Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas

Cobb-Vantress defende equilíbrio entre cálcio e fósforo em dietas de frangos de corte

É importante notar que uma boa nutrição é parte da capacidade de atingir todo o potencial genético do frango Cobb

Publicado em

em

*Vitor Hugo Brandalize é especialista Mundial em Nutrição e Serviços Técnicos da Cobb-Vantress. - Foto: Assessoria

Vitor Hugo Brandalize*

Através do melhoramento genético, a taxa de crescimento de um frango de corte e o peso corporal ideal aceleraram ao longo dos anos, o que requer uma revisão regular das formulações nutricionais. Além disso, a pesquisa está fornecendo mais informações sobre as interações complexas dos componentes da alimentação nos níveis macro e molecular no trato gastrointestinal. Na formulação de rações, considerando as interações sinérgicas e antagônicas dos ingredientes, pode otimizar as formulações para promover o desempenho e apoiar a saúde e o bem-estar animal.

Cinco dos minerais (Cálcio, Fósforo, Sódio, Cloro e Potássio) que são suplementados nas dietas de frangos de corte são importantes reguladores da homeostase e envolvidos na sinalização celular. O cálcio e o fósforo também são importantes no desenvolvimento, força e manutenção do esqueleto.

Ca e P estão amplamente localizados nos ossos e são dois dos minerais mais abundantes no corpo. As consequências de proporções desequilibradas ou deficiências de Ca ou P em dietas de frangos de corte incluem desempenho de crescimento reduzido, eficiência alimentar aumentada, mineralização óssea deficiente ou, em casos graves, morte (5,15,16). A digestibilidade de aminoácidos e a disponibilidade de P também podem diminuir quando o excesso de Ca está presente na dieta (1).

Estudos indicam que o excesso de Ca pode ter um impacto negativo na digestão porque se complexa com ácidos graxos para formar sabões, reduzindo a disponibilidade dessas fontes de energia (30). O Ca também pode ser perdido porque se complexa com o Fitato (fonte orgânica de P) e, sem enzimas exógenas para liberar os minerais, o Ca e o P serão excretados (21,22,25). O calcário, uma fonte comumente usada de Ca, pode tamponar os ácidos aumentando o pH na moela, o que afeta a disponibilidade potencial de P e nitrogênio.

Uma razão pela qual os níveis de inclusão de Ca não foram enfatizados é porque o Ca é barato, em relação ao P. No entanto, os impactos negativos do desequilíbrio desses minerais estão sendo compreendidos e a necessidade de otimizar os níveis está sendo priorizada.

DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO

Durante o desenvolvimento embrionário, o P é armazenado principalmente na gema, enquanto o Ca é armazenado na gema e na casca do ovo. Foi relatado que as concentrações de P na gema no Dia 0 são reduzidas pela metade no Dia 17 (6,12,13). Por outro lado, as concentrações de Ca na gema quase dobram no mesmo tempo. O aumento do Ca ocorre porque ele é absorvido da casca do ovo para o sistema circulatório embrionário e então depositado na gema (Figura 1). No entanto, P está limitado à quantidade que foi depositada na gema. Vale ressaltar que outros minerais, além do P, são limitados em oferta, o que torna a nutrição das galinhas um fator importante para o bom desenvolvimento do pintinho (32,34).

O embrião usa as reservas de Ca e P para a construção óssea durante a incubação. Na eclosão, apenas os depósitos vitelinos desses minerais estão disponíveis. Além da mineralização óssea, Ca e P também são necessários para outros processos celulares e metabólicos. Se os estoques de gema forem insuficientes ou os pintinhos forem privados de ração por muito tempo, os ossos podem ser enfraquecidos, pois esses minerais são preferencialmente alocados para a homeostase, enquanto a formação óssea é secundária. As formulações para dietas pré-inicial e inicial devem considerar a disponibilidade de Ca e P no nascimento (14), pois agravar o desequilíbrio desses dois minerais pode causar mau desenvolvimento, baixo desempenho e problemas metabólicos (ou seja, hipercalcemia e hipofosfatemia).

