Conectado com

Empresas

Novus reconhece Mantiqueira e Cogran com Bússola da Sustentabilidade

Empresas com atuação em Minas Gerais desenvolvem ações concretas nos pilares ambiental, social e econômico para benefício de parceiros, clientes e toda a região.

Publicado em

em

Mantiqueira - Fotos: Divulgação

Para ir longe, vá acompanhado de quem compartilha valores e objetivos alinhados aos seus. Foi por isso que a Novus Int. homenageou a Cogran (Cooperativa dos Granjeiros do Oeste de Minas) e o Grupo Mantiqueira, em setembro, com o troféu Bússola da Sustentabilidade.

O reconhecimento ocorreu com base em cinco critérios adotados globalmente pela Novus: “Colaboradores engajados e preparados”, “Produção animal sustentável”, “Nutrição e saúde humana”, “Eficiência na cadeia de abastecimento” e “Produtividade e rentabilidade do cliente”.

“Com este troféu, celebramos as parcerias em busca de soluções para melhorar desempenho, diminuir o impacto ao meio ambiente e beneficiar as pessoas. A homenagem considera as tecnologias nutricionais de cada produtor e período de utilização, a fim de estimar seu impacto positivo na cadeia”, explica Roberto Vituzzo, diretor-geral LAS da Novus.

Bússola da Sustentabilidade

Conheça mais sobre as homenageadas:

Mantiqueira

O Grupo Mantiqueira é, hoje, o principal produtor de ovos da América do Sul (uma das 12 maiores granjas do mundo) e conta com clientes em 22 estados e seis países.

“A Bússola indica que estamos no caminho certo para uma produção eficiente, adequada às novas demandas e que respeita o meio ambiente, recursos naturais e animais, bem como as pessoas”, avalia Leandro Pinto, presidente do Grupo Mantiqueira.

Com mais de 30 anos de atividade, a empresa conta com 2,1 mil colaboradores em diferentes áreas para a produção de 2 bilhões de ovos ao ano, com o alojamento de 11,5 milhões de galinhas e, além de duas fazendas de gado. No caso das aves, as soluções nutricionais da Novus geram mais renda e menos impacto ambiental.

Números de uma empresa líder e consciente de que os três pilares da sustentabilidade (social, ambiental e econômico) andam juntos. André Carreira Carlos, zootecnista do Grupo, lembra que produzir alimentos desta forma é um princípio previsto na própria missão da Mantiqueira.

“Sempre buscamos aprimorar e estabelecer novas práticas voltadas para a sustentabilidade em nossos processos desde o início de nossas atividades. Atualmente, já com conhecimento avançado no assunto, vemos que este tema só tende a crescer em importância para a companhia”, prevê.

A empresa também mantém diversas ações voltadas ao meio ambiente como o tratamento da água das granjas, a compostagem dos resíduos para produção de um condicionador de solos de alto valor agronômico, além de coleta seletiva nas unidades e outras práticas no cotidiano.

No aspecto social, a atuação faz parte do cotidiano e até com ações pioneiras. A Mantiqueira, por exemplo, foi a primeira a criar um Food Truck Social beneficente no país. O chamado Egg Truck distribui lanches gratuitos com ovos e leva informações nutricionais para instituições no eixo Rio/SP, entre outras.

Leandro Pinto e Henrique Prata

Cogran

Antônio de Melo Silva, presidente da Cogran, explica que a empresa reúne 72 avicultores e suinocultores, sendo uma das maiores cooperativas de Minas Gerais com a produção mensal de 2 milhões de frangos e 40 mil suínos para os mercados mineiro, fluminense e das regiões Norte e Nordeste.

“Este reconhecimento é uma maneira efetiva de informar ao público em geral e nossos parceiros sobre a evolução da nossa nutrição animal, seja na melhoria de resultados zootécnicos e econômicos, como no aumento da segurança para a saúde humana e animal e a sustentabilidade ao meio ambiente”, frisa Donizetti Ferreira do Couto, gerente Unidade de Premix.

Localizada no Oeste de Minas Gerais, a cooperativa tem 575 colaboradores diretos, um abatedouro de aves e uma unidade de processamento de carne suína, além de armazém de distribuição de insumos e uma fábrica de premix.

Até por ser uma cooperativa, a Cogran tem em seus ideais de fundação, há quase 40 anos, a preocupação de conduzir seus integrantes às melhores práticas seja em eficiência e sustentabilidade como forma de garantir a continuidade de suas atividades.

“Buscamos o pilar econômico da sustentabilidade com a validação permanente de parceiros com princípios técnicos e comerciais que favoreçam o sistema ganha–ganha. Assim, temos condições de evoluir em nosso planejamento econômico, sobretudo o estratégico”, explica Donizetti.

Sobre o pilar ambiental, a cooperativa vai além da legislação e começa desde os pequenos anos até a formação cultural de todos os colaboradores no sentido de zelar pelo meio ambiente.

