Conectado com

Notícias

Especialista debate nutrição de precisão com NIR in Line

Evento vai reunir principais especialistas do setor de nutrição animal de 16 a 18 de outubro, em Campinas, SP

Publicado em

em

Nutrição de precisão com uso de NIR in Line será debatida durante o VIII CLANA (Congresso Latino-Americano de Nutrição Animal), que vai acontecer de 16 a 18 de outubro, em Campinas, no interior de São Paulo. A alta tecnologia utilizada na produção de ração de aves e suínos tem gerado cada vez mais interesse de profissionais da cadeia produtiva em função das vantagens que tem proporcionado no campo.

Melhor desempenho de aves e suínos no campo, redução nos custos da ração através de um melhor aproveitamento dos ingredientes e uso racional de recursos na produção com o consequente menor impacto ambiental são alguns dos benefícios desta tecnologia na produção de ração, defende o engenheiro de produção Felipe Soares, que vai ministrar a palestra “Nutrição de Precisão com utilização do NIR in Line”, a partir das 9h do dia 17 de outubro, na sala Garantia da Qualidade e Regulatório.

“Este modelo vem revolucionando a maneira de se pensar a nutrição e já é utilizado com sucesso em importantes empresas do setor, no Brasil e em outros países da América Latina, com significativa redução de custos na produção das rações, permitindo o uso racional de ingredientes e nutrientes”, salientou Soares.

Ele ressalta que a tecnologia, que viabiliza um alimento balanceado nutricionalmente para o plantel, ainda possibilita ganhos de desempenho no campo e até ganhos no abatedouro, provenientes da redução da variabilidade entre as aves. “Este sistema de reformulação em tempo real com utilização de NIR in Line contribui com uma ração muito mais uniforme e precisão nutricional muito maior. Em outras palavras, a ração que chega no comedouro para o animal realmente terá os níveis nutricionais formulados pelo nutricionista para cada fase da vida do animal”, afirmou.

O especialista destaca ainda a importância do evento para os profissionais do segmento. “É um evento de extrema importância, reconhecido e respeitado por todos no setor, reunindo profissionais de alto nível de toda América Latina para discutir e se atualizar de temas relevantes para o nosso negócio”, encerrou. Outras informações sobre o VIII CLANA podem ser obtidas através do telefone (19) 3232-7518 ou pelos e-mails cbna@cbna.com.br e cbna@lexxa.com.br.  

Fonte: Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 1 =

Notícias Clima

Primavera começa hoje com transição entre estações seca e chuvosa

Com o gradativo aumento das chuvas em grande parte do país nesta época do ano, tem-se o início do plantio das principais culturas de verão

Publicado em

em

Divulgação/MAPA

A Primavera no Hemisfério Sul inicia nesta terça-feira (22) às 10h31 e termina no dia 21 de dezembro às 07h02. Climatologicamente, é um período de transição entre as estações seca e chuvosa no setor central do Brasil, e marca o início da convergência de umidade oriunda da Amazônia, que define a qualidade do período chuvoso sobre as Regiões Centro-Oeste, Sudeste e parte centro-sul da Região Norte.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), durante a estação, os volumes acumulados de precipitação no norte da Região Nordeste costumam ser inferiores a 100 mm, principalmente no norte do Piauí e noroeste do Ceará. As temperaturas são mais elevadas em grande parte da Região Norte, interior da Região Nordeste e em alguns pontos da parte central do Brasil.

Os primeiros episódios da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) podem ocorrer durante a primavera, com chuvas no Sudeste, Centro-Oeste, Acre e Rondônia. Já na Região Sul, podem ocorrer episódios de Complexos Convectivos de Mesoescala (CCM), que estão associados a chuvas fortes, rajadas de vento, descargas atmosféricas e eventual granizo. Com o gradativo aumento das chuvas em grande parte do país nesta época do ano, tem-se o início do plantio das principais culturas de verão.

Para os próximos meses, os modelos de previsão de ENOS do IRI (Research Institute for Climate and Society) indicam uma probabilidade acima de 70% de que estas condições de La Niña se iniciem durante a primavera de 2020 e permaneçam até o verão 2020/2021. Neste sentido, é fundamental esperar por atualizações futuras através do monitoramento da temperatura da superfície do mar no Pacífico, pois existem outros fatores, como a temperatura na superfície do oceano Atlântico Tropical e na área oceânica próxima à costa do Uruguai e da Região Sul, que poderão influenciar o regime de chuvas no Brasil, dependendo da combinação destes fatores durante esta estação.

Confira o prognóstico por região para o período entre outubro e dezembro de 2020:

Região Norte

A previsão climática para o trimestre indica um predomínio de áreas com probabilidade de chuvas acima da faixa normal, exceto sobre a parte norte da região, sudeste do Pará e noroeste do Tocantins, onde existe uma tendência das chuvas ocorrerem abaixo da média. Para o próximo trimestre, a previsão para a temperatura do ar próximo a superfície indica que deverá prevalecer acima da média. Entretanto, na divisa entre os estados do Pará e Amazonas, as temperaturas devem ser mais amenas, devido à persistência das chuvas nesta área.

Região Nordeste

Na Região Nordeste, a previsão para a primavera indica chuvas próximas à média ou acima em grande parte da região, com exceção de algumas localidades sobre o norte da Bahia e leste do Nordeste Brasileiro, onde as chuvas permanecerão ligeiramente abaixo da climatologia. As temperaturas serão predominantemente elevadas nos estados do Maranhão e Piauí, porém, nas localidades onde há a probabilidade de chuvas acima da média, os termômetros devem registrar temperaturas próximas à climatologia ou levemente inferiores à média.

