Conectado com
LINKE

Empresas Bovinos

Kersia apresenta linha de suplementos nutricionais para vacas leiteiras durante o 9° SBSBL

O Programa Bolus, que será lançada na Milk Fair, oferece uma tecnologia única que fornece a suplementação ideal para vacas leiteiras em momentos-chave do ciclo de produção.

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

Sucesso na Europa desde seu lançamento, em 2014, a equipe Kersia/Hypred vai apresentar na Milk Fair, de 05 a 07 de novembro em Chapecó, sua linha de suplementos intraruminais, que oferece seis suplementos nutricionais para vacas leiteiras, desenvolvidos com a tecnologia de bolus efervescente e de liberação lenta, prometendo fornecer a dose certa, no momento certo e no local certo para uma lactação mais saudável e produtiva. O Zootecnista Petterson Sima, Supervisor Técnico e Marketing da Kersia, explica: “O objetivo de todo produtor de leite é ter vacas paridas em lactação e o parto é uma etapa muito distinta dentro do ciclo da vaca. Em torno desse momento temos diferentes desafios que exigem muito da capacidade fisiológica da vaca, ocorrendo desde o período de pré-parto até a nova etapa de reprodução. São muitos os distúrbios e doenças que têm forte relação com aspectos nutricionais e o objetivo da Kersia é auxiliar o produtor de leite a diminuir os impactos e prejuízos desses problemas com uma suplementação específica para cada caso.”

A exemplo disso temos o BOLIFLASH CALCIUM, uma suplementação de cálcio gradativa e contínua para a redução do risco de hipocalcemia e seus impactos indiretos. Sima ressalta a importância da suplementação adequada de cálcio e a diferença da tecnologia Kersia: “Nessa fase, ainda que o animal tenha sido devidamente preparado no pré-parto com técnicas como dieta aniônica, o risco de hipocalcemia subclínica permanece, com estudos demonstrando persistência de casos em boa parte do rebanho. Nessa fase a vaca está com sua capacidade de absorver cálcio diminuída, apesar da grande demanda. BOLIFLASH CALCIUM age desde o primeiro minuto de aplicação graças a sua tecnologia de efervescência. E a suplementação é constante e gradual por horas com o bolus de liberação lenta, diferente das soluções líquidas onde a taxa de passagem é bastante elevada e o animal precisa captar tudo o que pode dentro de um curto período”.

O controle de cetose e acidose também irão receber reforço do Programa Bolus. Rico em colina e metionina protegidas, BOLIFAST PHYSIOLOGIC é a solução da Kersia para impulsionar o fígado: “Muitas fazendas têm dificuldade em reduzir o escore de algumas vacas para o nível ideal durante o pré-parto. Normalmente as vacas que estão com sobrepeso estão com sua capacidade hepática comprometida e é nesse momento que o BOLIFAST PHYSIOLOGIC pode contribuir. Com hepatoprotetores agindo como um impulsionador fisiológico para o fígado, favorecemos a retomada de sua capacidade plena no metabolismo de gordura, reduzindo quadros de cetose e esteatose hepática, o chamado ‘fígado gordo’. Após o parto ainda é possível continuar ajudando o fígado com o BOLIFAST RUMEN”, explica Sima.

Além de manter o suporte ao fígado, BOLIFAST RUMEN busca dar suporte também no equilíbrio ruminal, principalmente para vacas de alta produção, já que a mudança de dieta e da demanda fisiológica do animal exigem bastante da capacidade digestiva do animal. Com agentes tamponantes, vitaminas e leveduras, esse bolus favorece a digestão ruminal, estabilizando o pH e promovendo a adequada fermentação microbiana: “O que se espera é uma maior eficiência digestiva, com uma fermentação mais equilibrada, melhor aproveitamento da energia e consequente aumento na ingestão de matéria seca, reduzindo o balanço energético negativo e seus impactos no início da lactação”, reforça Petterson.

Para apoio na preparação para novo cio e reprodução a linha conta com BOLIFLASH FERTIL, composto por uma série de elementos que favorecem o desempenho reprodutivo, como vitaminas A, D, E e betacarotenos, além de minerais importantes, como selênio e outros. Aqui novamente a suplementação gradativa se torna um diferencial, estimulando e preparando para reprodução de maneira geral. Como complemento nessa fase ou em outras dentro do ciclo, como períodos críticos e de estresse no manejo, transporte, doenças, mudanças de dietas ou qualquer outro motivo, BOLIFLASH VITAMINS posiciona-se como o coringa capaz de reforçar o organismo nutricionalmente no crescimento, produção e reprodução. “Com uma seleção de oligoelementos essenciais para os desafios fisiológicos em geral, o produto ajuda a vaca a recuperar suas funções fisiológicas e assim retomar o bom desempenho” complementa Sima.