CRESCIMENTO

Durante a incubação, os ossos esqueléticos longos crescem rapidamente em largura e comprimento.  (A tíbia mais que dobra de comprimento do dia 15 ao 20!). Como a taxa de crescimento embrionário excede o processo de mineralização, os ossos são amplamente esponjosos na eclosão.

Após a eclosão, os ossos da perna se alongam e se expandem radialmente muito rapidamente. O córtex (osso externo compacto) torna-se poroso porque a deposição de colágeno supera a taxa de mineralização. No entanto, a espessura do córtex e a mineralização atingem o máximo por volta de 4 a 5 semanas de idade (27).

Os ossos continuam a crescer ao longo da vida do frango e requerem um fornecimento constante de Ca e P na dieta. No entanto, a taxa de crescimento e a necessidade de Ca e P em diferentes fases devem ser consideradas (7,11,18). Para uma boa base e desenvolvimento esquelético, os nutricionistas concordam que Ca e P devem ser os mais altos nos alimentos pré-iniciais e iniciais.

CRESCIMENTO ÓSSEO: MODELAGEM E REMODELAÇÃO

Tanto a modelagem quanto a remodelação requerem Ca e P para mineralizar e endurecer os ossos. Sem níveis suficientes de Ca e P, os ossos não irão endurecer! A deficiência crônica de P e/ou Ca causa mineralização esquelética prejudicada, uma característica comum do Raquitismo.

A modelagem óssea é o processo fisiológico de crescimento ósseo em forma e tamanho. A modelagem óssea é predominante em aves jovens e em desenvolvimento. Os ossos crescem longitudinalmente e radialmente. A modelagem óssea ocorre em resposta a impactos mecânicos ou fisiológicos, como ganho de peso.

A remodelação óssea ocorre ao longo da vida e é a substituição ou renovação do osso antigo (Figura 2). O processo é necessário para que os ossos possam manter a força e reparar as microfraturas. Além disso, a remodelação é necessária para liberar os estoques de Ca e P quando os níveis sanguíneos estão baixos e esses minerais são necessários para outras funções celulares.

DISPONIBILIDADE

O Ca e o P da dieta são absorvidos no trato intestinal. O P de fontes inorgânicas é geralmente considerado como 100% disponível (embora o P de qualquer fonte deva ser minuciosamente avaliado quanto à disponibilidade). As fontes orgânicas de P na alimentação de frangos de corte também incluem grãos de cereais, mas grande parte do P está ligado ao fitato (26). Este P ligado ao fitato não pode ser liberado para absorção sem enzimas exógenas (22,25,28,29). Além disso, minerais, incluindo Ca, Mg, Fe e Zn, complexam com fitato, reduzindo a disponibilidade desses minerais (Figura 3). Sem a adição de enzimas exógenas, os minerais ligados ao fitato não estão disponíveis para absorção.

A principal fonte de cálcio nas dietas de frangos de corte é o calcário. A disponibilidade de Ca no calcário varia consideravelmente de acordo com a fonte. Análises laboratoriais indicam que o cálcio digestível no calcário pode variar de 20% a 70%. Considerando a importância do cálcio, recomenda-se analisar o calcário para determinar a disponibilidade digestível.

ABSORÇÃO, SECREÇÃO E REGULAÇÃO

Os níveis de cálcio e fosfato no corpo são controlados equilibrando a absorção intestinal com a excreção renal. Ambos são absorvidos no trato intestinal. No entanto, a disponibilidade também é regulada pela reabsorção e excreção nos rins. Quando os estoques corporais são baixos, a absorção gastrointestinal, a reabsorção óssea e a reabsorção renal aumentam. Por outro lado, excretar e diminuir a absorção gastrointestinal pode reduzir os níveis.

