Conectado com

Notícias

GSI apoia a Semana Nacional da Carne Suína

Publicado em

em

A GSI está engajada, junto à Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), na Semana Nacional da Carne Suína. A iniciativa será lançada oficialmente em 2 de outubro (quarta-feira), em São Paulo. Ivo Oltramari Junior, diretor de Vendas e Marketing – Proteína Animal, irá participar da cerimônia ao lado da diretoria da ABCS, do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, entre outras autoridades do setor. 

Entre os dias 2 e 16 de outubro, período da campanha, a GSI irá desenvolver uma série de ações internas para divulgar e apoiar a iniciativa. Os colaboradores receberão informações sobre a carne suína, suas propriedades nutricionais e dicas de como prepará-la. Em novembro, em data a ser definida, ocorrerá, em Marau, uma palestra de um profissional da ABCS sobre o tema. Essa atividade será aberta a toda comunidade marauense e da região.

“A carne suína tem muita possibilidade de crescimento, especialmente junto ao consumidor final. A GSI, por fazer parte dessa cadeia produtiva, aposta nesse mercado a ser explorado e apoia a ABCS. A disseminação de informações é imprescindível e tem um papel muito importante na estratégia para o aumento do consumo de carne suína no Brasil. A realização de palestras e a divulgação sobre os diferenciais e características dessa proteína são essenciais para combater mitos e incentivar o consumidor a incluir a carne suína no seu cardápio do dia a dia”, diz Junior.

Saiba mais – A Semana Nacional da Carne Suína ocorrerá entre 2 e 16 de outubro em todo o país. Nas lojas do Grupo Pão de Açúcar, um dos parceiros do projeto, haverá ações para incentivar a compra de carne suína.
O objetivo da campanha é impulsionar a demanda pelo produto. A meta da ABCS é fazer com que o consumo, no mercado interno, passe de 15 kg para 18 kg per capita até 2015. 

O dia a dia da maior mobilização da história do setor de suínos poderá ser acompanhado em detalhes pelas mídias da ABCS: no site (www.abcs.org.br), Facebook (www.facebook.com/associacaobrasileira.criadoressuinos) e mídias parceiras. Vista a camisa da suinocultura e participe desse momento histórico!

Sobre a GSI: a empresa é líder mundial na produção de silos de armazenagem, secadores e transportadores de grãos, equipamentos para confinamento de aves, suínos e pecuária leiteira. Atuando em mais de 70 países, com mais de 2.500 colaboradores, o Grupo GSI possui unidades nos EUA, Canadá, Malásia, China e Brasil. São 10 fábricas e quatro centros de distribuição espalhados pelos cinco continentes, com destaque para a matriz em Assumption, Illinois (EUA), considerada a mais moderna fábrica de sistemas de armazenagem do mundo. Na América do Sul, sua unidade fabril, localizada em Marau, no Rio Grande do Sul, também merece destaque por ser a maior fábrica de equipamentos para a produção de aves e suínos da América Latina e por possuir uma equipe especializada em atender e entender as necessidades do produtor brasileiro. A GSI integra o grupo de empresas da AGCO.

Sobre a AGCO: A AGCO, Your Agriculture Company, (NYSE:AGCO) é  uma  das líderes  mundiais  focada na concepção, fabricação e distribuição de máquinas agrícolas.  Para apoiar a maior produtividade no campo a AGCO oferece uma linha completa de produtos que inclui tratores, colheitadeiras, equipamentos para fenação e forragem, pulverizadores, equipamentos para preparo de solo, implementos, peças de reposição relacionadas e sistemas de armazenagem de grãos e produção de proteína.  Seus produtos são vendidos por meio das cinco marcas Challenger®, Fendt®, GSI®, Massey Ferguson® e Valtra® e distribuídos globalmente por uma rede de 3.150 concessionários e distribuidores independentes, em mais de 140 países. A AGCO oferece financiamento ao cliente final por meio da AGCO Finance. Fundada em 1990, a AGCO tem sede em Duluth, GA, EUA. Em 2012, a AGCO registrou US$ 10 bilhões em vendas líquidas www.agcocoorp.com 

Fonte: Ass. de Imprensa da GSI

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Nucleovet 2

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.