Conectado com
OP INSTAGRAM

Empresas

Royal DSM aponta caminho para aprimorar o desempenho dos animais e reduzir as perdas da produção de leite

Para responder a este cenário global, especialistas destacam que é necessário aprimorar o desempenho dos animais por meio de uma nutrição adequada; esse tema faz parte de uma das plataformas de sustentabilidade do “We Make it Possible”, iniciativa global da companhia

Publicado em

em

Augusto Adami, Vice-presidente do de Nutrição e Saúde Animal da DSM para a América Latina.

Segundo estudo da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), pelo menos 20% da produção animal é perdida anualmente devido a doenças, representando cerca de 60 milhões de toneladas de carne e 150 milhões de toneladas de leite, o equivalente a aproximadamente US$ 300 bilhões¹. Para responder a esta e outras questões mundiais atuais, a Royal DSM, empresa global baseada em ciência para Nutrição, Saúde e Vida Sustentável, por meio do seu negócio de Nutrição e Saúde Animal, criou a iniciativa We Make It Possible (“Nós tornamos isso possível”, em português). A empresa quer com isso liderar uma transformação mundial robusta e realizável na produção sustentável de proteína animal, e acelerar soluções que promovam um futuro mais sustentável.

A iniciativa da DSM está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU – Organização das Nações Unidas – e destaca seis importantes plataformas de sustentabilidade, sendo uma delas: “Aprimorar o desempenho dos animais ao longo de sua vida útil”. Essa proposta está engajada com a meta 2.3.1 da ONU, que visa alcançar o dobro da produtividade média dos produtores de alimentos até 2030. O objetivo ao trazer esse tema é o de chamar a atenção dos envolvidos na cadeia de produção para a necessidade de aprimorar o desempenho dos animais durante sua vida útil e ao mesmo tempo reduzir a incidência de doenças, gerando economias significativas com grande impacto positivo na sustentabilidade.

“A saúde animal impacta na manutenção e no equilíbrio ambiental. O aumento da capacidade produtiva na produção animal, demanda que deverá crescer cerca de 70% até 2050, amplia a necessidade de alto desempenho dos animais e, consequentemente, dos cuidados com o bem-estar e a saúde das espécies”, afirma Augusto Adami, Vice-presidente do de Nutrição e Saúde Animal da DSM para a América Latina. Nesse sentido, a DSM destaca que é necessário a inclusão de vitaminas e minerais na dieta dos animais, de acordo com a necessidade de cada espécie. Para isso, a companhia criou o conceito Optimum Vitamin Nutrition™ (OVN)™ uma linha de pesquisa que analisa a suplementação vitamínica sob a perspectiva de aumento do desempenho do animal e da produção. Por meio do OVN™ o produtor tem acesso a uma linha completa de vitaminas de alta qualidade nas quantidades certas e proporções compatíveis ao estágio de vida e condições de crescimento dos animais.

Vacas mais saudáveis, ganhos de produtividade e menor impacto ambiental

As vacas leiteiras podem adquirir graves problemas de saúde que interferem nas taxas de substituição do animal no rebanho e na sua longevidade como, por exemplo, a claudicação. Neste contexto, a DSM propõe o suplemento vitamínico ROVIMIX® Biotin, solução à base de biotina que melhora a qualidade e a resistência dos cascos ao mesmo tempo que reduz a probabilidade de problemas associados à claudicação.

Outra preocupação clínica na produção leiteira é a mastite que tem impacto direto na lucratividade do produtor, resultando na incapacidade das vacas se alimentarem, na perda de leite e na diminuição da fertilidade. O suplemento de vitamina E, ROVIMIX® E50, ajuda nesse cenário, atuando no sistema imunológico da vaca, diminuindo a taxa de infecção inflamatória no parto em até 80%, bem como na redução das infecções do úbere e a duração da mastite em até 50%, gerando aumento da produção de leite, com menos perdas e melhor rentabilidade da fazenda.

Sob a perspectiva sustentável, a DSM entende que é necessária uma boa gestão da saúde animal para gerar menos impacto ambiental. “Trabalhamos com soluções de alta tecnologia para ajudar no desenvolvimento econômico e sustentável do setor, promovendo saúde para os animais e redução de emissões, com otimização do uso dos recursos naturais e maior produtividade”, afirma Verônica Lopes, médica-veterinária e coordenadora da categoria Gado de Leite da área de Ruminantes da DSM no Brasil. Neste contexto, a companhia cria alternativas que contribuem para a maior longevidade das vacas de leite nos sistemas produtivos e maior produção em cada ciclo de vida.

