Conectado com

Empresas Capacitação

Ourofino Saúde Animal promove debate sobre cadeia leiteira em evento técnico inédito

Rota do Leite é a iniciativa da empresa que contará com a participação de importantes profissionais do setor, como Pietro Baruselli e Marcos Veiga

Publicado em

em

Divulgação

A Ourofino Saúde Animal promoverá a primeira edição do Rota do Leite no próximo dia 6. Com as presenças de palestrantes renomados, serão abordados temas relevantes para a cadeia leiteira, como tratamento de mastites. O encontro organizado para médicos-veterinários será realizado das 8h30 às 18h (horário de Brasília), no Center Convention, em Uberlândia (MG). A Rota do Leite será transmitida ao vivo pela página da Ourofino no Facebook.

Entre os convidados para ministrar as atividades estão os docentes e doutores da Universidade de São Paulo (USP) Pietro Baruselli e Marcos Veiga, além de Thiago Fernandes Bernardes, da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O presidente da Abraleite, Geraldo de Carvalho Borges, abrirá o evento para orientar os participantes quanto ao papel da associação na cadeia produtiva do segmento leiteiro.

Também serão abordados temas como biotecnologias reprodutivas; inovação; impacto da gestão de pessoas para melhores resultados de produtividade; produção da silagem e desempenho produtivo; e os passos esperados para o futuro da indústria láctea mundial. Uma mesa-redonda encerrará o evento.

Segundo o gerente de produtos para gado de leite da Ourofino, Gustavo Paranhos, a iniciativa pretende fomentar aspectos importantes para maior desenvolvimento e tecnificação do setor. “O Rota do Leite abordará tópicos de grande impacto para o aumento da produtividade da cadeia leiteira, que segue em desenvolvimento e com a possibilidade de alcançar novos mercados internos e externos.”

Interleite

No mesmo local do evento da Ourofino, acontecerá na sequência o simpósio InterLeite, nos dias 7 e 8 de agosto. São esperados cerca de mil participantes, que, inclusive, terão acesso ao portfólio completo da Ourofino Saúde Animal para o segmento leiteiro. São produtos variados, como os destinados para protocolos de reprodução e os anti-inflamatórios, a exemplo do Maxicam 2%, solução pioneira no mercado à base de Meloxicam.

Outros itens em destaque são os inoculantes bacterianos SiloSolve® AC e SiloSolve® MC, recomendados para controlar a fermentação e o desenvolvimento de micro-organismos nos alimentos secos dados aos bovinos. “A silagem é comumente utilizada nas propriedades leiteiras, por isso esses produtos estarão entre os destaques da companhia”, afirma Gustavo Paranhos.

Ainda de acordo com Gustavo, a expectativa para o evento é positiva, uma vez que ajuda a manter o movimento setorial na busca pela tecnificação do campo, o que acontece também por meio das soluções desenvolvidas pela indústria com o intuito de atender a peculiaridades da atividade pecuária brasileira, reimaginando a saúde animal.

“O Interleite é um evento técnico, importante para o desenvolvimento da categoria e que acontece num estado de suma importância para a produção brasileira de lácteos. Durante o encontro, ainda iremos disseminar informações técnicas, falar de inovações tecnológicas e nutrir a relação com clientes, que é um dos pilares da empresa”, ressalta Gustavo.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =

Empresas Saúde animal

Zoetis reporta faturamento de US﹩ 1,5 bilhão no segundo trimestre de 2020

Resultado é estável em relação ao mesmo período do ano passado

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A Zoetis, líder global em saúde animal, registrou faturamento de US﹩ 1,5 bilhão no segundo trimestre de 2020. O lucro líquido do segundo trimestre deste ano foi de US﹩ 377 milhões, um aumento de 2% em comparação ao mesmo período de 2019. “Como um negócio essencial de apoio ao fornecimento global de alimentos e ao cuidado com animais de estimação, a Zoetis demonstrou maior resiliência do que o aguardado para o segundo trimestre”, diz Krinstin Peck, CEO Global da Zoetis.

“Esperamos que nosso crescimento geral de receita para o restante do ano seja impulsionado principalmente por produtos para animais de companhia. Continuaremos a investir em produtos que fortaleçam as inovações e soluções digitais necessárias aos nossos clientes durante todo o ciclo de cuidados”, completa Kristin.