Os colaboradores recebem regularmente treinamentos sobre preservação ambiental e uso correto de recursos naturais, entre eles, a água, o ar e o solo. Equipes especializadas, inclusive, estabelecem os parâmetros técnicos necessários para os projetos ambientais, seja quanto ambiência, uso correto de aditivos nutricionais e documentação oficial.

O cuidado com os recursos naturais se repete no pilar social. Além do modelo de cooperativa, que permite a seus associados total autonomia em sua propriedade, a Cogran participa ainda de programas voluntários de desenvolvimento de entidades locais para apoio a crianças, idosos e outros grupos.

Fonte: Assessoria da Novus
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + cinco =

Empresas Cooperativismo

Coamo realiza formatura da 23ª turma de Jovens Líderes Cooperativistas

Desde a primeira edição, em 1998, foram capacitados centenas de associados representando todas as Unidades da Coamo no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Publicado em

em

Foto: Divulgação

Associados de várias regiões do Paraná e do Mato Grosso do Sul integraram a 23ª turma do programa de formação de Jovens Líderes Cooperativistas da Coamo. A formatura foi nesta terça-feira (19) com a presença dos jovens e de familiares em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná). O curso iniciou no dia 24 de abril e foram mais de 122 horas de curso de aprendizado em seis módulos que tratam sobre a Coamo, cooperativismo, novas tecnologias, planejamento e gestão estratégica, liderança e uma viagem Técnica Cultural aos Entrepostos da Coamo nas regiões Oeste e Sudoeste do Paraná e Paranaguá.

O programa é realizado anualmente pela Coamo com apoio do Sescoop/PR. Desde a primeira edição, em 1998, foram capacitados centenas de associados representando todas as Unidades da Coamo no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Com a formação, os jovens passam a ser responsáveis pela implantação de um novo modelo de administração rural, muito mais profissional. Na gestão dos negócios na propriedade, ou mesmo quando atuam em parceria em os pais, eles trabalham de forma arrojada, sem esquecer das lições geradas por suas famílias. Com os pés no chão e a mente no futuro, eles buscam resultados concretos baseados na prática do planejamento e gerenciamento, e o sucesso do seu empreendimento.

A Coamo acredita que o processo de mudança para tornar o cooperativismo e o agronegócio mais produtivo e eficiente passa pela formação, educação e desenvolvimento dos cooperados. Para o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, os jovens cooperados representam o presente e, também, o futuro promissor do cooperativismo e do agronegócio e, por isso, a diretoria é a principal apoiadora e incentivadora para a realização deste processo de formação. “O curso tem como objetivo formar novas lideranças e passar noções de como administrar a propriedade de forma que tenham mais renda na atividade. É uma nova geração de associados, novos líderes na cooperativa, entidades e comunidades que estão inseridos, e que darão continuidade à Coamo”, assinala.

A associada Daiane Trombini Gottardi, de Brasilândia do Sul (Noroeste do Paraná), foi a oradora da turma. Para ela, o curso superou as expectativas em todos os sentidos. “Aprendemos muitos sobre administração na propriedade, como lidar com os possíveis problemas do dia a dia e com pessoas. Foi uma oportunidade enriquecedora a única. Para quem ama a agricultura, como eu amo, que compartilham desse sonho, vale cada segundo do curso”, observa.

Daiane revela que termina o curso com o sentimento de pertencimento. “Somos uma semente da Coamo, que foi semeada e é cuidada continuamente. Sentimos que fazemos parte de todo o processo da cooperativa, que quer a gente por perto. Quando estamos na propriedade imaginamos uma coisa, mas quando a gente vem aqui, conhecemos outra realidade, e isso é muito forte”, destaca.

De acordo com o associado Elvis Lima Deltrejo Júnior, de Aral Moreira (Sudoeste do Mato Grosso do Sul), o curso ajudou a desenvolver os participantes como administradores rurais, a conduzir a propriedade como empresa buscando sempre bons resultados. “Estamos um pouco longe da sede da Coamo e ficamos lisonjeados de participar de um curso que tem grande importância para a cooperativa. Pudemos aprimorar nosso conhecimento e melhorar o trabalho como um toda na propriedade rural.”

O professor Juacir João Wischneski, instrutor do curso, destaca o empenho e dedicação da 23ª turma. “Foi uma turma com média de idade baixa, mas com muita responsabilidade. Desde o primeiro momento, passaram a assumir isso. Brincavam na hora certa, mas no momento de trabalhar, trabalhavam muito. A cada turma é uma emoção diferente. Deixo sempre a mensagem para que não parem de estudar, busquem conhecimento. Eles não podem parar no tempo, a liderança tem que continuar sempre ativa.”

O programa Jovens Líderes da Coamo foi premiado em 2004 pela OCB e Revista Globo Rural como o “Melhor Programa de Educação Cooperativista” do Brasil. Proporciona mais conhecimento e participação nas atividades técnicas, educacionais e sociais da cooperativa, além da ampliação das habilidades profissionais com uma visão de futuro. O programa capacita a geração de cooperados para desenvolver de forma gradual e contínua o seu potencial de liderança, gestão e administração na atividade rural.

