Conectado com

Notícias Tecnologia

Ferramentas genômicas ajudarão a evitar cruzamentos consanguíneos entre matrizes de tambaqui

Cruzamento entre parentes próximos pode causar perdas de até 25% dos alevinos e 30% na produção dos sobreviventes

Publicado em

em

Siglia Souza

A partir da quarta-feira (04), criadores brasileiros de tambaqui (Colossoma macropomum) contarão com um serviço técnico para saber se suas matrizes são puras ou híbridas (fruto de cruzamento com outra espécie) e se possuem algum grau de parentesco entre si. Essas informações são importantes para o bom desempenho técnico da criação e serão geradas por meio de ferramentas genômicas desenvolvidas pela Embrapa.

Para acessar o serviço, oferecido inicialmente de forma restrita, o piscicultor deverá entrar em contato com a Embrapa, pelo e-mail alexandre.caetano@embrapa.br, e iniciar o processo de contratação do serviço por meio de carta-proposta. Os reprodutores e as matrizes a serem analisados devem estar identificados individualmente com chip eletrônico e ter parte da nadadeira coletada segundo procedimentos técnicos pré-estabelecidos. Após a assinatura do contrato, o material será remetido à Embrapa, que fará as análises e devolverá ao produtor uma planilha com informações sobre o grau de parentesco entre os animais e de pureza de cada um, além de orientações para uso das informações.

“Cada piscicultor poderá enviar até 48 amostras de, preferencialmente, peixes reprodutores. Os resultados serão úteis para orientar acasalamentos e assim evitar perdas na alevinagem e o nascimento de animais com deformações e baixo desempenho produtivo na engorda”, explica o pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Alexandre Caetano. O serviço de análise de amostras para pureza e parentesco será ofertado em escala restrita e com valores reduzidos, ao custo de R$ 120 por amostra. A contratação se dará por tipo de serviço: uma para detectar a pureza específica (R$ 60); e outro contrato destinado ao serviço de identificar as relações de parentesco (pedigree) das matrizes (R$ 60).

A importância do controle genealógico

O cientista conta que o controle de pedigree é um dos principais desafios enfrentados hoje pelos criadores de tambaqui no Brasil. O cruzamento entre parentes próximos (meios-irmãos, irmãos ou primos) pode causar perdas de até 25% dos alevinos, e de até 30% na produção dos sobreviventes, na fase da engorda. Ele revela que esse foi o desafio que levou a Embrapa a desenvolver ferramentas genômicas de ponta para análise e certificação de parentesco e pureza da espécie.

“Devido à falta de boas ferramentas e processos adequados para o controle genealógico de reprodutores, os produtores de alevinos podem frequentemente efetuar acasalamentos entre peixes aparentados e, consequentemente, gerar animais com deformações e baixo desempenho produtivo”, explica Caetano.

Por não associar os cruzamentos endogâmicos (de animais aparentados) aos problemas de falta de ganho de peso durante a fase da engorda, muitas vezes os produtores recorrem a suplementações nutricionais e alimentares. Dessa maneira, além de aumentar os custos de produção, correm o risco de sofrer perdas adicionais pela introdução de novas variáveis no ciclo produtivo.

“Muitas vezes o produtor nem está ciente do prejuízo que sofre com a falta de desempenho produtivo dos alevinos gerados com cruzamentos de matrizes aparentadas. Essa tecnologia inovadora ajudará o piscicultor a escolher as matrizes de forma precisa e rápida, a um custo acessível”, explica o pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária (SP), Michel Yamagishi. “Com isso, os piscicultores terão condições de manter e até expandir sua produção, com uma redução significativa nas despesas”, analisa.

A nova metodologia da Embrapa também vai contribuir para programas de melhoramento genético e conservação da espécie. “O uso dessas ferramentas genômicas que identificam parentesco e pureza dos reprodutores de tambaqui contribuem para o cumprimento do passo inicial da formação da população-base de tambaqui proposta no projeto BRSAqua”, destaca Luciana Shiotsuki, pesquisadora da Embrapa Pesca e Aquicultura (TO).

