Conectado com

Pet Saúde Animal

Dor em pets: tutores precisam ficar de olho na rotina do animal

Comportamento do bichinho pode dar sinais de que ele está sentindo algum incômodo

Publicado em

em

Divulgação

Atenção à rotina de um pet é muito importante para garantir o cuidado e a prevenção de doenças nos bichinhos. Assim como abanar o rabo, quando está feliz, ou subir em móveis para explorar o local, os pets também dão sinais sutis quando estão sentindo algum desconforto.

Segundo o médico-veterinário Alexandre Merlo, Gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis, “a dor compromete a qualidade de vida do animal. Ela possui um componente emocional que vai afetar o comportamento rotineiro do pet, por isso, para identificar se o bichinho está com dor, é preciso um olhar mais aprofundado do tutor”.

Tanto para cães quanto para gatos, os sinais também estão relacionados com a forma como o pet age normalmente no seu ambiente de convívio. “É importante frisar que a questão da idade pode ser levada em consideração, mas não deve ser usada como justificativa para uma aparente apatia do animal, por exemplo. Por isso o tutor deve estar sempre alerta”, observa Merlo.

Confira alguns sinais que podem indicar a presença de dor no pet:

  • O animal fica quieto e triste durante muito tempo – sintomas que podem ser apontados como consequência da idade, que nem sempre é a justificativa acertada.
  • O animal não sobe mais no sofá, como era seu costume.
  • O pet fica empacado ao passear na rua.
  • O animal não apresenta mais comportamentos rotineiros, como fazer festa ou subir no colo dos tutores.
  • O pet tem receio de pular ao entrar ou sair do carro e dificuldade para subir e descer escadas.

Embora muitas vezes de forma sutil, é natural que os pets deem sinais de que algo não vai bem, portanto conhecer bem o animal e sua rotina é fundamental na percepção de qualquer mudança em seu comportamento. Ao perceber qualquer sintoma fora do normal, a recomendação é procurar um médico-veterinário.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − quatro =

Pet Formato híbrido

Congresso CBNA Pet acontece em maio simultaneamente à Feira Fenagra

Evento está marcado para os dias 11 e 12 de maio no Centro de Convenções Expo Dom Pedro, em Campinas (SP). 

Publicado em

em

Divulgação/CBNA

O Colégio Brasileiro de Nutrição Animal (CBNA) realiza entre os dias 11 e 12 de maio o 21º Congresso CBNA Pet, no formato híbrido (presencial e virtual). Um dia antes do início do evento, dia 10 de maio, será promovido o 5º Workshop sobre Nutrição e Nutrologia de Cães e Gatos e o 4º Workshop sobre Nutrição em Aquacultura. Os três eventos acontecem simultaneamente à Feira Fenagra, no Centro de Convenções Expo Dom Pedro, em Campinas (SP).

Conforme o coordenador do Congresso CBNA Pet, professor doutor Aulus Cavalieri Carciofi, todos os protocolos sanitários serão seguidos à risca a fim de garantir a segurança de todos os participantes. “Em razão do cenário de pandemia ainda existente, informamos que seguiremos as determinações ditadas pelos órgãos competentes para a realização de eventos presenciais. Se na data agendada para o Congresso Pet e os workshops houver qualquer impedimento de ordem sanitária para encontros presenciais, os eventos serão automaticamente migrados para o formato exclusivamente on-line”, afirmou Carciofi.

A agenda de trabalhos científicos, com as normas, datas e premiações, serão divulgadas pela organização em breve. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato pelo e-mail cbna@cbna.com.br

 Quem faz acontecer

O Congresso CBNA Pet e os workshops contam com patrocínio das empresas Diana Pet Food, Ferraz Máquinas, Hill’s, Kemin Nutrisurance, PremieRpet, Royal Canin, Special Dog Company e Waltham.

Fonte: Assessoria CBNA
Continue Lendo

Pet Qualidade de vida dos pets

Animais de estimação exigem cuidados especiais durante o verão

Especialista dá dicas para a hora do banho e do passeio com os pets, e chama atenção para raças que possuem necessidades específicas.

Publicado em

em

Divulgação/Newton

Com a chegada do verão, muitas pessoas redobram os cuidados com a saúde e o bem-estar. No entanto, a mudança de temperatura esperada para a estação não afeta somente os humanos. Especialistas alertam que os animais domésticos, como cães e gatos, também exigem cuidados especiais durante esse período. Para manter a qualidade de vida dos pets, é preciso fazer adaptações em hábitos como banho e passeio ao ar livre.

Segundo o veterinário e professor do Centro Universitário Newton Paiva, Leonardo de Rago, o banho é um dos momentos que mais geram dúvidas nos donos. Ele recomenda um a cada quinze dias, utilizando um shampoo adequado que ofereça limpeza e hidratação dos pelos. Sobre o consumo de água, ele explica que deve ser abundante, e se o pet reduzir a ingestão apesar do clima quente, é preciso procurar atendimento veterinário.

