Conectado com

Notícias

CBNA anuncia último dia para inscrições antecipadas para o VIII CLANA

Evento realizado pelo CBNA terá inscrições abertas no site do evento somente até esta quarta-feira, dia 10 de outubro. Inscrições no local do evento têm vagas limitadas

Publicado em

em

Termina hoje, dia 10 de outubro, o último prazo para a realização de inscrições antecipadas para o VIII CLANA (Congresso Latino-Americano de Nutrição Animal), que vai acontecer na próxima semana, de 16 a 18 de outubro, no Expo D. Pedro, em Campinas, interior de São Paulo. Até esta quarta-feira, as inscrições podem ser feitas no site do evento. Após esta data, as inscrições serão abertas no Expo D. Pedro, no primeiro dia do Congresso, das 08h às 09h30, mediante disponibilidade de vagas e por ordem de chegada, anunciou o presidente do CBNA (Colégio Brasileiro de Nutrição Animal) e organizador do encontro, Godofredo Miltenburg. Ele lembra que apenas o preenchimento da ficha de inscrição no site não garante a vaga no congresso. "É necessário que o pagamento seja confirmado até esta data para efetivar a inscrição".

Realizado pelo Colégio Brasileiro de Nutrição Animal (CBNA) com o apoio da Associação Mexicana de Especialistas em Nutrição Animal (Amena), o CLANA é um encontro internacional que acontece a cada dois anos alternadamente entre o Brasil e o México. O evento chega em sua 8a edição consagrado pelo elevado nível de palestras e palestrantes e vai debater em mais de 40 palestras técnicas as mais recentes pesquisas e tecnologias em nutrição de aves, suínos, bovinos e qualidade de alimentos. A expectativa é de reunir cerca de 700 participantes, entre médicos veterinários, zootecnistas, pesquisadores, empresários, produtores e profissionais das principais empresas de nutrição de aves, suínos e bovinos. Outras informações sobre o VIII CLANA podem ser encontradas no site do evento, através do e-mail cbna@lexxa.com.br ou do telefone (19) 3232-7518.

Programação

A secretaria do evento começa a atender os participantes a partir das 8h30 do dia 16 de outubro para a realização de inscrições e entrega de material aos inscritos. A partir das 9h30 haverá um café de boas-vindas e às 10h o Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt, abre o programa científico do encontro com uma apresentação sobre "Produção sustentável de alimentos".

Na sequência, começa o Painel Saúde Intestinal e Imunidade com um debate sobre "Nutrição e produção sustentável de alimentos", que será encabeçado pelo mestre e doutor em Nutrição Animal pela Georg-August University, na Alemanha e pós-doutorado na Universidade de Alberta, no Canadá, John Htoo.

Às 12h, o PhD em Nutrição Animal pela Universität Hohenheim, na Alemanha, Stefan Jakob, vai debater "Saúde intestinal, nutrição e imunidade". A partir das 14h30 as salas serão divididas em quatro: Aves, Suínos, Bovinos e Garantia da Qualidade. Nas salas de aves e suínos, a programação segue com um Painel de Saúde Intestinal e Imunidade.

Dia 16 de outubro

Na sala de Aves: O professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Sérgio Vieira, abre a programação, a partir das 14h30, com um debate sobre "Alterações de formulações das dietas para frangos de corte que impactam a saúde intestinal". Na sequência, o professor da faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP – Campus de Pirassununga (FZEA/USP), Lúcio Araújo, vai discutir "Imunonutrição em aves". E a partir das 17h haverá Espaço Promocional, com palestras simultâneas realizadas nestas quatro salas, pelas empresas Adisseo, APC, Evonik e Trouw Nutrition.

Na sala de Suínos: A programação científica começa às 14h30 com um debate sobre "O estresse da desmama e a permeabilidade intestinal", encabeçado pelo pesquisador da Iowa State University, nos Estados Unidos, Joy Campbell. Em seguida, o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Geraldo Alberton, vai discutir "Nutrição e imunidade: saúde intestinal em suínos".

Na sala de Bovinos: Uma apresentação sobre "Manejo alimentar de vacas leiteiras em sistemas de produção com ordenha robotizada" vai abrir o programa desta sala, às 14h30, realizada pelo nutricionista de bovinos leiteiros com doutorado em Ciência Animal e Pós-Doutorado em Nutrição de Ruminantes pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (Esalq/USP), Alexandre Pedroso. A partir das 15h30, o debate segue sobre "Nutrição de vacas leiteiras para máxima longevidade e produtividade", encabeçado pela pesquisadora da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Marina Danes.

Na sala Garantia da Qualidade e Regulatório: Especialista em nutrição animal, Ricardo Utishiro, vai abrir a programação desta sala, às 14h30, com a palestra "Evolução da nutrição animal: da bancada para a produção animal 4.0”. Em seguida. O especialista em NIR, Robson Patto, vai apresentar o tema “Desvendando a tecnologia NIR e suas aplicações em Nutrição Animal”.

