Conectado com
FACE

Notícias

FAEP promove seminários Tendências de Mercados de Grãos

No período de 20 a 28 de julho, o analista Flávio França Junior percorre o Estado para esclarecer as principais dúvidas dos produtores rurais

Publicado em

em

No último dia 30 de junho, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a área de plantio por lá na temporada 2016/2017. Segundo o USDA, as projeções indicam mais soja e milho nas lavouras americanas, com uma área de 83,7 milhões de acres e 94,1 milhões de acres, respectivamente. No caso do cereal, o mercado não esperava essa alta e as cotações afundaram em Chicago após a divulgação do relatório.

Neste momento, o que vai acontecer na safra americana durante os meses de julho e agosto preocupam o mercado e isso continua mexendo com as cotações. Afinal, como ficará o mercado de commodities diante da safra nos Estados Unidos e como vai se refletir por aqui? Esta dúvida dos agricultores, e muitas outras, serão levantadas nos Seminários Tendências de Mercado de Grãos com o analista de mercado de commodities Flávio França Junior, consultor sênior da França Jr Consultoria.

Os eventos, promovidos pelo Sistema FAEP, em parceria com os Sindicatos Rurais, começam no dia 20 de julho em Cornélio Procópio, Londrina, Maringá, Campo Mourão, Cascavel, Pato Branco, Ponta Grossa e Guarapuava, onde termina no dia 28 de julho.             

Confira as datas, horários e locais

Os seminários são destinados a produtores rurais, técnicos, engenheiros-agrônomos, jornalistas e interessados em agronegócio. A entrada é gratuita e não há necessidade de inscrições antecipadas

Cornélio Procópio – 20 de julho / 9h – 11h30  – Anfiteatro do Sindicato Rural de Cornélio Procópio – Av. Alberto Carazzai, 1630 – Centro

Londrina – 20 de julho / 19h – 21h30 – Auditório Milton Alcover Parque de Exposições Governador Ney Braga – Av. Tiradentes, 6275 – Jardim Rosicler

Maringá –  21 de julho / 9h – 11h30 – Auditório da Sociedade Rural de Maringá Parque Internacional de Exp. Francisco Feio Ribeiro – Av. Colombo, 2186 – Vila Morangueira

Campo Mourão – 21 de julho/ 19h – 21h30 – Associação dos Engenheiros Agrônomos de Campo Mourão – Av. Irmãos Pereira, 2900 – Centro

Cascavel – 26 de julho / 14h – 16h30  – Auditório Principal Show Pecuário Parque de Exposições Celso Garcia Cid – BR 277, Km 600 – Santos Dumont

Pato Branco – 27 de julho / 9h – 11h30 – Auditório do Centro Regional de Evento – Rua Benjamin Borges dos Santos, 611 – Fraron

Ponta Grossa –  28 de julho / 9h – 11h30 – Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa – Rua Comendador Miró, 860 – Centro

Guarapuava – 28 de julho/ 19h – 21h30 – Anfiteatro do Sindicato Rural de Guarapuava – Rua Afonso Botelho, 58 – Trianon

Fonte: Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =

Notícias Seguro

FAEP propõe separar seguro do milho safrinha de outros cereais de inverno

Junto com entidades do setor, Federação encaminhou sugestões ao plano trienal para aprimorar o programa de subsídio federal aos produtores

Publicado em

em

Divulgação

A FAEP, junto com a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab), Sistema Ocepar e Federação dos Trabalhadores Rurais e Agricultores do Estado do Paraná (Fetaep), enviou, no dia 5 de abril, pedido ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para que a subvenção do milho safrinha seja separada da dos demais cereais de inverno. A sugestão de melhoria consta em um documento com outras sete diretrizes apresentadas ao Plano Trienal do Seguro Rural (PTSR) 2022/24. O instrumento está em fase de elaboração para realinhar os rumos do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) nos próximos três anos.

“O seguro rural é uma das nossas principais bandeiras, pois o produtor rural precisa de garantia para proteger suas atividades e minimizar os prejuízos. Nós participamos ativamente da conquista de um programa federal de subvenção robusto, tanto que hoje o Paraná é o Estado que mais contrata seguro rural. Por isso, fazemos questão de participar sempre da construção das propostas para aprimorar esse instrumento fundamental para o desenvolvimento do agro”, lembra Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR.

A ideia de colocar a subvenção do milho segunda safra em outro grupo está relacionada às diferenças na dinâmica dessa cultura em relação aos outros cultivos de inverno nos últimos anos. Atualmente, o valor que o produtor precisa desembolsar para proteger uma lavoura de safrinha está pouco atraente, em parte por seguir a lógica de outras plantações da época mais fria do ano.

“Nosso pedido é para separar o milho segunda safra dos demais grãos de inverno, estabelecendo um grupo de atividade específico para a cultura, com percentual de subvenção maior, reduzindo assim o valor a ser pago pelo produtor”, aponta Jefrey Albers, coordenador do Departamento Técnico e Econômico (DTE) da FAEP.

Há ainda, no documento enviado ao Mapa, sugestões para aumentar o percentual de subvenção para 45% no caso da soja e grãos de verão para coberturas multirrisco; reestabelecer em R$ 72 mil ao ano o limite financeiro por beneficiário para a modalidade de seguro agrícola; estruturar processo operacional para que a concessão da subvenção seja para o produtor rural e não para a seguradora; entre outros pontos.

Plano trianual

O documento feito a cada três anos, com a participação de entidades representativas do agronegócio de todo o Brasil, serve de guia de Estado para o seguro rural. Isso quer dizer que a intenção é que, independentemente de quem esteja à frente do governo, as diretrizes desse plano devam ser seguidas.

Fonte: Sistema FAEP
Continue Lendo

Notícias Mercado

Quedas externa e cambial limitam negócio da soja no Brasil

Quedas nos preços externos, a desvalorização do dólar e restrições de cotas para exportar soja limitaram negociações internas

Publicado em

em

Divulgação/MAPA

As quedas nos preços externos, a desvalorização do dólar e as restrições de cotas para exportar soja limitaram as negociações internas envolvendo a oleaginosa na semana passada. Pesquisadores do Cepea ressaltam que, além disso, com cerca de 70% da safra 2020/21 já comercializada, produtores não mostram interesse em negociar grandes lotes a curto prazo.

Compradores domésticos, por sua vez, estão cautelosos nas aquisições, atentos às expectativas de safra recorde no Brasil. Em relatório divulgado no último dia 8, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) indicou produção nacional de soja pode somar 135,54 milhões de toneladas, 8,2% superior à safra anterior.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Segundo Cepea

Valores do milho seguem renovando recordes em muitas regiões

Em importantes praças produtoras, valor do cereal nesta parcial de abril já representa o dobro da média verificada no mesmo mês de 2020

Publicado em

em

Renata Silva/Embrapa

Os preços do milho seguem renovando os patamares recordes na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Em importantes praças produtoras, o valor do cereal nesta parcial de abril já representa o dobro da média verificada no mesmo mês de 2020. Pesquisadores do Cepea indicam que as contínuas altas estão atreladas à baixa oferta do milho no spot nacional.

Preocupados com os possíveis impactos do clima sobre a produção da segunda safra, produtores limitam as vendas. Consumidores, por sua vez, estão preocupados com os atuais patamares – que extrapolam os custos de produção em muitos casos. Os compradores que precisam recompor estoques têm tido dificuldades em encontrar novos lotes e os que conseguem se esbarram nos elevados preços negociados.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Dia Estadual do Porco – ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.