Após a identificação do parentesco, o passo seguinte é elaborar estratégias para o enriquecimento do plantel ou direcionamento de acasalamentos, evitando cruzamentos consanguíneos entre os reprodutores. “Com os acasalamentos orientados será possível selecionar os melhores indivíduos em função de seu desempenho zootécnico, como velocidade de crescimento em diferentes tipos de ambiente (viveiros escavados ou tanque-rede), medidas morfométricas, resistências a algum tipo de doença, etc.”, explica a cientista.

Esses requisitos são fundamentais para aumentar a produtividade do tambaqui, o peixe nativo mais produzido no Brasil segundo o Anuário da Piscicultura 2019, da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR).

As ferramentas são fruto das informações obtidas com o sequenciamento do genoma do tambaqui realizado pela Embrapa em 2017, no qual foram identificados milhões de marcadores genômicos denominados SNPs. Essa identificação foi realizada pelo Laboratório Multiusuário de Bioinformática (LMB), da Embrapa. As informações foram utilizadas pela equipe de pesquisa para criar dois chips de DNA para a realização de testes diagnósticos de grau de parentesco e pureza específica.

Previsão de ganhos ao setor produtivo

Simulações realizadas pela equipe sugerem que, considerando uma produção anual média de 150 mil toneladas, e ocorrência de 10% a 30% de acasalamentos entre animais aparentados, a adoção plena das tecnologias desenvolvidas em todo o setor produtivo do Brasil pode evitar perdas produtivas de R$ 9 milhões a R$ 28 milhões aos produtores.

Detecta até 3% do DNA de outras espécies

Já a ferramenta desenvolvida para a certificação de pureza específica do tambaqui é capaz de identificar as introgressões, isto é, contaminações de até 3% de pacu (Piaractus mesopotamicus) ou pirapitinga (Piaractus brachypomus), espécies com características ou aparências semelhantes, utilizadas frequentemente na produção de híbridos destinados à engorda e ao consumo.

Essas contaminações ocorrem em cruzamentos não intencionais com híbridos, levando à perda da variabilidade genética nos estoques de espécies puras, com consequências produtivas ainda desconhecidas. A ferramenta auxiliará os piscicultores a manter linhagens de reprodutores puros e a consolidar a Coleção de Base de Germoplasma de Tambaqui na Embrapa.

Fonte: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 3 =

Notícias Capacitação

Nucleovet faz lançamento dos Simpósios para 2020

Evento apresentou para patrocinadores datas e novidades dos Simpósio que acontecerão em 2020

Publicado em

em

Divulgação

O Nucleovet – Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas – reuniu associados e parceiros patrocinadores para apresentar seus simpósios de avicultura, suinocultura e bovinocultura de leite programados para o ano de 2020. O evento foi realizado na última segunda-feira (11), na sede social do NUCLEOVET, em Chapecó, SC.

“Os eventos iniciaram focando o cenário da região Sul, cresceram, atraindo profissionais de todo o Brasil”, afirmou o diretor financeiro do Nucleovet, médico veterinário Lucas Piroca, que apresentou as novidades aos patrocinadores. Salientou que, entre os diferenciais dos eventos promovidos pelo Nucleovet, estão mais de 20 anos de tradição e know how. “São eventos planejados com expertise, organizados e realizados por profissionais da área para profissionais da área, sempre mantendo o foco técnico na qualificação e atualização”.

Outro destaque dos Simpósios de Avicultura, Suinocultura e Bovinocultura de leite é o público qualificado. Em 2019, 4.244 participaram dos três eventos. Também foi contabilizada a presença de mais de 100 diretores/presidentes, mais de 900 médicos veterinários, mais de 300 zootecnistas, além de profissionais técnicos, engenheiros, líderes, entre outros. “A estratégia de qualificação dos públicos envolve a divulgação e prospecção focada nas audiências específicas. Isso ocorre através de uma comunicação estratégica, que abrange profissionais de todo o Brasil e do Mercosul”. Pesquisas realizadas durante o evento constatam a satisfação do público com a organização e nível técnico em médias superiores a 90%.

