Conectado com
OP INSTAGRAM

Empresas

Segurança alimentar: sistemas de identificação e monitoramento são aliados para conquistar a confiança dos consumidores

Tecnologias permitem implantar rastreabilidade na cadeia e fornecem informações precisas sobre os manejos, a saúde e o bem-estar do rebanho em todas as etapas da produção

Publicado em

em

Os consumidores estão cada vez mais exigentes com a qualidade dos alimentos que consomem. Para eles, saber a procedência do que está no prato é primordial.  No entanto este tipo de informação só é possível com a implantação de solução de rastreabilidade em toda a cadeia de alimentos. Para a indústria de carne bovina e leiteira, o monitoramento e a identificação dos animais são um bom começo para que se possa conquistar a confiança dos consumidores.

“O conceito ‘do pasto ao prato’ vem cada vez mais sendo difundido para mostrar ao consumidor qual foi a jornada que a comida fez para chegar à mesa. Mas não é algo tão simples assim, pois na indústria pecuária, há muitas etapas a serem seguidas ao longo do caminho. Por isso, o sistema de monitoramento animal é um aliado, pois fornece informações precisas sobre a saúde do rebanho e o bem-estar de uma vaca na fazenda. Por sua vez, a identificação bem feita fornece a possibilidade de implantar o rastreio em toda a cadeia, em que constam todos os processos de manejo”, explica o diretor comercial da Allflex, Ivo Martins.

“Para que os consumidores obtenham confiança nos alimentos que comem, eles precisam de dados concretos confiáveis de toda a cadeia, comunicados a eles de maneira clara”, completa.

Por que a rastreabilidade da carne bovina é importante?

Embora a rastreabilidade seja relevante para todos os produtos alimentícios, a demanda e a complexidade são particularmente altas quando se trata de produtos à base de carne. A cadeia da carne bovina é muito longa, com muitos elos diferentes e, sem o compartilhamento de dados, ninguém pode ter certeza do que ocorreu exatamente na etapa anterior.

“O objetivo principal da implantação da rastreabilidade é criar um cenário que permita ao consumidor comprovar a rastreabilidade dos alimentos. Ou seja, que a carne que ele está comprando, por exemplo, é 100% garantida como um corte certificado. Além de dar credibilidade, essa solução também dá aos consumidores o controle do que estão realmente consumindo”, pontua o diretor comercial da empresa..

O outro incentivo apontado por Martins de uma solução de rastreabilidade baseada em dados é a segurança alimentar. “Caso um produto seja identificado com má qualidade é crucial rastrear sua procedência e antecipar-se a um problema maior na cadeia. Mais do que uma consideração hipotética, isso já ocorreu várias vezes, como a epidemia de peste suína na China, que levou à destruição generalizada de estoques, e o escândalo da carne de cavalo vendida como bovina, em 2012”, reforça.

Esforços para a construção da confiança na rastreabilidade

A Allflex possui várias soluções para ajudar nos esforços de rastreabilidade e no processo de construção de confiança com os consumidores. O exemplo principal são os identificadores visuais, que são à prova de violações e podem ter os números impressos personalizáveis. Um passo adiante, os brincos de identificação eletrônicos adicionam mais possibilidades de rastreabilidade.

Outro tipo de solução são os leitores conectados. Como as soluções Allflex já possuem a tecnologia da identificação eletrônica, a instalação de leitores em muitos locais diferentes torna possível relatar todos os eventos. Essa ferramenta fornece informações sobre tudo o que ocorre com um animal ao longo de sua vida. “Podemos implantar um leitor em um caminhão que informa que uma vaca específica é embarcada ou desembarcada. Ou ainda, é possível escanear uma vaca quando ela receber medicamentos para que o produtor possa saber quando o leite poderá ser aproveitado novamente”, explica.

