Conectado com
VOZ DO COOP

Notícias

Congresso de Ovos APA: Inscrições antecipadas encerram na segunda (07)

Evento deve reunir mais de 500 participantes para debater o futuro da avicultura de postura, de 15 a 17 de março, em Ribeirão Preto, SP

Publicado em

em

Termina na próxima segunda-feira, dia 7 de março, o último prazo para fazer inscrições antecipadas para o 14o Congresso APA de Produção e Comercialização de Ovos. Até esta data, as inscrições podem ser realizadas no site do evento (www.congressodeovos.com.br) pelo valor de R$ 280 para estudantes com comprovante, R$ 420 para professores e pesquisadores, R$ 450 para associados da Associação Paulista de Avicultura (APA) e R$ 560 para profissionais.

Em sua 14a edição, o evento realizado pela Associação Paulista de Avicultura (APA) vai debater as mais recentes tecnologias, pesquisas e tendências para a avicultura de postura em áreas como nutrição, sanidade, manejo, bem-estar animal, genética, ambiência, equipamentos e marketing. O encontro reúne representantes do setor produtivo, pesquisadores e empresas fornecedoras de equipamentos, insumos e biologicos  das mais importantes instituições de vários países em uma discussão sobre o futuro da atividade.

"Este debate é extremamente importante em função da troca de informações entre o campo, o meio acadêmico e provedores. Lá, temos de um lado cientistas apresentando as principais tendências da produção e comercialização de ovos e de outro os profissionais de campo que apresentam suas demandas, para ajudar nortear o desenvolvimento de novas tecnologias de aplicação e a prática no dia a dia do produtor", defende o presidente da Associação Paulista de Avicultura (APA), Érico Pozzer.

A para esta edição, a expectativa é reunir mais de 500 participantes, entre produtores, empresários, técnicos,  pesquisadores e acadêmicos ligados a cadeia produtiva para debater as mais importantes tendências da produção e comercialização de ovos. Outras informações sobre o evento podem ser encontradas no site do congress (www.congressodeovos.com.br) ou através do telefone (11) 3832.1422.

Programa

A secretaria do evento será aberta a partir das 10h do dia 15 de março, terça-feira, para a realização de inscrições e entrega de material. A abertura será a partir das 14h. O programa científico do congresso será aberto às 14h15 com uma palestra sobre "Inovações no manejo de dejetos", ministrada pela zootecnista com mestrado em Ciência Animal pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Karolina Von Zuben Augusto. Em seguida, o professor da Universidade de Zulia, na Venezuela, Francisco Perozo, vai debater "Interferência das doenças imunossupressoras no controle e prevenção das doenças respiratórias".

A programação do primeiro dia será encerrada pelo fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócios (ABMRA) e presidente da TCA Internacional, José Luiz Tejon Megido. Jornalista, publicitário, administrador com ênfase em Marketing e especializações em universidades como Pace University, de Nova Iorque, Harvard, e MIT, nos Estados Unidos, além de Insead, na França, ele será responsável pela palestra magistral do evento, a partir das 17h15, com o tema "Marketing Rural voltado para a Avicultura de postura". Após sua apresentação haverá um debate entre os participantes e a abertura oficial do evento, que será seguida de um coquetel.

Na quarta-feira, dia 16 de março, a programação começa às 8h com apresentação de trabalhos científicos. A partir das 8h30, o médico veterinário presidente do Comitê Estadual de Sanidade Avícola do Estado do Rio de Janeiro (Coesa – RJ), Marcos Fabio de Lima, vai destacar "Nutrição de precisão em poedeiras para melhor aproveitamento do potencial produtivo". Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRRJ), ele tem mestrado em Produção Animal e doutorado em Produção e Nutrição de Monogástricos. Em seguida, a médica veterinária Liliana del Carmen Revolledo Pizarro vai falar sobre "Plano de ação para controle do tifo aviário". Formada pela Universidad Mayor de San Marcos, ela tem mestrado e doutorado em Patologia Experimental e Comparada pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutorado na mesma instituição. A partir das 11h haverá uma programação do Espaço Empresarial da Ceva com o lançamento da vacina Vectormune IBD Rispens, de proteção forte e completa contra as doenças de Marek e Gumboro, que será apresentada pelo médico veterinário Jorge Luis Chacon.

Em seguida, a programação oficial segue com o tema "Marketing do ovo: como fortalecer sua marca", apresentado pelo especialista em Marketing e negócios internacionais e ex-presidente do Instituto Latinoamericano del Huevo (ILH), James Abad. Na sequência, a médica veterinária e professora da Universidad nacional Autónoma de México (Unam), Socorro Magdalena Escorcia Martinez, vai destacar o "Impacto da Influenza Aviária na Avicultura". A partir das 16h30, o engenheiro agrônomo Xico Graziano vai promover um debate sobre a "Situação Econômica, Política e Social do Agronegócio no Brasil". Mestre em Economia Agrária pela USP e doutor em Administração pela FGV, ele foi professor da Unesp – Campus de Jaboticabal e ocupou uma série de cargos públicos, como Secretário Estadual do Meio Ambiente (2007-2010), Secretário Estadual de Agricultura (1996-98) e Chefe do Gabinete Pessoal do Presidente Fernando Henrique Cardoso (1995), entre outros.

