Conectado com
OP INSTAGRAM

Empresas

Kemin defende estratégia diante de custos elevados para aves e suínos

Com novos recordes de preços da soja e do milho, zootecnista destaca importância de melhorar desempenho no campo com tecnologias capazes de reduzir o impacto negativo destes aumentos para o produtor

Publicado em

em

Gisele Neri, coordenadora de Produtos para Monogástricos da Kemin na América do Sul Foto: Divulgação

O preço da saca da soja chegou a patamares antes inimagináveis no Brasil e no mundo. Após flertar com os R$ 200, a oleaginosa abriu a semana de 09 de novembro nas casas de R$160 e R$ 170, dependendo da praça. O farelo de soja, que em setembro de 2019 estava R$ 1.230 a tonelada bateu R$2.040 na praça de São Paulo em outubro, de acordo com dados da Abiove, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. O milho no mesmo ritmo, comercializado em 9 de novembro a R$ 70 a saca na praça de Cascavel, no Oeste do Paraná.

Como a dieta a base desses grãos representa aproximadamente 70% dos custos de produção de aves e suínos, não tem jeito: ou o produtor melhora a performance do frango e do suíno através de manejo nutricional, ou utiliza ferramentas para reduzir o custo da ração, ou vai perder dinheiro.

Para os frangos, a nutrição teve um aumento de 23,3% no ano e representa atualmente 72,5% dos custos totais da produção. E para os suínos, esse aumento foi de 21,6% em 2020 e representa quase 79% dos custos totais de produção, segundo dados de setembro da Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa.

 

Exportações do complexo soja em alta

De acordo com a Abiove, até o mês de agosto o Brasil já havia exportado 75 mil toneladas do complexo soja, mais do que o total nos 12 meses de 2019. O grande impulsionador desse número são as exportações de soja grão para a China. Somente de farelo de soja, item de grande importância e impacto para a nutrição animal, houve um aumento de quase 7% no período entre janeiro e agosto de 2019 e janeiro e agosto de 2020.

Por conta disso, indústrias locais estão disputando o pouco volume de soja disponível, que oferecem preços acima dos da paridade de exportação para conseguir efetuar a compra e manter o abastecimento. “A indústria já sinalizou não ter um estoque longo, o que deixa avicultores e suinocultores em alerta quanto ao consumo de farelo de soja no primeiro bimestre de 2021, especialmente diante da possibilidade do atraso da colheita da safra 2020/21, devido ao atual semeio tardio”, aponta a Abiove.

O impacto é tão grande que já levou a Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav) a solicitar apoio do governo federal, através do envio de um pleito para a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina. Foi solicitada intervenção federal no abastecimento de grãos. José Eduardo dos Santos, presidente executivo da Associação Gaúcha de Avicultura justifica pelo “custo elevadíssimo de produção devido ao farelo de soja e o milho”.

 

Estratégias para reduzir o impacto dos custos elevados

A zootecnista e coordenadora de Produtos para Monogástricos da Kemin na América do Sul, Gisele Neri, explica que “a Peste Suína Africana na China e na Europa e mais recentemente a pandemia do novo coronavírus alteraram a dinâmica dos mercados domésticos e do mercado internacional de carnes”. Para ela, uma alternativa é “turbinar” a performance do plantel através do uso de produtos capazes de melhorar a absorção dos nutrientes na ração.

O Lysoforte eXtend é uma ferramenta de ação direta na digestão e absorção de gorduras, óleos e nutrientes importantes da ração animal. Composto por lisofosfolipídeos, monoglicerídeos e uma pequena porção de emulsificante sintético, que irão atuar e potencializar as etapas de emulsificação, hidrólise e absorção. No processo de digestão de gorduras e óleos primeiramente ocorre a quebra de partículas grandes de gorduras em gotículas de gorduras menores. As gotículas de gordura se solubilizam no meio, no processo conhecido com emulsificação. Depois disso, existe a ação da lipase para que aconteça a quebra da gordura em ácidos graxos, processo conhecido como hidrólise. Após a hidrólise acontece a formação das micelas e, finalmente, a absorção.

A zootecnista afirma que, no caso de óleos e gorduras, o tamanho das micelas tem implicação direta na absorção. Quanto menor o tamanho das micelas, maior a absorção e o aproveitamento pelo animal. “Existem duas estratégias possíveis para o cliente que opta por utilizar o Lysoforte: “on top” ou  reformulação com a matriz nutricional. O uso “on top” tem a capacidade de entregar uma performance superior devido ao aumento da absorção dos nutrientes e aproveitamento otimizado da energia da dieta. Já a reformulação permite ao produtor uma redução dos custos da dieta, com manutenção dos parâmetros de performance”, diz a especialista.

