Conectado com
VOZ DO COOP

Suínos / Peixes

Cooperalfa investe R$ 140 milhões em UPL

A Unidade de Produção de Leitões da cooperativa, no Mato Grosso do Sul, será inaugurada na quarta-feira (17), às 18 horas, no CTG Campo da Vacaria, em Sidrolândia.

Publicado em

em

Fotos: Assessoria

A Unidade de Produção de Leitões (UPL) de Sidrolândia, projetada em 2019 e concluída em abril de 2023, tem capacidade para cinco mil matrizes e previsão de produzir cerca de 500 leitões/dia. São 323 hectares de área com estrutura que contempla o setor administrativo e mais dois sítios. O sítio 01 é composto por três pavilhões para as matrizes, nas fases de gestação e maternidade. O sítio 02, com dois pavilhões, receberá os leitões com 24 dias, que permanecem até atingir 60 dias ou 23 quilos.

O gerente da UPL, Paulo Both, afirma que a biossegurança será um dos destaques da granja, com barreira vegetal e sanitária para evitar a entrada de doenças. Além de atender todas as normas de bem-estar animal, como a entrada de luz natural nas instalações, alimentação equilibrada, climatização do ambiente e baias com medidas adequadas para cada fase, garantindo conforto aos animais e alta produtividade. “A Cooperalfa tem a certeza de que está fazendo um investimento prevendo altas produtividades, observando o bem-estar animal e, principalmente, a biossegurança. Dessa forma, vamos produzir leitões com alto padrão genético e sanitário, o que favorecerá a engorda, que será realizada pelos produtores integrados ao sistema Alfa e, posteriormente, destinados ao frigorífico da Aurora de São Gabriel do Oeste”, explica o gerente.

 

Oportunidade aos produtores de grãos

O gerente da unidade Alfa de Sidrolândia, Altair Almeida, ressalta que a UPL também será uma oportunidade para os produtores de grãos regionais, já que os dejetos podem ser utilizados para melhorar a fertilidade do solo. “Os produtores interessados em instalar granjas estão buscando a cooperativa e esse vai ser um ‘casamento’ interessante na produção de dejetos, para uso nas lavouras de milho e soja. A suinocultura é uma atividade nova na região e está vindo para se associar à produção agrícola”, enfatiza o gerente da filial Alfa de Sidrolândia.

O presidente da Cooperalfa, Romeo Bet, destaca que o investimento prevê alta produtividade e leitões com elevado padrão genético e sanitário. “É uma granja nova, totalmente moderna, muito bem estudada em toda a sua dimensão e com o que há de melhor em granjas de suínos. Vamos ter fêmeas com excelente potencial e, certamente, leitões de ótima qualidade, favorecendo a rentabilidade na engorda”, afirma.

A construção da UPL da Cooperalfa em Sidrolândia vai abastecer o frigorífico da Aurora em São Gabriel do Oeste que, atualmente, abate 3 mil suínos/dia e com a ampliação vai chegar a 5 mil suínos/dia.

O plantel da UPL de Sidrolândia, primeira etapa do projeto, será alojado de maio a dezembro de 2023. A produção de leitões iniciará em fevereiro de 2024 e o primeiro animal sul mato-grossense a ser abatido será em maio de 2024.

Um sonho que virou realidade

A UPL de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, era um sonho que começou a se materializar em 2021, sendo concluído em abril de 2023, gerando renda e empregos na região.  O engenheiro civil responsável pela obra, Andrísio Bet, informou que no início de 2020 a Cooperalfa fez a aquisição de uma área de 323 hectares, estrategicamente escolhida em Sidrolândia-MS, com a finalidade de construir uma granja de suinocultura na região sul-mato-grossense, e alavancar a participação da cooperativa no Brasil Central, terra de gente trabalhadora.

Fundada em 1967 em Chapecó (SC), e atuando em 94 municípios, a Cooperalfa possui 122 unidades de atendimento em Santa Catarina, 35 no Rio Grande do Sul, 14 no Paraná e cinco no Mato Grosso do Sul, atuando no fomento e comercialização da produção agropecuária de milho, soja, trigo, feijão, suinocultura, avicultura e leite; na produção de sementes, rações e suplementos; industrialização de trigo, soja e milho; e na rede de supermercados, lojas agropecuárias e postos de combustíveis. “Chegamos aqui em 2016 acanhados e hoje orgulhosamente batemos no peito para dizer que já estamos presente nos municípios de Dourados, Nova Alvorada do Sul e Sidrolândia”, declarou o presidente da Cooperalfa, Romeo Bet.

