Conectado com
VOZ DO COOP

Notícias Em lançamentos da Embrapa

Ministro da Agricultura destaca relevância da ciência na transformação do agro brasileiro durante Show Rural 

Carlos Fávaro enfatizou a pujança do Brasil como líder mundial na produção de alimentos e o quanto a ciência tem contribuído para o desenvolvimento no campo.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Embrapa

A Embrapa realizou solenidade de lançamento de tecnologias no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), na quarta-feira (07), na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, com a presença do ministro da Agricultura e Pecuária Carlos Fávaro, da presidente da Embrapa, Silvia Massruhá, do chefe-geral da Embrapa Soja Alexandre Nepomuceno, do presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, do secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Noberto Ortigara, e da chefe-geral em exercício da Embrapa Agrobiologia, Ana Cristina Garofolo. Na solenidade, foram feitas entregas simbólicas dos produtos em lançamento: duas cultivares de soja (BRS 1064IPRO e BRS 1056IPRO), uma cultivar de feijão (BRS FS 313) e um bioproduto com ação na fixação de nitrogênio e promoção de crescimento de plantas (Combio).

Em seu discurso, o ministro da Agricultura Carlos Fávaro enfatizou que o Brasil é o maior produtor e exportador de vários produtos da agropecuária brasileira. “O Brasil é pujante e um líder mundial na produção de alimentos – com qualidade –  isso é fruto de muito trabalho e dedicação, de investimentos e de parcerias”, enfatizou. “E a Embrapa, como produtora de ciência e tecnologias, tem alcançado  muitos resultados, por meio  de parcerias que estimulam o desenvolvimento produtivo. Em 50 anos, nossa produção e produtividade cresceu em 500%. Isso é ciência, é Embrapa, é desenvolvimento para o campo e para o Brasil”, defende.

Neste contexto, a presidente da Embrapa Silvia Massruhá disse que o Show Rural é um evento que tem como diferencial a disponibilização de novidades e o estímulo à transferência de tecnologias para a campo. “Fiquei muito feliz ao ser abordada por um produtor, no Show Rural, que  testemunhou estar alcançando ganhos competitivos com as novas variedades lançadas pela Embrapa”, relata. “Esse retorno é muito gratificante. Além de novas cultivares, também estamos colocando no mercado novos insumos biológicos e entendo que a agricultura de base biológica é uma alternativa interessante que vem agregando diferenciais à agricultura brasileira”, afirma.

Na ocasião, a presidente da Embrapa agradeceu aos parlamentares, que tem apoiado a Embrapa financeiramente com emendas no legislativo, assim como o Ministério da Agricultura e a Casa Civil que conseguiram cerca de R$ 1 bilhão de recursos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) para revitalizar laboratórios e campos experimentais da Embrapa, assim como apoio às OEPAS. “Além dessa melhoria na infraestrutura, precisamos valorizar o capital humano da Embrapa, por meio de capacitação e da contratação de novos cientistas para continuar produzindo com qualidade”, observa. “A Embrapa  trabalha de A à Z, de açaí a zebu: estamos à disposição de todos os produtores rurais, porque somos uma empresa estatal que investe em segurança alimentar para garantir a soberania nacional”, defende.

Parceria Embrapa e Coopavel

Silvia também afirma estar trabalhando com novos modelos de negócio e novas fontes de financiamento.  Durante a solenidade, a Embrapa e a cooperativa Coopavel assinaram uma carta em apoio a ações de inovação em agricultura de base biológica. As instituições manifestaram interesse em fortalecer iniciativas conjuntas direcionadas à prospecção de novas oportunidades de parcerias para o desenvolvimento de insumos biológicos e apoio a ações de capacitação e treinamento de técnicos e produtores rurais.

Dilvo Grolli reconhece o valor da Embrapa no desenvolvimento de tecnologias desde a década de 1970. “A Embrapa teve no passado variedades de soja muito plantadas e, todos os anos, continua lançando novidades no Show Rural”, ressalta. “Atualmente temos um Centro-oeste grandioso, porque tivemos a Embrapa pesquisando e desenvolvendo sementes para aquele solo e aquele clima: esse é um grande mérito da Embrapa. Eu, como produtor rural e presidente de cooperativa, entendo que é uma responsabilidade de todos incentivar a pesquisa feita pela Embrapa pelos resultados disponibilizados”, afirma.

Confirma mais informações sobre os quatro lançamentos da Embrapa, durante o Show Rural.

