Conectado com

Notícias

Monsanto apresenta novas tecnologias para as culturas de soja, milho e algodão no Show Rural Coopavel

Publicado em

em

Com a segunda maior produção de grãos do Brasil, o Paraná registrou na safra 2013/14 o plantio de sete milhões de hectares de lavouras com culturas transgênicas, segundo dados da Céleres Consultoria. Esse número representa um crescimento de 3,8% em comparação com a safra passada (2012/13). Conforme previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Paraná deverá colher 35,4 milhões de toneladas de grãos na safra atual.
 
A Monsanto, atenta a esse cenário e pronta para atender às necessidades do produtor, apresenta no Show Rural Coopavel, entre os dias 03 e 07 de fevereiro, em Cascavel (PR), uma nova fase de comunicação da marca no país. A empresa participará da feira com o estande Monsanto Tecnologias, que reunirá todas as inovações para soja, milho, algodão e proteção de cultivos em um único espaço. O objetivo é transformar esse ambiente em um centro de conhecimento para o agricultor, levando recomendações técnicas para a implementação e o desenvolvimento de lavouras mais produtivas, sustentáveis e rentáveis. 
 
Com 50 anos de presença no Brasil, essa é a primeira vez que a Monsanto lança simultaneamente novos produtos para suas três principais culturas: soja, milho e algodão.  O novo estande destacará as tecnologias da soja Intacta RR2 PRO, de algodão Bollgard II RR Flex, e de milho VT PROMAX RIB Completo e VT PRO3 RIB Completo, além do Sistema Roundup Ready Plus, que promove o acompanhamento técnico e individual de agricultores para oferecer as melhores soluções de manejo de plantas daninhas.
 
“Somos uma empresa 100% focada em agricultura, com o desenvolvimento de tecnologias, produtos e serviços que tragam mais eficiência ao agricultor brasileiro de maneira sustentável, auxiliando-o no desafio de produzir mais alimentos para atender a crescente demanda mundial”, afirma Rodrigo Santos, presidente da Monsanto do Brasil.
 
O estande terá ainda uma série de interações com o público, por meio de aplicativos que realizam análise de risco, simulação de custo, cálculo de benefícios, além de discussões com especialistas sobre os principais desafios da lavoura. A empresa também estará presente com os tradicionais estandes de suas marcas Monsoy, Agroeste, Sementes Agroceres e Dekalb, disponibilizando aos visitantes da feira um serviço completo de atendimento com técnicos e especialistas para o esclarecimento de dúvidas sobre produtos e a indicação das melhores soluções para a atividade de cada cliente.
 

Lançamentos simultâneos

 
SOJA
 
A Monsanto acaba de lançar a soja Intacta RR2 PRO, primeira biotecnologia desenvolvida especialmente para um mercado fora dos Estados Unidos, com foco exclusivo aos países da América do Sul onde a incidência de lagartas é recorrente, como Brasil e Argentina.
 
A tecnologia, lançada após 11 anos de estudos e pesquisas no Brasil, teve o maior estudo de campo já realizado do mundo, com 1.500 áreas experimentais em duas safras (2011/12 e 2012/13), em propriedades localizadas em 419 municípios de 14 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Os resultados foram positivos, com ganho médio de produtividade de 6,4 sacas a mais em comparação com as variedades mais plantadas em cada região. 
 
A soja INTACTA RR2 PRO é única porque combina três soluções em um único produto: 
– controle contra as principais lagartas que atacam a cultura da soja e supressão a Elasmo e Helicoverpa (Helicoverpa zea e Helicoverpa armigera). 
– resultados sem precedentes devido a tecnologias avançadas de mapeamento, seleção e inserção de genes em regiões do DNA com potencial impacto positivo na produtividade; 
– tolerância ao herbicida glifosato proporcionada pela segunda geração da tecnologia Roundup Ready, que traz mais tranquilidade e flexibilidade ao produtor pela eficiência do glifosato no controle das plantas daninhas; 
 
MILHO
A nova tecnologia VT PRO MAX RIB Completo é recomendada para plantio nas áreas de safrinha no Paraná. Para a safra de verão, a Monsanto lançou a tecnologia VT PRO 3 RIB Completo. Além da tolerância ao herbicida glifosato, as tecnologias têm ação contra pragas alvo na cultura do milho e a solução inédita de refúgio completo na sacaria (RIB Completo), aliando aumento de produtividade, economia de tempo e segurança de manejo nas lavouras. 
 
VT PRO MAX RIB Completo promove o manejo eficiente de plantas daninhas e tem três proteínas diferentes para combater as principais lagartas que atacam a cultura do milho. Cada proteína age de uma forma, o que torna o resultado ainda mais eficaz. A tecnologia possui ação contra as cinco principais lagartas (lagarta do cartucho, broca do colmo, lagarta da espiga, lagarta elasmo e lagarta rosca) responsáveis pela queda de produtividade nas últimas safras. 
 
