Conectado com

Notícias

"Caminhos da ILPF" será um dos destaques da InterCorte SP

Serão abordados desde aspectos práticos de plantio até a viabilidade econômica da Integração Lavoura-Pecuária-Floresta

Publicado em

em

Um dos destaques da InterCorte São Paulo, o principal evento da cadeia produtiva da carne no Brasil, que será realizado de 21 e 23 de novembro, no WTC Golden Hall, será a realização de painéis do “Caminhos da ILPF”, um desdobramento das etapas do “Caminho do Boi” para aprofundar questões relativas à Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), estratégia de produção que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários e florestais dentro de uma mesma área.

Os painéis do “Caminhos da ILPF” ocorrerão ao longo da programação e tratarão de temas, como “Sistemas Integrados como estratégia de conservação de solos”  por Orlando Melo de Castro, coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – APTA, pelo zootecnista Mauricio Bassani, da MB Parceiro e pelo professor do Departamento de Ciência do Solo da ESALQ-USP. Outra abordagem será “Plantabilidade nos sistemas integrados de produção” com a participação do professor da UNESP – Botucatu, Paulo Arbex, além do detalhamento dos arranjos produtos para ILPF e sucessão de culturas. O “Manejo de pastagem nos Sistemas Integrados de Produção” será discutido pelo engenheiro agrônomo especialista em pastagens Wagner Pires e pela engenheira agrônoma Flavia Gimenes, pesquisadora do IZ – Instituto de Zootecnia.

“Trataremos de forma bastante ampla dos diversos aspectos que envolvem a ILPF: desde o tipo de solo, sistemas de plantio, arranjos produtivos, manejo de pasto, nutrição animal, produção animal, índices reprodutivos e zootécnicos até a viabilidade econômica de implantação. Será uma excelente oportunidade de ter uma visão completa dessa tecnologia”, explica a zootecnista Renata Helena Branco Arnandes, diretora geral do IZ, que está coordenando a programação do “Caminhos da ILPF” por meio da Unidade de Referência Tecnológica do IZ de Ribeirão Preto (SP).

“Caminhos da Genética”

A programação da InterCorte terá ainda um painel denominado “Caminhos da Genética”, que foi o principal do evento na edição de 2017, para mostrar as mais recentes evoluções nesse segmento, especialmente no que diz respeito à genômica e outras técnicas, como proteômica (ciência da área de biotecnologia que estuda o conjunto de proteínas e suas isoformas contidas em uma amostra biológica de um organismo, que são determinadas pelo genoma), metabolômica (estudo científico que identifica e quantifica o conjunto de metabólicos – o metabolona – produzidos e/ou modificados por um organismo) e epigenética (termo para se referir a características de organismos unicelulares e multicelulares que são estáveis ao longo de diversas divisões celulares mas que não envolvem mudanças na sequência de DNA do organismo) afetando a produção animal. Esse painel terá a participação de Mario Chizzotti, professor da Universidade Federal de Viçosa, Renata Branco, do IZ e Cesar Franzon, Gerente de Inovação e Rebanho da CRV-Lagoa.

Outras atrações

A InterCorte terá ainda o “Caminhos do Leite”, que será concluído com degustações de queijos e vinhos; InterTechAgro, um espaço destinado à apresentação de startups, com uma programação de conteúdo específico desenvolvida para apresentar tecnologias que facilitam a gestão das propriedades e geram mais eficiência à produção animal; painel de encerramento do Circuito InterCorte 2018; entrega do prêmio “Touro de Ouro”, promovido pela Editora Centauro, que edita as revistas AG e A Granja; painel GPB em Ação – Os caminhos do balizador; Caminhos do Boi 7.7.7.; Caminhos da Comunicação e painel conduzido pelo GTPS – Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável sobre pegada de carbono a partir da ótica da pecuária.

Feira de Negócios

A edição da InterCorte em São Paulo terá ainda uma feira de negócios com a participação de empresas de referência na pecuária, como CRV Lagoa, Marfrig, Matsuda, Nutron, Ourofino, DSM Tortuga, Trouw Nutrition, Instituto de Zootecnia, Premix, Allflex, Arysta, Bayer, Beckhauser, Coimma, Estância Bahia Leilões, Multibovinos, Oro Agri, Prodap, Toledo do Brasil, Premix e UPL.

