Conectado com

Notícias

Exclusivo no mercado: Eprinex® Pour-On garante o controle efetivo de parasitos em bovinos, oferecendo ganhos econômicos ao pecuarista, além de assegurar o bem estar animal

Publicado em

em

A pecuária de corte moderna e profissional exige cada vez mais ciclos curtos de produção, flexibilidade de negociação com a indústria e qualidade da carne produzida. Além disso, com o bem estar animal no centro das atenções, torna-se maior a busca por soluções que englobem todas estas características, como no caso do endectocida Eprinex® Pour-On, da Merial Saúde Animal.
 
Único no mercado, Eprinex® possui em sua formulação a Eprinomectina, molécula exclusiva da Merial, que oferece carência zero para abate de bovinos tratados contra parasitos internos e externos. De acordo com o diretor da unidade de grandes animais da Merial, Pedro Bacco, este fator garante ao pecuarista a tranquilidade de poder negociar seus animais com os frigoríficos nos momentos mais propícios. “Atendendo às mais rígidas normas sobre resíduos do mundo, como as norte-americanas, o PNCRC (Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes) e a Instrução Normativa n.º 48 (que proíbe na terminação o uso de antiparasitários à base de avermectinas com carência maior de 28 dias) no Brasil, Eprinex® assegura a possibilidade de abate um dia após a sua aplicação”, enfatiza Bacco.
 
“A Eprinomectina apresenta potência singular sobre os principais vermes redondos que podem afetar os bovinos. Além disso, atua sobre importantes parasitos externos, sendo indicada no controle da mosca dos chifres, berne, piolhos e sarnas. A exclusiva formulação do Eprinex® Pour-On permite que a aplicação seja realizada em todas as épocas do ano, inclusive em períodos chuvosos, ou seja, nos momentos do ano em que importantes parasitos dos bovinos ganham maiores proporções”, explica Roulber Silva, Coordenador de Serviços Técnicos de ruminantes da Merial.
 
Silva ainda atenta para outro fator essencial relacionado ao endectocida: a facilidade de manejo. Por ser um produto Pour-On, o uso de Eprinex® é realizado com uma simples aplicação na linha dorso-lombar do animal, evitando, assim, o estresse dos animais e diminuindo a possibilidade de lesões de carcaça, passíveis de penalização pelos frigoríficos. “O resultado disso é maior garantia de sucesso no manejo sanitário, além do bem estar animal, aumento de produtividade e o consequente ganho econômico do pecuarista”, ressalta o especialista.
 
Sobre o Eprinex® Pour-On
 
Produto da Merial Saúde Animal, empresa do grupo Sanofi, a molécula endectocida Eprinomectina, princípio ativo de Eprinex® Pour-On, surgiu após intenso trabalho em busca de um antiparasitário endectocida de ação realmente inovadora. Até o resultado final, foram analisadas mais de 500 moléculas da classe das Lactonas Macrocíclicas (avermectinas e milbemicinas). Eprinex® é comprovadamente eficaz, mostrando alta potência e alta persistência no controle das principais verminoses dos bovinos e não determina período de carência ou de retirada para o abate dos bovinos tratados (carência de ZERO dias). Eprinex® tem presença mundial e é destaque nos Estados Unidos – exigente mercado em relação à presença de resíduos penalizáveis e contaminantes nos alimentos de origem animal.
 
Sobre a Merial – Merial é uma empresa líder mundial em saúde animal voltada para a inovação, fornecendo uma gama completa de produtos para melhorar a saúde, o bem-estar e o desempenho de várias espécies de animais. Merial emprega aproximadamente 6.000 pessoas e opera em mais de 150 países ao redor do mundo. Seu faturamento em 2012 ultrapassou US$ 2,8 bilhões. Merial é uma empresa Sanofi

Fonte: Ass. Imprensa da Merial

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
APA
Nucleovet 2

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.