Soja BRS 1064IPRO

A Embrapa, em parceria com a Fundação Meridional, está lançando a cultivar BRS 1064IPRO, que possui excelente desempenho produtivo, com alta estabilidade e boa adaptação. Essa cultivar apresentou ganho produtivo de 6,8% acima da média das principais cultivares padrões de mercado, de amplo cultivo na macrorregião de indicação. Indicada para os estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de ser recomendada para o centro-norte de Mato Grosso do Sul e sudoeste de Goiás (REC 301). A novidade tem ciclo semi-precoce (grupo de maturação 6.4). A BRS 1064IPRO apresenta ampla janela de semeadura e de adaptação e resistência ao acamamento e às principais doenças da soja, principalmente à podridão radicular de Phytophthora e aos nematoides de galha e de cisto (raça 3).

Soja BRS 1056IPRO 
Outro lançamento da Embrapa, em parceria com a Fundação Meridional, é a cultivar BRS 1056IPRO que tem como ponto forte a excelente performance produtiva. Esse lançamento traz ainda características como estabilidade de produção, resistência ao acamamento, tipo de crescimento indeterminado e ciclo precoce (grupo de maturação relativa 5.6). Tem agradado o fato dessa cultivar possibilitar o plantio antecipado, o que permite a sua inserção no sistema de rotação e/ou sucessão com outras culturas. Com relação à sanidade, a cultivar apresenta resistência às principais doenças da soja. É indicada para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná (RECs 102 e 103) e São Paulo (REC 103).

Feijão BRS FS 313
Com potencial produtivo de 3.200 kg/ha, a BRS FS313 apresenta resistência à antracnose e podridões radiculares e moderada a resistência à murcha de fusário e ferrugem. Com ciclo semiprecoce (75 a 84 dias), a nova cultivar tem arquitetura de plantas semiereta e resistência intermediária ao acamamento, sendo adaptada à colheita mecânica, oferecendo ainda possibilidade de inserção em sistemas agroecológicos. Os grãos especiais do tipo jalo têm como público principal pequenos produtores, com modelo de negócio baseado na comercialização de cadeia curta. No entanto, devido ao tamanho dos grãos, a BRS FS313 tem sido observada como oportunidade para expansão do mercado nacional e internacional. O desempenho da nova cultivar a recomenda para os Estados de Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, na época das águas; para Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Rio de Janeiro, Espírito Santo e o Distrito Federal, nas épocas das águas, da seca e de inverno; e para Bahia e Maranhão, nas épocas das águas e de inverno.

Bioinsumo Combio 
Resultado de uma parceria da Embrapa com a empresa privada Innova Agrotecnologia, o Combio é um bioinsumo promotor de crescimento e com efeitos aditivos na cultura da soja. Trata-se de uma combinação de três estirpes bacterianas que atuam na fixação biológica de nitrogênio e na promoção de crescimento de plantas. O Combio é uma formulação com as estirpes bacterianas BR 29 (Bradyrhizobium elkanii), BR 10788 (Bacillus subtilis) e BR 10141 (Paraburkholderia nodosa). O diferencial deste inoculante é que alia os benefícios do tradicional inoculante de Bradyrhizobium com bactérias que desempenham vários mecanismos estimuladores e protetores de plântulas, proporcionando maior qualidade e uniformidade.

Fonte: Assessoria Embrapa Soja

Colunistas

O Brasil da insegurança jurídica

Invasões, seja por demarcações injustas ou por atos de grupos como o MST, desencadeiam um efeito dominó de consequências prejudiciais.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

Enfrentamos um momento crucial em que a segurança jurídica no meio rural tornou-se vital para a sustentabilidade de nosso país. O risco iminente de demarcações indevidas de terras produtivas e invasões, promovidas por diferentes frentes, ameaça não apenas os produtores rurais, mas reverbera negativamente em toda a sociedade.

Ao permitir demarcações em áreas que têm sido fonte de sustento para gerações de agricultores, corremos o sério risco de desmantelar não apenas propriedades, mas o cerne da produção de alimentos que sustenta nossa nação. A história e os esforços incansáveis dos produtores, que adquiriram legalmente essas terras, estão em perigo.

Invasões, seja por demarcações injustas ou por atos de grupos como o MST, desencadeiam um efeito dominó de consequências prejudiciais. Afetam a produção agrícola, ameaçam o abastecimento de alimentos e geram instabilidade econômica em um momento em que precisamos mais do que nunca de segurança e tranquilidade.

Para ficar atualizado e por dentro de tudo que está acontecendo na suinocultura acesse a versão digital de Suínos clicando aqui. Boa leitura!