Região Centro-Oeste

A previsão do INMET para a Região Centro-Oeste aponta para uma irregularidade das chuvas para o próximo trimestre, onde devem permanecer acima da média sobre a parte central e norte de Mato Grosso, norte de Goiás e centro do Mato Grosso do Sul, principalmente no mês de novembro. Nas demais áreas, as chuvas devem permanecer próximas a média ou ligeiramente abaixo. Já para as temperaturas, as previsões indicam que as mesmas devem ultrapassar a média ao longo da estação, com exceção do Mato Grosso do Sul e sudoeste do Mato Grosso, onde as temperaturas poderão ser ligeiramente abaixo de seus valores climatológicos.

Região Sudeste

Para a Região Sudeste, a previsão do modelo do INMET para os próximos três meses é de chuvas acima da média em grande parte da região. No leste de São Paulo e centro de Minas Gerais, as probabilidades indicam o risco de chuvas abaixo da média. Com o retorno das chuvas mais regulares no mês de novembro, a previsão indica o predomínio de temperaturas próximas ou ligeiramente abaixo da média.

Região Sul

A previsão indica maior probabilidade de chuvas abaixo da climatologia em praticamente toda a região, exceto no norte do Paraná, onde as chuvas previstas devem ser acima da média. As temperaturas serão próximas à climatologia e ligeiramente acima da média em grande parte da Região Sul, entretanto as entradas de sistemas frontais ainda poderão provocar declínio nas temperaturas, principalmente sobre o nordeste do Rio Grande do Sul e leste de Santa Catarina.

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Notícias Previsão do tempo

Chuvas voltam de forma gradativa para o Centro-Oeste e Sudeste do Brasil

Temperaturas devem continuar elevadas, com máximas acima dos 30°C em praticamente todo o Brasil

Publicado em

em

Divulgação

De acordo com o modelo numérico do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a semana entre os dias 21 e 28 de setembro deverá marcar o retorno gradativo das chuvas nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Há previsão de chuvas esparsas para a região Centro-Oeste com totais acumulados entre 07 e 40 mm durante a semana.

Na Região Sul, os acumulados de chuva deverão ser concentrados principalmente no sul do Rio Grande do Sul e extremo norte do Paraná, com valores variando entre 07 e 40 mm. Há pouca possibilidade de chuva em Santa Catarina.

No Sudeste, previsão de chuvas em quase toda a região, principalmente no norte de São Paulo, sul de Minas Gerais, sul do Espírito Santo e todo o Rio de Janeiro, onde as chuvas podem ficar na faixa entre 20 e 100 mm.

Na Região Nordeste, predominarão áreas sem chuva. Chance de chuvas com baixo volume apenas no litoral da Bahia e de Sergipe. Na Região Norte, os maiores acumulados de chuva deverão se concentrar na metade oeste, com totais variando entre 40 150 mm.

As temperaturas devem continuar elevadas, com máximas acima dos 30°C em praticamente todo o Brasil, podendo chegar em torno de 40°C, e mínimas entre 12 e 24°C.

Próxima semana 

A previsão numérica para o período de 29 de setembro a 07 de outubro de 2020 indica que as chuvas devem ficar concentradas no oeste da Região Norte, com totais entre 20 e 90 mm e no leste da Região Nordeste, com totais entre 05 e 30 mm. Na Região Sul, os totais de chuva devem ocorrer na faixa entre 15 e 125 mm, porém, os maiores volumes devem ocorrer no Rio Grande do Sul.

Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, volta a predominar áreas sem chuva ou com chuvas de baixa intensidade. Os volumes mais significativos devem se concentrar na faixa leste do sudeste, com totais inferiores a 25 mm.

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Notícias Agricultura

Herbicida Paraquate tem vendas e uso proibidos no Brasil a partir de hoje

Defensivo era utilizado em culturas como a soja, trigo, milho, feijão, cana-de-açúcar, citros, batata, maçã, banana, arroz e algodão

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

O herbicida Paraquate tem seu uso e comercialização proibidos a partir desta terça-feira (22), conforme deliberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em sua Resolução da Diretoria Colegiada (RDC 177), disse o Ministério da Agricultura.

A pasta “dará procedimento ao cancelamento do registro do Paraquate e adotará as providencias necessárias para o cumprimento da RDC”, informou em nota na segunda-feira (21).

Por ser considerado de alto nível toxicológico, o ingrediente ativo Paraquate teve as proibições de uso, produção e comercialização definidas em 2017, com prazo de três anos para entrar em vigor.

Em agosto deste ano houve um pedido de vista na decisão da Anvisa, que voltou a ser avaliada no último dia 15 e teve o banimento mantido por três votos de diretores a dois.

“A Anvisa manteve a decisão pelo banimento do ingrediente ativo Paraquate no Brasil, previsto para entrar em vigor a partir do próximo dia 22 de setembro… Com isso, o produto não poderá ser produzido ou usado no país, assim como também ficará proibida a importação desse ingrediente ativo”, informou a agência na ocasião.

O defensivo era utilizado em culturas como a soja, trigo, milho, feijão, cana-de-açúcar, citros, batata, maçã, banana, arroz e algodão.

Fonte: Reuters
Continue Lendo
PORK EXPO

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.