Conectado com
LINKE

Notícias Defesa agropecuária

Equipe do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa adia retirada da vacina nos blocos II, III e IV

Uma nova avaliação está prevista para o final do primeiro semestre de 2021

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

O Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), promoveu, de forma virtual, na última sexta-feira (17), a 8ª Reunião da Equipe Gestora Nacional (EGN) do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PE-PNEFA). A análise sobre os elementos e indicadores apresentados na reunião indica que, apesar do empenho dos estados para avançar no Plano Estratégico, o cenário de evolução conjunta ainda não se mostra adequado em nenhum dos blocos para a suspensão da vacinação contra a febre aftosa de forma segura.

Nesse contexto, a decisão adotada foi a manutenção da vacinação contra a febre aftosa em 2022 nos Blocos II (AP, PA, RR e parte do AM), III (AL, CE, MA, PB, PE, PI e RN) e IV (BA, DF, ES, GO, MG, MS, MT, RJ, SE, SP e TO).

“A definição sobre a perspectiva de evolução dos Blocos II, III e IV é de extrema importância para o PNEFA, de forma a programar a disponibilidade de vacina contra a febre aftosa necessária para o ano de 2022, uma vez que o estoque para 2021 já está disponível”, explica o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes.

Conforme previsto no PE-PNEFA, é possível o avanço independente de estados, ou de grupos de estados, mediante apresentação de proposta de viabilidade técnica e econômica, para validação pelo Mapa. Nova avaliação está prevista para o final do primeiro semestre de 2021.

Participaram da reunião representantes do Departamento de Serviços Técnicos (DTEC/SDA/MAPA), Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC), Associação Brasileira de Frigoríficos (ABRAFRIGO), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), Associação Brasileira dos Produtores de Leite (ABRALEITE), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (SINDAN). Na condição de convidados participaram os presidentes das Comissões de Coordenação dos Grupos de Estados do Bloco I, III e IV.

A reunião da Equipe Gestora Nacional ocorreu após a realização, nos meses de novembro e dezembro desse ano, de reuniões virtuais com todos os cinco Blocos do PE-PNEFA, momento em que foi avaliado o nível de implantação das ações do Plano Estratégico em cada unidade da Federação, com participação dos setores público e privado e membros da EGN.

Fonte: Mapa
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 3 =

Notícias Segundo Cepea

Preços internos do milho renovam máximas nominais

Movimento de alta nas cotações do milho segue firme no Brasil

Publicado em

em

Divulgação

O movimento de alta nas cotações do milho segue firme no Brasil. Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso vem dos baixos estoques internos de milho, da queda na produção da safra de verão e dos preços elevados nos portos. Diante disso, em muitas regiões consultadas pelo Cepea, os valores atingem novos patamares recordes nominais.

As cotações externas também avançam, influenciadas por estimativas indicando safra e estoques de passagem menores que os previstos anteriormente. Quanto aos negócios no spot nacional, pesquisadores ressaltam que ainda ocorrem apenas quando há maior necessidade.

Enquanto vendedores, atentos à queda na produção, estão à espera de novas valorizações, compradores têm expectativa de que o início da colheita possa pressionar as cotações.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Mercado

Elevação externa e baixo excedente doméstico mantêm preço da soja em alta no Brasil

Preços internos da soja estão em alta, influenciados pela valorização externa e pelo baixo excedente doméstico

Publicado em

em

Divulgação/MAPA

Os preços internos da soja estão em alta, influenciados pela valorização externa e pelo baixo excedente doméstico. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá (PR) subiu 2,45% entre 8 e 15 de janeiro, a R$ 169,66/sc na sexta-feira (15).

O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná avançou 3,75% no mesmo comparativo, a R$ 166,97/sc de 60 kg na sexta. No campo, o cultivo de soja está praticamente finalizado no Brasil, e a Conab estima produção nacional em 133,69 milhões de toneladas, pouco acima da esperada pelo USDA, de 133 milhões de toneladas. Agora, as atenções de agentes se voltam à colheita, que já foi iniciada em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Minas Gerais.

Entretanto, o ritmo das atividades ainda é lento, tendo em vista o cultivo tardio. A expectativa é de que os trabalhos de campo se intensifiquem entre o final de janeiro e o começo de fevereiro. As áreas de cultivo precoce têm registrado baixa produtividade, diante das chuvas tardias.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Postura

Poder de compra do avicultor cai para o menor patamar da história

Em janeiro, os preços dos principais insumos consumidos na avicultura de postura, milho e farelo de soja, voltaram a se elevar

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Em janeiro, os preços dos principais insumos consumidos na avicultura de postura, milho e farelo de soja, voltaram a se elevar.

Esse cenário, somado aos menores preços pagos pela caixa de ovos comerciais, pressionou o poder de compra do avicultor de postura para o menor patamar já registrado na série histórica do Cepea, iniciada em 2013 para esse produto.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.