Conectado com
OP INSTAGRAM

Notícias Senar

Os avanços e desafios da profissionalização das propriedades rurais de SC

Cada vez mais, propriedades destacam-se pela qualidade, organização, produtividade, tecnologia e gestão eficiente

Publicado em

em

Divulgação/Embrapa

A inovação está transformando os negócios no meio rural. E isso não é privilégio somente dos grandes empreendimentos do agro. Cada vez mais, pequenas e médias propriedades destacam-se pela qualidade, organização, produtividade, tecnologia e gestão eficiente. Isso acontece porque a profissionalização no campo foi intensificada nos últimos anos e o produtor está ciente de que precisa acompanhar a evolução do mercado.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Santa Catarina (Senar), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc), é um dos grandes incentivadores da profissionalização do meio rural. Somente no ano passado, a entidade atendeu quase 58 mil produtores rurais em treinamentos e programas voltados a melhorar a vida das famílias rurais catarinenses.

“Trabalhamos para que o produtor rural fortaleça seu negócio diante um mercado tão exigente e competitivo. Por isso, é fundamental que esteja atualizado sobre as técnicas mais avançadas de manejo e desenvolva habilidades para uma gestão eficiente e para a identificação de oportunidades de mercado”, observa o superintendente do Senar/SC, Gilmar Zanluchi.

Segundo Zanluchi, o Senar/SC trabalha com diversos treinamentos em várias áreas de prestação de serviços, gestão e apoio na agricultura e pecuária, visando segurança e o sucesso na oferta de matéria-prima para as agroindústrias em quantidade, com qualidade e regularidade. “No aspecto econômico, com muitas variações nos preços de insumos, estamos iniciando uma nova era dos grandes desafios que teremos que enfrentar na inovação. Tivemos o momento da automação, seguido pela mecanização e, agora, a informatização. Hoje não basta apenas produzir. É necessário produzir, gerenciar e atender as demandas tão necessárias do dia a dia. Para isso, temos que contar com a informatização como instrumento de trabalho. O nosso grande pleito é fazer com que a internet esteja disponível a todos os estabelecimentos rurais para otimizar tempo e economizar recursos”, salienta Zanluchi.

O superintendente do Senar/SC reforça, ainda, que todos os estabelecimentos agropecuários devem ter visão empreendedora porque precisam estar de olho na legislação vigente, nos âmbitos trabalhista, previdenciário e ambiental. “Enfim, de todas as instruções normativas que versam sobre os sistemas produtivos. Por isso, o sistema Faesc/Senar vem trabalhando fortemente com apoio nas atividades como assistência técnica e gerencial ministradas por zootecnistas, veterinários e agrônomos”.

Para o presidente do sistema Faesc/Senar, José Zeferino Pedrozo, a qualificação é o melhor caminho para o desenvolvimento em todos os setores da economia do agronegócio. “Manter produtores e trabalhadores rurais qualificados é um desafio, frente às novas tecnologias e à constante inovação no campo. Nos últimos anos, não somente o Senar/SC como também outras entidades, órgãos e instituições, vêm fortalecendo cada vez mais as ações de profissionalização no meio rural. Isso é muito significativo porque conquistamos grandes avanços, tanto que temos excelentes cases de sucesso no Estado”.

Pedrozo cita algumas atividades bem-sucedidas como, por exemplo, a melhoria no aspecto genético da bovinocultura de corte com incentivo na inseminação e no IATF (processo de inseminação por tempo fixo) que obteve notórios resultados de animais padronizados e comercializados em feiras agropecuárias, bem como a melhoria das pastagens e os cuidados nos aspectos sanitários dos rebanhos. “Também houve um trabalho de destaque na bovinocultura de leite, especialmente no aumento da produtividade e na qualidade do leite, entre outros. Atualizar os produtores rurais é essencial porque melhora não apenas a produtividade, mas a renda e a qualidade de vida de toda a família”, afirma.

Adaptações em tempos de pandemia

Desde o ano passado algumas ações do Senar foram temporariamente trabalhadas de forma remota. “Hoje voltamos a atuar com a maioria das ações presenciais, porém seguindo todas os decretos e normas de prevenção à saúde do Estado e dos Municípios. Além de reduzir o número de participantes nos cursos para garantir o distanciamento, confeccionamos e distribuímos máscaras, ofereceremos álcool gel e folders orientativos a todos os participantes das ações e atividades realizadas pelo sistema Faesc/Senar Santa Catarina. Com isso, é possível oferecer capacitações que incluem atividades práticas de forma segura”.