Um projeto para impulsionar a suinocultura no MS

A produção comercial de suínos desponta no estado do Mato Grosso do Sul, diversificando renda aos produtores integrados, reforçando os princípios do cooperativismo e gerando resultados, a serem compartilhados, com quem faz parte dessa sociedade, incluindo município, estado e federação.

O gerente técnico da Cooperalfa, o médico veterinário Alex De Marco, informou que a Unidade de Produção de Leitões Cooperalfa, de Sidrolândia, é projeto pioneiro da suinocultura industrial na região, tanto de produção de leitões como terminação de suínos abate. A conclusão da primeira fase da Unidade, com capacidade para 5200 matrizes, permitirá alojar 46 pocilgas de terminação, com 1.512 cabeças por pavilhão.

A UPL será alojada com matrizes oriundas de granjas livres das principais doenças que acometem a suinocultura, fornecidas por empresa que é líder mundial em genética suína e que possuem a melhor relação custo-benefício e alto padrão sanitário.

Além de fornecer os suínos de alto valor genético, o principal compromisso da empresa fornecedora, junto a Cooperalfa, é fazer parte dos resultados, criar vínculos e ser exemplo de produção no centro oeste brasileiro.

“Uma obra que une processos e tecnologia de ponta e segue à risca as Leis Ambientais, bem-estar animal e um rigoroso controle sanitário de pessoas, veículos e equipamentos”, declarou Alex.

 

Fonte: Assessoria Cooperalfa

Suínos / Peixes

Minas Gerais celebra Dia da Carne de Porco em 30 de abril

Na mesma data é comemorado o aniversário da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), que neste ano comemora 52 anos de atividade. 

Publicado em

em

Você sabia que no dia 30 de abril é celebrado o Dia da Carne Suína Mineira? A data foi instituída pela Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG) através da LEI 21125, de 03/01/2014, com o objetivo de valorizar a cadeia produtiva da carne suína e sua representatividade econômica, social e cultural no Estado. Na mesma data é comemorado o aniversário da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), que neste ano comemora 52 anos de atividade.

Em Minas, esta é uma proteína que está presente no dia a dia e nos momentos de confraternização, ela faz parte da vida e da cultura alimentar local, não por acaso, estrelam entre os nossos pratos tradicionais e mundialmente reconhecidos: torresmo, leitão à pururuca, costelinha com canjiquinha, lombo com tutu, barriga à pururuca entre tantos outros mais e todo este cenário nos leva ao primeiro lugar no ranking de consumo da carne suína no Brasil. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2023, a estimativa é que cada mineiro consuma 27,1 kg per capita.

Minas Gerais não é referência apenas no consumo, mas também na produção da carne de porco. Segundo o IBGE somos o quarto maior produtor de suínos do Brasil, com destaque para as regiões do Triângulo Mineiro, Vale do Piranga, Centro-Oeste Mineiro e Sul de Minas.

Em 2023 passado, foram comercializadas 5,3 milhões de toneladas de carne. Para o presidente da associação, João Carlos Bretas Leite, Minas é um caso à parte em consumo e qualidade da produção e somos mundialmente conhecidos por estes feitos. É muito gratificante garantir proteína saudável, a preço justo e sabor inigualável na mesa dos mineiros e saber que ela faz parte do dia a dia e da história desse povo”, disse.

Fonte: Divulgação/HB Audiovisual

Além de garantir carne de saudável e saborosa aos consumidores mineiros, a Associação que representa estes produtores pretende dar dicas das melhores e mais saborosas formas de preparo da proteína, por isso há alguns anos criou o projeto Cozinhando com a Asemg, conheça o projeto:

Cozinhando com Asemg: com porco é melhor

A Asemg lançou neste mês de abril a quarta edição do projeto “Cozinhando com a Asemg”, que traz o tema: “Com Porco é melhor”. Serão apresentadas uma série de receitas, tradicionais na cozinha do brasileiro, mas com substituições que trazem muito mais sabor aos pratos. Nelas conterão a carne de porco no lugar de outras proteínas já conhecidas tradicionalmente.  Receitas como strogonoff de carne de porco, salpicão de carne de porco e muito mais.