Fonte: Editor-chefe do Jornal O Presente Rural, jornalista Giuliano De Luca
Continue Lendo

Colunistas

Agricultura digital promove uma revolução tecnológica nos campos

Com o avanço contínuo da tecnologia e a crescente conscientização sobre a importância da sustentabilidade, é apenas uma questão de tempo antes que a agricultura digital se torne a norma em todo o mundo.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

Agricultura digital, também conhecida como agri-tech ou agtech, tem emergido como uma revolução nos campos agrícolas, impulsionada pela aplicação de tecnologia e ferramentas digitais. Este avanço abrange uma ampla gama de tecnologias, desde automação até biotecnologia, monitoramento de informações e análise de dados. A crescente demanda por alimentos e a ameaça das mudanças climáticas têm impulsionado a adoção dessas tecnologias nos últimos anos, e os resultados são notáveis.

De acordo com o relatório “Feeding the Economy” de 2023, a agricultura digital está transformando as indústrias agrícola e de cultivo nos Estados Unidos. Os números são impressionantes: mais de 8,6 bilhões de dólares em atividade econômica, o que representa quase 20% do total do país, e o apoio direto a quase 23 milhões de empregos. Esses dados refletem não apenas um avanço econômico, mas também uma mudança fundamental na forma como a agricultura é conduzida.

Uma das grandes vantagens da agricultura digital é sua capacidade de melhorar a eficiência e aumentar a produtividade. Tecnologias como monitoramento de precisão, automação de equipamentos e estufas inteligentes estão possibilitando aos agricultores otimizar seus processos de produção. Imagens de satélite e drones, juntamente com sensores IoT, permitem o monitoramento preciso da saúde das culturas e das condições do solo, contribuindo para uma gestão mais eficiente dos recursos hídricos e uma melhor previsão de padrões climáticos. Além disso, a automatização de equipamentos, como tratores autônomos e robôs agrícolas, reduz a dependência de mão de obra humana e aumenta a eficiência operacional.

A sustentabilidade também é um aspecto crucial da agricultura digital. Práticas agrícolas de precisão possibilitadas por essas tecnologias permitem aos agricultores implementar métodos sustentáveis que reduzem suas pegadas de carbono, enquanto aumentam os lucros. Com uma população global prevista para chegar a quase 10 bilhões até 2050, de acordo com as Perspectivas da População Mundial de 2022 da ONU, a agricultura digital se torna não apenas uma opção viável, mas uma necessidade urgente para atender às crescentes demandas alimentares.

Além dos benefícios econômicos e ambientais, a agricultura digital também promove uma maior transparência e conscientização na cadeia de suprimentos alimentar. A gestão eficiente da cadeia de suprimentos, com tecnologias como blockchain e análise de big data, permite uma rastreabilidade eficaz dos alimentos, garantindo a origem e a qualidade dos produtos alimentícios desde a fazenda até o consumidor final.

No entanto, apesar de todos esses benefícios, a agricultura digital enfrenta desafios significativos. Os altos custos iniciais e de manutenção, a vulnerabilidade a ataques cibernéticos e a falta de padronização são apenas alguns dos obstáculos que os agricultores enfrentam ao adotar essas tecnologias. Superar esses desafios é essencial para aproveitar todo o potencial da agricultura digital e garantir um futuro sustentável para a produção de alimentos.

Com o avanço contínuo da tecnologia e a crescente conscientização sobre a importância da sustentabilidade, é apenas uma questão de tempo antes que a agricultura digital se torne a norma em todo o mundo. Os agricultores que abraçarem essas tecnologias estarão à frente de uma nova era na produção de alimentos, impulsionando a inovação e garantindo um futuro próspero para a agricultura.

Fonte: Por Ricardo Martins, especialista em comunicação e tecnologia
Continue Lendo

Notícias

Déficit na balança comercial de produtos da piscicultura alcança US$ 914 milhões em 2023

Maior déficit foi registrado no 4º trimestre, totalizando US$ 678 milhões negativos.

Publicado em

em

Foto: Rodrigo Félix Leal

Em 2023, o déficit da balança comercial de produtos da piscicultura atingiu US$ 914 milhões. O maior déficit foi registrado no 4º trimestre, totalizando US$ 678 milhões negativos.

Destaque para o aumento das importações de salmão, que cresceram 4% em valor e 14% em peso, consolidando a espécie como o principal peixe de cultivo importado pelo Brasil no ano passado, alcançando US$ 837 milhões, equivalendo a 89% do total.

O pangasius se manteve na segunda posição, com US$ 97 milhões, seguido por curimatás, com US$ 1,7 milhões, e trutas, com US$ 1,1 milhões.

Por sua vez, a importação de 25 toneladas de tilápia, totalizando US$ 118 mil, na forma de filé congelado, proveniente do Vietnã e destinado ao Estado de São Paulo, fez com que a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) questionasse os ministérios da Pesca e Aquicultura (MPA) e da Agricultura e Pecuária (Mapa) sobre os  riscos sanitários associados ao produto, levando a suspensão, no início de 2024, das importações de tilápia do Vietnã.

Fonte: Com assessoria Peixe BR
Continue Lendo

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.