Sobre as ações do sistema, Zanluchi comenta que o Senar/SC teve grande êxito na educação a distância com o curso técnico em Agronegócio e aulas online do Programa Jovem Aprendiz Cotista. O presidente Pedrozo complementa que os grandes destaques junto aos parceiros foram as feiras e leilões realizados virtualmente. “Nós do sistema Faesc/Senar somos grandes apoiadores destes eventos que, em tempos de pandemia, passaram a ser realizados de forma online com excelentes resultados”.

Pedrozo realça, ainda, que as propriedades hoje são reconhecidas como empresas rurais. “Seguimos atendendo as demandas com todos os cuidados, tanto que há um aumento de demanda nas opções de treinamentos de formação profissional rural e promoção social (PS). Hoje, há necessidade de profissionalismo e eficiência no setor produtivo, pois as margens de rentabilidade são baixas. Muitas vezes, o ganho está na escala de produção. O novo normal, principalmente na agricultura e pecuária, requer redobrado cuidado sanitário”, conclui.

Conheça alguns números

Em 2020 foram promovidas pelo Senar/SC 2.636 ações que totalizaram 215.794 horas com participação efetiva de 57.175 pessoas em todas as microrregiões do Estado. O Senar/SC priorizou o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em oito cadeias produtivas proporcionando aumento da produção, evolução na produtividade e no nível de gestão, além do incremento da renda líquida em propriedades rurais de Santa Catarina. Em 2020, foram formadas 180 turmas, atendidos 5.136 produtores rurais.

O curso de técnico em agronegócio foi outro importante passo nessa direção, com quatro turmas e 154 participantes.

A formação profissional rural (FPR) continuou sendo a primeira linha de ação do Senar/SC em face de sua capilaridade e abrangência: 1.910 turmas e 21.823 participantes. Na esfera das atividades de promoção social (PS), os trabalhadores, produtores rurais e suas famílias tiveram acesso a 515 ações, totalizando 5.446 participantes.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 4 =

Notícias Campeonato Nacional

Lins (SP) sedia a 20ª etapa do Circuito Nelore de Qualidade

Mais de 680 animais serão avaliados entre os dias 20 e 21 de outubro. Até o fim do anos serão realizadas cerca de mais 15 etapas do campeonato nacional.

Publicado em

em

Divulgação

Mais de 680 animais serão avaliados nos dias 20 e 21 de outubro, no frigorífico Friboi, em Lins (SP), na 20ª etapa do Circuito Nelore de Qualidade 2021, com promoção da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) e Associação Paulista dos Criadores de Nelore (APCN).

“São Paulo tem rebanho de quase 10 milhões de cabeças e a pecuária é uma atividade muito importante e tecnificada no estado. Por isso, esperamos uma grande etapa. Temos visto muita qualidade nas etapas, o que demonstra que a pecuária nunca tirou o pé do acelerador”, comenta André Locateli, gerente executivo da ACNB.

Após Lins (SP), cerca de mais 15 etapas serão realizadas até o fim do ano, entre elas: Naviraí (MS), Nanuque (MG), Anastácio (MS), Ponta Porã (MS), Itapetinga (BA), Diamantino (MT), Andradina (SP), Teixeira de Freitas (BA) e Campo Grande (MS).

Neste ano, o Circuito conta com mais um campeonato nacional: “Melhores Lotes de Carcaças de Animais com Pai Identificado”, com a participação de progênies de touros identificados. Trata-se de mais uma oportunidade para comprovar a qualidade da genética selecionada.

Outra novidade é a Medalha Ouro Branco, que valoriza os lotes de fêmeas com até quatro dentes incisivos permanentes (d.i.p.) e machos castrados com até dois d.i.p., com cobertura de gordura na carcaça mediana ou uniforme e peso de carcaça quente entre 16 e 25 arrobas.

Friboi e Matsuda Sementes e Nutrição Animal apoiam a 23ª edição do Circuito Nelore de Qualidade 2021.

Contatos para inscrições

Para participar do Circuito Nelore de Qualidade em Lins, os pecuaristas devem entrar em contato com a unidade da Friboi pelos telefones (14) 3511-2123 ou (14) 99152-8912 – falar com Douglas –, (14) 3511-2121 ou (14) 99852-6871 – falar com Wlademir ou (14) 98135-4614 – falar com Leonardo. Qualquer pecuarista pode participar da etapa de Lins com lotes a partir de 21 cabeças.