Programa Qualidade do Leite Começa Aqui

Desde 2012, a DSM reconhece e premia produtores de leite que atingem altos níveis de qualidade através do uso das tecnologias DSM. “Produzir leite de maneira segura, com alto teor de proteína e gordura, e com baixo nível de células somáticas é um dos principais desafios da pecuária leiteira brasileira. No entanto, a mudança de comportamento dos consumidores tem atraído cada vez mais produtores para o Programa na busca de melhorar a nutrição e a qualidade dos seus produtos”, afirma Verônica Lopes.

Por meio de um banco de dados, a DSM analisa os níveis de proteína, gordura e células somáticas (CCS) e dá suporte aos produtores participantes do programa na melhoria desses índices. Com métodos nutricionais preventivos e não medicamentosos, como as vitaminas D e E, biotina e betacaroteno, é possível aumentar as taxas de reprodução das vacas, melhorar a saúde, reduzir o índice de dermatite digital e mastite clínica, bem como ajudar a deixar os cascos mais robustos e úberes mais saudáveis. Isso tudo contribui para aumentar o rendimento e a qualidade do leite e, ao mesmo tempo, reduzir em 50% a perda do leite durante o tratamento com antibióticos. Até agora, mais de 20 mil fazendas já participaram do Programa Qualidade do Leite Começa Aqui com mais de 1,2 milhão de vacas em lactação.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 2 =

Empresas

Biogénesis Bagó inaugura novo banco de vacinas contra a febre aftosa

As instalações funcionam como reserva estratégica de antígenos e vacinas contra a febre aftosa, única na América Latina

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A Biogénesis Bagó, empresa de biotecnologia especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de produtos para a saúde e produtividade animal, inaugurou uma nova instalação que amplia a sua capacidade de resposta a emergências para 60 milhões de doses de vacinas contra a febre aftosa e tem capacidade de expansão de acordo com demandas futuras.

O novo centro construído pela empresa, que visa atender à necessidade global de vacinas de “classe mundial” para responder a emergências sanitárias e acompanhar a evolução tecnológica, conta com medidas de segurança e monitoramento de características especiais, abrigando 20 tanques para armazenar antígenos ultraconcentrados em nitrogênio líquido a -180° C. Estes constituem as matérias-primas cruciais para a formulação de vacinas com potência e segurança garantidas em um período inferior a uma semana – enquanto a elaboração de uma vacina através de processos tradicionais leva ao menos três meses – e, desta maneira, permite atender a qualquer emergência, em qualquer parte do mundo, de forma imediata.

“Nossa experiência em atendimento de emergências, juntamente com a nossa constante inovação tecnológica e profissionalização de nosso capital humano, nos consolida como uma referência mundial na luta contra a febre aftosa. Este projeto é um exemplo de nosso compromisso com a evolução da saúde animal e, ao mesmo tempo, com o desenvolvimento do conhecimento e da capacidade de produção da Argentina e da região para o mundo”, afirma Esteban Turic, CEO da Biogénesis Bagó.

A evolução da Biogénesis Bagó como líder global posiciona a companhia como uma das únicas empresas no mundo com capacidade de produção e fornecimento de produtos seguros e eficazes de classe mundial. Este é o resultado da vasta trajetória da companhia, do investimento constante na luta contra a febre aftosa e do trabalho conjunto com organizações científicas e técnicas na Argentina e centros de referência global. Ao mesmo tempo, a cooperação público-privada tem permitido o desenvolvimento de profissionais altamente qualificados, que são a base da evolução tecnológica da empresa.

“A participação em campanhas de emergência e o fornecimento ao SENASA, na Argentina, ao Banco Nacional de Vacinas Animais e Contramedidas Veterinárias do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e ao Banco Norte-Americano de vacinas contra a febre aftosa, que os EUA integram com o Canadá, abriu um precedente sobre as nossas competências e as conquistas que poderemos alcançar a partir desta ampliação”, acrescenta Rodolfo Bellinzoni, diretor de Operações Industriais em Inovação da Biogénesis Bagó e referência mundial no assunto.

Este projeto é parte de um ambicioso plano de investimento e desenvolvimento tecnológico para ampliar a capacidade de produção e os padrões de qualidade das fábricas, que contempla, no futuro, a execução de outras obras relevantes na unidade de Garín com o objetivo de sustentar a expansão global da companhia.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Parceria

Conheça a Novagro, uma parceira Feedis

Juntas empresas buscam levar para o mercado soluções tecnológicas inovadoras voltadas para nutrição de animais de produção

Publicado em

em

Sergio Metzker / Divulgação

A Feedis, empresa especializa em aditivos inovadores para nutrição animal, apresenta mais um parceiro da sua rede. Desta vez é a Novagro, empresa sediada em Pará de Minas (MG), criada em fevereiro deste ano e pelo médico-veterinário Sergio Metzker.

