Conectado com

Notícias

Alltech do Brasil completa 20 anos

Publicado em

em

Fundada há mais de 30 anos pelo irlandês – Pearse Lyons –, em Lexington, (Kentucky – EUA), a Alltech é conhecida pela qualidade e pioneirismo em tecnologia para nutrição animal. Hoje, é considerada uma das líderes mundiais e está entre as 10 maiores empresas do segmento no mundo.

A empresa fatura em torno de 700 milhões de dólares em todo o mundo e a América Latina é responsável por 38% do faturamento global. A perspectiva é que o grupo atinja cifras de US$ 1 bilhão em faturamento em 2013 e US$ 4 bilhões de dólares em vendas nos próximos cinco anos.

A Alltech comemorou 20 anos no Brasil neste ano, país que conta com o segundo maior mercado global. De acordo com Clodys Menacho, Diretor Comercial, a Alltech Brasil cresceu 30% em 2012 em relação a 2011. “Definitivamente 2013 está sendo muito desafiante, mas a perspectiva é crescer em torno de 25% a 35%. Temos estratégias para desenvolver e produzir novas tecnologias que possam otimizar este rendimento e nossa produtividade. Uma de nossas apostas é a alga – nova matéria-prima para o mercado, que promete conquistar bons mercados”, ressalta Clodys.

Investimentos em tecnologia
Em média, 7% a 10% do faturamento mundial/ano são investidos em pesquisa na área de nutrição para o desenvolvimento de soluções naturais inovadoras. A empresa tem focado os investimentos, nos últimos quatro anos, em nutrigenômica, algas e soluções diretas ao consumidor final.

Desde 2008, a Alltech dispõe de um laboratório de nutrigenômica, onde aplica as mais modernas tecnologias com o objetivo de gerar bases de dados que detalham os efeitos da nutrição sobre os perfis da expressão dos genes nos tecidos de várias espécies. Além da nutrigenômica, nos centros de pesquisa da Alltech são realizados estudos de glicômica funcional; fermentação em estado sólido; fermentação ruminal; emissão de gases de efeito estufa; aquicultura; microminerais orgânicos e algas.

“Nossa missão é melhorar a saúde e o rendimento animal, potencializando o valor nutricional do alimento e, consequentemente, a saúde e a nutrição animal”, diz o vice-presidente da empresa para a América Latina, Guilherme Minozzo.

Minozzo comenta que a fermentação de algas, que está entre as fontes de alimento e energia mais renováveis do mundo, irá desempenhar um papel importante na saúde e nutrição, tanto humana como animal em um futuro próximo. “Por esta razão que compramos uma das maiores unidades de fermentação de algas do mundo, em Winchester, Kentucky,  Estados Unidos,” conta.

No mercado brasileiro a Alltech lançou recentemente o SP1 – ingrediente em pó à base de algas. Este pode ser adicionado à ração e garante o nível desejável de DHA (Ômega 3). Para atender a esta necessidade, a Alltech possui um sistema de produção de algas heterotróficas, que utilizam açúcares como principal fonte de energia para se desenvolverem, sem a necessidade de luz solar. “A biomassa das algas pode conter inúmeros componentes disponíveis como proteína, ácidos graxos, vitaminas, pigmentos, óleos, minerais, além de serem substitutas potenciais de óleo e farinha de peixe e um antioxidante natural. Ambas podem ser encontradas em águas doce ou salgada”, explica Clodys Menacho.

Um dos programas que resultou dos investimentos em nutrigenômica foi a Nutrição Programada. O objetivo do projeto é fazer com que o animal atinja seu potencial máximo, aumente a lucratividade na produção de proteína animal e atenda a demanda de mercado.  O produtor busca esta eficiência para proporcionar proteína de melhor qualidade, mais nutritiva e macia ao consumidor.

Nos últimos três anos, a Alltech tem realizado importantes investimentos e após um período de joint venture com outros investidores, assumiu 100% do controle acionário da planta de biotecnologia do São Pedro do IVAÍ-PR – maior fábrica de biotecnologia dedicada à nutrição animal do Brasil – e da estrutura no México. No mundo, a Alltech tem realizado diversas aquisições de plantas de premixes (aditivos, vitaminas e minerais que  compõem as rações).

Apostando no segmento equino, a empresa é, pela segunda vez, a patrocinadora titular dos Alltech FEI World Equestrian Games 2014™ – Jogos Equestres Mundiais, que irão ocorrer entre os dias 23 de agosto e 7 de setembro de 2014, na Normandia, região noroeste da França.

Em torno de 1000 competidores, junto aos seus cavalos, deverão participar do evento. Mais de 60 países estarão representados nos jogos pelos concorrentes e também por aproximadamente 500 mil visitantes. A Alltech conta com a parceria de uma das maiores produtoras de ração animal – em todos os segmentos – do Brasil: a Guabi parceiro oficial dos jogos no país.