Circuito Nelore de Qualidade

Realizado pela Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), o Circuito Nelore de Qualidade fortalece e promove a genética e a carne Nelore, contribuindo para elevar a produtividade da pecuária nacional. A iniciativa avalia resultados obtidos pelos produtores, cada qual em sua realidade e sistema de produção.

Promovido desde 1999, o Circuito conta com apoio da Friboi e Matsuda Sementes e Nutrição Animal e cresce a cada ano: em 2021, já estão confirmadas 36 etapas. Até o fim do ano, mais de 20 mil animais devem ser avaliados. O Circuito Nacional de Qualidade é o maior campeonato de avaliação de carcaças de bovinos do mundo.

Confira o calendário completo e outras informações sobre o regulamento do Circuito pelo site www.nelore.org.br/CircuitoNelore.

 

Fonte: Assessoria ACNB
Continue Lendo

Notícias Melhoramento genético

ANCP firma importante convênio interinstitucional com a Asocebu Bolívia

Com a parceria, as duas instituições serão responsáveis pelo programa na Bolívia. Além de oferecer avaliações genéticas, a parceria visa promover a publicação de sumários de touros bolivianos e outras publicações relacionadas com o programa de melhoramento genético da ANCP.

Publicado em

em

Divulgação/ANCP

A Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP) firmou uma importante parceria com a Associação Boliviana de Criadores de Zebu (Asocebu) e será a responsável pela avaliação genética de animais pertencentes a rebanhos bovinos com registro genealógico pela associação. O convênio foi oficializado no dia 18 de outubro durante evento virtual que contou com a participação de membros da diretoria das duas associações.

Atuando desde 1974, a Asocebu é um dos principais precursores do melhoramento genético do rebanho bovino da Bolívia, sendo responsável pelo registro de exemplares das raças Nelore, Nelore Mocho, Brahman, Gir Leiteiro, Tabapuã e Guzerá, reunindo 43 associados.

Juan Antonio Pereira Rico, representante da ANCP na Bolívia, explica que o rebanho boliviano foi formado a partir do gado Zebu brasileiro. “O fato de quase todos os touros usados nos rebanhos bolivianos serem de origem brasileira viabilizou, em 2004, a primeira avaliação genética”, relembra. Após essa primeira avaliação genética, explica Juan, vários rebanhos bolivianos entraram no programa de avaliação genética da ANCP. “Foi agradável ver os animais bolivianos no catálogo da ANCP, o que demonstrou a grande qualidade genética dos criadores bolivianos”, destaca. Para Juan, a renovação do acordo para consolidar as ações da ANCP na Bolívia, agrada os criadores bolivianos e estimula a confiança no desenvolvimento do rebanho boliviano.

Com a parceria, ANCP em cooperação com a Asocebu serão responsáveis pelo programa na Bolívia. Além de oferecer avaliações genéticas, a parceria visa promover a publicação de sumários de touros bolivianos e outras publicações relacionadas com o programa de melhoramento genético da ANCP. A associação brasileira também realizará treinamentos presenciais para formação técnica, reciclagem e divulgação de suas tecnologias, bem como a promoção de cursos de capacitação e credenciamento de técnicos da Asocebu para a coleta e envio de dados dos rebanhos associados.

O presidente da Asocebu, Yamil Nacif Nacif, destaca que é um grande passo consolidar a parceria que estabelece diretrizes de progresso para o programa de avaliação genética que a ANCP vem desenvolvendo na Bolívia há 17 anos e que foi inicialmente implementado com a gestão da Asocebu. “Este acordo representa a vontade de trabalhar e a cooperação que existe entre duas entidades irmãs, como ANCP e Asocebu, cujo único objetivo é o progresso genético de nosso zebu na Bolívia e no mundo”, ressalta.

“Os nossos associados serão os maiores beneficiários dessa importante parceria, que dará apoio técnico e logístico à nossa associação, que a par do grande trabalho desenvolvido pela ANCP em avaliações genéticas, irá gerar um serviço mais eficiente nos rebanhos dos nossos criadores”, destaca.

