Conectado com
LINKE

Empresas

Final do Tour DSM de Confinamento divulga dados de mais um ano de resultados positivos para confinadores

Fechamento dos números mostra excelentes índices zootécnicos e econômicos: os nove confinamentos participantes produziram em média 7,44 arrobas em 98 dias, obtendo um retorno sobre o investimento de 23,83% no período

Publicado em

em

Divulgação

A DSM no Brasil, por meio da Tortuga®, marca de suplementos nutricionais para animais, divulga os dados finais do Tour DSM de Confinamento 2020, que analisou os resultados das tecnologias da empresa sob a ótica dos índices zootécnicos mensurados pelos especialistas da DSM e dos índices econômicos, analisados pela equipe do Cepea-USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Universidade São Paulo). Mesmo com as situações adversas que poderiam ser geradas pela pandemia de Covid-19, as conclusões foram extremamente positivas.

Foram avaliados em 2020, 20.045 bovinos de corte confinados, a maioria machos inteiros anelorados, que foram suplementados com as exclusivas tecnologias da DSM, como Minerais Tortuga, Crina®, RumiStar®, e novidade do ano de passado, o Hy-D®. Foram encontrados como resultados que os bois produziram em média 7,44 arrobas em 98 dias, sendo o peso de entrada e saída de 13,17 e 20,61 arrobas, respectivamente. Quanto aos resultados econômicos, verificou-se que o ROI (relação entre a quantidade de dinheiro ganho como resultado de um investimento e a quantidade de dinheiro investido) foi de 23,83%, ou 7,33% ao mês, o que representa maior lucro desde o início do tour. Destaca-se também que esse ROI é o mais alto da série histórica, já que média dos anos anteriores é de 11,33%.

Participaram nove fazendas confinadoras localizadas nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do.Sul, Tocantins, Goiás e Minas Gerais, durante os meses de outubro, novembro e dezembro. Os bovinos confinados foram avaliados critérios como dias de cocho, peso vivo inicial (Kg e @), ganho de peso por dia (Kg), ganho médio diário de carcaça (Kg), peso vivo final (Kg e @), rendimento de carcaça (%) e arrobas produzidas por animal.

Entre os índices econômicos alguns temas em pauta e que envolve coleta de dados obrigatórios na propriedade são: valor do boi magro (em R﹩) valor da dieta por boi ao dia (em R﹩), custo operacional por boi ao dia (em R﹩), custo de oportunidade (custo do capital = 0,5% ao mês – valor fixo), valor total da diária por animal em R﹩ (soma do valor da dieta + custo operacional por boi ao dia), custo total por bovino confinado por período (em R﹩), preço (em R﹩) da venda do bovino (receita) e ROI (taxa de lucro, ou taxa de retorno sobre o investimento).

Suplementos que geram 1@ a mais no confinamento

O Tour DSM de Confinamento teve sua estreia em 2015 e desde então já realizou mais de 50 etapas em Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins, Pará, Paraná e Bahia. Nesses cinco anos de existência, o evento teve um público de 6 mil participantes, a maioria produtores rurais e técnicos em agropecuária. Ao todo, durante todos esses anos de realização do Tour, foram avaliados mais de 150 mil bovinos confinados.

O histórico do Tour mostra que os confinamentos que adotam as tecnologias da DSM geram aos animais um elevado ganho de peso, além de outros benefícios que se estendem por toda a cadeia produtiva. Os resultados aferidos no campo ao longo das avaliações zootécnicas e financeiras apontam um índice de ganho de peso, em média, de uma arroba a mais por bovino confinado, quando consomem dietas que incluem os suplementos da linha Fosbovi® Confinamento com CRINA®, RumiStar™ e Hy-D®, o que equivale a um animal a mais a cada 18 bovinos confinados.

Adicionalmente ao ganho de peso, as tecnologias da empresa geram outros benefícios. Entre eles, destaque para: maior eficiência alimentar; redução das taxas de problemas gastrointestinais (como diarreias ou timpanismo); rápida adaptação dos bovinos; menor taxa e refugo no cocho; aumento do consumo de ração desde os primeiros dias de confinamento; eficiência na digestão; e menor incidência de animais com laminites e acidose. “São benefícios que partem da produção e se estendem pela indústria frigorífica e chegam até os consumidores”, explica o zootecnista Marcos Baruselli, gerente de categoria Confinamento da DSM.