Fonte: Assessoria da Coamo
Continue Lendo

Empresas Suinocultura

Vetanco realiza ciclo de palestras técnicas no Mato Grosso

Publicado em

em

A Vetanco, organizou um ciclo de palestras técnicas no estado de Mato Grosso. A palestras foram ministradas pelo Consultor Técnico Eduardo Miotto Ternus, em formato de Oficinas de Trabalho. Representando a Vetanco estavam presentes o MV Rodrigo Riera (Representante Comercial para a região) e Lucas Piroca (Gerente Comercial – Suínos). Nessa rodada de apresentações técnicas foram abordados os temas de Biosseguridade e Diarréias na fase de Maternidade, ambos de extrema importância na suinocultura e muitas vezes tratados com descaso. O papel da Vetanco foi levar conhecimento, debater os temas e fazer com que os aproximadamente 100 profissionais da suinocultura que participaram das apresentações, pudessem durante os debates e após os mesmos pensar em soluções para os problemas e fatores de risco presentes em suas realidades, podendo assim colocar as respectivas soluções em prática.

 

O projeto se estendeu em 4 parceiros no Estado de Mato Grosso:

No dia 08/10/19, a oficina foi realizada na empresa Suinobras, da cidade de Diamantino – MT, direcionada a Coordenadores e Supervisores de produção, líderes e colaboradores da maternidade. E teve como tema: Diarréia na fase de maternidade. O objetivo foi o nivelamento de conhecimentos básicos e auxílio na busca do correto diagnóstico, fatores predisponentes e ações práticas para a prevenção e controle dos diferentes agentes presentes nessa fase.

No mesmo dia, a Oficina Vetanco também aconteceu na empresa Nutribras, localizada em Vera – MT. Estiveram presentes Médicos Veterinários, Supervisores de produção, líderes e colaboradores. O tema foi Biosseguridade e teve como objetivo aumentar percepção da importância da biossegurança, da biosseguridade externa e principalmente da biosseguridade interna, nivelamento de conhecimentos básicos e apresentação de itens a serem implantados segundo a IN 44/2017.

No dia 09/10/19, foi a vez da empresa Cooper Mutum, sediada na cidade de Nova Mutum – MT. Participaram da palestra toda equipe de supervisores de produção, líderes e colaboradores. Na ocasião, o tema da palestra fora: Biosseguridade.

Encerrando o ciclo, no dia 10/10/19, a Empresa Suinobras, da cidade de Diamantino – MT, foi quem recebeu a equipe da Vetanco. Os participantes foram médicos veterinários, proprietários e equipe de diferentes fases de produção e o tema ministrado foi: Diarréia na fase de maternidade.

Com as Oficinas, a Vetanco busca agregar a toda a cadeia produtiva, contribuindo com a atualização técnica de profissionais da suinocultura que diariamente garantem a manutenção e evolução do setor. E assim, a Vetanco conclui mais uma semana com satisfação e realização com os resultados.

Continue Lendo

Empresas

KWS Brasil realiza visita técnica à Alemanha

Na semana de 11 a 17 de Novembro, a KWS teve o prazer de compartilhar momentos com alguns de seus parceiros (consultores, cooperativas, distribuidores e produtores), em uma visita técnica à Alemanha.

Publicado em

em

A agenda da visita foi pensada especialmente para poder mostrar um pouco mais sobre as atividades agrícolas da região, visitar a sede da KWS na cidade de Einbeck, e a maior feira de máquinas agrícolas do mundo, a Agritechnica, que acontece na cidade de Hannover. Na Agritechnica, o grupo pode ver os lançamentos em tecnologia aplicada à agricultura, e a utilização da Inteligência Artifcial no campo.

Também foi realizada uma visita a uma usina de Biogás, mostrando como a união dos produtores rurais pode proporcionar um canal de escoamento para seus produtos (silagem de milho e beterraba açucareira), além de uma fonte extra de renda com a venda de energia.

O grupo teve a oportunidade de conhecer uma mina de potássio, e entender como é realizado o processo de extração desse mineral a mais de 800m abaixo do solo.

Na sede da KWS, o grupo foi recepcionado pelo líder da KWS para as Américas, Alexander Drotschmann, que falou sobre o plano de investimento da KWS para a América do Sul, e pode conhecer os novos investimentos em pesquisa na área de robótica da empresa.

Desde a sua fundação em 1856, a KWS trabalha exclusivamente no melhoramento de sementes e em serviços técnicos, e se orgulha de estar sempre ao lado do produtor em mais de 70 países.

A visita técnica foi finalizada com a segunda maior indústria de açúcar de beterraba da Europa, também fundada por associações de produtores, e com tempo livre em Berlim, onde o grupo pode conhecer um pouco mais da história e cultura da Alemanha.

A KWS agradece a todos os participantes dessa visita pelos momentos compartilhados, e pelas interações entre o grupo, que fizeram dessa uma semana especial.

 

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo
Mais carne
Biochem site – lateral
AB VISTA Quadrado

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.