O programa técnico do segundo dia será encerrado pelo professor coordenador do Núcleo de Pesquisa em Ambiência (Nupea) da Esalq-USP, Iran Oliveira com uma apresentação sobre "Efeitos da climatização de galpões na produtividade das poedeiras". Engenheiro agrícola formada pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), ele tem mestrado e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Sua apresentação será seguida de um debate entre os participantes e um Happy Hour patrocinado pela Ourofino Saúde Animal no Centro de Convenções. 

Na quinta-feira, dia 17 de março, a programação será aberta às 8h, pelo zootecnista e professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Antônio Gilberto Bertechini, com a palestra "Mitos e verdades sobre ovos de codornas". Logo depois, o médico veterinário e presidente da Associação das Casas Genéticas de Corte e Postura para a avicultura americana, Travis Schaal, vai apresentar um "Up date da Influenza Aviária nos EUA e programas de controles e biosseguridade adotados". Na sequência, a palestra "A nutrição ideal de poedeiras para alcançar 100 semanas de vida com produtividade e qualidade" será ministrada pelo especialista em nutrição animal alemão, Robert Pottgueter.

A partir das 11h10, o debate será sobre "Mercado de ovos processados: Perspectiva nacional e mercado de exportação", que será realizado pelo especialista em qualidade e segurança do alimento pela Unicamp, Rodrigo Molitor. Na sequência, o geneticista holandês Jeroen Visscher encerra a programação com um debate sobre "A seleção genética com vistas às necessidades do bem estar das aves". As palestras internacionais terão tradução simultânea para o português.

Apoio

As principais empresas do setor confirmaram patrocínio para a próxima edição do evento: Abase, Adisseo, Agroceres Multimix, Alltech do Brasil, Amicil, Artabas, Big Dutchman, Biocamp, Biovet, BR Nova, Ceva, De Heus, Des-Vet Produtos Veterinários, DSM, Elanco, Fatec, Granja Fujikura, H&N Avicultura, H&N Avicultura Internacional, Hendrix Genetics, Hy-Line do Brasil, Ilender do Brasil, Interaves Agropecuária, Kilbra, Lohmann do Brasil, Mercoaves, Merial, Ourofino Saúde Animal, Planalto Postura, Sanphar Saúde Animal, Uniquímica, Vicami e Zoetis. 

O evento tem o apoio de divulgação das principais mídias do setor, como Avisite, A Hora do Ovo, Ovosite, Avicultura Industrial, Feed&Food, O Presente Rural, Setor Avícola, AveWorld, Mundo do Agronegócio e Avimig (Associação de Avicultores de Minas Gerais). 

Fonte: Assessoria

Continue Lendo

Colunistas

O Brasil da insegurança jurídica

Invasões, seja por demarcações injustas ou por atos de grupos como o MST, desencadeiam um efeito dominó de consequências prejudiciais.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

Enfrentamos um momento crucial em que a segurança jurídica no meio rural tornou-se vital para a sustentabilidade de nosso país. O risco iminente de demarcações indevidas de terras produtivas e invasões, promovidas por diferentes frentes, ameaça não apenas os produtores rurais, mas reverbera negativamente em toda a sociedade.

Ao permitir demarcações em áreas que têm sido fonte de sustento para gerações de agricultores, corremos o sério risco de desmantelar não apenas propriedades, mas o cerne da produção de alimentos que sustenta nossa nação. A história e os esforços incansáveis dos produtores, que adquiriram legalmente essas terras, estão em perigo.

Invasões, seja por demarcações injustas ou por atos de grupos como o MST, desencadeiam um efeito dominó de consequências prejudiciais. Afetam a produção agrícola, ameaçam o abastecimento de alimentos e geram instabilidade econômica em um momento em que precisamos mais do que nunca de segurança e tranquilidade.

Para ficar atualizado e por dentro de tudo que está acontecendo na suinocultura acesse a versão digital de Suínos clicando aqui. Boa leitura!