As feiras paralelas aos simpósios – Poultry Fair, Pig Fair e Milk Fair – reúnem as principais marcas de produtos e serviços do setor. “Representa uma oportunidade para os profissionais terem contato com as soluções oferecidas por grandes empresas nacionais e multinacionais”, afirmou Lucas. Ele também destacou os eventos paralelos, como uma oportunidade para lançamentos e divulgação de produtos e serviços pelas marcas. Nos espaços, com capacidade para até 500 pessoas, é possível também realizar capacitações e debates técnicos.

Público diferenciado e preços justos 

Realizados na catarinense Chapecó – cidade pólo e centro da produção agropecuária no Brasil -, os Simpósios promovidos pelo Nucleovet mantém tabela aberta de preços para estandes, não havendo diferenciação. “Estamos comprometidos em manter a ética, a transparência e a isonomia de negociação com todos os patrocinadores”, salientou Lucas. Ele destacou como custo-benefícios aos patrocinadores o público qualificado, altos índices de satisfação nos três eventos, e os valores de cotas acessíveis.

Os parceiros constantes do Nucleovet recebem como vantagem os selos Diamante e Esmeralda, alocados nas testeiras dos estandes, destaque na mídia e economia na compra dos espaços. Recebem o selo Diamante e 5% de economia as empresas que fecharem participação nos três eventos do ano. Já o selo Esmeralda e 3% de economia são direcionados para as empresas com participação fechada em dois eventos no ano. Além disso, as marcas dos apoiadores do evento são veiculadas no Portal de Led, na entrada de todos os simpósios.

Concurso Chef Poultry, Pig e Milk Fair

Visando promover o consumo de proteína animal, o Nucleovet apresentou a sua grande novidade para 2020. Trata-se da realização do Concurso Chef Poultry Fair, Pig Fair e Milk Fair, com a participação das empresas patrocinadoras. Em cada evento, serão abertas quatro vagas para os apoiadores apresentarem seus chefs. Os participantes da feira vão eleger a melhor finger food, valorizando a proteína foco do evento, garantindo a participação da marca campeã no próximo concurso. A ação proporciona exposição da empresa na divulgação nas mídias digitais e valorização da marca durante o evento.

Confira as datas dos Simpósios organizados pelo Nucleovet em 2020:

  • Simpósio Brasil Simpósio Brasil Sul de Avicultura de 07 a 09 de abril de 2020.
  • Simpósio Brasil Simpósio Brasil Sul de Suinocultura de 04 a 06 de agosto de 2020.
  • Simpósio Brasil Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite 10 a 12 de novembro de 2020.

Todos os Simpósios são realizados no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nês, em Chapecó, SC.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Segundo CNA

Valor da produção pecuária do Brasil crescerá 7% com impulso da China

Aumento no valor da produção ocorre em meio a preços recordes das carnes, em meio a fortes exportações brasileiras

Publicado em

em

Divulgação/AENPr

O Valor Bruto da Produção (VBP) pecuária do Brasil deve alcançar R$ 234,5 bilhões em 2019, um crescimento de 7,2% se comparado ao ano passado, com impulso da demanda da China pelas carnes brasileiras, apontou nesta segunda-feira (18) pesquisa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Com o surto de peste suína africana (PSA) atingindo plantéis da China desde agosto de 2018, o país asiático tem elevado importações de todas as carnes, como forma de preencher a lacuna deixada pela queda na produção de carne suína.

Isso eleva preços a níveis recordes no Brasil e colabora com o aumento do faturamento pecuário no país. “O avanço da doença no país asiático, que é o maior consumidor de carne suína do mundo, impactou o cenário global de oferta de alimentos e os preços, principalmente de carne suína e de frango”, disse o assessor técnico do Núcleo Econômico da CNA, Paulo André Camuri, em nota.

O estudo da CNA apontou alta de 4% no valor bruto da carne bovina em 2019, para R$ 106,7 bilhões; de 14,1% na de frangos, para R$ 45,9 bilhões; e aumento de 24,7% em suínos, para R$ 17,3 bilhões. O VBP da pecuária ainda é formado pela produção de ovos e leite, sendo que este último registrará aumento de 8,1% no ano, para R$ 54,1 bilhões.

O aumento no valor da produção ocorre em meio a preços recordes das carnes, em meio a fortes exportações brasileiras.

