habilidades analíticas necessárias para assumir posições globais e conduzir com confiança suas organizações para o futuro. Esses são alguns dos benefícios proporcionados pelo MBA Executivo da University of Pittsburgh, que dura 18 meses e está acessível a profissionais, empresários e empreendedores brasileiros.

“O Brasil é uma potência em várias áreas de atuação, inclusive em empreendedorismo e liderança. O agronegócio é um excelente exemplo. Há empresas de vários segmentos da cadeia da produção de alimentos em expansão, unindo-se a corporações internacionais, participando cada vez mais ativamente do comércio internacional. Para enfrentar esses desafios, seus líderes e sucessores precisam estar bem preparados. Afinal, esta é uma arena para especialistas”, explica Karla Alcides, diretora da Universidade para a América Latina.

Karla também lembra que há profissionais do Brasil em postos-chave em organizações em todo o planeta, inclusive do agronegócio. Para chegar lá, eles tiveram de se preparar, trabalhar duro e adquirir uma grande bagagem de conhecimento. “Novas oportunidades globais para talentos brasileiros surgem naturalmente. Quer participar desse jogo e ganhar o mundo? É preciso estar preparado. O MBA Executivo da University of Pittsburgh tem exatamente esse propósito: preparar os líderes das próximas décadas”, reforça a executiva.

O MBA Executivo da University of Pittsburgh é direcionado a empreendedores e seus sucessores, executivos com longa experiência em corporações, profissionais com carreira ascendente e jovens talentos que almejam conquistar posições globais para liderar organizações em épocas de intensa mudança.

As inscrições estão abertas. A próxima turma começará em Maio de 2019. São 18 meses de intensos estudos, aulas presenciais, networking, fóruns globais e muito aprendizado. A conclusão será em Outubro de 2020.

As aulas são presenciais e ocorrem em uma semana por mês: de 4ª a domingo, período integral. Estas aulas são realizadas na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, parceria da Universidade de Pittsburgh nessa iniciativa, e são ministradas por especialistas de várias partes do mundo. O programa também inclui uma semana de estudos na China e duas semanas em Pittsburgh (Estados Unidos).

Karla Alcides sugere que os participantes do EMBA precisam separar uma hora e meia por dia para os estudos. “Esse é um passo decisivo nas carreiras dos profissionais, empreendedores e sucessores. Para assumi-lo, é preciso um compromisso total, porém os ganhos serão imensuráveis”, diz.

Para se habilitar ao MBA Executivo da University of Pittsburgh, é preciso ter experiência profissional mínima de cinco anos (são desejados 10 anos), experiência em administração de empresas e/ou comando de equipes e inglês fluente.

A University of Pittsburgh (8ª maior universidade pública dos Estados Unidos) oferece o MBA Executivo no Brasil há 20 anos, já tendo formado mais de 2.100 alunos de 93 diferentes países.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Levedura

ICC Brazil participa da VIV Asia 2019

Evento que acontece em Bangkok, na Tailândia, reúne referências mundiais do segmento de avicultura, pecuária, aquicultura e laticínios

Publicado em

em

Foto: Divulgação VIV Asia

A ICC Brazil, empresa brasileira especialista em aditivos à base de levedura, estará presente na VIV Asia 2019, que acontece entre os dias 13 e 15 de março, no Centro de Eventos Bitec, em Bangkok, na Tailândia. O evento, que é bianual, espera receber 46 mil visitantes e 1.250 mil expositores.

O foco da ICC Brazil será no ImmunoWall®, produto composto por uma alta quantidade de B-glucanas e MOS, que assegura que os animais mantenham o equilíbrio da microbiota intestinal e melhorem as respostas do sistema imune, resultando na redução da contaminação por patógenos e gasto energético. Como consequência, há considerável melhora no bem-estar dos animais, bem como no seu desempenho.

Representando a ICC, estarão presentes: a Coordenadora de Marketing, Aline Almeida, o Gerente de Vendas da Europa e Oriente Médio, Felipe Sant’Anna, o CEO Glycon Duarte, a Gerente de Vendas do Sudeste Asiático e Pacífico, Isabela Barros e os Gerentes Técnicos de Vendas do Nordeste Asiático, Kuo Wei Ssu e Bo-Chun Hsu (Fox). O stand estará localizado no Hall 104, número 1426.

 

Para mais informações sobre o evento, clique aqui.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA
Biochem site – lateral
Facta 2019

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.