Além disso, também é importante atentar para os horários de passeio. Segundo Leonardo, deve-se evitar os horários entre 10h e 17h, pois o asfalto alcança temperaturas que podem chegar aos 53º. “Passear com animais nas horas mais quentes do dia, principalmente em momento do ano de alta temperatura, expõe o animal a queimaduras nos coxins. Essas lesões são bem dolorosas necessitando de acompanhamento veterinário para o devido tratamento, pois muitas vezes o animal com dor não ingere água adequadamente nem se alimenta, o que pode agravar o quadro”.

Atenção redobrada

Leonardo destaca ainda para a existência de riscos específicos para certas espécies, como é o caso de cães braquicefálicos (bulldog, PUG, dentre outros). “Nessa classe é muito comum que os cães apresentem angústia respiratória, ou seja, dificuldade durante o processo de passagem do ar até os pulmões. Em situação de exercício físico e calor intenso, esses animais agravam esse quadro de dificuldade e alguns podem chegar a apresentar síncope (desmaios) por baixa oxigenação tecidual”, explica Leonardo.

O professor também chama atenção para animais pertencentes a raças originadas em países de zona temperada ou clima frio, como Shit-zu, Maltês, Yorkshire, entre outros. São espécies que sentem mais os efeitos da temperatura elevada com alta umidade. Segundo Leonardo, atitudes simples como fornecer água com uma pedrinha de gelo, por exemplo, podem aliviar muito tais efeitos térmicos.

Fonte: Assessoria Newton
Continue Lendo

Pet

Balance dá 11 dicas para curtir as férias de verão com os pets

Para um melhor conforto dos animais durante viagens e na estação mais quente do ano, algumas medidas especiais são necessárias

Publicado em

em

Período do ano em que as famílias costumam viajar para descansar, se refugiando na praia ou no interior, janeiro também é um mês intenso para os bichinhos. Muitos tutores necessitam levar seus pets consigo durante os momentos de lazer, mas os cuidados com eles devem ser tomados não apenas no destino final, como também durante o trajeto.

Pensando nisso, Balance, marca de ração premium especial para cães e gatos da BRF, separou algumas dicas de como curtir as férias com seus pets. “Os cuidados com os bichinhos começam antes da própria viagem. Realizar um check-up prévio é recomendável, especialmente se seu pet utiliza medicamentos controlados. Além disso, é importante que os tutores não esqueçam a carteira de vacinação, caso seja necessário apresentá-la em alguma circunstância médica”, explica Cleber Santos, especialista em comportamento animal de Balance.

Segundo Cleber Santos, algumas medidas são essenciais para o melhor conforto dos pets durante as viagens:

·         Utilize cadeirinhas, cintos de segurança ou caixas de transporte. A depender do peso do pet, escolha uma das opções. É importante fixá-las no assento do automóvel, a fim de garantir mais segurança e conforto para os bichinhos;

·         Programe paradas regulares a cada duas horas pelo menos para que seu pet possa fazer suas necessidades. Aproveite o momento para hidratá-lo;

·         Se possível, mantenha uma temperatura amena dentro do veículo por meio do ar-condicionado, pois os pets costumam passar muito calor durante as viagens. Caso não possua, evite deixar as janelas completamente abertas. Ventos intensos são prejudiciais à saúde dos animais;

·         Caso seu bichinho possua histórico de enjoos e náuseas durante as viagens, deixo-o em jejum;

·         Não esqueça de colocar na coleira do seu pet a identificação com nome e número de telefone do tutor em caso de sua perda;

 

Período quente

O verão também é um período que requer atenção especial com os pets devido as altas temperaturas. Para o especialista de Balance, algumas iniciativas podem ajudar os pets a se habituarem a esse período de forma mais leve e saudável:

·         Hidrate adequadamente seu pet. Forneça mais água do que de costume. Os animais também sentem mais sede no verão;

·         Realize passeios externos com os animais em horários com o sol mais ameno – antes das 10h e pós 16h;

·         Fique atento ao chão em que o seu bichinho está andando. Superfícies muito quentes podem causar queimaduras nas patas; 30ºC da atmosfera, o asfalto chega a 57ºC, muito mais quente do que o indicado para passeios.

·         Caso seu pet goste muito de brincar em piscina ou no próprio mar, é recomendável sempre dar banho após essas atividades, a fim de retirar o cloro e a água salgada de seus pelos, prevenindo possíveis problemas em sua pele;

·         Para cães com pelagem excessiva, existem também tapetes que podem ser refrigerados para amenizar o calor;

·         Use protetor solar! Se o pet ficar exposto ao sol por longos períodos, na praia ou na piscina, a proteção solar é indispensável para que eles não queimem o focinho! Mas não use protetores humanos, existem cosméticos específicos para pets.

Para quem for viajar de avião ou ônibus, vale se informar sobre as regras da companhia escolhida em relação ao transporte de pets. Boa viagem!

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
ANPARIO 2021

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.