ABSORÇÃO GASTROINTESTINAL

Fatores que favorecem a absorção de cálcio:

྆        Proporção correta de Ca para P (não mais que 2:1)

྆        Trato intestinal saudável

྆        pH ácido (previne formações complexas e precipitação)

྆        Presença de ácidos orgânicos

྆        Dieta rica em proteínas (Lisina e Arginina promovem absorção)

྆        Presença de vitamina D

 

Fatores que inibem a absorção de cálcio

྆        Proporção incorreta de Ca para P (1:2 inibe a absorção de Ca)

྆        Saúde intestinal ruim

྆        pH alcalino (Ca vai complexar e precipitar)

྆        Alta ingestão de gordura na dieta (forma sabões de cálcio que são excretados)

Os rins são os principais reguladores das concentrações sanguíneas de fosfato (3), embora a regulação também seja ajustada pela absorção intestinal. O fósforo é transportado ativamente e se difunde livremente pelas células do intestino delgado. Para o transporte ativo, um cotransportador acoplado ao sódio é a via principal. A expressão e atividade deste cotransportador é regulada pela disponibilidade de fósforo (8). Quando o fósforo é restrito, há um aumento na atividade e prevalência de transportadores na membrana apical das células do intestino delgado. Se a demanda por Pi diminui, o excesso é removido pelos rins.

INTERAÇÕES SINÉRGICAS E ANTAGONÍSTICAS

A absorção de P e Ca é regulada pela forma ativa da vitamina D (2,16,23). As deficiências de vitamina D estimulam a liberação de Ca dos ossos. Por esta razão, os suplementos de vitamina D podem promover a absorção de cálcio.

A deficiência de Ca está frequentemente associada a deficiências de Mg. O magnésio converte a vitamina D de uma forma inativa para uma forma ativa. Essa forma ativa de vitamina D aumenta então a absorção gastrointestinal de Ca. A relação entre P e M é o inverso; à medida que os rins aumentam a reabsorção de Mg, eles também excretam mais P.

Muitas enzimas envolvidas na síntese de colágeno e na reticulação da matriz óssea orgânica requerem cobre (Cu). As deficiências de cobre podem fazer com que o córtex (parte externa do osso) fique mais fino. Quando os níveis teciduais de Ca estão baixos, é comum encontrar baixos níveis teciduais de cobre.

Em conjunto com sódio (Na) e cloro (Cl), o potássio(K) participa da homeostase, incluindo equilíbrio ácido-base, transporte celular, regulação da pressão osmótica, potenciais através das membranas celulares e ativação de cascatas intracelulares. O equilíbrio de cátions (K+ e Na+) com ânions (Cl-) é chamado de equilíbrio eletrolítico. O equilíbrio correto entre Na, K e Cl é necessário para um bom desempenho, uso de aminoácidos e desenvolvimento ósseo. No entanto, altos níveis de Na podem aumentar a excreção de Ca e a reabsorção óssea.

Nem todas as interações entre as inclusões alimentares são totalmente compreendidas. Há uma grande quantidade de pesquisas sendo conduzidas para investigar as relações entre minerais, vitaminas e outras inclusões alimentares. É importante notar que o corpo regula altamente a absorção das necessidades alimentares. Por esta razão, formular a dieta deve ser uma ciência precisa. A inclusão excessiva pode desperdiçar ingredientes, pois eles serão excretados, o que diminui os lucros. A baixa inclusão pode levar a um desempenho ruim, problemas de saúde e bem-estar ou até mesmo à mortalidade.

RECOMENDAÇÕES BASEADAS NA CIÊNCIA CÁLCIO E FÓSFORO

As necessidades nutricionais de uma ave são dinâmicas e, como tal, as formulações de rações podem fornecer mais ou menos alguns componentes da ração, dependendo da idade e das necessidades da ave. Uma solução é usar a alimentação multifásica para que, à medida que o número de formulações de ração aumenta, a capacidade de fornecer com precisão as necessidades nutricionais corretas aumentem, também (10). Nosso suplemento para frangos de corte Cobb500 2022 fornece 5 recomendações de dietas diferentes (Inicial, Crescimento 1, Crescimento 2, Finalizador 1, Finalizador 2) para atender às necessidades nutricionais baseadas na idade com mais precisão.