 

Resultados Brasil

A receita do segundo trimestre de 2020 no Brasil foi de US﹩ 56,3 milhões, aumento operacional de 2% em relação ao segundo trimestre de 2019, excluída a variação cambial.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Suinocultura

Evonik investe em startup tecnológica chinesa em apoio a uma suinocultura mais inteligente e saudável

O investimento possibilita que a Evonik conheça melhor a inovadora tecnologia de produção de animais da China, maior mercado suíno do mundo

Publicado em

em

Foto: Divulgação

O braço de venture capital da Evonik investe em startup tecnológica chinesa que apoia uma suinocultura mais inteligente e saudável. A SmartAHC, empresa sediada em Chengdu e Xangai, desenvolveu dispositivos de monitoramento e software que se valem da Inteligência Artificial e da Internet das Coisas para melhorar a eficiência da produção e o bem-estar dos animais. A detecção precoce de doenças, por exemplo, permite que os produtores separem os animais afetados, prevenindo a disseminação da infecção.

“Este investimento nos permite conhecer tecnologias de produção animal emergentes que são de grande importância na nutrição sustentável”, diz Bernhard Mohr, responsável pela unidade de venture capital. “A China é o maior produtor e consumidor de carne suína do mundo, o que faz do país o mercado mais importante para a produção inteligente e saudável da suinocultura”.

A SmartAHC produz dispositivos que identificam os animais individualmente, rastreiam sua localização e aferem condições como temperatura e fertilidade. Uma ferramenta com visão computacional fornece informações sobre o peso e o número da produção, além de permitir a detecção precoce de doenças. Outros dispositivos coletam dados sobre o inventário de ração e o consumo diário, além de monitorar as condições de umidade, temperatura e amônia da granja.

Tendo como base os dados coletados e algoritmos de IA, o software de monitoramento da SmartAHC fornece informações em tempo real por meio de painéis, estatísticas e recomendações. Os produtores têm a vantagem de melhorar a eficiência da granja com redução da mortalidade por doenças e uma alimentação mais eficiente.

A Evonik possui décadas de experiência em nutrição animal e produz aminoácidos essenciais que são integrados à alimentação de aves e suínos. A empresa está melhorando a sua competência na produção animal de precisão em prol de uma nutrição animal sustentável, que aumenta o retorno financeiro do produtor, além de melhorar a qualidade de seus produtos e a sustentabilidade da sua granja.

O mercado global de suínos abrange cerca de 1,4 bilhão de animais ao ano, com a China respondendo por cerca de metade do volume. A produção de suínos de precisão da China prevê um crescimento anual superior a 20% nesta década na medida em que os produtores buscam proteger a saúde de seus animais contra doenças, como a febre suína africana.

A tecnologia da SmartAHC também contribui para a redução dos riscos de doenças zoonóticas.  Essas doenças, que são transmitidas de animais para humanos, podem causar pandemias como a do patógeno H1N1 que provocou a pandemia de gripe suína em 2009. Observações atuais na China identificaram uma mutação da gripe suína conhecida como genótipo 4 (G4) que tem o potencial de ser transmitido a humanos.

O monitoramento isento de contato da produção animal reduz os riscos de propagação epidêmica desse tipo de vírus.

“A produção animal de precisão é o futuro de uma cadeia de valor de proteína animal mais sustentável”, disse Emmanuel Auer, responsável pela linha de negócios Animal Nutrition da Evonik. “Com esse investimento, a Evonik pode vincular conceitos de nutrição animal saudável a abordagens mais sustentáveis na agroindústria”.

A SmartAHC foi fundada em 2014 por Song Lan e Howard Tang. “Estamos muito satisfeitos por dar início a uma nova etapa no desenvolvimento da nossa empresa junto com a Evonik”, disse Song Lan, CEO da SmartAHC. “Esse novo financiamento vai permitir o aumento das nossas competências em pesquisa e desenvolvimento e ampliar a nossa presença no mercado”. Outros investidores incluem a BASF Venture Capital e a Shenzhem SinoAgri E-Commerce.