E o período seco também recebe atenção. Chegando em 2020, com dois bolus de liberação lenta que dão suporte por 120 dias, BOLITRACE BIOTIN + é focado em auxiliar as vacas que entraram no período seco. “Contando com uma tecnologia de liberação super controlada, teremos uma dose diária de vitaminas e minerais que irão suprir lacunas da dieta de período seco. Estamos falando do momento onde a vaca irá reconstituir todo seu organismo para uma nova lactação e reprodução, além da etapa final da atual gestação. Os reflexos podem ser observados na saúde da cria, da vaca e na produção de leite, inclusive porque o produto mantêm suporte no pós-parto com seus 120 dias de ação”, finaliza Petterson.

A Kersia é apoiadora do Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite e vai apresentar a linha completa no estande da empresa e com destaque especial no evento paralelo dia 06 de novembro as 17h30min. Com uma palestra ministrada pelo professor e pesquisador Marcio Nunes Correa, do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Pecuária da Universidade Federal de Pelotas, a palestra abordará os distúrbios metabólicos do período de periparto e seus impactos biológicos e financeiros e como a nova tecnologia pode contribuir para uma pecuária leiteira mais sustentável no Brasil.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + dez =

Empresas

Biogénesis Bagó inaugura novo banco de vacinas contra a febre aftosa

As instalações funcionam como reserva estratégica de antígenos e vacinas contra a febre aftosa, única na América Latina

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A Biogénesis Bagó, empresa de biotecnologia especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de produtos para a saúde e produtividade animal, inaugurou uma nova instalação que amplia a sua capacidade de resposta a emergências para 60 milhões de doses de vacinas contra a febre aftosa e tem capacidade de expansão de acordo com demandas futuras.

O novo centro construído pela empresa, que visa atender à necessidade global de vacinas de “classe mundial” para responder a emergências sanitárias e acompanhar a evolução tecnológica, conta com medidas de segurança e monitoramento de características especiais, abrigando 20 tanques para armazenar antígenos ultraconcentrados em nitrogênio líquido a -180° C. Estes constituem as matérias-primas cruciais para a formulação de vacinas com potência e segurança garantidas em um período inferior a uma semana – enquanto a elaboração de uma vacina através de processos tradicionais leva ao menos três meses – e, desta maneira, permite atender a qualquer emergência, em qualquer parte do mundo, de forma imediata.

“Nossa experiência em atendimento de emergências, juntamente com a nossa constante inovação tecnológica e profissionalização de nosso capital humano, nos consolida como uma referência mundial na luta contra a febre aftosa. Este projeto é um exemplo de nosso compromisso com a evolução da saúde animal e, ao mesmo tempo, com o desenvolvimento do conhecimento e da capacidade de produção da Argentina e da região para o mundo”, afirma Esteban Turic, CEO da Biogénesis Bagó.

A evolução da Biogénesis Bagó como líder global posiciona a companhia como uma das únicas empresas no mundo com capacidade de produção e fornecimento de produtos seguros e eficazes de classe mundial. Este é o resultado da vasta trajetória da companhia, do investimento constante na luta contra a febre aftosa e do trabalho conjunto com organizações científicas e técnicas na Argentina e centros de referência global. Ao mesmo tempo, a cooperação público-privada tem permitido o desenvolvimento de profissionais altamente qualificados, que são a base da evolução tecnológica da empresa.

“A participação em campanhas de emergência e o fornecimento ao SENASA, na Argentina, ao Banco Nacional de Vacinas Animais e Contramedidas Veterinárias do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e ao Banco Norte-Americano de vacinas contra a febre aftosa, que os EUA integram com o Canadá, abriu um precedente sobre as nossas competências e as conquistas que poderemos alcançar a partir desta ampliação”, acrescenta Rodolfo Bellinzoni, diretor de Operações Industriais em Inovação da Biogénesis Bagó e referência mundial no assunto.

Este projeto é parte de um ambicioso plano de investimento e desenvolvimento tecnológico para ampliar a capacidade de produção e os padrões de qualidade das fábricas, que contempla, no futuro, a execução de outras obras relevantes na unidade de Garín com o objetivo de sustentar a expansão global da companhia.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Parceria

Conheça a Novagro, uma parceira Feedis

Juntas empresas buscam levar para o mercado soluções tecnológicas inovadoras voltadas para nutrição de animais de produção

Publicado em

em

Sergio Metzker / Divulgação

A Feedis, empresa especializa em aditivos inovadores para nutrição animal, apresenta mais um parceiro da sua rede. Desta vez é a Novagro, empresa sediada em Pará de Minas (MG), criada em fevereiro deste ano e pelo médico-veterinário Sergio Metzker.