O evento terá ainda o Empório InterCorte, em que empresas comercializarão alimentos, bebidas, utensílios e acessórios ligados à pecuária e ao agronegócio em geral.

Angus Beef Week

Enquanto o setor produtivo se reúne no WTC para discutir melhorias, o consumidor é convidado a conferir o resultado desse trabalho na Angus Beef Week em diversos restaurantes da capital paulista, que oferecem ao consumidor pratos especiais com cortes de animais Angus, de 15 a 25 de novembro.

Mais informações pelo site: www.intercorte.com.br/saopaulo2018
 

Fonte: Ass. de Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + vinte =

Notícias Sanidade

ABPA e DIPOA promovem encontro sobre inspeção

Será apresentado o sistema de treinamento na inspeção ante e post mortem de aves e suínos

Publicado em

em

Divulgação/Agrostock

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura (DIPOA/MAPA) realizam ao longo desta semana um encontro conjunto para tratar sobre temas do sistema de inspeção do setor de proteína animal. A programação do evento, iniciada na segunda-feira (18), segue até sexta-feira (22), em São Paulo, SP.

Na ocasião, será apresentado o sistema de treinamento na inspeção ante e post mortem de aves e suínos. Além disso, também serão discutidas as ações e procedimentos de verificação oficial dos controles em estabelecimentos produtores de carne e suínos. Participam do encontro técnicos das agroindústrias produtoras e exportadoras e auditores fiscais do Ministério da Agricultura.

“Este é um trabalho que tem como princípio o fortalecimento do trabalho pela qualidade e a reconstrução da imagem do setor produtivo, seguindo todos os parâmetros legais em uma parceria do setor público e da iniciativa privada.  Esperamos realizar, em breve, novos eventos com o mesmo objetivo”, ressalta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Mercado Leiteiro

Estoques reduzidos e menor produção elevam preço do UHT

Altas estiveram atreladas aos estoques, que continuam controlados, e à redução da produção por parte de alguns laticínios

Publicado em

em

Divulgação

O preço do leite UHT negociado no atacado do Estado de São Paulo subiu 0,24% entre as duas últimas semanas, fechando com média de R$ 2,4357/litro no período entre 11 e 15 de fevereiro. Conforme colaboradores do Cepea, as altas estiveram atreladas aos estoques, que continuam controlados, e à redução da produção por parte de alguns laticínios.

Apesar da valorização, as negociações entre laticínios e atacados permaneceram baixas. Já o queijo muçarela se desvalorizou 0,83% na mesma comparação, fechando com média de R$ 17,2862/kg entre 11 e 15 de fevereiro. Quanto à liquidez no mercado deste derivado, permaneceu estável no período.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias No Paraná

Trigo pode ser boa alternativa ao produtor na 2ª safra

Como o clima está favorável, os preços e custos de produção irão balizar tomada de decisão dos agricultores

Publicado em

em

Divulgação/SECS

Com o avanço da colheita dos grãos de verão no Paraná, triticultores do Estado já planejam a divisão das áreas de semeio na segunda safra. Como o clima está favorável ao desenvolvimento tanto do trigo quanto do milho, os preços e custos de produção é que irão balizar a tomada de decisão dos agricultores por um ou outro.

Segundo dados da equipe de custos agrícolas do Cepea, em Cascavel, PR, o custo operacional de produção do milho 2ª safra foi calculado em R$ 2.822,54/hectare, contra R$ 1.901,03/ha para o trigo. A produtividade média das últimas três safras foi de 93 sacas/ha para o milho e de 49 sc/ha para o trigo, de acordo com dados do Deral/Seab.

Considerando-se os valores médios de venda em janeiro/19, as receitas geradas seriam de R$ 2.724,08/ha para o milho e de R$ 2.343,38/ha para o trigo. Portanto, a receita obtida com a cultura do trigo foi suficiente para saldar os custos operacionais e gerar margem positiva ao produtor, de R$ 442,35/ha. Já a receita obtida com o milho 2ª safra não foi suficiente para cobrir o total de desembolsos, resultando em margem negativa ao produtor, de R$ 98,46/ha.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Nucleovet 2
Facta 2019
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.