Na última quinta-feira (14), o preço da arroba do boi gordo manteve a trajetória das últimas semanas e subiu 4,35%, marcando um novo recorde histórico a R$ 199,25, segundo o indicador Esalq/B3, com impulso principalmente da forte demanda de exportação, notadamente da China.

No atacado da Grande São Paulo, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o preço da carcaça bovina renovou máximas históricas na semana passada.

Da mesma forma, os preços do leitão atingiram os maiores patamares nominais de toda a série histórica do centro de estudos da Esalq. O preço da asa de frango teve também, na semana passada, o maior valor da série histórica do Cepea, iniciada em abril de 2004.

Valor agrícola recua

Se o valor da pecuária do Brasil está em alta, o mesmo indicador para a produção agrícola está em queda, após uma redução nas safras de soja e café, culturas que também sofreram queda de preços em 2019. Dessa forma, o VBP do ramo agrícola deve encerrar o ano com queda de 3,8%, alcançando R$ 380 bilhões.

O cenário de redução de 11,1% nos preços do café arábica, somado à queda da produção, devem resultar em queda de 35,5% do VBP do produto em relação ao ano anterior.

O faturamento da soja, principal produto da agropecuária nacional, deve ter recuo de 20 bilhões de reais (-12%), por causa das reduções de 8,8% nos preços e de 3,6% na produção.

Apesar dessas quedas, algumas culturas devem apresentar alta no faturamento, como o milho (+16,8%) e o algodão (+11,9%), cujas safras aumentaram para recordes.

No total, os dados da CNA até outubro mostram que o VBP da agropecuária deve chegar a R$ 614,55 bilhões, um leve aumento de 0,1% frente a 2018.

Fonte: Reuters
Continue Lendo

Notícias Mercado

Semana Nacional da Carne Suína registra crescimento de 84,4%

Resultados positivos da maior vitrine do mercado brasileiro confirmam efetividade e trazem benefícios para produtores, frigoríficos, varejo e consumidores

Publicado em

em

Divulgação

A cadeia de valor da suinocultura comemora os resultados da sétima edição da Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), que alcançou crescimento em todas as oito redes participantes, tendo como recorde 84,4%, apresentado pela rede Natural da Terra, em São Paulo. Marcada por sua multicanalidade e versatilidade na hora de comunicar, a SNCS contou com as três principais redes de varejo em faturamento do país, hortifrutis premiados em atendimento e produtos frescos e supermercados que atendem o público de A a D.

Realizada no período de 26 de setembro a 13 de outubro, a SNCS é uma iniciativa da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), com o apoio do Sebrae Nacional, e reuniu as redes Carrefour, Extra, Pão de Açúcar, Grupo Big, Hortifruti, Natural da Terra, Lopes Supermercados e Oba Hortifruti.

A análise da performance das vendas durante a SNCS avaliou o período de campanha versus o mesmo período do ano anterior e mensurou o impacto nas vendas das redes participantes. O método considera as sazonalidades semelhantes, seja hábitos de consumo ou de comportamento de determinadas categorias da loja, e isola os fatores externos que podem influenciar o resultado de determinado período.

Conheça os resultados das redes participantes

Estreante na SNCS, o Carrefour é uma das principais redes do Brasil em faturamento e levou a campanha para 140 lojas distribuídas em 15 estados, com destaque para o Sul do país e a entrada da campanha na região Norte. Durante o período da SNCS, registrou crescimento de até 44% nas vendas em São Paulo e 15% de crescimento nacional. De acordo com o diretor comercial de açougue da rede, Ernesto Dizioli, o resultado é motivo de comemoração. “A semana apresentou resultados positivos para categoria”, explica. “A equipe interna foi liderada muito bem e o apoio e trabalho da ABCS foram base para esse primeiro salto da categoria e que vem ao encontro do programa de qualidade que temos”, concluiu Dizioli.

