Conectado com

Notícias

Novo Programa SC Rural terá foco em desenvolvimento e inovação

Em execução desde 2010, o Programa SC Rural encerrou suas atividades em 2017 com US$ 189 milhões em investimentos para aumentar a competitividade da agricultura familiar e da pesca e quase 100 mil famílias atendidas em todo o estado

Publicado em

em

Com investimentos previstos de US$ 180 milhões, o novo Programa SC Rural prevê ações voltadas para o desenvolvimento e inovação. A proposta de continuidade do Programa já foi apresentada ao Banco Mundial e a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca aguarda a análise da Comissão de Financiamentos Externos (COFIEX) do Governo Federal. Classificado com a nota máxima na avaliação do Banco Mundial – fato único no setor agrícola – o SC Rural se tornou referência para outros projetos do país.

Na quarta e quinta-feira (21 e 22), representantes de oito estados e a diretoria do Banco Mundial no Brasil puderam conhecer de perto os resultados do SC Rural. Mais de 50 pessoas visitaram projetos apoiados pelo Programa no Oeste catarinense, trocando informações e conhecimentos.

Segundo a diretora de operações do Banco Mundial, Doina Petruscu, o grande diferencial do SC Rural é o esforço comum entre o Governo do Estado e as famílias beneficiadas para atingir os objetivos. “Existe uma atenção especial para cada pessoa e para a situação específica de cada família. Há uma paixão dos extensionistas e da equipe do Programa para apoiar e ver as famílias crescerem e se desenvolverem”, ressalta.

Participando do Intercâmbio de Projetos do Banco Mundial, representantes do Projeto São José, do Ceará, pretendem replicar as iniciativas catarinenses no nordeste – principalmente as ações com jovens agricultores e cooperativismo. “O Ceará tem o privilégio de vir pela segunda vez a Santa Catarina e o que chama a atenção são as cooperativas descentralizadas. Esta seria uma possibilidade para comercialização dos produtos das 192 agroindústrias ligadas ao Projeto São José”, destaca Raimundo José Reis Felix, representante do Ceará.

Em execução desde 2010, o Programa SC Rural encerrou suas atividades em 2017 com US$ 189 milhões em investimentos para aumentar a competitividade da agricultura familiar e da pesca e quase 100 mil famílias atendidas em todo o estado.

 

Novo SC Rural

Desde 2017 a equipe do Programa SC Rural vem construíndo a proposta de renovação da parceria entre Governo do Estado e Banco Mundial. Com um investimento previsto de US$180 milhões, o novo Programa será focado no desenvolvimento e inovação para o meio rural e pesqueiro.

O diretor de Projetos Especiais do SC Rural, Ditmar Zimath, explica que o novo SC Rural irá aprimorar as políticas executadas pelo antigo Programa e avança em outras fronteiras. “Nossa proposta prevê investimentos em inovação tecnológica para agricultura familiar, em mecanismos que levem mais eficiência aos sistemas de produção, com melhor uso de mão de obra e qualidade de trabalho. Além de oferecer oportunidades de qualificação ao jovem agricultor e pescador e também medidas que visem minimizar os impactos ambientais das atividades agropecuárias para o equilíbrio entre produção e meio ambiente”.

A proposta de renovação do SC Rural já foi apresentada ao Banco Mundial e o Estado aguarda análise do análise da COFIEX do Governo Federal.

 

Fonte: Ass. de Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 16 =

Notícias Mercado Interno

Indicador do milho chega a menor patamar em cinco meses

Ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A oferta superior à demanda tem mantido os preços do milho em queda na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Em Campinas (SP), os valores voltaram a operar próximos dos patamares observados em novembro do ano passado. Entre 12 e 18 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Campinas (SP) caiu 2,32%, a R$ 35,84/sc de 60 kg na quinta-feira (18), o menor patamar nominal desde meados de novembro/18.

No geral, o ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores. Além disso, alguns produtores têm dado preferência em comercializar a soja – vale lembrar que a cotação da oleaginosa está firme, favorecida pelas altas do dólar e dos preços externos. No campo, o clima segue favorável ao desenvolvimento das lavouras de milho, o que pode resultar em antecipação da colheita.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Mercado

Preços da soja sobem, mas médias mensais são as menores desde janeiro

Apesar dos recentes aumentos, na parcial deste mês, os valores da oleaginosa são os menores desde janeiro de 2019

Publicado em

em

Divulgação

As cotações da soja registraram ligeira alta na semana passada, devido à valorização do dólar frente ao Real, à relativa estabilidade dos prêmios e ao aumento de cotas nos armazéns portuários, cenário que aumentou também a liquidez no mercado.

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá avançou 0,2%, a R$ 76,66/saca de 60 kg nessa quinta-feira (18). No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 0,3%, a R$ 72,11/sc de 60 kg nessa quinta.

Pesquisadores do Cepea afirmam que, apesar dos recentes aumentos, na parcial deste mês, os valores da oleaginosa são os menores desde janeiro de 2019, em termos nominais. Isso se deve à menor procura de indústrias brasileiras, uma vez que grande parcela tem garantido os lotes por contrato a termo e negociado poucos volumes no spot. Além disso, as aquisições são para consumo a médio prazo, visto que agentes esperam preços menores.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Última semana da quaresma é marcada por preços estáveis

No geral, o mercado de ovos apresentou bom desempenho de vendas no período de Quaresma deste ano

Publicado em

em

Divulgação

Apesar da estabilidade nas cotações dos ovos comerciais, o ritmo de negócios esteve mais intenso na semana passada. Com isso, colaboradores do Cepea afirmam que, no geral, o mercado de ovos apresentou bom desempenho de vendas no período de Quaresma deste ano.

Entre 11 e 18 de abril, as cotações do ovo tipo extra, branco, colocado na Grande São Paulo, registraram elevação de 0,3%, com a média da caixa com 30 dúzias passando para R$ 94,42 na última quinta-feira (18).  Para o produto vermelho, entregue na Grande SP, houve alta de 0,9% de 11 a 18 de abril, com a caixa de 30 dúzias comercializada a R$ 110,87 na quinta-feira.

Com o encerramento da Quaresma, avicultores consultados pelo Cepea se mostram receosos com o possível enfraquecimento das vendas nas próximas semanas. Parte dos agentes, inclusive, já cogita intensificar os descartes de poedeiras mais velhas.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Facta 2019
Conbrasul 2019
Abraves
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.