Esse campeonato resume os valores da Alltech: paixão, excelência e desempenho. O patrocínio oferecido aos esportes equestres dá vida à marca e agrega valor aos nossos parceiros, gerando fortes laços com o consumidor de nossas soluções nos momentos de grande emoção. Será um ano de muita organização e com muitas expectativas”, ressalta Dr. Pearse Lyons. Para obter mais sobre o evento, acesse o site www.alltechfeiweg2014normandy.com

Cronologia da Alltech Brasil
1993 – Inaugurada a unidade Brasil da Alltech – uma das mais importantes do mundo.

– Aidan Connolly, ex-gerente da Alltech França – iniciou as atividades no Brasil. Os primeiros clientes da Alltech foram Mogiana Alimentos, Cargill e Braswey. Atualmente, a Alltech cresce em torno de 20% ao ano.

1994 /1995– Guilherme Minozzo ingressa na Alltech como gerente de Vendas para região do Paraná; hoje ocupa o cargo de Vice Presidente da Alltech para América Latina. Em 1995 foram contratados: Maurício Rocha (hoje Gerente Nacional de Vendas para Petfood América Latina) e Simone Cavalli (atualmente Diretora de Operações para América Latina).

1994 a 2000 – Foi um período de investimentos para consolidar a empresa no mercado e aumentar a sua presença.

2000 a 2010 – Neste período, a Empresa focou em seu core business – Actigen; Bioplex; Mycosorb, Selplex e Bio-mos. A pecuária foi o segmento que mais cresceu neste período.

2011 – até hoje – A Alltech busca cada vez mais soluções  tecnológicas e sustentáveis para oferecer um melhor produto, pensando em melhor qualidade de vida para os humanos e animais. Hoje, a Alltech atua em todos os segmentos e sua atuação no mercado divide-se em: ruminantes (30%); avicultura (25%); suinocultura (20%); pets (20%); aquicultura e equinos (5%).

Alltech no Mundo 
Com mais de 33 anos de mercado, a Alltech é líder em nutrição animal natural do mundo e umas das principais em biotecnologia. Sediada em Lexington, Kentucky (EUA), possui 31 plantas e cinco centros de Biociência localizados nos EUA, Irlanda e China além de escritórios e distribuidores em 128 países. No Mundo, a Alltech conta com mais de 3.100 colaboradores.

A empresa é focada no desenvolvimento de soluções naturais para melhorar a saúde e o desempenho de peixes, camarões, aves, equinos, suínos, pets, bovinos de leite e corte. Esse é o negócio da Alltech e a rastreabilidade é prioridade. Todas as unidades estão sujeitas aos rigorosos sistemas de garantia de qualidade que excedem os padrões estabelecidos por órgãos regulatórios locais, regionais e internacionais. Para garantir a qualidade de todos seus processos a Alltech desenvolveu e implantou em todas as unidades produtivas o Alltech Quality System (AQS), um sistema próprio para garantir a excelência em qualidade.

Fonte: Ass. de Imprensa Alltech

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − quinze =

Notícias Leite

Produtores e técnicos de cooperativa participam de capacitação do Programa Balde Cheio

Nessa capacitação inicial foi realizada uma entrevista com os quatro produtores envolvidos que participaram juntamente com o técnico da cooperativa que vai fazer o acompanhamento

Publicado em

em

Divulgação

Técnicos e produtores rurais vinculados à Cooperativa Mista de Pequenos Agricultores da Região Sul, (Coopar) participaram de capacitação do Programa Balde Cheio na última quinta-feira (29/07). A capacitação foi realizada de forma virtual e contou com a presença do instrutor do programa, Juliano Alarcon Fabrício, e com os coordenadores do Balde Cheio no Rio Grande do Sul (RS), a pesquisadora Renata Suñé, da Embrapa Pecuária Sul, e o analista Sergio Bender, da Embrapa Clima Temperado.

A Coopar, sediada em São Lourenço do Sul, é mais uma entidade a participar do Balde Cheio e terá o acompanhamento técnico de quatro produtores de leite da região. Para Estevão Kunde, diretor técnico da Coopar, o projeto chega em um momento em que a atividade cresce na região, mas que precisa de mais tecnologia e conhecimento para avançar. “O projeto propicia uma aproximação entre técnicos e produtores, com grandes possibilidades de desenvolvimento para ambos”. Já o analista da Embrapa, Sérgio Bender, ressaltou que o Balde Cheio ajuda a mudar a realidade de produtores familiares, sempre com a estreita participação dos próprios produtores e dos técnicos.

Nessa capacitação inicial foi realizada uma entrevista com os quatro produtores envolvidos que participaram juntamente com o técnico da cooperativa que vai fazer o acompanhamento. O instrutor do programa no RS, Juliano Fabrício, fez diferentes perguntas sobre a atividade nas propriedades, como o tamanho da área utilizada para a produção de leite, número de vacas em lactação, tipos de pastagens utilizadas no inverno e no verão, entre outras. Segundo o instrutor, um primeiro passo é o próprio produtor conhecer melhor a atividade e o meio é fazer o registro de todas as questões relacionadas à produção e comercialização. “É preciso ter dados econômicos, dados sobre a produção leiteira, da produtividade de cada vaca, dados climáticos e tudo mais que tem relação direta com a atividade”.

