Conectado com

Notícias Triticultura

Desafios e oscilações de mercado marcam as perspectivas para o futuro do trigo no Brasil

28º Congresso do Trigo analisará o cenário atual e de futuro para o setor, no dia 21 de setembro, das 9h às 17h30

Publicado em

em

Divulgação

O ano de 2021 chega a seu segundo semestre com muitos desafios e incertezas para o trigo, em todo o mundo. Questões climáticas e a volatilidade do mercado podem influenciar muito a produção e, consequentemente, os resultados de toda a cadeia. Visando debater as perspectivas para os próximos meses, a Associação Brasileira da Indústria do Trigo – Abitrigo volta a reunir o setor para a 28ª edição do Congresso Internacional da Indústria do Trigo.

O evento, que, pelo segundo ano, será realizado em formato on-line, será promovido no dia 21 de setembro, das 9h às 17h30 e pretende, por meio de seus debates e apresentações, contribuir para o fortalecimento e o crescimento de toda a cadeia da triticultura brasileira e de outros países.

“Temos pela frente muitos desafios e um mercado com possíveis oscilações nos próximos meses, o que deve ser analisado de perto pelo setor moageiro do Brasil. O Congresso será um espaço destinado a debater e entender esse cenário, por meio de temas atuais e relevantes para toda a cadeia”, destacou presidente-executivo da Abitrigo, Rubens Barbosa.

Com a transmissão em três idiomas, o evento será iniciado com a palestra “Perspectivas Políticas e Econômicas”, que será ministrada pela consultora Econômica e colunista do jornal O Globo, Zeina Latif. Em sua apresentação, Zeina fará uma análise das perspectivas econômicas brasileiras e mundiais, dos investimentos e do mercado financeiro e do cenário político para 2022.

Seguindo a programação, o painel “A dinâmica do mercado do trigo”, que será moderado pelo jornalista, William Waack, contará com o depoimento do Presidente da EMBRAPA, Celso Moretti e os seguintes debatedores: o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, que abordará o mercado nacional; o Consultor Privado do Mercado de Trigo, Pablo Maluenda, que falará pelo mercado internacional e o jornalista especializado em agronegócio e Marketing, José Luiz Tejon, que fará uma análise do comércio mundial e a relevância do Brasil no mercado do grão.

O segundo painel terá como tema “O Futuro do Negócio Trigo” e como debatedores a gerente de Novos Negócios da NielsenIQ, Andrea Stoll, que fará uma análise sobre o futuro do negócio trigo, a presidente do Fundo JBS pela Amazônia, Joanita Karoleski, que apresentará as melhores práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) e o diretor presidente do Moinhos Cruzeiro do Sul, Antonio Celso Bermejo, que abordará a rentabilidade, o desempenho e inovação da indústria. A moderação será do jornalista, William Waack.

Painéis temáticos

A novidade da edição desse ano é a realização de seis painéis temáticos, que serão promovidos na parte da tarde. Com o tema “Atualidades de mercado e tendências na Europa”, o primeiro painel da tarde será moderado pelo gerente Comercial América Latina da Biotrigo, Fernando Michel Wagner e contará com a palestra do diretor de Exportação para as Américas do Grupo Eurogerm, Sébastien Jollet.

O painel “Como melhorar a rentabilidade do seu moinho?”, contará com as palestras do chefe de tecnologia de processos da Bühler na América do Sul, Gustavo Prado e do gerente de vendas Sênior da área de Moagem da Bühler, Sebastian Stein. A moderação também será do gerente Comercial América Latina da Biotrigo. Fernando Michel Wagner, ainda, mediará a palestra ““Inovação do B2B ao B2C – O que é tendência nos produtos/alimentos à base de trigo?”, promovida pela Prozyn, em que as perspectivas serão abordadas pela fundadora e CEO da Equilibrium, Cynthia Antonaccio.

A presidente do Moinho Globo Alimentos, Paloma Venturelli será a moderadora de três painéis, na parte da tarde. O tema “Da imunização ao crescimento: as tendências do “novo” normal se tornarão o “novo” hábito?”, será trabalhado pela gerente de Marketing Insights LATAM da Corbion, Luciana Zaneti e o diretor de Desenvolvimento de Negócios LATAM da Corbion, Rafael Contador.

Em seguida, o evento terá a palestra da supervisora de Pesq. e Desenv. da AIT Ingredients Brasil, Kassia Kiss F. Dourado, que responderá a pergunta: sua empresa conta com as soluções para atender às legislações vigentes para panificação e da nova rotulagem nutricional?

A programação será encerrada com o tema “Promovendo conexões, convergindo interesses e desenvolvendo a digitalização da indústria de trigo”, que será abordado pelo Co-fundador e CEO da OpenSolo, Eduardo Gradiz e o gerente de Suprimentos do Moinho Anaconda, Nelson Montagna.

“Para esse ano, ampliamos nossa programação para trazer aos participantes mais informações e dados que os auxiliem nas tomadas de decisão em seus negócios. Esperamos debater e analisar, ao longo do evento, as propensões e expectativas para o mercado mundial, por meio de assuntos de extrema relevância para o setor. Esperamos contar com a presença de um público de qualidade, que acompanhará debates atuais”, finaliza o presidente-executivo da Abitrigo.

