Conectado com

Empresas Bovinos

Mais bem-estar e produtividade: Conheça os benefícios do Velactis

Estudo realizado em campo comprovou ganhos produtivos para os animais que utilizam o produto no momento da secagem

Publicado em

em

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de leite. Anualmente são produzidos quase 35 bilhões de litros. Para atender a crescente demanda pelo insumo, a pecuária nacional tem tido a tecnologia como uma aliada para trazer mais bem-estar e eficiência para a produção nas fazendas.

Um dos momentos mais importantes dentro do ciclo produtivo das vacas é a secagem. É nessa fase que o tecido mamário se renova e o organismo do animal se prepara para a lactação seguinte.

Portanto, é possível afirmar que o período seco está intrinsecamente associado ao sucesso da produção de qualquer fazenda leiteira. O método mais adequado de interromper a lactação das vacas é de forma abrupta e com tratamentos que auxiliam esse processo. É importante associar manejo nutricional adequado, tratamento convencional com antibioticoterapia e selante intramamário para diminuir a possibilidade de contaminação da glândula mamária.

Para auxiliar os produtores no processo de secagem, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Velactis, o primeiro e único facilitador de secagem existente no mercado. O produto age no cérebro dos animais alterando a secreção hormonal. Ao aplicar o produto após a última ordenha, Velactis inibe a prolactina, o que causa rápida diminuição na produção de leite e facilita todo o manejo e processo de secagem.

A diminuição da produção tem impactos diretos na saúde do úbere, pois dessa forma é possível reduzir a pressão interna do úbere e o vazamento de leite, fatores que contribuem para evitar o surgimento de infecções intramamárias e para redução da dor e do desconforto causados pelo acúmulo de leite, o que consequentemente, auxilia na manutenção do bem-estar animal.

Certificado como “amigo do bem-estar animal”, Velactis também proporciona ganhos na lactação seguinte. Em um recente estudo, conduzido na Fazenda Cobiça, uma das mais produtivas propriedades leiteiras do país, a Ceva conseguiu avaliar o desempenho produtivo dos animais após o uso de Velactis.

O estudo realizado na propriedade, localizada no município de Três Corações em Minas Gerais, analisou o efeito do uso de Velactis, sobre o desempenho na produção de leite dos animais, em até 200 dias na lactação seguinte.

Para a realização da análise foram formados dois grupos: Velactis e Controle. Os animais selecionados estavam produzindo no dia da secagem entre 20 e 44 litros/dia. Para maior precisão dos resultados alguns filtros foram aplicados, portanto alguns animais deixaram o estudo, ao todo 216 vacas foram para o grupo de Controle e 201 para o grupo Velactis.

Gráfico 01- Vacas tratadas com Velactis passaram a produzir mais na lactação seguinte, com média de 1,89 litros de leite por vaca por dia

A randomização para receber ou não o tratamento com o produto no momento da secagem foi baseada no número do brinco do animal (par ou ímpar) como recomendado pelo Journal of Dairy Science.

Após as avaliações realizadas foi possível identificar que as vacas que utilizaram Velactis apresentaram uma maior produção de leite na lactação seguinte em comparação aos animais que não utilizaram o produto no momento da secagem.

A diferença entre os grupos foi de 378 litros de leite em 200 dias, representando uma média de 1,89 litros de leite por vaca por dia, para os animais do grupo tratado com Velactis. Ou seja, os animais que utilizaram o produto passaram a produzir mais.

 

Gráfico 02- Todos os animais do grupo Velactis, independentemente do nível de produção no momento da secagem, foram igualmente beneficiados pelo uso do produto

O estudo também avaliou a influência do nível de produção das vacas no momento da secagem. Para isso, foram analisados três grupos distintos: vacas produzindo menos de 25 litros; vacas produzindo entre 25 e 30 litros; e vacas produzindo mais do que 30 litros.

Os resultados do estudo mostraram que todas as vacas analisadas, nos três níveis de produção a secagem, apresentaram melhor desempenho do que as do grupo Controle. Ou seja, todos os animais são igualmente beneficiados ao utilizar o produto independentemente do seu nível de produção no momento da secagem.

Outra informação bastante relevante que o estudo demonstrou foi que Velactis permitiu que vacas com período seco < 50 dias apresentem maior produção de leite na próxima lactação, como pode ser observado no gráfico abaixo. Sendo que esta diferença em produção é maior quanto menor comparativamente ao período seco, embora não se recomende período seco < 40 dias. Isso vem em decorrência da característica de Velactis em permitir uma involução da glândula mamária mais rápida, com a regeneração do tecido mamário sendo realizada em menor tempo, além de proporcionar uma maior proteção imunológica à glândula. Com essas características, mais as informações encontradas no estudo, nos dão suporte técnico para recomendar a possibilidade de se trabalhar com períodos secos entre 45 e 50 dias, o que algumas fazendas já vêm fazendo e que é uma tendência técnica. Com Velactis isso é fácil. Uma outra vantagem de período seco mais curtos são: menor incidência de problemas metabólicos e maior fertilidade no pós-parto (Gumen 2005; Rastani, 2005).