Neri reforça que o Lysoforte eXtend está na terceira geração, e é o único capaz de atuar em todas as três etapas da digestão de gorduras e óleos: emulsificação, hidrólise e absorção. “O Lysoforte melhora o aproveitamento dos nutrientes que já estão na dieta, aumenta a digestibilidade, melhora o uso da energia, especialmente provinda do uso da gordura, pois além de atuar na emulsificação das gorduras, atua também nas etapas posteriores, até a absorção pelo animal”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
1 Comentário

1 Comentário

  1. Benedito de Souza

    19 de dezembro de 2020 em 22:36

    Com abundância de matérias primas para alimentação, o produtor não se preocupa com aditivos funcionais na digestão, mas nesta fase de escassez e elevação de custo, os aditivos são primordiais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 7 =

Empresas Reforço.

Eduardo Mazzieri é o novo Diretor de Marketing Operacional da UPL Brasil

Aos 47 anos, o novo diretor de marketing operacional da UPL tem passagens por organizações multinacionais de fertilizantes, sementes e defensivos agrícolas

Publicado em

em

Eduardo Mazzieri / Divulgação

A UPL, uma das quatro maiores empresas de soluções agrícolas do Brasil, anuncia a contratação de Eduardo Mazzieri para o cargo de Diretor de Marketing Operacional no país. Com mais de 20 anos de experiência no mercado, Mazzieri é agrônomo formado pela Universidade de São Paulo com diversos cursos e especializações em renomadas escolas de negócios como Ashride, Harvard e FAAP.

“É uma grande satisfação chegar à UPL para fazer parte da recém-criada estrutura de operações, desenhada para suportar o rápido crescimento da companhia não apenas no Brasil, mas em termos globais. Nosso objetivo é direcionar cada vez mais a organização aos agricultores, nossos clientes finais, e criar um hub de excelência em marketing, integrado e colaborativo”, afirma Eduardo Mazzieri.

Aos 47 anos, o novo diretor de marketing operacional da UPL tem passagens por organizações multinacionais de fertilizantes, sementes e defensivos agrícolas, já tendo exercido cargos de liderança em marketing e negócios nas mais diferentes áreas. Também tem experiência na gestão estratégica de cultura e portfólio, além de sementes e biotecnologia.

“Profissional de grande competência e experiente, Eduardo Mazzieri chega para nos auxiliar na execução do plano de crescimento da UPL, que tem um dos portfólios mais robustos do mercado, potencializando nossas boas práticas e trazendo novas ideias, ao lado de uma equipe de marketing excepcional”, afirma o presidente da UPL Brasil, Fabio Torretta.

Eduardo Mazzieri comandará uma ampliada estrutura composta pelas equipes de marketing tático da UPL, que incluem lideranças de marketing nas principais regiões agrícolas do país, além de acesso ao mercado, pricing e comunicação.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Oportunidade

IHARA abre inscrições para contratação de profissionais para atuar no setor do Agronegócio

Iniciativa tem como foco contratar agrônomos com experiência na área comercial para compor o time da empresa

Publicado em

em

Reprodução

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento especializada em defensivos agrícolas, está com inscrições abertas para a contratação de agrônomos com experiência para fazerem parte do time Comercial, em todo o Brasil, atuando na função de ATVs (Administrador Técnico de Vendas) da empresa. Para concorrer às vagas, os candidatos podem se inscrever pelo link (http://jobs.solides.com/ihara/vaga/67457), até o dia 1º de junho.

A IHARA busca por profissionais que deverão ser parceiros dos agricultores para oferecer soluções inovadoras, que são bastante eficazes para o combate dos principais detratores de cada cultura. Os requisitos para a seleção são: formação em agronomia, experiência comprovada acima de quatro anos na área comercial, profissional no nível sênior ou especialista, ter afinidade com o trabalho em campo e disponibilidade para viagens ou mudanças de cidade.

Instalada no Brasil há mais de 56 anos, a empresa desenvolve soluções inovadoras e também adapta às tecnologias japonesas para atender as necessidades da agricultura brasileira, oferecendo produtos altamente eficientes para o controle dos principais detratores das lavouras e assim marca uma nova era em proteção de cultivos. Hoje, a empresa leva ao agricultor tudo o que há de mais moderno em acaricidas, herbicidas, fungicidas, inseticidas, biológicos e defensivos especiais através de seu portfólio completo, com 60 soluções inovadoras, para atender 100 diferentes tipos de culturas, ajudando assim a fim de ajudar os produtores em seus desafios no campo.