Dia 17 de outubro

A programação de quarta-feira começa às 8h com visitação aos trabalhos científicos. Nas salas de aves e suínos haverá um Painel Nutrição 4.0 a partir das 9h.

Na sala de Aves: O pesquisador da Purdue University, nos Estados Unidos, Layi Adeola, abre o programa científico às 9h com um debate sobre "Fósforo e cálcio digestível em aves". Logo depois, o pesquisador da Universidade Federal de Goiás (UFG), Regis Kamimura, vai abordar "Novas proteínas: insetos". E, na sequência, o nutricionista Vitor Hugo Brandalize vai destacar a "Influência da nutrição animal na qualidade da carne". No período da tarde, a programação volta às 14h, com uma discussão sobre "Suplementação de vitaminas na avicultura: o que a indústria está fazendo?", realizada pelo doutor em nutrição animal Michael B. Coelho. A partir das 15h, a programação será aberta para a apresentação de trabalhos científicos. Às 16h30, o médico veterinário pela Universidad de Zaragoza, na Espanha, Xabier Arbe, vai ministrar a palestra "Como preparar nutricionalmente a poedeira para chegar a 100 semanas de idade em produção". A partir das 17h30 as quatro salas terão palestras simultâneas do Espaço Promocional realizado pelas empresas: Adisseo, Basf, DuPont e Evonik.

Na sala de Suínos: O pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Gustavo Lima, vai abrir a programação às 9h com um debate sobre "Imunocastração e ractopamina". Em seguida, as discussões seguem com o tema "Suplementação de vitaminas na suinocultura: o que a indústria está fazendo?", com o doutor em nutrição animal, Michael B. Coelho. Logo depois, o pesquisador da Purdue University, Layi Adeola, vai falar sobre "Fósforo e cálcio digestível em suínos". A partir das 14h, o tema "Novas proteínas: insetos" será abordado pelo pesquisador da Universidade Federal de Uberlândia, Regis Kamimura. A programação do encontro será aberta, a partir das 15h, para a apresentação de trabalhos científicos. A partir das 16h30, o pesquisador da Aarhus University, na Dinamarca, Bach Knudsen, vai destacar "Uso de fibra na nutrição de suínos".

Na sala de Bovinos: O programa técnico será aberto às 9h com um debate sobre "Aminoácidos para vacas leiteiras no período de transição: benefícios para a saúde e desempenho", encabeçado pelo pesquisador Antonio Estefan Garcia. Logo depois, o especialista em ciência animal pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Portugal, Leonel Leal, vai destacar "LifeStart: influência da nutrição na fase jovem e o impacto no desempenho de vacas leiteiras". Em seguida, o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Rodrigo de Almeida, apresentará "Nutrição de precisão em gado de leite". A partir das 14h, o especialista com pós-doutorado em Ciência da Carne pela Iowa State University, nos estados Unidos, Pedro Veiga, vai debater "Nutrição de precisão em gado de corte". A partir das 15h haverá apresentação de trabalhos científicos. E a partir das 16h30, o pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt, ministrará a palestra "Emissão de metano: uma revisão".

Na sala Garantia da Qualidade e Regulatório: O especialista em nutrição animal, Felipe Corrêa Soares, abre o programa científico a partir das 9h, com um debate sobre "NIR in line". Em seguida, o pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Gilberto de Souza, vai abordar "Ferramentas estatísticas de aplicação no laboratório: por que os laboratórios erram?". Logo depois, o pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Gilberto de Souza, vai discutir "Análises bromatológicas de produtos de origem vegetal e animal: quais os métodos, como interpretar e utilizar resultados, vantagens e desvantagens de métodos e análises e interferências nos resultados". A partir das 14h, o tema "Variação analítica" será debatido pela Oneida Vieira, química pela UNAERP, e pela farmacêutica especialista em controle de qualidade Valéria Rodrigues. Às 15h, a programação segue com a coordenadora da unidade de Alimentos do Serviço Agrícola e Pecuário (SAG) do Chile, Mônica Contreras, com uma apresentação sobre o "Cenário regulatório para importação e exportação: visão Chile". A coordenadora de Fiscalização de Produtos para Alimentação Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Fernanda Tucci, encerra a programação desta quarta-feira com a palestra "Cenário regulatório para importação e exportação – visão Mapa".

Dia 18 de outubro

O programa técnico começa às 9h, com um Painel Nutrição e Bem-estar nas salas de Aves e Suínos.