Gráfico 03- Estudo também identificou que vacas com período seco < 50 dias apresentaram maior produção de leite na lactação seguinte

 

As análises permitiram concluir que:

  • Velactis proporcionou produção mais elevada na lactação subsequente e com significância estatística;
  • Todas as vacas submetidas ao tratamento com Velactis responderam com produções superiores aos do grupo Controle, não importando o nível de produção a secagem.
  • Vacas tratadas com Velactis e com período seco mais curtos, ≤ 50 dias, apresentaram melhores respostas que vacas com período seco mais extensos.

Os dados coletados na Fazenda Cobiça permitiram identificar os benefícios do Velactis na lactação seguinte. Com as análises foi possível concluir que o produto traz impactos positivos após o período seco, proporcionando um incremento produtivo para os animais que utilizem o produto no momento da secagem. Todos os animais tratados com Velactis responderam com produções mais elevadas quando comparadas com suas parceiras do grupo Controle, não importando o nível de produção no momento da secagem

André Amos – Médico Veterinário, MSc

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =

Empresas

Impulsa conquista nova conta do agronegócio e se consolida como agência de comunicação com expertise no setor

Agência trabalhará o marketing digital, produção de conteúdo, inbound marketing e campanhas de produtos da Trouw Nutrition

Publicado em

em

Mateus Domiciano, sócio-diretor da Impulsa - Fotos: Divulgação

A Impulsa Comunicação se firma mais uma vez no mercado como uma agência com know-how para trabalhar com diversos segmentos, principalmente no agronegócio, um dos principais setores da economia brasileira. Ela agora é responsável pela comunicação da Trouw Nutrition, marca que há mais de 90 anos entrega soluções em nutrição para a produção de carnes, ovos e leite.

De acordo com Mateus Domiciano, sócio-diretor da Impulsa, a agência vive um momento ímpar dentro do agronegócio, atendendo várias frentes deste setor que não para de crescer na economia brasileira. “Nossa carteira dentro do agro passa por empresas de sementes, defensivos agrícolas, saúde animal, máquinas e agora agrega uma das mais importantes empresas globais de nutrição. Estamos muito felizes com a chegada da Trouw Nutrition. A experiência da nossa equipe nesse segmento será fundamental para alcançarmos ótimos resultados”, afirma ele.

“Estamos na expectativa de iniciarmos esta parceria, que acreditamos ser uma oportunidade especial de contribuir para o desenvolvimento dos nossos negócios” diz Gabriele Alves Barbosa, coordenadora de marketing da Trouw Nutrition.

 

Know-how no agronegócio

O know-how da Impulsa Comunicação no setor do agronegócio começou há mais de dez anos, quando a agência conquistou a conta do Instituto Agronômico (IAC), primeira instituição de ciência e tecnologia fundada na América Latina e um dos principais institutos de pesquisa voltado à agricultura do mundo. A agência, que continua realizando trabalhos para o IAC, hoje também é responsável pela comunicação de marcas que são referência no setor agro, como IHARA, ICC Brazil, SAN Vet, Uniggel Sementes e Agristar.

Todo esse trabalho resulta em campanhas premiadas. Em 2021, a Impulsa conquistou cinco prêmios por campanhas desenvolvidas para a IHARA, na XIX Mostra de Comunicação Agro, premiação promovida pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), e outros três prêmios no Mídia Festival, um dos principais prêmios publicitários do interior do estado de São Paulo.

“O mercado do agro mudou. Hoje, os produtores estão mais conectados aos meios digitais, atentos às inovações e procurando se cercar do máximo de informações possíveis para tomar as decisões mais assertivas em busca dos melhores índices de produtividade. Precisamos entender suas dores, que são diferentes em um país continental como o nosso, e as marcas precisam estar ligadas aos seus clientes não só ofertando produtos, mas oferecendo ferramentas e conhecimento para as suas decisões”, explica Domiciano.

Além da atuação no segmento agro, a Impulsa atende clientes de todo o Brasil e do exterior na área de varejo, serviços, educação e indústria, como a Avery Dennison, Caterpillar, DelRio, Universidade São Francisco e Wet´n Wild.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

AB Vista vai apresentar trabalho no evento do Poultry Science Association

Um dos mais importantes encontros da avicultura mundial acontece em San Antonio, TX, entre os dias 11 e 14 de julho

Publicado em

em

Alexandre Barbosa de Brito, Gerente Técnico LATAM da AB Vista

A AB Vista vai para San Antonio apresentar um trabalho no evento do PSA – Poultry Science Association, que acontece entre os dias 11 e 14 de julho de 2022, em San Antonio, Texas, Estados Unidos.