O presidente da Asemg João Carlos Bretas Leite conta que: “Estamos na quarta edição do projeto, que vem a cada ano trazendo novidades e surpreendendo a todos mostrando o quanto a nossa proteína é versátil. As receitas são disponibilizadas no Instagram @asemg_mg, receitas fáceis e muito saborosas.’’ comenta o presidente.

Conheça a Asemg

A Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais foi criada em 30 de abril de 1972 com o objetivo de representar a classe suinícola no estado mineiro e vem cumprindo este papel desde então.

Hoje a entidade tem como missão construir e fortalecer relacionamentos estratégicos, prover informações assertivas e fomentar soluções para a competitividade e o desenvolvimento sustentável da suinocultura, agregando valor para os associados, filiadas regionais, parceiros e comunidades.

A Asemg atua diretamente em áreas como: sanidade, bem-estar animal, política, conhecimento, marketing, meio ambiente, inovação e mercado de compra e venda de suínos.

Fonte: Assessoria Asemg
Continue Lendo

Suínos / Peixes

Preços do suíno vivo e da carne recuam; poder de compra cai frente ao farelo

Esse cenário força frigoríficos paulistas a reajustarem negativamente o preço negociado, em busca de maior liquidez e de evitar o aumento dos estoques.

Publicado em

em

Foto: Ari Dias

Os preços do suíno vivo e da carne caíram nos últimos dias, conforme apontam levantamentos do Cepea.

Para o animal, pesquisadores deste Centro explicam que a pressão vem da demanda interna enfraquecida e da oferta elevada.

No atacado, o movimento de baixa foi observado para a maioria dos produtos acompanhados pelo Cepea e decorre da oferta oriunda da região Sul do Brasil (maior polo produtor) a valores competitivos.

Esse cenário, segundo pesquisadores do Cepea, força frigoríficos paulistas a reajustarem negativamente o preço negociado, em busca de maior liquidez e de evitar o aumento dos estoques.

Diante da retração dos valores pagos pelo vivo no mercado independente em abril, o poder de compra do suinocultor paulista caiu frente ao farelo de soja; já em relação ao milho, cresceu, uma vez que o cereal registra desvalorização mais intensa que a verificada para o animal.

Fonte: Assessoria Cepea
Continue Lendo

Suínos / Peixes

Brasil conquista dois novos mercados para pescados na Índia

Agronegócio brasileiro alcançou a 30ª abertura comercial internacional apenas neste ano. Nos últimos 16 meses, foram abertos 108 novos mercados em 50 países.

Publicado em

em

Foto: Shutterstock

A missão do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, à Índia em novembro do ano passado segue gerando resultados positivos para o Brasil. Após encontros com Shri Parshottam Rupala, ministro da Pesca, Pecuária e Lácteos da Índia e Kamala V Rao, CEO da Autoridade de Segurança dos Alimentos da Índia, o Brasil obteve, na última sexta-feira (19), a confirmação da abertura de dois novos mercados: pescado de cultivo (aquacultura) e pescado de captura (pesca extrativa).

O anúncio se soma a expansões recentes da pauta agrícola do Brasil para o país asiático. Nos últimos 12 meses, o governo indiano autorizou a importação de açaí em pó e de suco de açaí brasileiros.

Em 2023, a Índia foi o 12º principal destino das exportações agrícolas brasileiras, com vendas de US$ 2,9 bilhões. Açúcar e óleo de soja estiveram entre os produtos mais comercializados.

Segundo o Agrostat (Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro), nos três primeiros meses deste ano, o Brasil exportou mais de 12 mil toneladas de pescado para cerca de 90 países, gerando receitas de US$ 193 milhões. Esse valor mostra um aumento de mais de 160% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando as vendas foram de US$ 74 milhões.

“Seguimos comprometidos em ampliar a presença dos produtos agrícolas brasileiros nas prateleiras do mundo. Essa estratégia não apenas abre mais oportunidades internacionais para nossos produtos e demonstra a confiança no nosso sistema de controle sanitário, mas também fortalece a economia interna. Com as recentes aberturas comerciais estamos gerando mais empregos e elevando a renda dos produtores brasileiros”, ressaltou o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, Roberto Perosa.

Com estes novos mercados, o agronegócio brasileiro alcançou a 30ª abertura comercial internacional apenas neste ano. Nos últimos 16 meses, foram abertos 108 novos mercados em 50 países.

Fonte: Assessoria Mapa
Continue Lendo
SIAVS 2024 E

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.