Na sala de Aves: O zootecnista e gerente de nutrição do Grupo Mantiqueira, André Carreira Carlos, abre a programação do último dia desta sala com um debate sobre "Nutrição para frangas de postura Cage Free". Em seguida, o médico veterinário pela Universidad Nacional Autónoma de México com doutorado pela University of Guelph, no Canadá, Ricardo Esquerra, vai destacar "Stress calórico e aminoácidos para aves". Logo depois, o médico veterinário pela Universidad de Zaragoza, na Espanha, e especialista em nutrição animal, Xabier Arbe, vai discutir "Fibra na nutrição de aves".

Na sala de Suínos: O consultor do OPP Group, na Espanha, Carlos Martinez, abre os debates, às 9h, com o tema "Nutrição de fêmeas em baias coletivas". Na sequência, o pesquisador da Unesp – Campus de Jaboticabal, Luciano Hauschild, vai abordar "Stress calórico e aminoácidos para suínos". Logo depois, o professor da University of Minnesota, nos Estados Unidos, Jerry Shurson, vai ministrar a palestra "Uso de DDGS na alimentação de suínos".

Na sala de Bovinos: O professor da Universidade de Buenos Aires, na Argentina, Darío Colombatto, vai abrir a programação com um debate sobre o "Uso de modificadores da função ruminal". Em seguida, o professor da Unesp – Campus de Jaboticabal, Ricardo de Andrade Reis, vai discutir "Como a pecuária pode contribuir com a redução no desmatamento e mitigação de gases do efeito estufa". O programa técnico será encerrado pelo professor da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Pedro Eduardo de Felício, com a palestra "Qualidade da carcaça e da carne bovina no Brasil". A partir das 12h30 haverá entrega de Prêmios de Trabalhos Científicos e Encerramento.

Fonte: Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =

Notícias Segundo AgRural

Colheita de soja no Brasil vai a 92% da área

Atividades de campo estão concentradas basicamente no RS e Matopiba, regiões que tradicionalmente cultivam soja de ciclo mais tardio

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A colheita de soja da safra 2018/19 no Brasil avançou para 92% da área até a última quinta-feira (18), alta de 4 pontos percentuais em uma semana, mas com chuvas no Rio Grande do Sul atrapalhando os trabalhos, informou a AgRural nesta segunda-feira (22).

As atividades de campo estão concentradas basicamente no Estado gaúcho e no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), regiões que tradicionalmente cultivam soja de ciclo mais tardio. “No Rio Grande do Sul, as chuvas registradas nesta semana deixaram o ritmo um pouco mais lento, mas as produtividades seguem agradando. No Matopiba, o tempo mais firme desta semana favoreceu o avanço das colheitadeiras”, comentou a consultoria em boletim semanal.

“Nesta reta final, a preocupação dos produtores da região (Matopiba) é com áreas que receberam muita chuva no início de abril, quando estavam entrando em maturação. O receio é de que, agora, na colheita dessas áreas, surjam problemas de qualidade causados por aquelas precipitações.”

Segundo a AgRural, a colheita nacional está ligeiramente acima dos 91% de um ano atrás e também da média de cinco anos. A consultoria projeta produção total na temporada vigente de 114,6 milhões de toneladas. O Brasil é o maior exportador global da commodity.

Fonte: Reuters
Continue Lendo

Notícias Capacitação

AVES e CRMV-ES realizam curso para o setor de ovos do ES

Programação do curso contou com a palestra de técnicos que são referência para avicultura em âmbito nacional

Publicado em

em

Divulgação

A Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES) e o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Espírito Santo (CRMV-ES) promoveram um curso sobre a Qualidade nos Estabelecimentos de Ovos e Derivados para médicos veterinários e zootecnistas registrados no CRMV-ES e para avicultores associados à AVES. O evento foi realizado no dia 13 de abril, sediado em Santa Maria de Jetibá.

O curso reuniu 114 pessoas entre médicos veterinários, zootecnistas, avicultores, representantes do Idaf, representantes da SFA-ES/MAPA e 4º SIPOA/MAPA, representantes da comissão de defesa agropecuária do CRMV-ES, Diretoria da AVES, e representantes de entidades importantes, como o subsecretario de agricultura do ES, Michel Tesch Simon, e o Secretário de Agropecuária de Santa Maria de Jetibá, Egnaldo Andreatta.

A produção avícola possui dois agentes importantes, o avicultor e o médico veterinário responsável técnico, por isso essa parceria entre AVES e CRMV foi muito importante, para levar atualização a esses dois pilares, que foram o público alvo do curso. A iniciativa teve apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf).

A programação do curso contou com a palestra de técnicos que são referência para avicultura em âmbito nacional. Os palestrantes são profissionais do MAPA que atuam na inspeção dos estabelecimentos de ovos do Espírito Santo e de Minas Gerais e profissionais independentes que atuam como responsáveis técnicos e consultores.