Em comparação com a pesquisa de aminoácidos e nutrição energética, há consideravelmente menos informações sobre nutrição mineral. Além disso, a maioria dos nutricionistas reconhecem que existem oportunidades e necessidades para um melhor entendimento do efeito do Ca e do P no desempenho dos frangos de corte. A Cobb-Vantress tem pesquisado ativamente os requisitos desses minerais em frangos de corte. Com base nesses estudos de pesquisa, em 2022, publicamos novas recomendações de Ca e P disponível para nossos frangos de corte Cobb500 (https://www.cobb-vantress.com/resource/product-supplements).

SÓDIO, POTÁSSIO E CLORETO

O sódio é muito importante para o metabolismo basal. Este elemento também regula a ingestão de água, a pressão osmótica celular e a permeabilidade celular. A deficiência de sódio pode levar a uma redução na absorção de aminoácidos e açúcares no intestino. Quando os níveis de sódio aumentam, as aves tendem a beber mais, o que pode levar à cama molhada.

O potássio é muito importante no desempenho do crescimento e no desenvolvimento ósseo. É muito importante estabelecer um nível mínimo de potássio nas dietas de frangos de corte. O carbonato de potássio tem sido reconhecido como uma fonte muito boa de K em dietas de frangos de corte. Fornecer níveis adequados é muito importante, pois a hipocalemia (deficiência de potássio) pode causar fraqueza muscular, tônus intestinal ruim, inflamação intestinal, fraqueza cardíaca, fraqueza muscular respiratória e morte.

O cloro suporta a função muscular adequada e, com K e Na, equilibra a pressão osmótica nas células e tecidos. O Cl também é usado para sintetizar o ácido clorídrico, usado para quebrar a alimentação no proventrículo.

EQUILÍBRIO DE SÓDIO, POTÁSSIO E CLORETO

Sódio, Potássio e Cloreto desempenham papéis importantes e integrados na regulação osmótica e na manutenção do equilíbrio ácido-base no corpo. Recomenda-se uma combinação de eletrólitos com níveis mais altos de cátions e níveis mais baixos de ânions. O balanço eletrolítico nas dietas (BED) pode ser expresso como a soma de cátions menos ânions (Na + K – Cl). Para frangos de corte, uma inclusão de BED de 250 mEq/Kg é ótimo para funções fisiológicas normais (19). O BED é convertido em unidades padrão (mEq/kg) pela multiplicação de fatores que são derivados do peso elementar de cada eletrólito pela porcentagem desse eletrólito:

Os principais ingredientes na alimentação de aves são o Farelo de Soja e o Milho. Neste caso, o nível do cátion Potássio pode ser facilmente alcançado, pois a soja contém altos níveis de Potássio. No entanto, os substitutos do Farelo de Soja, como Produtos de Origem Animal (Farinha de Carne e Ossos, Farinha de Subprodutos de Aves, etc.), DDGS, são fontes pobres de Potássio.

RESUMO

Por meio da seleção genética, o crescimento e o peso corporal alvo dos frangos Cobb aceleraram nos últimos anos. Além disso, a pesquisa forneceu mais informações sobre as interações de cálcio e fósforo e seu impacto no desempenho. Por essas razões, a Cobb publicou novas diretrizes para a inclusão desses componentes na dieta.

É importante notar que uma boa nutrição é parte da capacidade de atingir todo o potencial genético do frango Cobb. Um bom programa de manejo deve estar em vigor. Nosso suplemento para frangos Cobb fornece todas as diretrizes de nutrição e desempenho. O Guia de Manejo de Frangos Cobb também está disponível, projetado para ajudá-lo a desenvolver seu programa de manejo. Esses recursos e outros estão disponíveis em www.cobb-vantress.com.