No Rio Grande do Sul o programa foi retomado há mais de dois anos e hoje já está presente em várias propriedades de diferentes regiões. De acordo com a pesquisadora Renata Suñé, cada uma das unidades atendidas tem suas metas e objetivos, que são detectadas e priorizadas entre os técnicos e os produtores. “Já temos observados ganhos em várias propriedades, sempre de acordo com os objetivos de cada produtor, seja o aumento da oferta de forragem, aumento da produtividade por vaca, a qualidade do leite, entre outras questões relacionadas à atividade”.

Balde Cheio

O Balde Cheio é uma metodologia de transferência de tecnologia que tem o objetivo de capacitar profissionais da assistência técnica, extensão rural e pecuaristas em técnicas, práticas e processos agrícolas, zootécnicos, gerenciais e ambientais. As tecnologias são adaptadas regionalmente em propriedades que se transformam em salas de aula. Sem apresentar um modelo pronto, o programa leva em conta as características de cada propriedade e o perfil de cada produtor.

A metodologia parte de um diagnóstico do estabelecimento rural e, a partir daí, com o acordo do técnico e do produtor, estabelece metas e um planejamento para alcançá-las. Estes ajustes ou mudanças vão desde a melhoria na produção de forragem para os animais até o controle zootécnico do rebanho e um melhor gerenciamento e organização da propriedade.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Suinocultura

Nova instrução normativa de bem-estar animal nas granjas brasileiras é tema de evento on-line promovido pela ASES e ABCS

O evento aconteceu na última quinta-feira (29), e contou com a participação dos associados da ASES, técnicos, profissionais da área de suinocultura e demais interessados.

Publicado em

em

Divulgação

A nova instrução normativa (IN 113/2020) que visa as adequações de manejo e as instalações para o bem-estar animal nas granjas suinícolas brasileiras foi tema de um evento on-line promovido pela ASES, em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), na última quinta-feira (29).

Sendo promovido por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS) e tendo o apoio dos frigoríficos Cofril, Mosquini e Zuculoto, a abertura do encontro contou com as falas do presidente da ASES, Jayme Meroto, da diretora técnica da ABCS, Charli Ludtke, através de um vídeo enviado, e da coordenação do evento ficou por conta do diretor executivo da ASES, Nélio Hand.

Em seguida, o público participante, que foi composto por associados da ASES, técnicos, profissionais da área de suinocultura e demais interessados, pôde acompanhar a palestra do médico-veterinário e consultor de Mercado da ABCS, Iuri Machado, que, logo de início, destacou a importância de se promover o bem-estar animal (BEA).

Iuri também apresentou um histórico recente da situação do bem-estar animal no Brasil, explicou as exigências mínimas de manejo e instalação nas granjas – enfatizando os prazos para adequações, e fez um comparativo entre as exigências da normativa e as tendências de exigências do varejo. Além disso, o palestrante explanou sobre a portaria Nº 365/2021, que foi recentemente publicada, que regulamenta o manejo pré-abate e de abate.

O público pôde participar do evento por meio de perguntas que foram endereçadas e respondidas pelo palestrante. Nélio fez um balanço do evento e destacou a parceria com a ABCS que vem resultando em diversos eventos e treinamentos para os associados da ASES.

“Muito importantes essas parcerias entre a ABCS e a ASES para que possamos levar a informação precisa ao suinocultor capixaba. Esse, a propósito, tem sido um dos focos do trabalho da associação: levar informação, e orientação aos associados da ASES para que possam estar atentos e acompanhem a realidade e evolução da suinocultura em muitos aspectos, inclusive em relação ao bem-estar animal, que vem sendo alvo de amplas discussões nos últimos anos e que foi muito bem detalhado pelo palestrante Iuri Machado em nosso treinamento”, encerrou Nélio.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Cooperativismo

C.Vale e Cooatol oficializam processo de incorporação

Anuncio foi feito após aprovação em assembleia na manhã dessa sexta (30)

Publicado em

em

Fotos: Divulgação

Em assembleia geral extraordinária realizada em conjunto na manhã dessa sexta(30), foi aprovado a incorporação da Cooatol a Cooperativa C. Vale.

Sede da Cooatol em Toledo-PR

O objetivo dessa união visa potencializar as atividades operacionais das 19 unidades de recebimento da Cooatol, garantindo maior escala na originação de grãos, oferta de insumos e bens de produção aos seus cooperados e clientes.

Outra vantagem para os associados da Cooatol é uma garantia de crescimento contínuo e sustentável, com garantia de assistência técnica, fomento e ampliação na matriz de negócios.

 

Veja na integra, o que diz o comunicado emitido pelas cooperativas:

Continue Lendo
CONBRASUL/ASGAV

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.