Sobre a linha de confinamento da marca Tortuga®, ele conta que essas tecnologias exclusivas da DSM foram desenvolvidas a partir de novos conceitos em nutrição mineral e vitamínica e funcionam como uma associação equilibrada de macro e microminerais, incluindo o cromo orgânico, vitaminas lipossolúveis e hidrossolúveis (biotina) e aditivos naturais, como leveduras vivas, aliados aos Minerais Tortuga. No caso do aditivo CRINA®, é um ingrediente indicado para substituir o uso de antibióticos e ionóforos na ração, com vantagens na produtividade, além de não possuir restrições no comércio mundial de carne bovina. E o uso do RumiStar™ (enzima alfa amilase pura) proporciona uma melhor ambiência ruminal e reduz a excreção de amido nas fezes, proporcionando melhor eficiência alimentar e redução do custo de produção da arroba produzida no confinamento. Já a novidade Hy-D®, lançada em 2020, tem como princípio ativo um metabólito específico de vitamina D3, que garante absorção mais rápida e eficiente de cálcio, magnésio e fósforo, atuando nas células satélites da fibra muscular, estimulando o crescimento muscular e consequentemente o peso de carcaça quente dos animais.

Pecuária intensiva e sustentabilidade: mais carne com menos recursos naturais

Um dos diferenciais da terminação de bovinos em confinamento é o apelo em termos de sustentabilidade. Aqui, o que Baruselli chama de “efeito poupa-terra”, por exemplo, é um conceito de terminar o bovino em apenas 90 dias, preservando recursos ao permitir um desempenho do animal que, em pasto, levaria um período de um ano ou mais, em média. “O confinamento poupa terra ao liberar mais espaço para agricultura, pastagem ou preservação”, pontua o especialista.

No que diz respeito ao tema sustentabilidade, também faz importante mencionar que as propriedades avaliadas nas etapas do Tour DSM de Confinamento se enquadram nesse conceito dos pontos de vista ambiental, econômico e social ao privilegiarem práticas zootécnicas que respeitam o bem-estar animal, o trabalhador rural e os consumidores de carne e derivados. E, na DSM, destaque para a sustentabilidade ser um dos seus principais valores em todo o mundo, dado que o cuidado com a qualidade de vida das pessoas e do planeta é levado em consideração em todas as suas atividades e na condução do desenvolvimento das tecnologias que dispõe ao mercado.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =

Empresas

Boehringer Ingelheim Saúde Animal lança novo medicamento para parasitas internos e externos em cães no Brasil

Com sabor carne e altamente palatável, o NexGard Spectra® é uma solução completa recomendada para prevenção de pulgas, carrapatos, vermes e sarna em cães de todos os portes

Publicado em

em

Fotos: Divulgação

Um tablete mastigável sabor carne “4 em 1”, que elimina pulgas, carrapatos e sarna de ouvido, além de tratar infecções ocasionadas por vermes intestinais: é o novo NexGard Spectra®, lançamento da Boehringer Ingelheim Saúde Animal no Brasil, que é produzido inteiramente na fábrica da empresa em Paulínia (SP) e distribuído para o Brasil e mundo.

O NexGard Spectra® tem muitos diferenciais que o fazem ideal para o combate de parasitas internos e externos nos cães. A textura macia e o sabor de carne fazem com que os cães encarem o medicamento como uma experiência super agradável, facilitando a administração e evitando um possível estresse ao animal ou ao tutor. Além disso, evita a aplicação incorreta devido à resistência usual dos cães em ingerir diversos medicamentos: é um e pronto! O seu uso deve ser contínuo, a cada 30 dias, para garantir eficácia completa e prolongada. O produto está disponível em 5 apresentações para cachorros com pesos: de 2kg a 3,5kg (PP), de 3,6kg a 7,5kg (P), de 7,6kg a 15kg (M), de 15,1kg a 30kg (G) e de 30,1kg a 60kg (GG).

