Conectado com

Notícias

Trabalhar eficiência alimentar no período das águas maximiza ganhos econômicos

Publicado em

em

Durante o período de chuvas o criador pecuário brasileiro tem mais oferta de pastagem, o que não significa que não seja economicamente interessante investir em nutrição. Mas muitos produtores ainda deixam de maximizar os lucros durante este período por não estarem atentos ao fato de que a forragem, apesar de abundante, pode não oferecer todos os requerimentos nutricionais necessários para o maior ganho de peso possível do gado. 

Algumas lacunas na pecuária de corte durante esta época podem ser preenchidas com soluções que adicionem valor ao alimento ofertado ao animal. “Qualquer resultado obtido a mais durante as águas trará um proveito muito maior do que na seca. É mais rentável ter um lucro de 10% de um milhão do que de 20% de 10 mil”, explica Amaury Valinote, gerente  Nacional de Gado de Corte da Alltech. Na seca o trabalho é muito intenso para alcançar pequenos resultados, já nas chuvas, é possível chegar a grandes ganhos com poucas mudanças e investimentos. 

Durante essa época, o capim possui um teor de proteína adequado, porém ainda é possível obter mais peso com a suplementação proteica. Nesse caso, é importante considerar o tipo e eficiência do suplemento ofertado que poderá complementar os efeitos do capim. O Optigen® é a solução oferecida pela Alltech. O produto é uma fonte de liberação controlada de nitrogênio, que fornece proteína degradável no rúmen com a mesma velocidade de fornecimento dos farelos vegetais. Com o consumo do Optigen®, o animal terá nitrogênio durante mais tempo ao longo do dia, colaborando com a ação dos microorganismos ruminais. As pesquisas comprovam que há um acréscimo de peso de 1@ ao utilizar o produto em comparação à mistura mineral simples por todo o verão. 

A eficiência ruminal é essencial para o desempenho do animal, entretanto após a produção de nutrientes no rúmen, estes precisam ser absorvidos pelo intestino. Actigen® é uma solução para  a melhora da saúde e ativação do metabolismo das células intestinais. Esta solução foi desenvolvida a partir da nutrigenômica e elaborada por meio da purificação das frações ativas das mananoproteínas, extraídas da parede celular de uma cepa de levedura. O Actigen® também aumenta o peso durante as chuvas, reduz os casos de diarreia e permite produzir bezerros mais pesados e mais saudáveis. 

Para o funcionamento correto do sistema digestivo dos animais é imprescindível a utilização de minerais – essenciais para as enzimas. “Mais de 400 enzimas necessitam de minerais para se desenvolverem e outras estão no organismo, porém precisam ser ativadas. Elas são responsáveis por metabolizar todos os nutrientes que estão sendo fornecidos e o Bioplex® entra com esta ação”, explica Fernando Franco, gerente de Vendas da Alltech. Os minerais em sua forma convencional são muito reativos e muitas vezes se tornam indisponíveis para a absorção pelo animal. Os minerais orgânicos Bioplex® são produzidos por um processo que os torna protegido das reações químicas indesejáveis, ao mesmo tempo em que facilita a absorção pelo gado. Durante a estação de monta, esta solução oferece mais ondas foliculares, menor intervalo entre o parto e a primeira ovulação, mais chance de prenhez e maior taxa de concepção no rebanho. Com o uso do Bioplex®, os dias entre o parto e a primeira inseminação caíram de 75 para 68 em estudo realizado na Inglaterra. 

Para todos estes investimentos darem resultado, o animal precisa estar com boas condições de saúde. O Beef-Sacc®, cepa de levedura exclusiva da Alltech, funciona neste sentido, atuando no rúmen. Reduz os impactos de estresse, melhora a saúde, promove maior deposição de músculos, ganho de peso e rendimento de carcaça. Essas vantagens são decorrentes de uma composição de cromo e selênio orgânicos de alta disponibilidade.  Já a cepa exclusiva funciona produzindo substâncias estimulantes ao crescimento microbiano, proporcionando uma melhor e mais rápida digestão, maior consumo de alimentos e aumento do aproveitamento da dieta. 

“Com algumas das soluções oferecidas pela Alltech é possível maximizar o rendimento durante a temporada. O retorno econômico nas chuvas é muito maior por unidade de trabalho e por investimento despendido do que na seca. Então, este é o momento de trabalhar visando mais lucros”, finaliza Fernando. A Alltech investe em pesquisas na área de nutrição, qualidade e rastreabilidade para fornecer produtos livres de contaminação de metais pesados e dioxinas.

Sobre a Alltech do Brasil 
É formada por uma unidade fabril em São Pedro do Ivaí (PR) e por um centro administrativo e planta industrial em Araucária (PR). A unidade brasileira é responsável pelo segundo maior volume de produção do Grupo Alltech.
A unidade localizada no município de São Pedro do Ivaí fabrica insumos naturais para alimentação animal a partir do melaço, subproduto da cana-de-açúcar. Prevista inicialmente para produzir anualmente 20 mil toneladas de biomassa, há quatro anos aumentou sua capacidade para 50 mil toneladas/ano, com possibilidade de dobrá-la. Atualmente, esta é a maior fábrica de biotecnologia direcionada para nutrição animal do país. Cerca de 70% da produção é destinada ao mercado externo, transformando o Brasil no maior centro produtor e exportador do uso da alta tecnologia do Grupo Alltech. A planta de Araucária é especializada na fabricação de produtos líquidos e Optigen.