O Extra, representado em 17 estados e distribuído nas categorias Hiper, Super, Mini e Mercado e a rede Pão de Açúcar, presente na SNCS com Super e Minuto Pão de Açúcar em 12 estados apresentaram, juntos, crescimento em suas mais de 700 lojas. Participantes desde a primeira edição, as redes que juntas formam o Multivarejo apontaram crescimento pelo sétimo ano seguido, registrando 12% em 2019. O gerente comercial de aves, suínos e peixaria do GPA, Rafael Monezi, trouxe uma visão positiva sobre o desempenho de um dos maiores grupos de varejo do país. “A categoria demonstrou mais um ano de crescimento constante, com destaque para os diversos cortes de carne suína resfriados. Com a construção do Plano de Desenvolvimento de Suínos (PDS) e o planejamento prévio, foi ampliado a mobilização e o envolvimento de todas as áreas do Multivarejo”.

O Hortifruti Natural da Terra se destaca no ramo de atuação por seu atendimento e por produtos frescos todos os dias. Com 56 lojas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, a rede registrou em seu segundo ano na SNCS um crescimento de 59,3% na bandeira Hortifruti e de 84,4% no Natural da Terra. O diretor comercial Leonardo Miyao explica que a rede está cada vez mais satisfeita com o crescimento da proteína nas lojas. “Mais um ano de excelentes resultados no incremento da venda da carne suína. São poucos os produtos que no varejo atual crescem nessa proporção e, cada vez mais, estamos apostando nessa proteína e tendo resultados excelentes por parte dos consumidores”.

O Lopes Supermercados pelo segundo ano consecutivo alavancou as vendas de carne suína nas 30 lojas localizadas na região metropolitana de São Paulo. Em 2019, as vendas atingiram patamares de dois dígitos, chegando a aumentos em loja de até 70%, e crescimento total de 43,5%. Segundo a rede, os clientes demonstram um bom reconhecimento da proteína, que foi fruto do incentivo da SNCS com a comunicação e o foco da equipe durante a campanha. Carlos Arraiz, Diretor Comercial do Lopes, ressaltou que a Semana Nacional foi bem executada e ajudou a fortalecer ainda mais o trabalho da rede. “A carne suína está ganhando cada vez mais espaço, é o nosso segundo ano de aumento consecutivo nas vendas. Registramos aumento tanto no volume comprado, quanto no faturamento”.

Com 48 lojas e presença em Goiás, Distrito Federal e São Paulo, o Oba Hortifruti acredita que o desafio de vender mais carne suína também foi cumprido. Com aumento de até 19% em lojas de São Paulo, a rede registrou crescimento total de 10% nesta edição. De acordo com o supervisor de produto, Ederson Lisboa Silva, a rede fidelizou clientes e busca manter o padrão de crescimento das vendas. “Um trabalho de alta intensidade com o apoio da ABCS para fortalecer os produtores, o varejo e o consumidor, traz sempre um resultado positivo. O trabalho executado em loja foi feito de maneira bem assertiva. O desafio é manter a participação da categoria dentro do açougue durante todo ano”.

O Grupo BIG, ex-Walmart Brasil, integrou o time de redes da SNCS 2019 com 216 lojas em 19 estados e penetração significativa no Sul e Nordeste do país. A rede relatou crescimento nas vendas de carne suína e informou que se beneficiou da parceria com a ABCS. Entretanto, no momento atual da Companhia, não há permissão para divulgação de mais informações sobre números.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, falou sobre a importância da SNCS para toda a cadeia de valor e sobre como os resultados positivos refletem também na produção e na indústria frigorífica de suínos, trazendo novas perspectivas de negócios e parcerias que impulsionam o desenvolvimento de toda a atividade, assim como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS). “A ABCS acredita no seu papel estratégico de transformar a oportunidade que a carne suína tem no varejo brasileiro. O relevante crescimento de todas as redes participantes em vendas e rentabilidade comprova que a carne suína é um bom negócio para toda a cadeia quando trabalhamos de forma integrada e, assim, todos ganham”, afirmou.

Lopes ainda frisou que a cada edição o setor fortalece esse movimento com iniciativas concretas para levar o que há de melhor da carne suína ao alcance de todos. “Agradecemos ao Sebrae Nacional pelo apoio e as redes de varejo participantes pelo engajamento e efetividade ao fazer acontecer essa campanha que propagou por meio de vários formatos e canais a qualidade, a segurança socioambiental, o prazer e a saúde que a carne suína pode oferecer aos consumidores do nosso país”, finalizou.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Mais carne
Biochem site – lateral
AB VISTA Quadrado

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.