Nossas recomendações são baseadas no conhecimento científico atual e na experiência prática de todo o mundo. Você deve estar sempre ciente da legislação local, que pode influenciar as práticas de manejo que você decidir adotar. Como sempre, nossas equipes técnicas estão disponíveis para ajudá-lo.

Fonte: Assessoria

Empresas Setor avícola

Globoaves marca presença no XI Congresso Nacional de Avicultura da Venezuela

A participação da Globoaves no congresso reflete seu compromisso contínuo com a excelência e a inovação no setor avícola.

Publicado em

em

Andrio Nascimento, Roberto Kaefer e Wilson Bockhorny na FENAVI-Venezuela. Foto: Divulgação

A Globoaves, uma das maiores produtoras e exportadoras de ovos férteis e pintos de um dia, está participando do XI Congresso Nacional de Avicultura da Venezuela, que acontece na capital Caracas, de 18 a 20 de julho. Este evento é uma oportunidade crucial para a empresa fortalecer sua posição de liderança no mercado latino-americano, buscando expandir ainda mais suas exportações de ovos férteis na região, demonstrando sua capacidade e qualidade na produção avícola.

O presidente da Globoaves, Roberto Kaefer, destacou a importância estratégica da participação no congresso. “Estamos muito orgulhosos de sermos a empresa número um no ranking brasileiro de exportação de ovos férteis. Nossa participação neste congresso na Venezuela é um passo para ampliar nossos negócios na América Latina. Acreditamos no potencial de novos negócios que esta feira pode gerar, proporcionando crescimento e inovação contínua para a Globoaves.”

O evento, que reúne as principais empresas do setor avícola da América Latina, oferece uma plataforma única para a troca de conhecimentos, tecnologias e experiências. A Globoaves, conhecida por sua excelência na produção de ovos férteis e pintos de um dia, está utilizando esta oportunidade para apresentar seus produtos de alta qualidade e performance, e também fortalecer sua rede de contatos. A feira também permite à empresa identificar novas tendências e demandas do mercado, ajustando suas estratégias de exportação de acordo com as necessidades locais.

O superintendente de operações da Globoaves, Wilson Bockhorny, enfatizou os benefícios que feiras setoriais como esta trazem para a empresa. “Participar de eventos como o da FENAVI na Venezuela, e a SIAVS no Brasil que estaremos em agosto, são essenciais para fortalecer nosso relacionamento com clientes e parceiros. Além disso, essas feiras proporcionam um ambiente propício para a realização de novos negócios, permitindo que a Globoaves continue a expandir sua presença no mercado internacional.”

A participação da Globoaves no congresso reflete seu compromisso contínuo com a excelência e a inovação no setor avícola. Ao interagir com os principais players do mercado e explorar novas oportunidades de negócios, a empresa está posicionada para continuar liderando o mercado de exportação de ovos férteis, impulsionando o crescimento e a sustentabilidade do setor avícola na América Latina.

Fonte: Assessoria Globoaves
Continue Lendo

Empresas Resultados preliminares

Evonik eleva significativamente sua previsão para 2024

• EBITDA ajustado no segundo trimestre bem acima do ano anterior
• Melhora também na comparação com o já positivo primeiro trimestre
• Expectativas para o ano inteiro: EBITDA ajustado estimado entre 1,9 e 2,2 bilhões de euros

Publicado em

em

Divulgação Evonik

Em uma conjuntura difícil, a Evonik registrou mais um trimestre robusto, excedendo as expectativas dos analistas. Por essa razão, a empresa publica antecipadamente seus principais resultados preliminares para o segundo trimestre e aumenta de maneira considerável sua perspectiva para o ano fiscal de 2024.

