Conectado com

Notícias Capacitação

Discurso de fortalecimento da relação entre universidades e demais segmentos do agro marca abertura do ESALQSHOW

Evento ocorre até dia 11 de outubro na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (Esalq/USP)

Publicado em

em

Divulgação

Focado em fortalecer a relação entre universidades e demais segmentos do agronegócio, foi dado início na quarta-feira (09), a terceira edição do ESALQSHOW. O Fórum de Inovação para o Agronegócio Sustentável, que este ano debate os “Desafios e Oportunidades do Agro Brasileiro até 2030”, prossegue nos dias 10 e 11 de outubro, das 9h às 17h, no campus da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (Esalq/USP), em Piracicaba, SP.

“O ESALQSHOW chega a sua terceira edição com a ideia de promover a interação entre as universidades e o setor privado. A aproximação das empresas é fundamental para que possamos trazer os anseios de quem produz para dentro da escola, e dentro das universidades termos as respostas fundamentais para quem produz”, salienta o presidente do Conselho Consultivo do ESALQSHOW, Luiz Carlos Corrêa Carvalho.

A abertura oficial do evento contou com a presença de autoridades e lideranças do setor. O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Diniz Junqueira, enfatizou a importância da universidade e do ESALQSHOW para o desenvolvimento do agronegócio.

“A Esalq é um verdadeiro ‘berço’ da agricultura tropical e tem dado exemplos para o Brasil e o mundo sobre o potencial que temos atualmente no Estado de São Paulo, seja na agricultura ou em outros segmentos. Boa parte disso graças ao trabalho primoroso que vem sendo desenvolvido pela universidade”, ressaltou Junqueira.

“Hoje somos reconhecidos como centro de excelência no mundo das ciências agrárias, biológicas, ambientais e sociais aplicadas. Por isso, a universidade constitui-se como peça fundamental para a construção do alto patamar alcançado atualmente pela agricultura nacional no cenário mundial. Alicerçada nos pilares de ensino, pesquisa e educação, a Esalq/USP e seus profissionais regressos contribuíram, contribuem e vão continuar contribuindo para a geração de conhecimento e reconhecimento, aspectos fundamentais para o bem comum de toda a sociedade”, reforçou o diretor da Esalq/USP, Durval Dourado Neto.

Estudantes chineses de pós-graduação, coordenados pelo professor e pesquisador GuoPei, também chegaram a Piracicaba e participam dos três dias de ESALQSHOW. Ao todo são 14 alunos e dois professores, todos da China Agricultural University (CAU), situada em Beijing.

Assinatura do protocolo de intenções para desenvolvimento de projetos

A abertura do ESALQSHOW foi palco da assinatura do protocolo de intenções entre a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) para a criação do Programa São Paulo: Sustentabilidade e Produção (SPSP).

“A agricultura brasileira é um exemplo original da agricultura baseada em ciência. Não existe agricultura no Brasil sem ciência, sem o que se aprende dentro das faculdades, universidades e cursos técnicos e da relação entre os setores público e privado”, afirmou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira.

Vencedores do Prêmio Novo Agro são anunciados

Os oito ganhadores do “Prêmio Novo Agro”, realizado pelo Santander, foram homenageados na abertura do ESALQSHOW, numa forma de reconhecimento e valorização das atitudes e espíritos empreendedores do produtor rural brasileiro.

Na categoria Inovação – Pequeno Porte, o vencedor foi Fabrício YukioFugita, de Monte Alto (SP), com o projeto sobre “Cebola/Inovação em embalagens ao consumidor”. Na mesma categoria – Médio/Grande, recebeu o prêmio Reginaldo Morikawa, de Ipeúna (SP), com o trabalho sobre “Frangos e ovos/produções livres de transgênicos”.

Na categoria Sustentabilidade, os premiados foram: Paulo de Araújo Cintra Ribeiro, de São Paulo, com o projeto “Café/Desenvolvimento de um cafezal agroflorestal, modelo com alta eficiência e produtividade”; e Romeu José Ciochetta, de Campo Novo do Parecis (MT), que desenvolveu o trabalho “Sentinelas da Terra/Conscientização sobre sustentabilidade e promoção de ações que impactam o futuro do planeta”.

Os trabalhos vencedores na categoria Empreendedores foram desenvolvidos por Jean Filipe Kortstee Ferreira, de Holambra (SP), e Sarita Junqueira Rodas, de Tabapuã (SP). Os trabalhos apresentam os temas “Flores/Produção inédita no Brasil da variedade Sunpatiens” e “Laranja, cana-de-açúcar e criação de gado da raça Tabapuã”, respectivamente.

Por fim, a categoria Mulher de Gestão premiou Sarah Helena Neves Xavier, de Santa Bárbara (MG), e Helga França de Paiva, de Ibiá (MG). “Cafeicultura” e “Uso racional de insumos” foram os trabalhos premiados, respectivamente.

Primeiro dia contou ainda com outras atrações

A programação do primeiro dia de ESALQSHOW contou ainda com as palestras “Cátedra Luiz de Queiroz” e “Relações Internacionais no Agro”, ambas realizadas no Salão Nobre. No Auditório da Central de Aulas, o Painel Startups no Agronegócio – Academyday trouxe palestras que abordaram o tema “Como transformar conhecimento em inovação? O papel das universidades e dos institutos de pesquisa”.