Com os dados completos do ciclo de vida, é possível saber em qual fazenda o animal doente foi criado, por qual frigorífico foi comprado e abatido, em que fábrica de embalagem a carne foi enviada e em quais caminhões viajou, além de todo o caminho até o supermercado ou restaurante. Munidos com essas informações, é possível fazer um “recall do abate”, separando apenas os lotes que tiveram contato ou passaram pelos mesmos pontos com o animal doente, ao invés de ter que descartar toda a carne ou um rebanho inteiro.

Um bom exemplo de como o monitoramento da saúde das vacas pode aumentar a confiança do consumidor é a parceria firmada com a Nestlé. “Ao monitorar os animais 24 horas por dia, sete dias por semana com Allflex SenseHub, a Nestlé pode fornecer aos consumidores informações sobre o bem-estar dos animais de forma digital e baseada na ciência. Por sua vez, isso prova para os consumidores que sua comida é proveniente de animais bem cuidados, e é exatamente isso que eles querem saber”, ressalta o gerente de Monitoramento Allflex América Latina, Luciano Lobo.

Iniciativas inovadoras no mundo

Já existem várias iniciativas “do pasto ao prato” em andamento no mundo. Na Austrália, por exemplo, a Provenir – produtora de carne – fornece uma unidade móvel de processamento que vai até as fazendas parceiras, abate no local e entrega a carne diretamente à revenda. Além de reduzir o sofrimento dos animais durante o transporte, garante que a fonte da carne seja conhecida.

Da mesma forma, no setor de laticínios, a Lely, parceira da Allflex, lançou um sistema de processamento de laticínios na fazenda que permite que o leite seja pasteurizado e engarrafado ali mesmo. O sistema automatizado oferece aos produtores mais controle, reduzindo mão de obra e custos. Enquanto isso, os consumidores recebem um leite de qualidade e produzido de maneira sustentável.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 4 =

Empresas

Biogénesis Bagó fortalece o movimento #BebaMaisLeite

Multinacional passa a integrar a iniciativa que tem total sinergia com o movimento “Fronteiras Produtivas”

Publicado em

em

A Biogénesis Bagó, uma das empresas líderes na América Latina na produção de soluções para a saúde animal, é a nova apoiadora do movimento #BebaMaisLeite, programa brasileiro independente de estímulo ao consumo de lácteos.

“Integrar o #BebaMaisLeite está em plena sintonia com o movimento ‘Fronteiras Produtivas’ que a Biogénesis Bagó vem liderando nos últimos anos para encorajar o pecuarista e os demais profissionais, técnicos, zootecnistas e veterinários a otimizarem os seus índices de produtividade utilizando os recursos disponíveis pelos diversos elos da cadeia. Olhar para o elo do consumo é fundamental para que a cadeia produtiva como um todo se desenvolva de maneira sustentável. Por isso, apoiamos o #BebaMaisLeite, que é uma iniciativa muito consistente e coerente com o que acreditamos”, destaca o gerente de marketing da Biogénesis Bagó Brasil, Carlos Godoy.

O movimento #BebaMaisLeite é uma iniciativa das mineiras Ana Paula Menegatti e Flávia Fontes, mães e médicas veterinárias, que, diante da desinformação do público consumidor sobre leite e derivados, criaram uma plataforma independente para a promoção dos benefícios desses alimentos.

Criado em julho de 2016, o movimento conta com um portal (www.bebamaisleite.com.br) e páginas nas redes sociais (facebook/bebamaisleite e @bebamaisleite no Instagram), onde divulga notícias sobre mitos e verdades, os benefícios do consumo de lácteos e receitas, entre outros assuntos. Além disso, realiza eventos presenciais e digitais para promover a disseminação de informações científicas e respaldadas por profissionais reconhecidos nas áreas de saúde e nutrição.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Suinocultura

Cargill Nutrição Animal  é parceira estratégica do projeto Becker 36

Com foco em entregar 36 leitões desmamados por femêa por ano, a  Nutron, em parceria com outras empresas fornecedoras, formaram um time especializado no Paraná para desenvolvimento do Projeto Becker 36

