Conectado com

Notícias

Ministro Pepe Vargas visita o Show Rural hoje

Publicado em

em

Uma comitiva de autoridades chega ao Show Rural Coopavel hoje (06). O evento iniciou segunda-feira (03) e encerra amanhã (07), em Cascavel. O grupo será composto pelo Gilberto José Spier Vargas (Pepe Vargas), o vice-presidente do Banco do Brasil para assuntos de Agronegócio, Micro e Pequenas Empresas, Osmar Dias, pela senadora Gleisi Hoffmann, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade; o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo; o diretor-geral da Itaipu Binacional, Jorge Samek, o conselheiro do BNDES e Itaipu Binacional, Orlando Pessuti, deputados estaduais e federais, entre outras autoridades.
Vargas e os demais participam, às 13h30, da primeira solenidade do Governo Federal para entrega de máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento
 (PAC 2), de 2014 . As chaves dos 50 caminhões caçamba serão entregues aos municípios do Oeste e também da região de Entre Rios. Entre eles Itambé, Munhoz de Mello, Santa Inês, Anahy, Boa Vista da Aparecida, Braganey, Diamante D’Oeste, São Pedro do Iguaçu, Vera Cruz do Oeste, Alto Piquiri, Altônia, Cafezal do Sul, Esperança Nova, Iporã, Mariluz, Pérola, São Jorge do Patrocínio, Xambrê e São Miguel do Iguaçu.
Osmar Dias, por sua vez, estará acompanhado de outros executivos do Banco do Brasil e visita o estande do banco, que neste ano disponibilizou para o evento R$ 1 bilhão em linhas de crédito rural para atender a demanda dos agricultores. Todas as propostas acolhidas durante a feira contarão com fluxo diferenciado de condução, visando acelerar a liberação do crédito.
 
Avaliação
Ontem, o Parque Tecnológico Coopavel recebeu 54.460 pessoas até as 16h30. Agora, já são 127.241 visitantes em três dias. “Não chamamos mais apenas visitantes, são agricultores que vêm ao evento, não apenas para visitar, mas com objetivos específicos para buscar tecnologias a serem aplicadas na sua propriedade ou no seu negócio”, menciona o diretor presidente da Coopavel, Dilvo Grolli. Conforme ele, até ontem (05), todas as expectativas relacionadas ao Show Rural estão se concretizando, inclusive no que tange à participação do público, mas também em comercialização.
Conforme o presidente, o fato dos produtores estarem mais capitalizados está contribuindo para o investimento em mais tecnologia no campo. “E estas tecnologias eles estão vindo buscar aqui”, ressalta,
Na avaliação de Grolli, o investimento em tecnologia pode permitir ao produtor aumentar cerca de 50%  em produtividade, numa média de cinco a seis anos. O que é fato, afirma, é que existe espaço para o aumento da produtividade a partir de tecnologias existentes no mercado e que ainda devem ser lançadas nos próximos anos. Também é importante, analisa o presidente da Coopavel, que o produtor continue buscando conhecer essas tecnologias para transferi-las ao campo. “É o primeiro passo para uma longa caminhada”, diz.
Grolli ressaltou a variedade do público que o Show Rural recebe, inclusive com acessibilidade a cadeirantes ou outros portadores de deficiências. “Nosso público é cada vez maior porque temos um espaço democrático acessível a todos”, finaliza.

Fonte: O Presente Rural

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.