Conectado com
FACE

Empresas Plantio

Estudo mostra que plantadeiras estão com performance 15% abaixo do necessário

Problema reflete na produtividade da lavoura

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

O trabalho no dia a dia de uma fazenda levou o seu administrador a perceber que as plantadeiras em atividade não estavam realizando o serviço de forma a entregar todo o seu potencial. Em geral ou consumiam mais insumos ou sobrava, o que, ao final, resultava em custos e menor produção da lavoura. Em princípio a solução poderia ser apenas uma regulagem melhor ou treinamento dos operadores. Mas, mesmo tendo feito estas correções, o problema continuava por várias safras.

Segundo o diretor executivo da Geração Agro, empresa de consultoria especializada em gestão de áreas críticas das propriedades rurais, o agrônomo Flávio Marques, o trabalho a campo mostrou que mesmo mudando de marcas de plantadeiras o problema persistiu, configurando então que pode haver um problema de projeto. “Mas o mais relevante nesta questão é que em média esta situação de problema no plantio traz um reflexo lá na frente quando o produtor deixa de colher cerca de 12 sacas de soja por hectare, o que significa um valor financeiro bastante algo que não entra no caixa da empresa”, ressalta Marques.

Conforme diz o agrônomo, discos gastos, condutor da semente danificado, articulação das rodas limitadoras de profundidade com folga, tensão da mola sem uniformidade entre as linhas, foram alguns dos problemas encontrados com frequência, que acarretaram nesta quebra de produtividade. “Para se ter uma ideia, em um cliente, encontramos 31 anomalias nos equipamentos de plantio, alguns, já de fábrica. Então, quando o produtor pensa que está tudo perfeito para realizar o seu trabalho, acaba percebendo que alguns “detalhes” comprometem o resultado final e o seu ganho que, segundo a nossa avaliação, vai ser em média, 15% menor”, assegura.

Marques complementa afirmando que muito mais que fazer correções nas regulagens e nas peças gastas, ou mesmo treinamento, o produtor vai ter que atentar para o equipamento como um todo, fazendo uma check list pente fino, para conseguir melhorar a performance das plantadeiras, a fim de não ter queda na sua produtividade. Diz ainda que uma das expertises da Geração Agro é justamente o trabalho de Certificação das Plantadeiras, onde realizam todo este check list. “Cada semente que não produz uma planta é um valor que deixa de entrar na conta do produtor, e este é o verdadeiro valor de cada planta”, finaliza.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + seis =

Empresas Parceria

MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções para suinocultura

Soluções têm propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões

Publicado em

em

Arquivo / OP Rural

Reforçando o compromisso em levar aos clientes soluções inovadoras em Nutrição e Saúde Animal, o Grupo MCassab vem investindo cada vez mais em soluções pautadas de tecnologias. O objetivo é atender os mais variados mercados importadores de proteína animal.

Para tornar o objetivo uma realidade, a Linha de Saúde Animal e Especialidades ganha um reforço importante no portfólio de produtos naturais e na substituição de soluções convencionais.

Em parceria com a empresa Francesa IDENA, referência em soluções naturais na Europa, o Grupo MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções: o ValiMP e o Forcix SW, ambos com propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões.

O Grupo MCassab continua desenvolvendo soluções inovadoras, juntos com os parceiros, para entregar o melhor ao agronegócio.

Continue Lendo

Empresas Suinocultura.

Pigger Cream a escolha ideal para o apoio a matrizes hiperprolíficas

O desenvolvimento da suinocultura nacional exige o uso de tecnologias nutricionais e ferramentas para o suporte aos desafios diários da atividade

Publicado em

em

Claudilene Aparecida Costa / Divulgação

Sempre em busca por soluções nutricionais voltadas para a suinocultura é que a Polinutri, empresa especializada em nutrição animal sediada em Osasco (SP), trouxe para o mercado o Pigger Cream, produto lançado no início de 2019 como forma de apoio ao manejo as fêmeas hiperprolíficas em parceria com a Liprovit (Holanda).

“Este é um alimento em linha ao notório avanço genético e a alta prolificidade das granjas nacionais que em muitos casos atingem índices superiores a 18 leitões vivos/porca”, explica a Gestora Comercial da Polinutri, Camila Brandão.

De acordo com o Gerente de Negócios Suinocultura da Polinutri, Felipe Ceolin, ao longo deste período, os resultados da parceria entre a Polinutri e a empresa holandesa têm sido consistentes e motivo de comemoração. Isso por conta da qualidade e facilidade do uso do Pigger Cream. “Oferecemos para o mercado um leite UHT palatável de elevada qualidade nutricional que atua diretamente para o desenvolvimento de leitões fortes e saudáveis, além de ser pronto para uso”, detalha Felipe.

Quem atesta todas essas considerações é a encarregada de Maternidade na Agropecuária Ponta Verde, Leopoldo de Bulhões (GO), Claudilene Aparecida Costa. Em um plantel formado por 626 matrizes ela relata que passou a fazer uso do Pigger Cream com objetivo de reduzir os índices de mortalidade neonatal da granja.  “Passamos a utilizar o Pigger Cream para leitões de baixa viabilidade. Estratégia que já apresenta resultados por meio da redução da mortalidade desses leitões”, relata e continua: “o que mais surpreendeu foi uma leitegada prematura com 106 dias de gestação. Fornecemos o Pigger Cream misturado ao leite, 50% de cada nos dois primeiros dias. Dos 12 leitões nascidos conseguimos salvar 10 leitões.”

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Contratação

Departamento Técnico/Comercial Aves – Norte conta com reforço

Área de avicultura da Vetanco conta com os trabalhos de Roney desde Novembro de 2020

Publicado em

em

Roney da Silva Santos / Divulgação

O Técnico Agrícola Roney da Silva Santos passou a integrar o time da Vetanco desde novembro do ano passado.

Roney tem formação no Técnico Agrícola com Habilitação em Agricultura e Zootecnia pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí (hoje Instituto Federal de Minas Gerais – IFMG) e é pós-graduando em Gestão do Agronegócio pela Faculdade Famart de Itaúna/MG.

O Assistente Técnico tem experiência na área de avicultura onde atuou na assistência técnica para a criação de frangos de corte, biossegurança e construção de aviários.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Encontro Nacional de Micotoxinas – RJ

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.