Conectado com
VOZ DO COOP

Empresas

Estudo realizado pela Blink em parceria com a UFMG mostra o impacto das micotoxinas no rendimento das granjas de suínos

Dieta com adição de aditivos antimicotoxinas apresentaram desempenho animal similar ao grupo controle não contaminado, afirmando a eficácia do produto

Publicado em

em

(Foto: divulgação)

A Blink, empresa reconhecida por sua tecnologia avançada e inovação no mercado de nutrição animal, realizou um estudo com o objetivo de investigar o efeito dos adsorventes de micotoxinas em dietas para leitões. A pesquisa, realizada pelo Prof. Dr. Bruno Silva – pesquisador na área de exigências nutricionais e ambiência de suínos e coordenador do Núcleo de Estudos em Produção de Suínos da Universidade Federal de Minas Gerais (NEPSUI/ UFMG) – foi motivada pela necessidade de abordar um dos maiores fatores que impactam negativamente o sistema de produção de suínos: as micotoxinas.

Entender como estas micotoxinas afetam a fisiologia e o metabolismo dos animais é crucial para desenvolver soluções tecnológicas eficazes para seu controle e a suplementação com aditivos adsorventes de micotoxinas nas dietas dos animais surge como uma alternativa promissora.

Leitões, especificamente, são uma categoria altamente desafiada, especialmente durante o período de desmame e fase de creche, onde a mudança brusca aumenta o nível de estresse dos animais devido às mudanças metabólicas, comportamentais e sociais, o que os torna mais vulneráveis aos efeitos das micotoxinas.

A pesquisa

De acordo com o pesquisador responsável pelo estudo, os resultados principais se concentraram na proteção metabólica proporcionada pelos adsorventes de micotoxinas, com destaque para a mitigação dos danos oxidativos nos animais. “As micotoxinas são conhecidas por aumentar o dano oxidativo, o que afeta negativamente a permeabilidade da membrana gastrointestinal. Isso torna os animais mais suscetíveis a desafios entéricos e compromete a resposta imunológica, podendo até levar à imunossupressão”, informa Bruno.

Além disso, os danos oxidativos causados pelas micotoxinas podem interferir no metabolismo dos suínos, inclusive inibindo a eficácia de vacinas essenciais para a manutenção da saúde animal. “O estudo revelou que os animais desafiados com micotoxinas apresentaram pior desempenho, eficiência de crescimento e resposta adaptativa, especialmente no período pós-desmame”, afirma.

Para ele, a descoberta mais significativa foi a eficácia do produto utilizado no estudo, o antimicotoxinas Blink Mycolink® P. “Os animais que tiveram aditivos adicionados a sua dieta mostraram desempenho praticamente igual ao grupo controle, que não foi contaminado com micotoxinas. Esses resultados indicam que o uso de adsorventes de micotoxinas é uma estratégia eficaz para proteger a saúde e o rendimento dos suínos, mesmo em condições de contaminação”, relata o professor.

Importância Prática

Para Bruno, a relevância prática dos resultados obtidos no estudo é extremamente significativa para a indústria suína. “As micotoxinas têm um impacto econômico devastador em sistemas de produção ao redor do mundo. Por exemplo, nos Estados Unidos, Canadá e Brasil, as perdas anuais associadas a aflatoxinas presentes no milho podem atingir cerca de 225 milhões de dólares. Por outro lado, as perdas associadas com DON podem chegar a 655 milhões de dólares anuais. Na Ásia, as aflatoxinas podem resultar em perdas produtivas de aproximadamente 900 milhões de dólares anuais”, explica.

Esses números ilustram o forte impacto econômico das micotoxinas nos sistemas de produção suína. “A utilização de adsorventes resulta em melhor desempenho dos suínos, maior eficiência de crescimento e adaptação. Esses fatores, combinados, contribuem para um aumento na eficiência produtiva e, consequentemente, um maior retorno econômico para os produtores”, aponta.

Impacto do Mycolink® P

As principais vantagens da inclusão do Blink Mycolink® P, na dieta de leitões, residem na melhoria do desempenho geral e na otimização do status redox dos animais. As micotoxinas promovem um quadro de estresse oxidativo sistêmico, que afeta negativamente a integridade gastrointestinal e a resposta imunológica dos suínos, induzindo uma resposta imunossupressora. Esse estresse oxidativo compromete o desempenho e a eficiência de crescimento dos animais.