Para Rodrigo Nogales, pecuarista com fazendas nas regiões de Beni e Santa Cruz e um dos diretores da Asocebu, a parceria é muito importante para os criadores e para a associação. “O convênio será fortalecido à medida que novos criadores se cadastrarem no programa da ANCP, que, paralelamente, terá o benefício de trabalhar com os técnicos credenciados da Asocebu”, explica.

Carlos Viacava, vice-presidente da ANCP, ressalta a qualidade do rebanho zebuíno da Bolívia e a importância da parceria com a Asocebu, uma vez que a entidade possui muitas fazendas bolivianas como associadas. “Ficamos muito honrados com a concretização desse convênio com a Asocebu, que faz o registro genealógico do rebanho. A partir de agora, a ANCP será a responsável pela avaliação genética do gado boliviano”, esclarece.

Viacava também fez um convite oficial à Asocebu para indicar um representante para fazer parte do Grupo de Trabalho (GT) da ANCP, formado por criadores e pesquisadores cujo objetivo é discutir questões pertinentes à entidade e à pecuária nacional. Com a entrada do novo membro, serão também discutidas ações voltadas à pecuária boliviana.

O presidente da ANCP, Professor Raysildo Lôbo, lembra com satisfação os mais de 15 anos de avaliações genéticas das raças Brahman e Nelore das fazendas bolivianas e o avanço genético de sua pecuária, reconhecida internacionalmente. Ele ressalta que é uma honra para a ANCP contribuir com o excelente trabalho de seleção realizado pelos criatórios bolivianos e as respaldadas instituições do país.

Para Raysildo, a parceria abre novas possibilidades e desafios para continuar a disseminar o melhoramento genético e o conhecimento técnico-científico de qualidade, sendo uma das metas o aumento da produtividade e do lucro do pecuarista boliviano.

“Com a consolidação dessa parceria, se inicia uma nova etapa de trabalho com expectativa de grandes resultados, tanto no avanço tecnológico e soluções voltadas à seleção de animais superiores quanto na disseminação da tecnologia, firmando parcerias e promovendo cursos com criadores bolivianos e na disseminação do conhecimento, treinando técnicos da Asocebu e novos consultores bolivianos”, finaliza.

Fonte: Assessoria ANCP
Continue Lendo

Notícias Triticultura do Paraná

Coopavel promove Dia de Campo sobre cultura do trigo no Sudoeste

Evento será realizado nesta quinta-feira (21), a partir das 15 horas, na região conhecida por Reta Grande, em Pato Branco (PR).

Publicado em

em

Foto: Myckael Allan

Produtores rurais de Pato Branco (PR) e municípios vizinhos são convidados a participar da segunda edição do Dia de Campo de Trigo que a Coopavel promove na região Sudoeste do Paraná. Ele será realizado nesta quinta-feira (21), a partir das 15 horas, na região conhecida por Reta Grande.

O foco central das apresentações vai ser o trigo, com 18 cultivares diferentes, algumas novidades no mercado. “A ideia é mostrar novas tecnologias e a adaptação de cada uma delas na nossa região”, diz o engenheiro agrônomo Rodrigo Junior Schneider. As informações vão ser repassadas por técnicos das empresas parceiras.

O dia de campo vai abrir espaço também para empresas de químicos, que vão mostrar produtos e soluções tecnológicas para a triticultura. Ao todo, o evento contará com a participação de três empresas de sementes, seis de defensivos e uma de corretivos. A cooperativa também participará com a Nutriagro, indústria de fertilizantes foliares, com a Fertilizantes Coopavel e com a Sementes Coopavel.

Para combater riscos, diversos cuidados vão ser empregados no evento, conforme Rodrigo. Os produtores vão ser divididos em pequenos grupos para conhecer as estações, combatendo assim as aglomerações. Todos deverão usar máscaras durante a visita e utilizar álcool em gel, que será distribuído nas tendas. “O dia de campo acontecerá ao ar livre, em uma área grande, e com esses cuidados todos estaremos protegidos”, afirma o agrônomo.

Depois, os participantes vão ser recepcionados em jantar, que também observará regras sanitárias. Uma delas é recomendar aos participantes que levem pratos e talheres que utilizarão para fazer a sua refeição. As empresas parceiras no dia de campo são: Basf, OR Sementes, Embrapa, Seedcare, Biotrigo, Syngenta, FMC, UPL, Ihara, Corteva e Iapar, além da Nutriagro, Sementes Coopavel e Show Rural Coopavel.

Fonte: Assessoria Coopavel
Continue Lendo
ABPA – PSA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.