Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas

Alta digestibilidade do concentrado proteico de soja garante mais saúde para leitões

Além de outras vantagens, animais ganham em desenvolvimento muscular e na melhora do sistema imunológico; produto da Rio Pardo Proteína Vegetal é o mais digestível do Brasil

Publicado em

em

Grãos de soja são a principal matéria-prima da Rio Pardo Proteína Vegetal (Foto: Pixabay)

Segundo um recente artigo científico publicado pela revista Animal Nutrition, uma das mais respeitadas globalmente do setor de nutrição animal, quanto maior a digestibilidade do ingrediente proteico da ração, além de melhorar a absorção dos nutrientes, garante mais saúde a leitões recém desmamados. De acordo com a publicação, tal fator pode reduzir a transferência de proteínas não digeridas no intestino grosso, reduzindo a produção de resíduos potencialmente tóxicos do metabolismo microbiano, resultando, assim, em uma melhora substancial da saúde intestinal desses animais.

A digestibilidade proteica, segundo o estudo, traz inúmeros benefícios capazes de contribuir diretamente para que os leitões cresçam com desempenho bem mais alto em desenvolvimento muscular, ganho de peso e desenvolvimento geral. “Quando as proteínas são altamente digestíveis, os leitões conseguem absorver mais eficientemente os aminoácidos essenciais, que são os blocos de construção das proteínas. Isso resulta em uma melhor utilização dos nutrientes da ração, promovendo um crescimento mais rápido e saudável. Além disso, auxilia na melhora da saúde da mucosa intestinal do leitão, com a redução de doenças e infecções, e também do sistema imunológico”, explica Leandro Baruel, gerente de exportação da Rio Pardo Proteína Vegetal, produtora do SPC (Concentrado Proteico de Soja) mais digestível do Brasil, segundo estudo da Universidade Federal de Viçosa, principal especialista nacionalmente no assunto.

Segundo a UFV, a digestibilidade de proteína e dos aminoácidos dos RPSoy700 e RPSoy180 (concentrados proteicos da Rio Pardo) foram significativamente superiores, conforme tabela comparativa abaixo, que traz os principais produtos do mercado.

Outras vantagens

O levantamento trazido pela edição de março de 2022 da Animal Nutrition ainda salienta que a melhor digestibilidade, além de afetar diretamente a mucosa intestinal, trazendo todas essas vantagens para os animais, também é oportuna aos produtores. Isso por que o valor gasto com a ração representa o maior custo da produção de suínos. Assim, é fundamental avaliar os produtos pela eficiência alimentar e/ou digestibilidade.

“Isso afeta diretamente o bolso do produtor, que não precisará gastar mais com ração para que sua criação atinja o nível de digestibilidade necessário para crescer com mais saúde; e também terá um impacto ambiental muito menor, pois uma ração com maior digestibilidade das proteínas resulta em menos resíduos de nitrogênio excretados pelos animais. Ou seja, polui-se bem menos o meio ambiente”, adiciona Baruel.

 

Produção diferenciada

Patenteada no Brasil, nos Estados Unidos, na União Europeia, no Japão, no Chile e no Canadá, a tecnologia desenvolvida pela Rio Pardo para a produção de SPC traz vantagens que agregam em saúde e no melhor refinamento do produto. A principal diferença do procedimento é a unificação de etapas no processamento dos grãos de soja. “Nos tradicionais, em uma primeira etapa, separa-se o óleo do grão; depois, faz-se um aquecimento para remover os solventes do processo. Em seguida, é preciso uma segunda etapa para tirar os carboidratos solúveis, onde estão os fatores antinutricionais da soja. Nesta extração, utiliza-se álcool e, para removê-lo, o grão é aquecido novamente. Em nosso processo, tudo isso é feito de uma só vez. Tira-se o óleo e os carboidratos em uma única etapa e um único aquecimento”, explica Baruel.

Além de ser mais sustentável pois reduz-se drasticamente o consumo das energias térmica e elétrica, a qualidade do produto aumenta consideravelmente. “Quando reduzimos o número de aquecimentos dos grãos, diminuímos a possibilidade de ocorrer o que chamamos de ‘reação de Maillard’, que é a formação de um complexo da proteína com carboidrato e açúcares. Este complexo interfere na digestibilidade do produto”, adiciona.

 

Números do setor

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o país bateu recorde de produção pelo terceiro ano consecutivo de carne suína, com 4,9 milhões de toneladas em 2022. Um aumento de 6,5% em relação ao ano anterior. A projeção de crescimento para 2023 é de 4% (um novo estudo ainda não foi divulgado). Do total, 3,8 milhões de toneladas foram para abastecimento interno. O restante foi para exportação. O Brasil ainda soma, hoje, 60% de todo o mercado global de produção de SPC.