Alfredo Ucha Neto, Gerente de Desenvolvimento Humano da IHARA, comenta que a empresa investe constantemente em seu maior patrimônio, que são as pessoas, e isso também reflete na confiança que a IHARA representa para o setor. “Nossa equipe comercial está presente nos principais cultivos de cada estado brasileiro com o objetivo de garantir a qualidade e a alta produtividade no campo. Esses profissionais, além de oferecer as melhores soluções para as lavouras, são capacitados para localizar, analisar e solucionar problemas que possam afetar o potencial produtivo dos cultivos no que se refere ao manejo de pragas, doenças e plantas daninhas resistentes. O trabalho dessa equipe consiste ainda em multiplicar conhecimento técnico através de treinamentos, palestras e dias de campo para as mais diferentes regiões agrícolas do Brasil, além de estarem preparados para oferecer orientações sobre segurança nas lavouras, cuidados com o meio ambiente e o uso correto dos agroquímicos, um recurso indispensável em benefício da agricultura”, ressalta o executivo.

Atualmente, a companhia conta com mais de 800 colaboradores atuando para desenvolver, produzir e comercializar um portfólio completo para centenas de cultivos. Em 2021, a meta é contratar mais profissionais e ultrapassar a marca de 900 colaboradores.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Bovinos

Biogénesis Bagó fortalece atuação na pecuária leiteira com projeto “Balde de Soluções Leite”

Empresa investe na capacitação de sua equipe de campo para ampliar atuação na pecuária leiteira com soluções que trazem mais produtividade e rentabilidade ao negócio

Publicado em

em

Fotos: Divulgação

Um dos focos de atuação da Biogénesis Bagó, empresa de biotecnologia especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de produtos para saúde e produtividade animal, em 2021 é ampliar sua atuação no mercado de pecuária leiteira.

A empresa reorganizou seu portfólio com foco em performance, saúde e reprodução e vem capacitando de maneira técnica e comercial sua equipe de campo para identificar oportunidades de crescimento com a oferta de soluções da marca para a atividade leiteira. O conjunto dessas ações recebeu o nome de “Balde de Soluções Leite”.

“Identificamos as principais ‘dores’ do pecuarista de leite e nossa equipe está sendo capacitada para ajudar os clientes a lidar de maneira assertiva com os desafios sanitários. Em uma atividade com margens cada vez mais apertadas, o produtor não pode correr riscos de perdas e deve atuar tanto na prevenção como no tratamento dos problemas sanitários e reprodutivos que podem afetar a produtividade e a rentabilidade do negócio”, explica o Gerente de Produtos e Marcas da Biogénesis Bagó Brasil, Pedro Hespanha.

A estratégia inclui uma ferramenta inédita no mercado intitulada de “O Balde de Soluções” disponível no formato físico e digital. Trata-se de um arquivo portátil no formato de um balde de leite que contempla cards com mais de 20 soluções de sanidade, performance e reprodução na pecuária leiteira. “O conteúdo foi organizado com um racional dinâmico que permite que nossa equipe ofereça ao produtor de leite soluções com abordagem rápida, dinâmica e instrutiva. Cada card segue a mesma sequência (introdução, principais categorias afetadas, impacto econômico, protocolos preventivos e protocolos curativos) e a dinâmica também contempla cópias do conteúdo para serem entregues ao produtor no ato do atendimento como material para consulta posterior”, descreve Hespanha.

“O Balde de Soluções” é uma ferramenta inédita no mercado

Dentro do portfólio da estratégia estão temas sanitários como: colostro de boa qualidade, criação de bezerras, secagem/transição, produção de silagem, afecções pós-parto, doenças do puerpério, protocolos reprodutivos, doenças da reprodução, mastite ambiental, problemas respiratórios, papilomatose, tristeza parasitária, afecções podais, ceratoconjuntivite infecciosa, febre do leite, controle de endo e ectoparasitas, clostridioses e diarreia neonatal.

“Além desse mapeamento dos principais desafios, nossa equipe elabora um programa sanitário personalizado construído com base no histórico da tríade epidemiológica da fazenda (agente, ambiente e hospedeiro). Dessa forma, é possível adotar uma estratégia preventiva que interfere diretamente no rumo do negócio, diminuindo possíveis impactos econômicos ocasionados por perdas produtivas e reprodutivas”, complementa o Gerente de Produtos e Marcas da Biogénesis Bagó Brasil.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
CONBRASUL/ASGAV

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.