Arina Lopes, uma das palestrantes do curso, falou da importância de se levar mais conhecimento aos envolvidos na área. “É bom passar para os avicultores as normas, as legislações, que são a base da inspeção. É importante que eles saibam de tudo o que precisam para ter a empresa inscrita na inspeção e para que mantenham tudo em ordem. O curso foi uma forma de aproximar as iniciativas pública e privada, para um maior conhecimento e esclarecimento de dúvidas”, disse Arina, do 4º SIPOA, que é o Serviço responsável pela inspeção nos estabelecimentos de ovos e derivados do ES.

O avicultor, médico veterinário e vice-presidente do CD da AVES, Volkmar Berger, destacou o quanto o curso agrega na sua rotina. “O evento vem em ótima hora para o alinhamento das diversas leis que permeiam nossa atividade, além de maior aproximação com os órgãos de fiscalização que somos conectados. Uma iniciativa muito boa, que só traz benefícios para todos da área” disse.

A primeira palestra falou sobre as Responsabilidades do RT e do estabelecimento, com Luiz Fernando Vieira. Luiz Fernando é médico veterinário, atualmente trabalha no laboratório de diagnóstico de raiva do Idaf, sendo responsável pelo biotério. É conselheiro e presidente da comissão de defesa agropecuária do CRMV-ES.

A segunda palestra foi da médica veterinária, Daniela Duarte de Oliveira. A médica veterinária falou sobre a Qualidade na classificação de ovos. Daniela tem Doutorado em Produção animal pela UFMG. Pós-doutorado em nutrição de monogástricos pela UFLA, e é Responsável Técnica pela Granja São Jorge.

Ivana Gomes, Fiscal Federal do Mapa desde 2002 palestrou sobre a Qualidade na produção de ovo líquido pasteurizado. Ivana é formada em medicina veterinária pela UFMG e possui mestrado em tecnologia e inspeção de alimentos pela UFMG.

A Qualidade na indústria de conserva de ovos de codorna, foi apresentada pelo médico veterinário Paulo Renê, que é responsável técnico pela indústria de conserva de ovos da Granja Loureiro. Desde março de 2017 presta consultoria em coturnicultura para empresas do setor.

Já Paulo Barretto palestrou sobre a Higienização na indústria de ovos. Paulo é engenheiro de alimentos formado pela UNESP. Atualmente é Consultor pela Criare Consultoria e Engenharia de Alimentos. Parceiro da MRE Technology e LIMSEPT do Brasil Indústria Química Ltda.

A penúltima palestra falou sobre os Programas de autocontrole, com a médica veterinária Nara Lúcia Vitalino. Formada pela UFMG, Nara, atuou em empresas de alimentos de origem animal. Atualmente atua como médica veterinária Oficial pelo Ministério da Agricultura e Pecuária e Abastecimento.

E sobre o novo RIISPOA – Decreto 9.013/2017, os esclarecimentos foram realizados por Arina Lopes de Lima, que é formada em medicina veterinária, tem mestrado e doutorado em ciência animal na UFMG. Especializada em Tecnologia de Carnes pela PUC Minas. Auditora Fiscal Federal Agropecuária do 4º Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal – 4º SIPOA.

Para o presidente do CD da AVES, Ademar Kerckhoff, o curso trouxe muitos esclarecimentos para a postura comercial do Estado. “Temos que ter em mente que produzimos alimentos, o que requer todo o cuidado e atenção tanto na produção quanto na classificação ou industrialização do produto”, destaca.

Já o diretor executivo da AVES, Nélio Hand, ressalta a importância da informação para que tanto o produtor, quanto o responsável técnico tenham ciência das suas obrigações e o que precisa ser seguido na legislação. “É preciso, no entanto, que as regras vigentes também sejam coerentes com a realidade da produção de ovos. Vemos que aplicar a mesma regra para todo e qualquer tipo de proteína é incoerente. Cada produto tem suas características de produção e processamento diferenciados e isso na maioria dos casos não é levado em conta pela legislação”, comentou.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Mercado Interno

Indicador do milho chega a menor patamar em cinco meses

Ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A oferta superior à demanda tem mantido os preços do milho em queda na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Em Campinas (SP), os valores voltaram a operar próximos dos patamares observados em novembro do ano passado. Entre 12 e 18 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Campinas (SP) caiu 2,32%, a R$ 35,84/sc de 60 kg na quinta-feira (18), o menor patamar nominal desde meados de novembro/18.

No geral, o ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores. Além disso, alguns produtores têm dado preferência em comercializar a soja – vale lembrar que a cotação da oleaginosa está firme, favorecida pelas altas do dólar e dos preços externos. No campo, o clima segue favorável ao desenvolvimento das lavouras de milho, o que pode resultar em antecipação da colheita.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Facta 2019
Abraves
Biochem site – lateral
Conbrasul 2019

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.