“Criamos a Novagro este ano com o objetivo de levar aos nossos clientes tecnologias que ajudem a enfrentar os desafios do dia a dia, produzir mais e melhor. A parceria surgiu da oportunidade e soluções inovadoras disponibilizadas pela Feedis, que vem ao encontro do que consideramos importantes aos nossos clientes, principalmente com o objetivo de produzir com melhor eficiência e mais saúde, destaca Sérgio Metzker: “É uma excelente parceria, pois reúne produtos e profissionais de ponta para um mercado extremamente exigente”.

Luciano Heis, Gerente de Negócios Feedis, faz suas considerações sobre este braço da empresa austro-brasileira para a região: “A parceria com a Novagro, é um importante passo para firmarmos nossa presença no mercado de Minas Gerais, alinhado com o desejo de estarmos mais próximos dos clientes deste importante estado produtor”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Aquicultura: uso de enzimas na dieta dos animais proporciona maior rentabilidade

Compostos enzimáticos melhoram a digestibilidade dos nutrientes, promovendo uma série de benefícios ao produtor

Publicado em

em

Divulgação Alltech

O aproveitamento de nutrientes presentes na dieta dos animais é um fator fundamental para melhorar a rentabilidade das criações, inclusive na aquicultura. Entretanto, também pode ser considerado um desafio no manejo de peixes e camarões, já que nem todos os alimentos conseguem ser absorvidos de maneira natural. Neste processo, a digestibilidade é essencial na busca pela eficiência alimentar.

Como explica a zootecnista Carolina Farias, gerente de vendas para aquicultura da Alltech, o organismo dos peixes é preparado fisiologicamente para aproveitar nutrientes disponíveis na natureza, entretanto alguns deles não são totalmente absorvidos. Para alimentá-los em cultivos, a exigência fisiológica dos animais é atendida com farinhas de origem animal e vegetal. Mas como explica a especialista, apenas isso não é suficiente: “alguns ingredientes de origem vegetal contêm substâncias antinutricionais para os peixes, que além de não serem bem aproveitadas, acabam piorando a absorção de outros elementos”, diz.

Por conta disso, as enzimas são tão importantes, já que têm a função de acelerar algumas reações químicas específicas dentro do organismo dos animais, quebrando moléculas maiores em menores, o que acaba facilitando a absorção de nutrientes pelo intestino, ou seja, melhorando a digestibilidade. “Por meio das enzimas, conseguimos quebrar compostos antinutricionais e elevar o aproveitamento de nutrientes que não estariam disponíveis sem a tecnologia”, comenta.

Os benefícios do uso de soluções enzimáticas na dieta dos animais já têm sido observados na prática, como relata Giuliano Mathias Dias, produtor de tilápia em Caconde (SP), que, ao utilizar a tecnologia na alimentação dos peixes. “Com a enzima melhoramos 0.2 na conversão alimentar, que é uma diferença significativa quando se pensa em grandes volumes” comenta.

Além da maior produção de filé com a mesma quantidade de peixe, o produtor também notou outros benefícios: “outro resultado positivo foi a diminuição de mortalidade e melhora significativa também no crescimento. Tudo relacionado talvez ao melhor aproveitamento da ração proporcionado pela enzima”, diz.

A utilização de um complexo enzimático depende da fase, da genética e até do manejo do animal, e vale ressaltar que o seu uso na aquicultura não só potencializa a conversão alimentar, mas também traz uma série de benefícios ao produtor: “o que você oferece ao animal vai ser melhor absorvido, então consequentemente vai ter maior um ganho de peso, maior manutenção dos parâmetros de qualidade de água, e maior aproveitamento de nutrientes, pontos muito importantes para a manutenção da produtividade e a rentabilidade da produção. Quanto mais o animal crescer e ficar bem de saúde, num ambiente adequado, melhor vai ser para ele”, explica Carolina.

Solução para formulação

Para auxiliar o setor a melhorar a eficiência alimentar dos animais, a Alltech possui em seu portfólio as soluções Allzyme´s.  Allzyme SSF e Allzyme Vegpro auxiliam na saúde do sistema digestivo do animal e maximizam a digestibilidade dos nutrientes da dieta.

Fonte: Ass. de imprensa
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.