A SmartAHC representa o segundo investimento direto da Evonik na China. A empresa estabeleceu um escritório de venture capital em Xangai em 2018 para auxiliá-la a explorar o cenário de startups da China, que é inovador e está em franca expansão. A Evonik Venture Capital contribui para que a Evonik tenha acesso a tecnologias disruptivas e modelos de negócios inovadores, além de apoiar a transformação digital da empresa.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Micotoxinas

Estudo da ICC Brazil sobre o uso de leveduras como adsorvente de micotoxinas tem destaque internacional

Artigo científico desenvolvido pela equipe de P&D foi publicado no periódico Food Reserch International. Anualmente, empresa investe aproximadamente R$ 1 milhão em pesquisa de novas soluções para saúde e nutrição animal

Publicado em

em

Foto: Divulgação

Um estudo da ICC Brazil, empresa pioneira na produção de soluções inovadoras à base de aditivos de levedura para a saúde e nutrição animal, foi destaque na Food Reserch International, um periódico renomado do setor. O artigo publicado “In vitro and in vivo capacity of yeast-based products to bind to aflatoxins B1 and M1 in media and foodstuffs: A systematic review and meta-analysis” é resultado de uma pesquisa, desenvolvida pelo time de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e especialistas da USP, que mostra, através de uma revisão sistemática e meta análise de diversos dados, a eficiência de produtos à base de leveduras como adsorventes de micotoxinas.

A ICC Brazil prioriza a base científica e busca constantemente a avaliação de especialistas comprovando que seus produtos têm qualidade testada e aprovada. Desde a sua fundação, a empresa realizou mais de 200 estudos que asseguram a qualidade de seus produtos. Por ano, são investidos aproximadamente R$ 1 milhão em pesquisa e desenvolvimento em soluções para saúde e nutrição animal.

A empresa também mantém parcerias com universidades e centros de pesquisas no Brasil e no exterior que atestam a eficácia de cada produto e proporcionam credibilidade e confiabilidade aos estudos realizados. No Brasil, as unidades de pesquisa estão situadas no estado de São Paulo, em cooperação com universidades renomadas como a USP e UFSCAR, e recentemente foi selada uma parceria com uma granja comercial de suínos situada em Leme. A ICC possui ainda parceria com diversas universidades como UNICENTRO, UNESP e Universidade Federal de Santa Maria. No exterior, são vários Centros de Pesquisas e Universidades, espalhados em diversos países como: Canadá, China, Egito, Estados Unidos, Irã, Índia, México, Paquistão e Tailândia.

Prova dessa busca constante pela pesquisa e inovação foi a indicação da ICC Brazil como a 3ª melhor empresa do setor Nutrição Animal do Prêmio Melhores do Agronegócio em 2019, organizado pela Revista Globo Rural em parceria com a Serasa Experian. “Para nós, é uma alegria estar entre os três primeiros colocados do ranking. É o reconhecimento de todo o trabalho de pesquisa e inovação que temos feito ao longo dos anos para oferecer sempre as melhores soluções com a confiabilidade de uma empresa referência no mercado”, destacou Glycon Santos, CEO da ICC Brazil. A empresa foi eleita com base em critérios técnicos de avaliação de desempenho e gestão.

A pesquisa

Segundo a analista de P&D, Dra. Liliana Borges, os efeitos observados das leveduras estão relacionados aos componentes de sua parede celular, os mananoligossacarídeos (MOS) que aglutinam bactérias patogênicas melhorando a integridade intestinal, e as β-glucanas que possuem uma ação imunomoduladora e são adsorventes de micotoxinas. O ambiente de fermentação que dá origem ao produto é muito importante, pois este é um dos fatores principais que influenciam na concentração de B-glucanas.

“O processo de fermentação de cana-de-açúcar para obtenção do etanol é mais agressivo que a fermentação primária (cervejaria ou panificação), e isso influencia diretamente na concentração de β-glucanas presentes na parede celular das leveduras. As duas fotos microscópicas de luz no artigo comparam as paredes celulares de origem da fermentação de cana-de-açúcar e fermentação primária. Nas imagens conseguimos ver nitidamente a diferença na densidade entre as paredes celulares, que provam a alta concentração de β-glucanas que encontramos em nossos produtos”, afirma a pesquisadora, citando o ImmunoWall®, produto composto por uma alta quantidade de ß-glucanas e MOS, que assegura o equilíbrio da microbiota intestinal, melhora das respostas do sistema imune e adsorve as micotoxinas, resultando em aumento de produtividade.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.