Publicado em

em

Fotos: Divulgação

A Nutron, marca de nutrição animal da Cargill, em conjunto com a Granja Becker e outras empresas parceiras, lançam oficialmente o programa Becker 36 no Paraná. Desde 2019, a Cargill vem trabalhando em parceria com a Granja para que os objetivos determinados em conjunto com o proprietário Sr. Milton Becker, fossem alcançados ano a ano, melhorando os resultados da Granja que já era referência há muito tempo. “Em 2018, foram alcançados resultados de 33 leitões desmamados/fêmea/ano, com peso 201,55 kg/desmamados/fêmea/ano; Em 2019, iniciamos o projeto Becker 35, que tinha objetivo de, em 2 anos, alcançarmos a marca de 35 leitões/fêmea/ano. O resultado alcançado em 2020 foi de 35,42 leitões/fêmea/ano, com um peso de leitegada desmamada de 220,75 kg/desmamados/fêmea/ano; sendo assim, em dois anos de projeto, os índices melhoraram 2,42 leitões a mais por matriz/ano, além do significativo aumento na qualidade dos leitões desmamados”, conta Diana Vivian, Consultora Técnica Regional em Nutrição de Suínos da Cargill/Nutron.

Com o sucesso dos anos anteriores, hoje estamos lançando o Projeto Becker 36, que tem como principal objetivo alcançar a marca de 36 leitões desmamados por fêmea por ano, o que significa entregar mais de 180 mil leitões produzidos no ano, sendo esse indicador  8,3% a mais da média produzida no país. É importante salientar que para melhorar a produtividade e manter a qualidade, é necessário muito mais que estrutura, é fundamental o suporte dos parceiros de nutrição, sanidade e genética, e que estes trabalhem em conjunto e engajados com a direção e funcionários da Granja. “Percebemos que o projeto seria possível com o comprometimento de todos da equipe. E aqui encontramos esse engajamento. Todos estão muito preocupados com o resultado, e sem dúvida, o  Sr. Milton Becker, que é um visionário, um empresário que pensa sempre a frente, possibilitou que os resultados fossem acontecendo para que hoje pudéssemos lançar mais este desafio”, explica Melissa Valentim – Assistente Técnico Comercial da Cargill/Nutron.

Atenção redobrada, quando o assunto é nutrição, os programas estratégicos nutricionais são traçados para cada fase dos suínos de acordo com os objetivos de produtividade. E os cuidados com a nutrição das matrizes, vão desde uma avaliação constante da condição corporal, produtividade e consumo, para adequar e suprir toda a demanda para o máximo desempenho. “No caso da fase de Reprodução, à medida que temos um plantel estável em termos de genética e idade média, a nutrição é ajustada para atendimento do peso reprodutivo do animal. Temos que suprir a matriz da sua demanda para a produção de leitões, anexos reprodutivos e desenvolvimento de glândula mamária. O objetivo é que a fêmea permaneça o maior tempo possível no plantel e com alta produtividade”, conta Diana. Ao mesmo tempo, questões de sanidade também são acompanhadas nesse processo, como explica Tiago Mores – Consultor Técnico Nacional de Manejo e Sanidade da Cargill/Nutron, a relação entre sanidade e nutrição são diretamente proporcionais. “Animais que são bem nutridos e com todas as exigências nutricionais atendidas, conseguimos ter uma imunidade diferenciada, saúde melhor e maior produtividade”, explica.

Além disso, vale lembrar que um bom programa de vacinação é imprescindível para a sanidade a longo prazo, sendo realizada nas matrizes e nos leitões. “Essa aplicação é importante ser realizada ainda na fêmea gestante para que ela repasse esses anticorpos pro leitão no momento que eles nascem e têm acesso ao colostro. O manejo correto de ingestão de colostro ajudará no desenvolvimento da imunidade destes leitões”.

