Conectado com
VOZ DO COOP

Notícias Descarbonização

Mapa e Banco do Brasil alinham estratégia para parceria com Banco Mundial

Proposta prevê captação de recursos para maior programa de produção sustentável de alimentos do mundo.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Mapa

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, se reuniu com representantes do Banco do Brasil, na última terça-feira (22),para alinhar uma parceria junto ao Banco Mundial que visa investimentos em recursos “verdes”. A captação para o maior programa de produção sustentável de alimentos do planeta, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), prevê a intensificação da produção livre de desmatamento, por meio da conversão de pastagens de baixa produtividade, com sequestro de carbono já nos primeiros anos de atividade.

Por meio da parceria entre Banco do Brasil e Banco Mundial, os recursos poderão ser utilizados por cooperativas e produtores brasileiros para a conversão de pastagens em áreas agricultáveis, seguindo os parâmetros do programa do Mapa, para recuperação do solo e sequestro de carbono.

O Brasil poderá dobrar a sua área de produção, por meio da conversão de até 40 milhões de hectares de pastagens de baixa produtividade e com aptidão para a agricultura, sem avançar no território preservado do país, livre de desmatamento, e com práticas que prezam a diminuição da emissão de carbono na atmosfera, contribuindo para a segurança alimentar e climática do planeta.

Fonte: Assessoria Mapa

Notícias

Valorização do dólar sustenta altas de preços da soja no Brasil

Por outro lado, as fortes quedas dos contratos futuros negociados nos Estados Unidos limitaram os aumentos domésticos.

Publicado em

em

Foto: Shutterstock

Os preços da soja seguem em alta no mercado doméstico. Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso vem principalmente da valorização do dólar frente ao Real, que torna a oleaginosa brasileira mais atrativa a demandantes externos, além de elevar a liquidez interna.

Por outro lado, as fortes quedas dos contratos futuros negociados nos Estados Unidos limitaram os aumentos domésticos.

Em relação à colheita de soja no Brasil, pesquisas do Cepea apontam que, apesar da redução do ritmo dos trabalhos por conta das chuvas registradas no Sudeste e Centro-Oeste do País, as atividades se aproximam da reta final.

De acordo com dados da Conab, 83,2% da área cultivada com oleaginosa no País havia sido colhida até o dia 14 de abril.

 

Fonte: Assessoria Cepea
Continue Lendo

Notícias

ABCS se reúne com secretário Neri Geller para tratar de Plano Safra

Em Brasília, o secretário de política agrícola do Mapa recebeu os pleitos do setor com intuito de construir um plano ainda mais robusto para a suinocultura nacional.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/ABCS

O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, junto a equipe de relações governamentais, estiveram reunidos, na quinta-feira (18), com o secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Neri Geller e sua equipe técnica. A agenda foi para tratar do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2024/2025, na oportunidade, Lopes reforçou que a ABCS está disponível para contribuir tecnicamente junto à equipe do Mapa na construção do PAP e aproveitou a audiência para apresentar o ofício, com as prioridades da entidade, referente ao programa.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, enfatizou a importância do Plano para os suinocultores brasileiros. “Trouxemos as demandas com embasamento nos números do setor e esperamos que os estudos auxiliem na construção de crédito favoráveis”, explicou.

O presidente reforçou algumas demandas, como a linha de retenção de matrizes com carência de dois anos. “A ABCS ressalta a importância dessa linha para garantir o capital de giro dos suinocultores, em especial o independente, que utiliza esse crédito de custeio para manter seu rebanho e fazer investimentos. Esta carência de dois anos é justificada pelo ciclo reprodutivo das matrizes, que permanecem em produção por cerca de 5 ciclos, totalizando aproximadamente 24 meses”, explicou Lopes.

Outra demanda relevante é a adequação do limite por beneficiário na linha INOVAGRO. A gerente de relações governamentais da entidade, Ana Paula Cenci explicou que conforme os cálculos, sobre o modal de 1.500 matrizes, o que atende o setor é o aumentar o limite por beneficiário para 4 milhões de reais e o limite para crédito coletivo da ordem de 12 milhões de reais. “O limite atual por beneficiário está defasado em relação aos valores das tecnologias disponíveis no mercado, dificultando a contratação de crédito para essas adequações e até mesmo ampliação de granjas em projetos de integração”, disse Cenci.

O Secretário disse que está trabalhando para construir um plano com mais recurso e taxas de juros menores. Reforçou que sugestões como a da ABCS, embasada em dados e estudos técnicos, são essenciais para auxiliar a Pasta na elaboração do Plano Safra.

Ainda sem uma data oficial, o Plano Safra deverá ser lançado em meados de junho, como nos últimos anos.

Fonte: Assessoria ABCS
Continue Lendo

Notícias

Brasil regula abate e processamento de animais para mercado religioso

Para atender esses mercados dentro e fora do Brasil, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) definiu regras para solicitação, avaliação, concessão e revogação da autorização para abate e processamento de animais para açougue, de acordo com preceitos religiosos.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

A diversidade religiosa no Brasil é refletida diretamente na alimentação e no consumo da população, que, somadas à expansão das exportações de produtos de origem animal para países asiáticos, criaram um mercado específico e cheio de potencial: o do abate religioso de animais para açougue.

Em países como Egito, Arábia Saudita, Kuwait e Emirados Árabes Unidos, grande parte da população é muçulmana, religião que traz, na sua essência, regras do que é permitido na forma de se relacionar com outros seres vivos.

Em árabe, a palavra halal, que significa lícito, define aquilo que é permitido, inclusive na hora de se alimentar. Para o consumo de animais, por exemplo, há espécies consideradas impuras, como o porco, e outras que precisam passar por um procedimento de purificação desde o abate até o corte, para que possam ser consumidas, como o frango e bovinos.

Nos países judaicos, como Israel, também há regras sobre o que é considerado apropriado, ou kosher, e há procedimentos específicos para cada etapa de beneficiamento dos produtos de origem animal.

Preceitos religiosos

Para atender esses mercados dentro e fora do Brasil, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) definiu regras para solicitação, avaliação, concessão e revogação da autorização para abate e processamento de animais para açougue, de acordo com preceitos religiosos.

Para receber a autorização de funcionamento, esses estabelecimentos terão que fazer uma solicitação ao serviço de inspeção federal, por meio do sistema eletrônico do Mapa, com declaração da autoridade religiosa correspondente e especificação de regras que conflitem com normas brasileiras.

Para a autorização, é necessário que os procedimentos estejam de acordo com as leis que tratam do bem-estar dos animais de abate e também o atendimento dos requisitos sanitários no Brasil e do país de destino dos produtos.

Os procedimentos foram detalhados em uma portaria publicada no Diário Oficial da União, que entrará em vigor a partir do dia 02 de maio.

Fonte: Agência Brasil
Continue Lendo
SIAVS 2024 E

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.