Fonte: Ass. de Imprensa Alltech

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − nove =

Notícias Rebanho bovino e bubalino

Adapar alerta sobre importância da vacinação contra a brucelose

Doença é endêmica no Paraná e as perdas econômicas são expressivas. Ocorre queda da produtividade, ou seja, menor produção de leite, baixos índices reprodutivos, aumento no intervalo entre partos, morte de bezerros precocemente e perda de animais.

Publicado em

em

Divulgação/Adapar
A Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) alerta sobre a necessidade de vacinar o rebanho bovino e bubalino contra a brucelose. A doença é causada pela bactéria B. abortus e pode ser transmitida para seres humanos.

O abortamento é o principal sinal, e, ocorre geralmente no último terço da gestação. Outros sinais indicativos da doença é o nascimento de bezerros fracos, retenção de placenta, corrimento vaginal, inflamação das articulações e inflamação dos testículos.

A brucelose bovina é endêmica no Paraná e as perdas econômicas são expressivas. Ocorre queda da produtividade, ou seja, menor produção de leite, baixos índices reprodutivos, aumento no intervalo entre partos, morte de bezerros precocemente e perda de animais.

“Assim como a campanha de atualização de rebanhos é necessária para melhor conhecimento, rastreabilidade e análises de risco no Estado do Paraná, a comprovação da vacinação contra brucelose é necessária e obrigatória para a manutenção da sanidade do rebanho bovino e bubalino e para a diminuição da prevalência da doença”, disse a coordenadora do programa, médica veterinária Elenice Amorim.

Vacinação

Uma das principais medidas de controle da brucelose bovina é a vacinação. Fêmeas, entre três e oito meses de idade, devem ser vacinadas obrigatoriamente (Portaria nº 305/2017) e deve ser comprovada a aplicação, uma vez por semestre. No Brasil, é permitida a utilização das vacinas B-19 ou RB-51 (Vacina Não Indutora de Anticorpos Aglutinantes). A B-19 é atualmente a mais utilizada devido ao menor custo. A vacinação deve ser realizada corretamente sob a responsabilidade de um médico veterinário cadastrado na Adapar.

O uso de equipamento de proteção individual (EPI) é fundamental para o vacinador, para evitar acidentes vacinais.

Propriedades não regulares com a vacinação contra brucelose ficam impedidas de movimentarem seus animais (GTA) para qualquer finalidade.

Transmissão 

A brucelose bovina é transmitida principalmente pela ingestão de pastagem contaminada pela urina de bovinos doentes, restos fetais e restos de placenta. A doença pode ser introduzida em um rebanho sadio, pela aquisição de bovinos infectados. Por esse motivo, é importante a realização de quarentena e de novos exames para que os animais possam ser incorporados ao rebanho.

Exames periódicos fazem parte da estratégia de controle da doença. Para fêmeas que receberam vacina B19, os exames podem ser realizados com idade superior a 24 meses. A bezerras vacinadas com a RB-51 e os animais machos podem ser submetidos ao exame a partir dos oito meses de idade, quando não apresentarão anticorpos colostrais, que podem influenciar no resultado dos exames ocasionando falsos positivos.

Notificação 

Nos casos de animais reagentes no teste de triagem, a Adapar deve ser imediatamente notificada para tomada de medidas de confirmação e controle. A notificação deve ser feita pelo médico veterinário habilitado que realizou os testes diagnósticos, em até 24 horas após a leitura.

Fonte: Adapar
Continue Lendo

Notícias Apreensão

Frente fria deixa produtores de milho em alerta no Brasil

Preços domésticos foram influenciados pela apreensão de agentes com a chegada de uma frente fria em parte das regiões produtoras, que pode trazer geadas e, consequentemente, prejudicar o atual bom desenvolvimento das lavouras.

Publicado em

em

Arquivo/Gilson Abreu/AEN

Apesar da expectativa de safra recorde no Brasil, os valores do milho voltaram a subir na semana passada, interrompendo, portanto, o movimento de queda diária consecutiva que vinha sendo verificado desde o encerramento de abril.

Segundo pesquisadores do Cepea, os preços domésticos foram influenciados pela apreensão de agentes com a chegada de uma frente fria em parte das regiões produtoras, que pode trazer geadas e, consequentemente, prejudicar o atual bom desenvolvimento das lavouras. Esse cenário tem limitado o ritmo de negócios internos.

Além disso, as cotações também foram impulsionadas pelas altas externas do cereal, que, por sua vez, subiram diante de estimativas oficiais indicando possível queda na produção mundial do cereal, devido ao clima desfavorável nos Estados Unidos e a dificuldades diante da guerra na Ucrânia.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Análise Cepea

Valorização do dólar eleva preço da soja em grão no Brasil

Cenário atraiu importadores para o país, o que resultou em aumentos no prêmio de exportação e nos preços domésticos da soja.

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Os preços da soja em grão subiram no Brasil na semana passada.  Segundo pesquisadores do Cepea, a valorização do dólar frente ao real atraiu importadores para o Brasil, resultando em aumentos no prêmio de exportação e nos preços domésticos da soja.

Agora, as atenções de agentes estão voltadas à temporada 2022/2023 no Hemisfério Norte.

Segundo o USDA – Departamento de Agricultura dos Estados Unidos -, a área mundial a ser cultivada com soja é estimada em 134,93 milhões de hectares, 3,65% maior que na temporada passada e um novo recorde.

A produção também é apontada para ser recorde, de 394,69 milhões de toneladas, 13% superior à safra passada.

Para o Brasil, a área de soja é prevista pelo USDA em 42 milhões de hectares, um novo recorde, resultando em produção de 149 milhões de toneladas, 19,2% a mais que o estimado para a safra 2021/2022 (125 milhões de toneladas).

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Yes 2022

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.