“O Mycolink® P desempenha um papel crucial na inibição da ação das micotoxinas, oferecendo uma abordagem eficaz para proteger os leitões dos efeitos nocivos das micotoxinas, melhorando o status redox, protegendo a integridade intestinal, otimizando o desempenho e a eficiência de crescimento, e fortalecendo a resposta imunológica. Esses benefícios são essenciais para a sustentabilidade e a rentabilidade da produção suína”, informa o professor.

Assim, a Blink, por meio do Mycolink® P, oferece uma solução eficaz para enfrentar esses desafios, promovendo a saúde e o desempenho dos animais e, consequentemente, a eficiência econômica da indústria suína.

Empresas

Saiba como os aminoácidos podem auxiliar na criação de suínos

AminoGut®, solução da Ajinomoto do Brasil, é excelente estratégia nutricional para o desenvolvimento saudável dos animais 

Publicado em

em

Divulgação Ajinomoto

O AminoGut®, solução voltada para a área de Nutrição Animal, presente no portfólio da Ajinomoto do Brasil, empresa referência em aminoácidos, tem sido utilizado como ferramenta estratégica na nutrição dos suínos. Composto por aminoácidos essenciais na forma livre, o produto é desenvolvido e produzido no Brasil, e exportado para diversos países.

Os componentes presentes na formulação do AminoGut® atuam no intestino dos animais, sendo utilizados no metabolismo de energia das células de rápida multiplicação e renovação, como os enterócitos (células cuja função é a de realizar a digestão dos alimentos e a absorção de nutrientes) e as células do sistema imunológico (responsáveis pela defesa e proteção do organismo), contribuindo assim para a manutenção da morfologia, integridade e saúde intestinal.

Os suínos passam por diversos períodos de desafios durante a sua produção. Por exemplo, no período de desmame o estresse dos animais é muito intenso, pois o leitão é separado de sua mãe, a sua dieta (leite) é modificada drasticamente para a ração e é neste momento em que os leitões de diferentes ninhadas são agrupados em um único ambiente, ocasionando uma reorganização social com conflitos de hierarquia dentro deste novo grupo. Estes estresses ambientais, nutricionais e sociais resultam em alterações significativas na microbiologia, fisiologia e imunologia do trato digestivo dos leitões.

Em situações de estresse ou desafio sanitário, a demanda dos aminoácidos aumenta e um aporte nutricional adequado de aminoácidos essenciais e, também, de aminoácidos condicionalmente essenciais (cuja síntese endógena é insuficiente para atender as necessidades do organismo, em condições específicas), deve ser realizado.

“Com sólida base científica, o AminoGut®, produto de tecnologia e composição únicas para a nutrição animal, possui importância estratégica para se obter o melhor desempenho zootécnico, fornecendo aminoácidos essenciais aos animais submetidos às condições de estresse, como, por exemplo, o período de desmame dos leitões”, destaca Edgar Ishikawa, diretor da Divisão Bio & Fine Chemicals, responsável pelos negócios de Nutrição Animal da Ajinomoto do Brasil.

“No desmame e dias após este evento, os sistemas digestivos e imunológicos dos leitões ainda não estão plenamente maduros e funcionais, limitando sua capacidade digestiva e sua resposta imunológica frente aos desafios. A suplementação do AminoGut® nas rações, devidamente balanceadas e de alta digestibilidade, se torna necessária para se obter o melhor desempenho zootécnico e para que os leitões, de forma resiliente, transponham os desafios do período de desmame”, reforça o executivo.

Testes realizados em granjas comerciais no Brasil e no exterior comprovam que o uso do AminoGut® resulta em um significativo aumento de peso dos leitões na saída da creche que, por consequência, proporciona menos dias para atingir o peso de abate dentro do ciclo produtivo. “Em outros termos, há melhor desempenho zootécnico e maior retorno econômico ao produtor”, finaliza Edgar Ishikawa

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Nós alimentamos o mundo

Boehringer Ingelheim celebra o “Dia do Suinocultor” com campanha de apoio aos produtores e alerta em relação às boas práticas de biosseguridade

A campanha “Nós alimentamos o mundo” tem como objetivo mostrar a importância fundamental de todos os elos que fazem parte da cadeia de produção de proteína animal para alimentar a população mundial.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Boehringer Ingelheim

A divisão de Saúde Animal da Boehringer Ingelheim celebra nesta quarta-feira (24) o “Dia do Suinocultor” com o reforço da campanha “Nós alimentamos o mundo”, que reconhece a complexidade por trás da produção de proteína animal de qualidade, destacando o compromisso da indústria suinícola com a sustentabilidade e segurança alimentar global, destacando a importância de todos que fazem parte da cadeia. Dentro desse universo, a empresa se posiciona como fornecedora de vacinas e medicamentos que contribuem para que a produção da carne suína brasileira atenda todas as demandas mundiais.