VT PRO 3 RIB Completo é a primeira tecnologia voltada à proteção da raiz do milho contra o ataque da Diabrotica speciosa (larva alfinete) e também contra as principais pragas aéreas que atacam as folhas, colmo e espiga da cultura (lagarta do cartucho, broca do colmo, lagarta da espiga e lagarta elasmo). Além disso, VT PRO 3 RIB Completo oferece tolerância ao herbicida glifosato, possibilitando um manejo eficiente das plantas daninhas.
 
Solução desenvolvida por mais de 10 anos por profissionais da Monsanto, o RIB Completo simplifica a realização do refúgio, proporcionando aos agricultores mais praticidade no manejo de pragas das lavouras de milho ao misturar, na mesma sacaria, as sementes da tecnologia resistente a insetos (Bt) com as sementes do refúgio (não Bt). O RIB Completo dispensa o cálculo manual e a separação da área para o refúgio.
 
ALGODÃO
 
A Monsanto também vai apresentar a tecnologia Bollgard II Roundup Ready Flex, uma nova aliada do produtor no controle de plantas daninhas e proteção contra as principais pragas da cultura do algodão no Brasil, como as lagartas do gênero Helicoverpa, que têm preocupado os agricultores brasileiros e causado prejuízos nas lavouras do país.
 
Além da Helicoverpa armigera, a nova tecnologia da Monsanto confere proteção contra o curuquerê do algodoeiro (Alabama argillacea), a lagarta rosada (Pectinophora gossypiella), a lagarta da maçã (Heliothis virescens), a falsa medideira (Chrysodeixis includens), as lagartas do complexo Spodoptera (Spodoptera spp) e as lagartas da espiga ou da maçã (gênero Helicoverpa).
 
A tecnologia Bollgard II RR Flex combina proteção da lavoura, controle de pragas, redução do uso de inseticidas e facilidade de manejo, contribuindo para o retorno econômico e para a sustentabilidade do negócio de algodão.
 
PROTEÇÃO DE CULTIVOS
 
Para levar ao agricultor as melhores recomendações de práticas agronômicas e manejo correto de plantas daninhas, a Monsanto lançou o Sistema Roundup Ready Plus. Trata-se de um sistema de manejo de plantas daninhas que combina a utilização do herbicida glifosato com outros princípios ativos, associado às boas práticas agrícolas dentro do plantio direto, para que o agricultor tenha a máxima eficiência sobre essas plantas invasoras. 
Por meio do Programa de Agricultores Acompanhados, a Monsanto acompanha e colabora com o sistema produtivo de propriedades agrícolas por todo o país. São realizadas visitas técnicas que viabilizam a melhor recomendação técnica, a adoção de uma série de boas práticas e a utilização de herbicidas específicos, que variam conforme a região do produtor, o sistema agronômico utilizado e as pragas-alvo, buscando a máxima eficiência e baixo custo.
Durante o Show Rural Coopavel, aplicativos desenvolvidos pela Monsanto farão a simulação de custo e análise de risco para os produtores, com resultados que indicam a importância da recomendação tecnicamente precisa, fornecida pelo Sistema Roundup Ready Plus, ao considerar as culturas e coberturas que entrarão na rotação, o conhecimento do ciclo e da biologia das plantas daninhas, as tecnologias atuais disponíveis, as práticas culturais e as opções de herbicidas mais sustentáveis, econômicos e de menor impacto ambiental e na produtividade, buscando atuar na causa do problema de uma maneira preventiva e/ou corretiva.
 
 
Sobre a Monsanto
Presente há 50 anos no Brasil, a Monsanto é uma empresa dedicada à agricultura e referência em inovação tecnológica. Pioneira no desenvolvimento de herbicidas, sementes convencionais e geneticamente modificadas, a Monsanto busca soluções sustentáveis que proporcionem aos agricultores produzir mais, conservar mais e melhorar vidas. Para isso, investe anualmente mais de US$ 1 bilhão em pesquisa e novos produtos, além de compartilhar seu conhecimento com produtores para ampliar o seu acesso a modernas tecnologias agrícolas. Desde que chegou ao país, em 1963, a Monsanto cresceu em estrutura e no desenvolvimento de soluções para o campo, o que faz da unidade brasileira a segunda maior e mais importante da companhia em todo o mundo. Cerca de 2.500 funcionários trabalham nas fábricas e escritórios distribuídos pelo Brasil.
 
A Monsanto faturou R$ 3,4 bilhões no Brasil em 2012 produzindo e comercializando a linha de herbicidas Roundup, sementes de soja convencional (Monsoy) e geneticamente modificada (tecnologia Roundup Ready®), sementes convencionais e geneticamente modificadas de milho (Agroeste, Sementes Agroceres e Dekalb), sementes de sorgo, algodão (Deltapine) e, ainda, sementes de hortaliças (Seminis). Em novembro de 2008, passou a atuar no mercado de cana-de-açúcar com a marca Canavialis

Fonte: Ass. Imprensa da Monsanto

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Nucleovet 2

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.