O fato de o NexGard Spectra® proteger os cães eliminando sarna de ouvido e vermes intestinais, além da prevenção e tratamento de pulgas e carrapatos, o coloca em destaque no mercado nacional, pois é o único produto oral que combate os principais parasitas externos e internos com apenas um tablete. “A importância da prevenção de parasitas externos, como pulgas e carrapatos, faz parte dos cuidados de rotina dos tutores e alguns produtos utilizados para prevenir ou eliminar tais parasitas, como NexGard®, já vêm sendo utilizados com grande frequência. Sabe-se também que parasitas internos causam grandes prejuízos à saúde dos animais, porém seus tratamentos apresentam uma frequência menor na rotina dos tutores”, analisa a médica-veterinária Gabriela Rosa, Gerente de Assuntos Técnicos da área de Pets da empresa. “A sarna otodécica, ou sarna de ouvido, ocorre pela infestação do ácaro Otodectes cynotis e causa grande irritação aos cães, como coceira e feridas. Já os vermes intestinais podem causar diarreia, perda de peso, apatia, anemia e vômitos. Além de todo desconforto que esses parasitas causam aos cães, eles podem causar zoonoses, como é o caso do “bicho geográfico”, que ocorre após o contato do ser humano com solo contaminado pelas fezes do pet com presença de ancilostomídeos (vermes intestinais).  Por isso é fundamental a prevenção”, conclui.

O lançamento faz parte de um direcionamento estratégico da Boehringer Ingelheim que colocou o mercado de pets como uma prioridade no país. “A divisão de Pets possui alto valor agregado dentro da companhia e temos o objetivo de continuar crescendo e conquistando mais market share. Para isso, é necessário oferecermos aos tutores um portfólio completo e as soluções mais modernas e eficazes no combate de parasitas”, afirma Tatiana Zambon, diretora da área de Pets da empresa. Ela completa que o novo medicamento chega para ser um dos principais produtos do portfólio da companhia no país: “Em 2020, o NexGard®, antiparasitário que combate pulgas e carrapatos em cães, foi o antiparasitário número um do mundo e o mais comercializado da empresa, com € 804 milhões em vendas. A chegada do NexGard Spectra®, além de trazer inovação aos consumidores brasileiros, amplia o mercado consumidor do produto e a sua fatia de vendas ao prevenir outras enfermidades”, finaliza.

 

Sobre o NexGard Spectra®

O NexGard Spectra® é o novo produto da Boehringer Ingelheim Saúde Animal no Brasil e faz parte da linha de antiparasitários NexGard®, líder mundial no segmento. Toda a sua produção é feita em Paulínia (SP) e distribuída para o mundo inteiro. Ele é recomendado para o tratamento de pulgas, carrapatos, sarna de ouvido e vermes intestinais. Em sua fórmula, estão presentes os princípios ativos: afoxolaner, ectoparasiticida que elimina pulgas, carrapatos e ácaros da sarna otodécica, e a milbemicina oxima, endoparasiticida que trata infecções ocasionadas por nematódeos gastrintestinais.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Sanphar

Programas de biosseguridade são essenciais, valem o investimento e devem envolver o treinamento de equipe, apontam especialistas no primeiro webinar da série SANTalks

Publicado em

em

Pedro Lourenço, Professor Titular Aposentado da Universidade Federal de Uberlândia e Membro do Conselho Consultivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)

A biosseguridade em granjas de aves e suínos é um tema central, cada vez mais importante para indústrias, especialistas, produtores e até mesmo consumidores. “A produção animal baseia-se em quatro pilares principais: saúde animal, sendo o grande foco da indústria; bem-estar; segurança alimentar; e rastreabilidade”, destaca Pedro Lourenço, Professor Titular Aposentado da Universidade Federal de Uberlândia e Membro do Conselho Consultivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), no primeiro episódio da série de webinars SANTalks #Biossecurity, da SANPHAR Saúde Animal.

“A indústria avícola brasileira é líder global e vem liderando importantes avanços em genética, bem-estar, nutrição, ambiência e sanidade. Essa transformação é essencial, visto que o Brasil, como grande produtor e exportador, tem grandes desafios pela frente, com a abertura de novos mercados e a manutenção do excelente status sanitário dos planteis. Somos cada vez mais cobrados por isso”, afirma Lourenço.