Fonte: Assessoria

Empresas

Agroceres PIC inicia entrega dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis

Líder no mercado brasileiro e argentino de genética de suínos, a Agroceres PIC inaugura um novo e decisivo capítulo de sua história ao iniciar as entregas dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis, maior núcleo genético da América Latina

Publicado em

em

Foto e texto: Assessoria

Primeiros animais produzidos no maior núcleo genético de suínos da América Latina foram enviados a clientes da Agroceres PIC no Brasil e Argentina. Operação marca o início de uma nova era para suinocultura brasileira e sul-americana, garantindo reprodutores do mais alto nível genético aos produtores.

Líder no mercado brasileiro e argentino de genética de suínos, a Agroceres PIC inaugura um novo e decisivo capítulo de sua história ao iniciar as entregas dos primeiros reprodutores de elite produzidos na Granja Elite Gênesis, maior núcleo genético da América Latina. Os dois primeiros lotes de suínos de elite foram enviados nesta semana, dia 10 de abril, diretamente de Paranavaí (PR) para clientes no Brasil e Argentina.

A chegada dos reprodutores ao mercado representa um marco para a suinocultura brasileira e sul-americana, uma vez que oficializa o início da produção da Gênesis, primeira unidade para produção de reprodutores elite no Brasil.

“É um momento muito importante para todos nós, pois marca a produção inaugural da Gênesis, um centro de excelência genética idealizado e construído pela Agroceres PIC para dar suporte ao crescimento dos produtores em cenários mais complexos e competitivos”, observa Nevton Brun, gerente de Produção. “Temos plena convicção de que a altíssima qualidade genética e sanitária dos suínos produzidos na Gênesis impulsionará a eficiência zootécnica dos sistemas produtivos e potencializará o retorno econômico dos produtores”, acrescenta.

 

Uma nova era de eficiência e rentabilidade

Maior investimento da história da Agroceres PIC desde que implantou seu primeiro núcleo genético no país, a Granja Gênesis estabelece um novo modelo de melhoramento genético de suínos no Brasil, posicionando o país como produtor e exportador de material genético.

“A Gênesis é um divisor de águas em nossa trajetória e um investimento primordial para nossa estratégia de negócios. Ela foi concebida para quebrar paradigmas e carrega consigo uma missão ousada: revolucionar a eficiência e a rentabilidade dos nossos clientes”, finaliza Brun.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Estratégia de expansão

Evonik anuncia novo gerente de Negócios de Ruminantes no Brasil

O médico veterinário Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho, tem mais de 20 anos de experiência na área e assume a nova posição em estratégia de expansão da companhia

Publicado em

em

Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho / Divulgação Evonik

A Evonik anuncia a contratação do médico veterinário Paulo Francisco Menegucci, o Chiquinho, como gerente de Negócios de Ruminantes no Brasil. Médico veterinário formado pela Unesp – Campus de Jaboticabal, ele tem mestrado em Nutrição e Produção Animal pela Unesp – Campus de Botucatu, MBA em Marketing com ênfase em vendas e cerca de 20 anos de atuação no segmento.

Tales Lelis, diretor Regional de Negócios e Soluções para Ruminantes da Evonik

A contratação de um especialista na área técnica faz parte da estratégia de expansão da companhia no setor de ruminantes, destaca o diretor Regional de Negócios e Soluções para Ruminantes da Evonik, Tales Lelis. “A vinda do Chiquinho é parte da nossa estratégia para ganhar mercado e expandir o nosso departamento técnico e comercial. Ele é um profissional com uma bagagem muito importante e que pode agregar bastante a nossa equipe no país”, completou Lelis.

Chiquinho, como é conhecido, assume esta nova posição com o desafio de desenvolver o mercado de aditivos para ruminantes. “A Evonik é uma empresa que vem crescendo bastante e ganhando cada vez mais mercado. A metionina é o nosso principal foco de atuação e agimos especialmente na aplicação adequada, o que exige um elevado nível técnico da equipe, com base em dados científicos. E é justamente aí que está a nossa força, porque temos uma estrutura toda que dá amparo técnico e científico em nossas ações, buscando valorizar as relações de confiança. Assim, acredito que a minha posição será importante para incrementar o conceito de venda consultiva”, disse.