O público acompanhou ainda as novidades da Feira de Inovação e Tecnologia, um espaço dinâmico com estandes em que os participantes discutem desafios, soluções e tendências, estimulando o networking, a formação de parcerias e promovendo novas ideias, tecnologias, produtos e serviços.

“Ao longo desses três dias, os presentes podem acompanhar debates e painéis Convido todos a participaremda programação, pois teremos muitas surpresas positivas”, finalizou o presidente do Conselho Consultivo do ESALQSHOW, Luiz Carlos Corrêa Carvalho.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =

Notícias Covid-19

ABPA lança hotsite da campanha Alimente a Esperança

Campanha reforça a mensagem de “união” e o “alimento do amor pela vida” do setor na luta contra a pandemia da Covid-19

Publicado em

em

Divulgação

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) lança nesta semana o hotsite da campanha “Alimente a Esperança”, que mostra o trabalho dos setores de aves, suínos e ovos para garantir o abastecimento de alimentos e preservar a saúde dos colaboradores das agroindústrias. O hotsite pode ser conferido nesse link.

Desenvolvida pela Agência Capella, a campanha reforça a mensagem de “união” e o “alimento do amor pela vida” do setor na luta contra a pandemia da Covid-19, que assola o mundo. O conceito da mensagem reforça o comprometimento do setor com os colaboradores e com a oferta de alimentos.

Neste sentido, o hotsite destaca as ações sociais (doações de alimentos e recursos, entre outros) e os cuidados com os colaboradores de empresas do setor ao longo deste período. São vídeos e notícias de um intenso trabalho setorial solidário, de apoio às famílias e comunidades em todo o país.

A campanha “Alimente a Esperança” também contará com a produção de vídeos em redes sociais e peças para rádio e impressos. “O difícil momento que todos enfrentamos gera medo e apreensão na sociedade. Neste momento, queremos reforçar a preocupação do setor com a pessoas, as famílias, os consumidores e os produtores. Estamos todos juntos nesta luta contra o inimigo invisível”, destaca o presidente da ABPA, Francisco Turra.

Comprometidas em garantir alimentos para milhões de famílias no Brasil e em mais de 150 países, as agroindústrias têm investido milhões de reais em equipamentos e outras iniciativas voltadas para a saúde dos colaboradores, implantando protocolos validados por instituições de renome, como o Hospital Albert Einstein.

“Avançamos um importante passo para harmonizar entendimentos na estratégia de prevenção à Covid-19 nas indústrias de alimento. Como é destacada na campanha, precisamos mais do nunca do amor pela vida e do comprometimento de cada um para alimentar a esperança de todos nós”, finaliza Turra.

Fonte: ABPA
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desvalorização internacional e queda do dólar pressionam valores da soja no Brasil

Esse cenário afastou produtores das vendas, reduzindo, assim, a liquidez no mercado interno

Publicado em

em

Divulgação/MAPA

As desvalorizações do dólar e dos contratos futuros negociados na CME Group (Bolsa de Chicago) pressionaram os valores domésticos da soja e seus derivados nos últimos dias. Esse cenário afastou produtores das vendas, reduzindo, assim, a liquidez no mercado interno.

Segundo pesquisadores do Cepea, a queda externa está relacionada às condições climáticas favoráveis ao cultivo da oleaginosa nos Estados Unidos, o que eleva expectativas de boa safra no país. Por outro lado, esse cenário somado aos estoques elevados e à baixa demanda externa resultam em pressão sobre os valores norte-americanos.

Assim, entre 15 e 22 de maio, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) caiu 5,2%, fechando a R$ 109,84/saca de 60 kg na sexta-feira (22). O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná recuou 4,1% no mesmo período, a R$ 103,11/sc de 60 kg na sexta-feira (22).

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Mercado

Com diferentes condições de mercado, preços do milho são distintos dentre regiões

Cenário se deve às diferentes condições de mercado dentre as praças pesquisadas, como oferta, demanda e, principalmente, clima

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Os valores do milho têm registrado comportamentos opostos dentre as regiões acompanhadas pelo Cepea. Enquanto no interior do Paraná os preços sobem, em algumas praças paulistas e do Centro-Oeste as cotações registram leves quedas. Segundo colaboradores do Cepea, esse cenário se deve às diferentes condições de mercado dentre as praças pesquisadas, como oferta, demanda e, principalmente, clima.

No Paraná, a disputa por milho está mais acirrada no interior do estado, o que tem mantido os valores acima dos observados no mercado disponível do porto de Paranaguá (PR). Em São Paulo e no norte do PR, agricultores temem que a falta de chuva prejudique o potencial produtivo das lavouras e, com isso, muitos estão retraídos das vendas. Apesar disso, a pressão compradora e a oferta de milho de outros estados têm resultado em leves desvalorizações.

No Centro-Oeste, o clima tem sido mais favorável aos trabalhos de campo e ao desenvolvimento das lavouras. Com isso, as perspectivas são de produtividade elevada, o que tem resultado em queda nos preços em algumas regiões, como em Rondonópolis. No Nordeste, boas expectativas para a safra seguem pressionando as cotações. Na região de Campinas (SP), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa caiu leve 0,16% entre 15 e 22 de maio, fechando a R$ 50,49/sc na sexta-feira, 22.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.