“O Brasil possui a quarta maior população de suínos no mundo, com 58 milhões de animais. Em 2023, produzimos 5,15 milhões de toneladas e exportamos 1,23 milhão de toneladas desse total, de acordo com dados da ABPA. Esse é o tamanho da responsabilidade que a indústria tem” afirma Abílio Alessandri, diretor da área de Aves e Suínos da Boehringer Ingelheim. O executivo completa: “A campanha ‘Nós alimentamos o mundo’ destaca justamente a importância dos suinocultores na alimentação mundial”.

O executivo também enfatiza que as boas práticas de biosseguridade são fundamentais para manter os animais e humanos saudáveis e evitar doenças. “Boas práticas de biosseguridade nas granjas são indispensáveis para a manutenção do status sanitário adequado, protegendo os animais e garantindo a produtividade. O suinocultor precisa estar preparado para adotar medidas que evitem a instalação e a propagação de doenças na propriedade” comenta. Entre as medidas mencionadas, estão o isolamento da granja de possíveis focos de vetores, o cercamento da propriedade, a lavagem e sanitização das instalações, restrição de visitas, vazio sanitário entre cada lote, programa de vacinações, isolamento e tratamento de animais que adoecem e uso de água potável e tratada para alimentação e higiene dos animais.

Portfólio completo para prevenção de doenças

A manutenção da biosseguridade é fundamental para que a cadeia produtiva seja bem-sucedida do começo ao fim, garantindo alimento saudável para a população mundial. O combate às salmoneloses é fundamental, pois elas representam um grande desafio nas granjas, chegando a mais de 30% de incidência e causando prejuízos financeiros significativos por animal infectado. A Boehringer Ingelheim possui em seu portfólio a Enterisol® Salmonella T/C, vacina oral que garante proteção de duplo antígeno contra Choleraesuis, Typhimurium e monofásicas em apenas uma dose. Ela se mostrou eficaz na proteção e apresentou significativa redução de diarreia, lesões intestinais e ganho de peso nos suínos desafiados. Além disso, a vacina pode ser utilizada em combinação com a reconhecida Enterisol® Ileitis, para prevenção de enteropatia proliferativa suína (ileíte) causada por Lawsonia intracellularis.

Fonte: Assessoria Boehringer Ingelheim
Continue Lendo

Empresas Saúde e inovação

Cargill leva especialistas em aves e suínos para o SIAVS 2024

Serão abordados temas como saúde e inovação na produção animal e sustentabilidade.

Publicado em

em

Foto: Divulgação/Cargill

A Cargill levará conhecimento especializado e conteúdo técnico durante a sua participação no SIAVS 2024. A empresa fará parte da programação do evento com especialistas que irão debater saúde e inovação na produção animal e sustentabilidade.

No dia 7 de agosto, durante o Siavs Talks, Juliana Batista – Gerente Técnico de marketing e tecnologia para avicultura da Cargill Nutrição Animal – ministrará a palestra “Decisões Estratégicas: Transformando a microbiota em um indicador de saúde e performance das aves”, que acontecerá às 15h30, no pavilhão de exposições e será aberta ao público. Na ocasião, a executiva vai abordar como a Cargill utiliza inteligência artificial, machine learning e estatística não-convencional para processar dados da microbiota de aves, fornecendo insights e recomendações práticas. Na mesma data, o Diretor global de contas estratégicas da Cargill Nutrição Animal, Mario Penz, participará do painel “Nutrição Animal”, falando sobre o tema “Qualidade da água – Desafios e Oportunidades (Projeto Produtor)”, às 9 horas, no Palácio de Convenções Celso Furtado.

Já no dia 8 de agosto, a programação do painel “Tecnologia Aplicável nas Agroindústrias” contará com a participação de Christine Maziero Castro – Diretora global de marketing estratégico e tecnologia da Cargill Nutrição Animal. – abordando “Os desafios do processo de inovação na cadeia de produção animal”, às 9 horas, também no Palácio de Convenções Celso Furtado.

Fonte: Assessoria Cargill
Continue Lendo
AJINOMOTO SUÍNOS – 2024

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.