Paulo Teixeira, vice-presidente da Linha de Negócios de Saúde e Nutrição Animal da Evonik nas Américas

O vice-presidente da Linha de Negócios de Saúde e Nutrição Animal da Evonik nas Américas, Paulo Teixeira, destaca o bom momento da companhia. “Nosso negócio de ruminantes está em expansão, a nossa equipe está crescendo, então a chegada do Chiquinho é extremamente positiva, pois estamos investindo em melhorias no atendimento ao cliente, com mais presença em campo e sempre com embasamento técnico”, salientou o executivo apontando o entusiasmo do novo gerente com a chegada em nova casa.

Os investimentos da Evonik e a posição de destaque da empresa foi reforçada pelo especialista. “Vínhamos observando o crescimento da Evonik, os investimentos e a aposta da companhia no Brasil, então estou lisonjeado em participar deste momento. Estou vendo a aceitação do mercado e o crescimento consistente de seus produtos e serviços no campo. O objetivo agora é ampliar essa base de relacionamento e trazer todo o know-how em nutrição que adquiri ao longo dos 20 anos de experiencia neste setor”, disse Chiquinho.

Desafio do setor leiteiro

A pecuária leiteira do país vem se desenvolvendo rapidamente nos últimos anos em busca de melhor eficiência, qualidade e rentabilidade. E essa busca por resultados melhores exige o uso de novas tecnologias para avançar, defende o especialista. “Hoje temos um setor muito mais técnico e tecnificado. Este mercado cresceu para ganhar eficiência do sistema e levar a uma remuneração mais adequada. Como um negócio mesmo”, disse.

Neste cenário, ele defende o uso de uma estratégia nutricional direcionada para um melhor equilíbrio dos animais. “O uso de tecnologias, como o Mepron, contribuem com um melhor balanço nutricional entre estes aminoácidos essenciais para a máquina biológica de vacas leiteiras, que passam a trabalhar de forma mais eficiente. Assim, conseguimos uma melhor eficiência alimentar, além de ter animais mais preparados para enfrentar desafios como o estresse provocado pelo calor em dias quentes”, afirmou.

De acordo com ele, a tecnologia de proteção da metionina é o ponto mais importante na busca de aumento da eficiência da produção de leite. “O uso de aminoácidos essenciais, como metionina e lisina, depende de uma proteção para evitar que eles se degradem no rumem e cheguem íntegros no intestino, assim conseguimos alcançar alta performance do rebanho”, encerrou.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

DanBred Brasil recebe visita do CEO e gerente comercial Latam para discussão estratégica

Visita foi marcada por discussões estratégicas sobre as particularidades e o potencial do mercado brasileiro, bem como o progresso alcançado desde o estabelecimento da bem-sucedida parceria há 27 anos.

Publicado em

em

Fotos: Divulgação/DanBred Brasil

Durante a primeira semana de abril de 2024, o escritório central da DanBred Brasil recebeu Torben Aarris, CEO da DanBred, e Lasse Jensen, gerente comercial para a América Latina. A visita foi marcada por discussões estratégicas sobre as particularidades e o potencial do mercado brasileiro, bem como o progresso alcançado desde o estabelecimento da bem-sucedida parceria há 27 anos.

O encontro abordou a intensificação do trabalho colaborativo entre a DanBred e seus parceiros no Brasil, visando atender às demandas específicas da suinocultura brasileira e da América Latina. Além disso, foram discutidas as expectativas de crescimento e os avanços planejados para os próximos anos.

“O Brasil é um mercado estratégico para a DanBred, e estamos muito satisfeitos em ver o alinhamento coeso e estruturado do nosso trabalho entre a Dinamarca e o Brasil ao longo dos anos. Esse desenvolvimento está gerando resultados excepcionais e lucrativos para nossos clientes DanBred no Brasil e na América Latina,” ressalta Torben Aarris, CEO da DanBred.

A presença do CEO e do Gerente Comercial da DanBred reforça o compromisso da empresa com o mercado brasileiro e sua determinação em oferecer soluções inovadoras e de alta qualidade para impulsionar o setor suinícola na região.

A recepção aos visitantes foi conduzida pelo fundador Décio Bruxel, juntamente com Daniel Bruxel e Marcos Bruxel, Diretores Executivo, Geraldo Shukuri, Diretor Técnico, e Diego Alkmin, Gerente Comercial Brasil, destacando o alinhamento estratégico e o compromisso conjunto com o sucesso da DanBred no Brasil.

 

Fonte: Assessoria DanBred Brasil
Continue Lendo
IMEVE AVES EXCLUSIVO

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.