Conectado com

Notícias

Rogério Balestrin é o novo presidente do Nucleovet

Publicado em

em

Rogério Francisco Balestrin, Médico Veterinário formado pela Universidade Federal de Santa Maria – RS e pós graduado  em Marketing pela FGV, assume a presidência do Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas, uma das entidades mais atuantes do setor, com a responsabilidade de garantir o alto nível das palestras e conteúdo de ponta em três eventos técnicos que  assumiram lugar de destaque no calendário nacional do agronegócio.
Balestrin destaca “O Nucleovet tem conquistado nesses últimos anos um papel de destaque na região, no país e  na América Latina. Isso se deve aos projetos  – Simpósio Brasil Sul de  Avicultura, Suinocultura e mais  recentemente de Bovinocultura de Leite. Nosso propósito é manter um elevado nível técnico em nossos eventos para que a educação continuada, seja a premissa básica de todo nosso esforço e dedicação”.  
Balestrin, que é  Gerente de Suínos – DSM Produtos Nutricionais Brasil S.A,   aponta  entre as metas da Gestão 2014 – 2015 manter e fortalecer a missão  do Nucleovet desde a criação da entidade  “Queremos ser um facilitador entre os segmentos envolvidos da cadeia produtiva, integrar e interagir com os novos colegas que saem das universidades e chegam em nossa região para desempenhar suas carreiras profissionais” revela .
Quem deixa a presidência do Núcleo Oeste de Médicos Veterinários é o médico veterinário e consultor João Batista Lancini que esteve a frente da entidade na gestão 2012 – 2013, período marcado pelo crescimento do público dos eventos e retomada do Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite. Lancini assume a presidência da Comissão Científica para o os eventos de avicultura ao lado de outros profissionais e entidades parceiras.
SBSA – 15 anos de excelência
No ano que o Simpósio Brasil Sul de Avicultura, evento técnico que reúne a cada ano mais de 1 mil profissionais em Chapecó, completar 15 anos o desafio é ainda maior. Sobre isso o  novo presidente falou do compromisso com a qualidade, Balestrin aponta o entrosamento com o setor produtivo como fator determinante para oferecer debates relevantes e alinhados com as reais demandas “Nosso foco é  detectar as necessidades da agroindústria, identificando os principais desafios do momento atual.  Simultaneamente , qualificar os profissionais, aliando a pesquisa com a prática  além de  manter a excelência dos eventos promovidos pelo Nucleovet e  preservar a importante parceria com nossos patrocinadores além de conquistar novos colaboradores” finaliza o novo presidente.
O XV Simpósio Brasil Sul de Avicultura será realizado de 08 a 10 de abril no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes em Chapecó,SC.  A expectativa  da comissão organizadora  com XV SBSA e VI Poultry Fair é a de atingir recorde de público nesta décima quinta edição, marcando uma década e meia de encontros técnicos que contribuíram significativamente com o crescimento da qualidade da avicultura brasileira.  “Nesta edição comemorativa  dos 15 anos do SBSA o compromisso é ainda maior em satisfazer os anseios do público e patrocinadores. O objetivo final é servir de  fundo para a  realização de negócios, promover  uma maior interação entre fornecedores e clientes e promover um eficiente network entre colegas e empresas” destacou Rogério Balestrin.
A respeito da edição comemorativa de 15 anos Balestrin afirma “Finalmente chegamos em 2014 ao XV SBSA  colecionando sucesso em público e difusão de conhecimento.  O segmento avícola vem evoluindo em todos os aspectos :  desde a produção,  questões comerciais e de segurança alimentar. Com isso toda a engrenagem que move essa importante cadeia vem se modificando. Os assuntos mudam, as necessidades mudam, as barreiras mudam e nossos eventos também vão evoluindo”.
Nucleovet – uma associação marcada pelo comprometimento
O Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas – Nucleovet , foi um dos primeiros núcleos no estado de Santa Catarina a serem criados, atendendo na época uma solicitação da Sociedade Catarinense de Medicina Veterinária. Criado em 1971, esse núcleo abrangia inicialmente 36 municípios e com o passar dos tempos outros núcleos foram criados, reforçando a importância dos profissionais desse  segmento.
Desde sua criação a finalidade e missão do Nucleovet foi promover o aperfeiçoamento da classe Médica Veterinária e Zootécnica, a união e defesa dos profissionais da área e a conscientização da população sobre o importante papel que esses profissionais desempenham na sociedade.
Ao longo desses 15 anos as diferentes diretorias da Nucleovet, apresentaram  características peculiares, por serem formadas por profissionais de diferentes áreas de atuação como agroindústrias, empresas fornecedoras (nacionais e multinacionais),  entidades de pesquisa e ensino como  Universidades e  Embrapa,  órgãos públicos,  oportunizaram que a entidade tivesse uma visão ampla do setor, favorecendo a escolha de temas relevantes para os eventos organizados.
A trajetória bem sucedida dos Simpósios inicia no ano de 2000, quando foi criado o primeiro evento técnico chamado Simpósio Brasil Sul de Avicultura, com o objetivo de  discutir assuntos relacionados a avicultura, relevantes para aquele momento. Mesmo começando sem grandes ambições, ano após ano, o evento foi evoluindo, envolvendo um número maior de participantes, colaboradores, exigindo das diretorias diferentes desafios.
O novo presidente assegura que o Nucleovet sempre ouviu e continuará ouvindo os anseios da cadeia produtiva, das entidades de pesquisa e das empresas que estão envolvidas no segmento. “ Só através dessa comunicação franca com as diferentes áreas envolvidas será possível fazer eventos focados para as necessidades pertinentes. O trabalho realizado ao longo destes anos por muitas pessoas que dedicaram e dedicam-se, continuamente ao Nucleovet, merece nosso reconhecimento” finaliza o presidente.

Fonte: Ass. Imprensa do Nucleovet

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.