Fonte: Editor-chefe do Jornal O Presente Rural, jornalista Giuliano De Luca
Continue Lendo

Colunistas

Agricultura digital promove uma revolução tecnológica nos campos

Com o avanço contínuo da tecnologia e a crescente conscientização sobre a importância da sustentabilidade, é apenas uma questão de tempo antes que a agricultura digital se torne a norma em todo o mundo.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Arquivo OPR

Agricultura digital, também conhecida como agri-tech ou agtech, tem emergido como uma revolução nos campos agrícolas, impulsionada pela aplicação de tecnologia e ferramentas digitais. Este avanço abrange uma ampla gama de tecnologias, desde automação até biotecnologia, monitoramento de informações e análise de dados. A crescente demanda por alimentos e a ameaça das mudanças climáticas têm impulsionado a adoção dessas tecnologias nos últimos anos, e os resultados são notáveis.

De acordo com o relatório “Feeding the Economy” de 2023, a agricultura digital está transformando as indústrias agrícola e de cultivo nos Estados Unidos. Os números são impressionantes: mais de 8,6 bilhões de dólares em atividade econômica, o que representa quase 20% do total do país, e o apoio direto a quase 23 milhões de empregos. Esses dados refletem não apenas um avanço econômico, mas também uma mudança fundamental na forma como a agricultura é conduzida.

Uma das grandes vantagens da agricultura digital é sua capacidade de melhorar a eficiência e aumentar a produtividade. Tecnologias como monitoramento de precisão, automação de equipamentos e estufas inteligentes estão possibilitando aos agricultores otimizar seus processos de produção. Imagens de satélite e drones, juntamente com sensores IoT, permitem o monitoramento preciso da saúde das culturas e das condições do solo, contribuindo para uma gestão mais eficiente dos recursos hídricos e uma melhor previsão de padrões climáticos. Além disso, a automatização de equipamentos, como tratores autônomos e robôs agrícolas, reduz a dependência de mão de obra humana e aumenta a eficiência operacional.

A sustentabilidade também é um aspecto crucial da agricultura digital. Práticas agrícolas de precisão possibilitadas por essas tecnologias permitem aos agricultores implementar métodos sustentáveis que reduzem suas pegadas de carbono, enquanto aumentam os lucros. Com uma população global prevista para chegar a quase 10 bilhões até 2050, de acordo com as Perspectivas da População Mundial de 2022 da ONU, a agricultura digital se torna não apenas uma opção viável, mas uma necessidade urgente para atender às crescentes demandas alimentares.

Além dos benefícios econômicos e ambientais, a agricultura digital também promove uma maior transparência e conscientização na cadeia de suprimentos alimentar. A gestão eficiente da cadeia de suprimentos, com tecnologias como blockchain e análise de big data, permite uma rastreabilidade eficaz dos alimentos, garantindo a origem e a qualidade dos produtos alimentícios desde a fazenda até o consumidor final.

No entanto, apesar de todos esses benefícios, a agricultura digital enfrenta desafios significativos. Os altos custos iniciais e de manutenção, a vulnerabilidade a ataques cibernéticos e a falta de padronização são apenas alguns dos obstáculos que os agricultores enfrentam ao adotar essas tecnologias. Superar esses desafios é essencial para aproveitar todo o potencial da agricultura digital e garantir um futuro sustentável para a produção de alimentos.

Com o avanço contínuo da tecnologia e a crescente conscientização sobre a importância da sustentabilidade, é apenas uma questão de tempo antes que a agricultura digital se torne a norma em todo o mundo. Os agricultores que abraçarem essas tecnologias estarão à frente de uma nova era na produção de alimentos, impulsionando a inovação e garantindo um futuro próspero para a agricultura.

Fonte: Por Ricardo Martins, especialista em comunicação e tecnologia
Continue Lendo

Notícias

Déficit na balança comercial de produtos da piscicultura alcança US$ 914 milhões em 2023

Maior déficit foi registrado no 4º trimestre, totalizando US$ 678 milhões negativos.

Publicado em

em

Foto: Rodrigo Félix Leal

Em 2023, o déficit da balança comercial de produtos da piscicultura atingiu US$ 914 milhões. O maior déficit foi registrado no 4º trimestre, totalizando US$ 678 milhões negativos.

Destaque para o aumento das importações de salmão, que cresceram 4% em valor e 14% em peso, consolidando a espécie como o principal peixe de cultivo importado pelo Brasil no ano passado, alcançando US$ 837 milhões, equivalendo a 89% do total.

O pangasius se manteve na segunda posição, com US$ 97 milhões, seguido por curimatás, com US$ 1,7 milhões, e trutas, com US$ 1,1 milhões.

Por sua vez, a importação de 25 toneladas de tilápia, totalizando US$ 118 mil, na forma de filé congelado, proveniente do Vietnã e destinado ao Estado de São Paulo, fez com que a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) questionasse os ministérios da Pesca e Aquicultura (MPA) e da Agricultura e Pecuária (Mapa) sobre os  riscos sanitários associados ao produto, levando a suspensão, no início de 2024, das importações de tilápia do Vietnã.

Fonte: Com assessoria Peixe BR
Continue Lendo

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.