Com base em números preliminares e não auditados, a Evonik contabilizou um EBITDA ajustado de 578 milhões de euros no segundo trimestre, um valor 29% acima do registrado no ano anterior (Q2 2023: 450 milhões de euros). Os analistas haviam estimado o valor de 531 milhões de euros (Vara Consensus a partir de 29 de maio de 2024). Ao mesmo tempo, o resultado está 11% acima do obtido no primeiro trimestre, que já era positivo.

Como ainda não se verificou uma recuperação macroeconômica generalizada, este desenvolvimento positivo se deveu sobretudo

a fatores específicos da empresa: além da contínua e rigorosa disciplina de custos, o bom desempenho dos volumes na divisão Specialty Additives aliado à recuperação dos preços na divisão Animal Nutrition e aos custos de produção mais baixos, impulsionaram o aumento sequencial.

Com base nessa evolução, a Evonik está aumentando suas perspectivas para o EBITDA ajustado, elevando o intervalo para

o ano inteiro de 2024 em 200 milhões de euros. Conta-se agora

com resultados entre 1,9 e 2,2 bilhões de euros (anteriormente: 1,7 a 2,0 bilhões de euros).

Em seguida e um ligeiro declínio no primeiro trimestre, as vendas no segundo trimestre, tendo como base valores preliminares, ficaram pouco acima de 3,9 bilhões de euros e, assim, próximas do nível do ano anterior (Q2 2023: 3,9 bilhões de euros).

As rigorosas medidas de contingência levaram à redução dos custos no Grupo inteiro. Essa estratégia exerceu impacto positivo sobre a margem EBITDA ajustada, que apresentou melhora de 3,1 pontos percentuais em relação ao ano anterior para 14,7% (Q2 2023: 11,6%).

A Evonik publicará seus resultados finais do segundo trimestre de 2024 conforme planejado, em 1° de agosto.

Desenvolvimento nas divisões

Com EBITDA ajustado de 220 milhões de euros, a divisão Specialty Additives conseguiu elevar em 19% seu resultado já positivo do primeiro trimestre. Na comparação com o ano anterior, os resultados melhoraram 10% (Q2 2023: 199 milhões de euros). A margem EBITDA ajustada subiu para cerca de 23%. Na comparação com o primeiro trimestre, o volume de vendas e, em consequência, a utilização da capacidade, aumentou ainda mais. A queda dos preços da matéria-prima contribuiu para o quadro.

Com um EBITDA ajustado de 140 milhões de euros, a divisão Nutrition & Care dobrou os resultados na comparação com o fraco ano anterior (Q2 2023: 71 milhões de euros). O valor permaneceu no mesmo nível registrado no primeiro trimestre. Esse avanço se deveu, sobretudo, à divisão Animal Nutrition, na qual novos aumentos de preços compensaram os volumes mais baixos decorrentes da paralisação da unidade de Singapura para ampliação da capacidade. A paralisação terminou no final do trimestre, conforme previsto. A linha de Care Solutions manteve a tendência positiva, especialmente no negócio de Active Ingredients. Toda a divisão se beneficiou de custos variáveis menores.

A divisão Smart Materials continuou a sua recuperação no segundo trimestre. Na comparação com o ano anterior, o EBITDA ajustado cresceu 41% para 171 milhões de euros (Q2 2023: 122 milhões de euros). O valor também aumentou 8% quando comparado com o do trimestre anterior. A melhoria operacional foi ainda maior quando se leva em conta que o primeiro trimestre havia se beneficiado da venda de uma licença. A melhoria foi impulsionada por uma ligeira recuperação, especialmente em produtos inorgânicos, além de custos mais baixos na matéria-prima. No ano anterior, uma interrupção planejada na planta de PA12 em Marl, Alemanha, havia tido impacto negativo significativo sobre os resultados.

Com um EBITDA ajustado de 52 milhões de euros, a divisão Performance Materials contabilizou um resultado 17% acima do nível do ano anterior (Q2 2023: 45 milhões de euros) e 22% acima do primeiro trimestre.<0} No início do trimestre, interrupções nas cadeias de fornecimento exerceram impacto positivo, especialmente nos negócios de oxo-álcool e plastificantes.

