Conectado com

Notícias

Show Rural promete espetáculo de beleza e tecnologia

Publicado em

em

Já faz parte da agenda anual de quem trabalha com agronegócio e também quem não trabalha o Show Rural Coopavel. E já começou a contagem regressiva para a edição 2014, que acontece de 03 a 07 de fevereiro, no Parque Tecnológico Coopavel. O evento é considerado uma das principais vitrines tecnológicas do agronegócio brasileiro, atraindo público de mais de 30 países. Não tem show musical e nem programação artística, pois sua principal atração é a tecnologia e a produção agropecuária, que, diga-se de passagem, são as melhores do planeta. 
Como sempre, entre os visitantes, muitas personalidades VIPs, caso do governador Beto Richa, que tem marcado presença todos os anos. Conforme a assessoria do Show Rural, falta, apenas, a Casa Civil confirmar o dia em que ele estará no evento. A expectativa é que o governador venha acompanhado do senador Aécio Neves, pré-candidato a presidente da República pelo PSDB. E, sim, a presidenta Dilma Rousseff é outra confirmação aguardada. Por se tratar de um ano de eleições estaduais e nacionais, o número de políticos prestigiando a programação deve ser ainda maior do que o normal. Também devem confirmar datas de suas visitas, os ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil). Os senadores Alvaro Dias (PSDB) e Sergio Souza (PT) vão confirmar o dia de suas participações. Somam-se a eles muitos outros deputados estaduais e federais, secretários de Estado e também dirigentes de multinacionais, de órgãos do setor agropecuário, instituições de pesquisa, entre outros. “O Show Rural tornou-se visita ‘obrigatória’ para quem está e quer estar na mídia”, comemora o coordenador-geral do evento, Rogério Rizzardi.
Atrações
Com chuva ou sol, são aguardadas cerca de 200 mil pessoas para os cinco dias de programação. No ano passado foram 202.574 e, diga-se de passagem, a maior parte é de pessoas ligadas ao agronegócio, sejam produtores ou profissionais da área, além de empresários do setor. Para a região, afirma Dilvo Grolli, presidente da Cooperativa Coopavel, promotora da feira, o Show Rural traça novos parâmetros de produção amparados pela utilização de tecnologia.
Foco
Os estandes no Show Rural são disputadíssimos. Neste ano, são cerca de 440 empresas participantes. O crescimento vertiginoso, anual, se deve, avalia o coordenador Rogério Rizzardi, porque sempre houve foco em apresentar o que de mais novo em tecnologia no campo e também inovação. “As pessoas procuram o Show Rural para saberem o que há de melhor disponível no mercado para aplicação no campo, bem como visam adquirir informações úteis para desenvolverem suas atividades, e não saem frustradas porque nosso desafio é sempre atender a essas expectativas”, ressalta. O Show Rural, inclusive, é considerado um dos mais bem organizados eventos do setor no mundo. Todas as principais empresas do agronegócio brasileiro participam da feira em Cascavel. A disseminação de conhecimento através de especialistas presentes em vários estandes é outro ponto forte da programação. Só de profissionais técnicos da área e pesquisadores são em torno de 3,5 mil. Além disso, há quase cinco mil parcelas experimentais demonstrativas. 
Beleza
Não só a tecnologia de última geração encanta no Show Rural. Numa área de 720 mil metros quadrados, o Parque Tecnológico Coopavel tornou-se uma grande atração turística. A Coopavel mantém cerca de 100 profissionais fixos trabalhando no local. No mês que antecede a programação, em torno de quatro mil trabalhadores estão incumbidos de preparar o espaço, só da Coopavel são aproximadamente 800 profissionais. De quatro a cinco mil ficam no local trabalhando nos cinco dias de evento.
Rizzardi expõe que um amplo processo de paisagismo extremamente delicado e preciso, utilizando milhares de flores em sua decoração completa o cenário. O coordenador do Show Rural revela que o cultivo chega a ser planejado com anos de antecedência. É o que acontece com rosas que começaram a ser produzidas em 2010 para serem utilizadas nesta edição. “Além de tecnologia, as pessoas querem atração para os olhos”, pontua o coordenador. E essa beleza é muito bem protegida. O coordenador conta que as equipes que fazem a montagem dos estandes passam por treinamento para respeitarem o paisagismo e a decoração. “Cuidar das flores e outras plantas é uma obrigação de todos que trabalham no parque”, garante.
E tem mais. No Parque Tecnológico tem ruas cobertas e asfaltadas, há restaurantes, áreas de descanso e praça de alimentação, bancos, posto médico, segurança, estacionamento próprio para mais de sete mil vagas, água gelada gratuita etc. “Primamos pelos mínimos detalhes para oferecer o conforto necessário para que as pessoas possam assimilar as tecnologias e informações apresentadas”, conclui Rogério Rizzardi.

Fonte: O Presente Rural

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.