A empresa, representada por um dos produtores do estudo, Alexandre Barbosa de Brito, Gerente Técnico LATAM e apresenta a avaliação de uma nova técnica para identificar o formaldeído em dietas de frangos de carne e esta relação com a recuperação da fitase e da xilanase.

O objetivo deste estudo foi avaliar os níveis de formaldeído na dieta, além de correlacionar estes valores obtidos por kits comerciais, e este efeito sobre a recuperação enzimática, já que embora a atividade das enzimas recuperadas na ração seja a forma mais comum de medir a inclusão de enzimas na dieta, os formaldeídos reduzem a atividade das enzimas analisadas na ração.

A apresentação do trabalho acontece no dia 14 de julho, a partir das 9h45 (horário local).

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Desenvolvimento

Aviagen Peru celebra 3 anos de crescimento e sucesso

A granja Malvinas 2 será desenvolvida para adicionar 12 novos e modernos aviários, aumentando a capacidade de produção

Publicado em

em

Divulgação Aviagen

O Grupo Rocío e a Aviagen® celebram 3 anos do acordo estratégico para uma joint venture, pelo qual a Avícola del Norte (Avinor), empresa do Grupo Rocío, se converteu em uma subsidiária da Aviagen chamada Aviagen Peru. O novo negócio ajudou a Aviagen a expandir ainda mais seu alcance na América Latina e agregar valor aos clientes no país. A Aviagen Peru é uma importante e estratégica base de produção para a América Latina. Iniciou com a produção de 1,5 milhão de matrizes por ano, possibilitando o suprimento de matrizes Ross® 308 AP aos produtores avícolas em todo Peru e em outros países da América do Sul.

A Aviagen e o Grupo Rocío celebram os recentes projetos de expansão que ajudarão a cumprir a estratégia conjunta em promover o sucesso dos avicultores peruanos e a sustentabilidade da cadeia de produção de carne de frango.

“O Peru está entre os maiores produtores de carne de frango da América Latina e é o país com o maior consumo per capita de carne de frango. A joint venture e nosso forte relacionamento com o Grupo Rocío são importantes para a estratégia da Aviagen na América Latina em termos de desenvolvimento contínuo, para auxiliar nossos clientes a alimentar suas comunidades locais com uma proteína acessível e sustentável, agora e no futuro”, afirmou Ivan Pupo Lauandos, Presidente da Aviagen América Latina.

Para Rafael Quevedo Flores, fundador do Grupo Rocío, a relação entre as duas empresas promoveu o crescimento da avicultura peruana. “Graças a uma aliança baseada em valores compartilhados e inovação, estamos promovendo a avicultura sustentável no Peru, beneficiando tanto produtores quanto consumidores, que terão acesso a uma proteína saudável e sustentável”.

Desenvolvimento sólido no Peru

Devido ao sucesso desta parceria e ao próspero mercado para as aves Ross 308 AP no Peru e na América do Sul, em fevereiro a Aviagen anunciou planos para aumentar a produção de matrizes, garantindo o fornecimento às empresas. O investimento de US$ 12 milhões inclui a expansão e a atualização de uma granja, um novo incubatório e um laboratório.

Localizada em um local biosseguro, no deserto da costa Norte do país, a granja Malvinas 2 será desenvolvida para agregar 12 novos e modernos aviários automatizados, também aumentando a capacidade de produção de matrizes dos aviários existentes. Quando o projeto estiver concluído, ao término de 2022, a capacidade de produção duplicará, para 3 milhões de matrizes por ano.

A Aviagen Peru planejou também a construção de um novo incubatório, que terá 24 máquinas de estágio único com capacidade de 3 milhões de matrizes/ano. Além disso, a expansão continua, com a construção de um novo laboratório de diagnóstico e monitoramento com análises imunológicas de ponta, tecnologia molecular e técnicas de cultura bacteriológica de última geração.

Para César Muro, gerente geral da Aviagen Peru, os projetos e investimentos da Aviagen no Peru demonstram confiança no futuro. “Devido ao histórico na avicultura, aliada às excelentes condições climáticas e experiência em logística, o Peru é a base de produção ideal para as aves Ross. Além disso, a popularidade do Ross 308 AP continua a crescer, à medida que mais e mais produtores avícolas se beneficiam da performance reprodutiva das aves, sua robustez e eficiência alimentar.”

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
SIAVS 2022

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.