“Criamos a Novagro este ano com o objetivo de levar aos nossos clientes tecnologias que ajudem a enfrentar os desafios do dia a dia, produzir mais e melhor. A parceria surgiu da oportunidade e soluções inovadoras disponibilizadas pela Feedis, que vem ao encontro do que consideramos importantes aos nossos clientes, principalmente com o objetivo de produzir com melhor eficiência e mais saúde, destaca Sérgio Metzker: “É uma excelente parceria, pois reúne produtos e profissionais de ponta para um mercado extremamente exigente”.

Luciano Heis, Gerente de Negócios Feedis, faz suas considerações sobre este braço da empresa austro-brasileira para a região: “A parceria com a Novagro, é um importante passo para firmarmos nossa presença no mercado de Minas Gerais, alinhado com o desejo de estarmos mais próximos dos clientes deste importante estado produtor”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Aquicultura: uso de enzimas na dieta dos animais proporciona maior rentabilidade

Compostos enzimáticos melhoram a digestibilidade dos nutrientes, promovendo uma série de benefícios ao produtor

Publicado em

em

Divulgação Alltech

O aproveitamento de nutrientes presentes na dieta dos animais é um fator fundamental para melhorar a rentabilidade das criações, inclusive na aquicultura. Entretanto, também pode ser considerado um desafio no manejo de peixes e camarões, já que nem todos os alimentos conseguem ser absorvidos de maneira natural. Neste processo, a digestibilidade é essencial na busca pela eficiência alimentar.

Como explica a zootecnista Carolina Farias, gerente de vendas para aquicultura da Alltech, o organismo dos peixes é preparado fisiologicamente para aproveitar nutrientes disponíveis na natureza, entretanto alguns deles não são totalmente absorvidos. Para alimentá-los em cultivos, a exigência fisiológica dos animais é atendida com farinhas de origem animal e vegetal. Mas como explica a especialista, apenas isso não é suficiente: “alguns ingredientes de origem vegetal contêm substâncias antinutricionais para os peixes, que além de não serem bem aproveitadas, acabam piorando a absorção de outros elementos”, diz.

Por conta disso, as enzimas são tão importantes, já que têm a função de acelerar algumas reações químicas específicas dentro do organismo dos animais, quebrando moléculas maiores em menores, o que acaba facilitando a absorção de nutrientes pelo intestino, ou seja, melhorando a digestibilidade. “Por meio das enzimas, conseguimos quebrar compostos antinutricionais e elevar o aproveitamento de nutrientes que não estariam disponíveis sem a tecnologia”, comenta.

Os benefícios do uso de soluções enzimáticas na dieta dos animais já têm sido observados na prática, como relata Giuliano Mathias Dias, produtor de tilápia em Caconde (SP), que, ao utilizar a tecnologia na alimentação dos peixes. “Com a enzima melhoramos 0.2 na conversão alimentar, que é uma diferença significativa quando se pensa em grandes volumes” comenta.

Além da maior produção de filé com a mesma quantidade de peixe, o produtor também notou outros benefícios: “outro resultado positivo foi a diminuição de mortalidade e melhora significativa também no crescimento. Tudo relacionado talvez ao melhor aproveitamento da ração proporcionado pela enzima”, diz.

A utilização de um complexo enzimático depende da fase, da genética e até do manejo do animal, e vale ressaltar que o seu uso na aquicultura não só potencializa a conversão alimentar, mas também traz uma série de benefícios ao produtor: “o que você oferece ao animal vai ser melhor absorvido, então consequentemente vai ter maior um ganho de peso, maior manutenção dos parâmetros de qualidade de água, e maior aproveitamento de nutrientes, pontos muito importantes para a manutenção da produtividade e a rentabilidade da produção. Quanto mais o animal crescer e ficar bem de saúde, num ambiente adequado, melhor vai ser para ele”, explica Carolina.

Solução para formulação

Para auxiliar o setor a melhorar a eficiência alimentar dos animais, a Alltech possui em seu portfólio as soluções Allzyme´s.  Allzyme SSF e Allzyme Vegpro auxiliam na saúde do sistema digestivo do animal e maximizam a digestibilidade dos nutrientes da dieta.

Fonte: Ass. de imprensa
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.