O professor da Universidade Federal de Uberlândia ressalta que antes de questionar gastos com a implementação de programas de biosseguridade, seja em granjas de aves ou suínos, os produtores devem levar em consideração os possíveis prejuízos e riscos ocasionados pela falta deles, e que se trata de investimento na sanidade e bem-estar animal, de modo a ter maior expressão genética e melhores resultados. Pedro Lourenço destaca que é importante investir em áreas, instalações, equipamentos, alimentação, vacinas e, principalmente, na capacitação da equipe para atender aos protocolos de biossegurança e desenvolvimento do plano de implementação, de modo a comprovar a eficiência dos protocolos e corrigir eventuais falhas.

O médico veterinário Gustavo Simão, Gerente de Serviços Veterinários da Agroceres PIC, discutiu o tema “Biosseguridade – custo ou oportunidade?” Ele ressalta as oportunidades de biosseguridade para a suinocultura brasileira. “Comparados aos suinocultores europeus e americanos, por exemplo, temos custos mais baixos e é importante investir em soluções que contribuam para intensificar os resultados produtivos. Isso inclui avaliar e identificar os principais eventos de risco para cada agente, implementar estruturas e procedimentos considerados negociáveis, realizar auditorias dos itens conformes e não conformes a cada visita, ter plano de ação mensal e  ter banco de dados para discussão e implementação”.

Simão ressalta que o impacto financeiro de enfermidades é muito maior do que o custo de um programa de biossegurança, lembrando que o status sanitário brasileiro está entre os maiores do mundo e que é importante mantê-lo e melhorar cada vez mais, visto que os impactos de agentes infecciosos podem comprometer a produtividade da suinocultura e também da avicultura. “Biosseguridade é investimento, mais do que isso uma necessidade”, ressalta o especialista.

O SANTalks #Biosecurity tem como objetivo abordar as principais tendências e conceitos de biosseguridade e apresentá-los ao mercado de forma prática e objetiva. O ciclo de eventos conta com a participação de palestrantes renomados e será distribuído em cinco módulos, realizados entre 21 de julho e 17 novembro de 2021.

O segundo módulo acontece em 18 de agosto e tem como tema Aspectos Epidemiológicos de Biosseguridade. E será abordado o entendimento da cadeia de transmissão de potenciais agentes patogênicos e o risco de cada um deles é fundamental para planejar, implantar e monitorar um programa de biosseguridade.

 

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Suinocultura

DB Genética Suína anuncia nova contratação para a equipe comercial

Thiago Moge assume a coordenação comercial nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Publicado em

em

Médico veterinário Thiago Moge - Foto: Divulgação

Com o objetivo de ampliar o atendimento a seus clientes e parceiros, a DB-DanBred reforça a sua equipe comercial com a contratação de Thiago Moge.

Moge se formou em Medicina Veterinária pela Universidade de Marília, tem MBA em Gestão Estratégica do Agronegócio pela Universidade Positivo e traz para a empresa ampla experiência na suinocultura, boa parte dela na área comercial.

“A DB sempre foi uma grande referência na minha carreira. Tanto os seus produtos quanto a sua equipe performam como protagonistas da suinocultura brasileira. Conhecer melhor a empresa, o seu programa de melhoramento genético, os seus resultados e os projetos estratégicos futuros foram os estímulos que eu precisava para mudar o rumo da minha carreira executiva na agroindústria, passando a me dedicar totalmente a essa gigante do mercado de genética. Espero poder contribuir com a empresa, atender as suas expectativas e escrever, ao seu lado, uma bela história no mercado da genética”, destaca Moge.

Com inovações e grandes investimentos nos últimos anos, a DB promete elevar ano a ano o nível dos indicadores produtivos no país. Assim sendo, o aprimoramento da equipe é parte fundamental dessa estratégia.

De acordo com o gerente comercial das regiões Sudeste e Centro-Oeste da DB-DanBred, Diego Alkmin, a chegada do profissional é um grande reforço para o time. “Com a experiência do Moge na agroindústria e, inclusive, na área de genética, ele vai somar muito à nossa equipe comercial, especialmente nas regiões que são estratégicas e com grande potencial para a DB. Estamos realmente muito otimistas com o trabalho que faremos”, pontua.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biomin

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.