Como ocorreu em trimestres anteriores, a divisão Technology & Infrastructure / Other refletiu positivamente às medidas de contingência do Grupo. No entanto, essa vantagem foi compensada por provisões mais elevadas de cerca de

-30 milhões de euros, entre outras, para remuneração variável. Por conseguinte, o EBITDA ajustado totalizou cinco milhões de euros negativos na comparação com um valor positivo de 13 milhões de euros no mesmo trimestre do ano anterior.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Doenças

Diarreia em suínos: problema entérico prejudica o bem-estar animal e compromete rentabilidade das granjas

Clostridium perfringens é uma das bactérias que preocupam e trazem prejuízos aos suinocultores. Bacitracina de zinco tem sido aliada das granjas, como melhorador ador de desempenho e terapêutico.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/MCassab

As doenças entéricas têm sido identificadas com alta frequência na suinocultura, representando um importante fator de desequilíbrio nos indicadores de produtividade no Brasil. “Dentre as principais enfermidades entéricas que impactam a atividade, destacam-se disenteria suína, salmonelose, colibacilose e clostridiose. A maioria consegue ser controlada com um bom plano sanitário, que abrange desde a biosseguridade, protocolo vacinal até o uso de moléculas eficazes no tratamento dessas enfermidades. No entanto, caso não sejam rapidamente identificadas, elas podem causar epidemias e levar a morte dos animais” explica a médica-veterinária Maria Carolina Toth, gerente de produtos para saúde animal da MCassab Nutrição e Saúde Animal.

“Surtos de doenças entéricas, reduzem drasticamente o bem-estar animal, trazem muitos prejuízos aos suinocultores e podem impactar sobre a segurança alimentar. Obviamente, que isso gera grande prejuízo aos produtores rurais, que veem o seu negócio comprometido” alerta a especialista.

Problemas comuns e que causam sérios prejuízos às propriedades são as doenças causadas por Clostridium perfringens, bactéria gram-positiva e anaeróbica, que pode ser facilmente encontrada em diversos tipos de ambiente (solo, dejetos sólidos, esgotos), além de estar presentes no intestino de diversas espécies animais. “As doenças causadas por esse micro-organismo apresentam-se como enterite aguda ou crônica em suínos. A bactéria produz esporos e está presente no intestino de todos os suínos. Ela se multiplica em alta velocidade, produzindo toxinas e gás intestinal que podem matam rapidamente o animal, causando prejuízo imenso às granjas” alerta Toth.

Apesar de prejudiciais as doenças entéricas em suínos têm tratamento. A MCassab Nutrição e Saúde Animal disponibiliza BZPAC 15%, melhorador de desempenho que também tem registro para uso terapêutico. “BZPAC 15% é um aditivo composto por bacitracina de zinco, antibiótico polipeptídico relevante para o controle de desafios entéricos causados por bactérias gram positivas, sendo administrado para prevenção e tratamento do Clostridium perfringens” explica a especialista.

Segundo Maria Carolina Toth, em razão do seu alto peso molecular, a bacitracina não é absorvida quando administrada pela via oral, tornando o seu uso como melhorador de desempenho ou terapêutico possível em todas as fases de criação animal – com total segurança e sem risco de resíduos em carcaça mesmo se utilizada até o momento do abate. Assim, é um produto tem carência zero e garante total segurança alimentar

BZPAC 15% destaca-se por características únicas, incluindo a capacidade de minimizar o desenvolvimento de resistência bacteriana, fator essencial para a eficácia a longo prazo de agentes antimicrobianos. Sua ação concentra-se no lúmen intestinal, local de origem de muitas infecções, proporcionando controle eficaz sobre as bactérias gram-positivas – grupo frequentemente associado a distúrbios intestinais e problemas de saúde em animais.

Fonte: Assessoria MCassab
Continue Lendo
AJINOMOTO SUÍNOS – 2024

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.