Para o Projeto Becker 36 os resultados são avaliados por um equipe de estatísticos com mais aprofundamento, buscando as oportunidades de melhorias nos indicadores. Uma granja de alto desempenho produtivo precisa de uma boa gestão de dados, pois cada detalhe pode fazer grande diferença nos resultados. “Daqui pra frente é realmente ir mais a fundo nos detalhes, estratégias de nutrição e sanidade que podem ter impacto grande na produtividade das matrizes. Nós desenvolvemos uma nutrição de precisão para as fêmeas da granja Becker, pois são animais de alto potencial genético e estamos indo para a terceira onda de planejamento de fórmulas, olhando para o plantel, sua imunidade, e dando suporte para fêmea ser ainda mais produtiva. Mas, nosso grande aprendizado é que só conseguimos isso com o envolvimento de sanidade, genética e nutrição, uma equipe multidisciplinar que olha 100% do tempo para isso”, conta Melissa.

“Temos hoje aqui na Granja o melhor da melhor assistência técnica, melhor sistema de controle, o melhor trabalho genético e melhor nutrição. A nível Brasil não tenho dúvida que temos algo diferenciado aqui. E isso se dá pela equipe que temos aqui!”, comenta Milton Becker durante o lançamento do projeto

Além da Granja Becker, outras granjas também têm recebido o mesmo formato de trabalho. Equipe dedicada, somada aos profissionais da granja engajados, abordagem técnica e analítica com personalização de nutrição, segundo Diana é a chave para resultados alcançados e ela complementa: “este formato de trabalho é muito assertivo, replicamos para outras granjas, obviamente com metas diferentes, mas nas quais também estamos tendo resultados bem expressivos”, finaliza.

O modelo de trabalho em forma de projeto adotado na Granja Becker baseia-se no entendimento das metas e objetivos do cliente, a partir daí é feito um diagnóstico da granja e uma criteriosa análise dos dados atuais buscando oportunidades de melhoria. A partir disso, é estabelecido um plano de trabalho e entra em campo um time de especialistas em nutrição, sanidade e manejo que, junto com a equipe da granja, estabelecem ações a serem executadas e acompanham toda a implementação. Os resultados são monitorados constantemente e, sempre que necessário, os desvios são corrigidos. Isso faz com que metas sejam alcançadas.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Avicultura

Kemin anuncia nova gerente de Serviços Técnicos para Avicultura na América do Sul

Kelen Zavarize assume a posição com o objetivo de promover conhecimento técnico entre a equipe comercial e clientes e trazer soluções de nutrição e saúde das aves

Publicado em

em

Kelen Zavarize - Divulgação.

Kelen Zavarize, zootecnista com pós-doutorado em nutrição de aves, 12 anos de experiência na área de nutrição animal com ênfase em monogástricos e passagem pela agroindústria, assume a posição de gerente de Serviços Técnicos para Avicultura da Kemin na América do Sul. Ela é responsável por gerar conhecimento técnico, orientar a equipe comercial e os clientes e promover atualização contínua sobre nutrição e saúde animal na divisão de aves.

A especialista destaca sua chegada em um momento de ampliação do departamento técnico da empresa. “O objetivo é trazer mais soluções para clientes através do portfólio da companhia com uso de tecnologias inovadoras. É uma missão especialmente importante neste momento de pressão de custos para o produtor e de crescimento do departamento, o que me deixa entusiasmada”, afirmou.

O diretor de Vendas da Kemin na América do Sul, Marcos Teo, salienta o reforço da equipe técnica. “A Kelen vem para agregar com seu vasto conhecimento na área de produção de frangos da agroindústria, além de trazer uma bagagem acadêmica e técnico-comercial importante”, disse o executivo. Para ele, a contratação faz parte da estratégia da Kemin de ter foco total nos clientes. “Investimos pesadamente em um elevado nível de suporte técnico para o cliente, auxiliando no desenvolvimento de soluções que agreguem valor e rentabilidade à cadeia produtiva”, encerrou.

Fonte: Ass. de Imprensa.
Continue Lendo
SBSA 2021

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.