As inscrições para a 28ª edição do Congresso Internacional da Indústria do Trigo podem ser feitas pelo site: www.congressoabitrigo.com.br.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − dez =

Notícias Análise do Cepea

Com desvalorização dos ovos, relação de troca por milho é a pior da história

Na média parcial de janeiro, o avicultor pôde comprar 38,3 quilos do insumo (mercado de lotes da região de Campinas) com a venda de uma caixa de ovos brancos, a menor quantidade em um ano, considerando-se a série mensal, e ainda 20,8% menor que a média de dezembro.

Publicado em

em

Arquivo OP Rural

Com os ovos desvalorizados e os preços do milho e do farelo de soja em alta, o poder de compra do avicultor de postura recuou na parcial deste mês (até o dia 20).

Considerando-se o milho, especificamente, a relação de troca em janeiro é a mais desfavorável ao avicultor em toda a série histórica do Cepea, iniciada em 2013 – na média parcial do mês, foi possível ao produtor de Bastos (SP) a compra de 65,9 quilos do cereal com a venda de uma caixa de 30 dúzias de ovos brancos tipo extra, considerando-se o preço do milho na região de Campinas (SP) – Indicador ESALQ/BM&FBovespa.

Esse volume é o menor da série e ainda 14,9% inferior ao registrado em dezembro.

Segundo pesquisadores do Cepea, as cotações do milho estão em forte alta neste mês, impulsionadas pela restrição de vendedores – devido às incertezas quanto à produtividade das lavouras – e pela demanda elevada.

Quanto ao farelo de soja, após o recuo dos preços na maior parte do segundo semestre de 2021, os valores passaram a subir em dezembro, principalmente por conta do alto valor da matéria-prima e da firme procura.

Assim, na média parcial de janeiro, o avicultor pôde comprar 38,3 quilos do insumo (mercado de lotes da região de Campinas) com a venda de uma caixa de ovos brancos, a menor quantidade em um ano, considerando-se a série mensal, e ainda 20,8% menor que a média de dezembro.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Incertezas da produção nacional

Diferença entre preços pedidos e ofertados limita comercialização da soja no Brasil 

Agentes do Cepea indicam a possibilidade de maiores demandas doméstica e internacional nesta temporada, o que tem deixado produtores reticentes nas negociações do remanescente da safra 2020/2021 e também de contratos a termo da safra 2021/2022.

Publicado em

em

Arquivo OP Rural

Incertezas quanto à produção nacional de soja, expectativas de maior demanda e a recente desvalorização cambial (US$/R$) ampliaram a disparidade entre os preços pedidos e ofertados pela oleaginosa, limitando a liquidez no mercado brasileiro.

De um lado, produtores, especialmente os da região Sul, relatam grandes perdas na produção devido à escassez hídrica no principal período de desenvolvimento das lavouras.

De outro, agentes consultados pelo Cepea apontam que as produções nas demais regiões do Brasil devem ser volumosas, compensando boa parte das perdas no Sul.

Agentes também indicam a possibilidade de maiores demandas doméstica e internacional nesta temporada, o que tem deixado produtores reticentes nas negociações do remanescente da safra 2020/2021 e também de contratos a termo da safra 2021/2022.

Consumidores também estiveram cautelosos nos últimos dias, diante da desvalorização do dólar e da expectativa da entrada da nova safra.

No spot nacional, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 1,5% entre 14 e 21 de janeiro, a R$ 177,33/sc de 60 kg na sexta-feira (21).

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá (PR) registrou alta de 2%, no mesmo comparativo, a R$ 180,15/sc de 60 kg no dia 21.

Dentre as regiões brasileiras, entretanto, os preços registraram direções distintas.

O dólar registrou queda de 1,17% entre as duas últimas sextas-feiras, a R$ 5,457 no dia 21.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Segundo Cepea

Ritmo de negócios é lento, mas cotações do milho seguem em alta

As consecutivas valorizações têm preocupado compradores, que reportam dificuldades para recompor estoques.

Publicado em

em

Arquivo OP Rural

Os preços do milho continuam em alta no mercado físico nacional, mesmo com o início da colheita da primeira safra no Sul.

Segundo colaboradores do Cepea, as consecutivas valorizações têm preocupado compradores, que reportam dificuldades para recompor estoques.

No Estado de São Paulo, especificamente, mesmo com o aumento da oferta do Centro-Oeste, demandantes têm preferido comprar o cereal paulista, que estava nos armazéns desde a colheita da segunda safra.

Porém, menores volumes – a preços mais altos – têm sido adquiridos, mas com entrega rápida.

Entre 14 e 21 de janeiro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa, referente à região de Campinas (SP), subiu 1,6%, fechando a R$ 98,33/saca de 60 kg na sexta-feira (21), acumulando 15 dias consecutivos de alta e voltando aos patamares de agosto de 2021.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
ADISSEO 2022

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.