Conectado com

Notícias

Corti/Avioeste Inaugura a Maior e Mais Moderna Empresa do Segmento

Publicado em

em

 A maior e mais moderna empresa, que visa proporcionar soluções ao homem do campo, foi inaugurada na sexta-feira (08 de novembro), no município de Cunha Porã/SC. A Corti/Avioeste, empresa italiana e brasileira, recebeu em dois dias de evento os Agentes de Vendas,colaboradores, autoridades e imprensa na nova área fabril que possui 140 mil m², onde concentra a produção de equipamentos da empresa. 

A fim de identificar e promover soluções ao agronegócio, a empresa desenvolve produtos de excelência, auxiliando a evolução rural, transformando tecnologia em resultado no produto final. A empresa Corti/Avioeste hoje é especialista na fabricação de equipamentos para avicultura, suinocultura e bovinocultura leiteira. 

Comprometida com o desenvolvimento, produtividade e a lucratividade de seus clientes, a Corti/Avioeste vem investindo em novas tecnologias, levando até os produtores o que há de mais avançado juntamente com a empresa Italiana CORTI. A fusão Corti/Avioeste investe no aperfeiçoamento e na produção de novos equipamentos. Atualmente, a Corti/Avioeste é uma das principais fornecedoras de equipamentos para o agronegócio do Brasil e atua em todo o território nacional e internacional.

Foram investidos R$ 50 milhões no novo empreendimento, que gera cerca de 200 empregos diretos e mais de mil indiretos. O italiano Sr. EsterinoCorti – Presidente da Corti/Avioeste enfatizou a importância em continuar numa desesperada busca por melhorias, “o cliente deve nos admirar por oferecermos sempre os melhores produtos e serviços. Não podemos parar, produzimos pela qualidade somada a competitividade, sempre com humildade e conhecimento”, comenta Corti. 

O 1º ENCONTRO DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA
O evento que teve início ainda no dia 07 com o 1º Encontro de Capacitação Técnica da Área Comercial Corti/Avioeste, contou com uma vasta programação realizada na nova empresa. Agentes Comerciais de todo o país tiveram a oportunidade de conhecer a nova infraestrutura, a moderna tecnologia utilizada na produção de equipamentos e os futuros lançamentos quelevarão mais soluções ao homem do campo. 

Entre as atividades os agentes participaram de palestra com Francisco Sérgio Turra, Presidente Executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), que também lidera o setor avícola nacional; Turra foi nomeado 1º Vice-Presidente da AssociaçãoLatino americana de Avicultura (ALA), em 2011. No Encontro Turra abordou o tema – Cenários no Agronegócio Brasileiro – enfatizando a importância de empresas, como a Corti, investir em empreendimentos brasileiros, além de pontuar situações como a economia brasileira no agronegócio, mão de obra, exportação com alto valor agregado e muito mais. “É importante que a empresa se atenha a vários nichos de produtos para não depender somente de um mercado”, reforça Turra que arrancou aplausos dos participantes pelo dinamismo e visão sobre o agronegócio nacional e mundial.

 

Ao participar do 1º Encontro de Capacitação Técnica, o Sr. EsterinoCorti relembrou no ato inaugural, a alegria dos participantes na ocasião, “então percebi que operamos de forma correta”, agradeceu a todos os agentes pela oportunidade e confiança. “Aqui encontrei tudo aquilo que servirá para a realização deste sonho”. 

A CERIMÔNIA INAUGURAL
A inauguração oficial aconteceu na sede da nova empresa, localizada na BR 158, KM 102,3 – Linha Humaitá – Cunha Porã/SC. Na ocasião prestigiaram esta nova fase da empresa os Agentes Comerciais; Comitivas Internacionais; Presidente da empresa Corti/Avioeste Sr. EsterinoCorti; o Diretor da América Latina Sr. Luigi Zubiani; Diretor Executivo Sr. Rogério Marcos Meine; Sócio Fundador da empresa Claudir Zanchet; Representando o Governo do Estado de Santa Catarina, o Secretário de Estado da Agricultura e Pesca João Rodrigues; Deputado Estadual Mauro de Nadal; Deputado Estadual Gelson Merisio; Prefeito de Cunha Porã Jairo Ebeling; Prefeita de Maravilha Rosi Maldaner e a Ex-Prefeita de Cunha Porã Luzia IlianeVacarin.

Ao início do evento o Hino Brasileiro e Italiano foi apresentado pela dupla Rubiani e Adriano de Maravilha/SC após, o Palanque de honra fez uso da palavra, onde várias homenagens foram prestadas. O Diretor Executivo da nova empresa salientou a importância das pessoas na realização deste sonho “a família Corti/Avioeste deu o primeiro passo não apenas para ser a maior empresa da América latina no setor, mas sim a melhor”.

Rogério lembrouque a nova fábrica possibilitou a empresa ampliar as atividades, bem como a produção, qualidade e consequentemente as vendas. “Encontramos aqui um local de trabalho melhor, mais organizado, amplo, que proporciona mais qualidade de vida para todos nós”, enfatiza. O Diretor Executivo agradeceu a todos os colaboradores que vestem a camisa da empresa e que são responsáveis pelos serviços e produtos de qualidade que a empresa produz. 

O Diretor da América Latina da Corti/Avioeste – Luigi Zubiani reforçou que a empresa busca ser líder do segmento na América Latina, mantendo a essência competitiva, investindo em pesquisas, novos produtos, serviços e tecnologias. O processo de produção de equipamentos na nova empresa é 100% sustentável. "Nosso foco é produzir valorizando o meio ambiente através de uma produção sustentável", informou o diretor.

O faturamento da empresa atual, que hoje estão focados 80% em avicultura e 20% em outras áreas como a suinocultura e pecuária leiteira, gira em tornou de R$ 65 milhões. Com a nova fábrica, a empresa pretende dobrar este faturamento em até três anos. 

“O Brasil está destinado a liderar o mundo, o que falta aqui é tecnologia, temos que adaptar novas tecnologias a realidade deste país, ai está o custo beneficio de produção. Implantamos uma empresa como esta para aumentar a competitividade, melhorando a qualidade de vida no campo, aumentando a lucratividade, possibilitando integradoras a exportar a proteína animal pelo mundo”, comenta Zubiani. 

O Diretor da América Latina enfatiza que a empresa conhece os pontos fracos e fortes, da empresa que tem uma história grandiosa, “começamos com sistema nipple e depois fomos implementando, também com o sistema comedouro, e com essa sinergia aqui no Brasil fomos completando a linha”, relembra o Diretor.
A Corti/Avioeste  identifica e promove soluções ao agronegócio, desenvolvendo produtos de excelência, auxiliando a evolução rural, transformando tecnologia em resultado no produto final. O grupo conta com unidades em mais de 15 países e está entre as três maiores empresas na produção de equipamentos para avicultura, suinocultura e bovinocultura na América Latina.

COMEMORAÇÕES
Após os atos inaugurais os convidados foram recepcionados no Salão Paroquial de Maravilha/SC para jantar e show com o cantor sertanejo Daniel. Com apresentações típicas italianas, a festa encantou e animou a toda família Corti/Avioeste presente. Na oportunidade o Presidente Corti, os Diretores Zubiani e Rogério Meine e o Sócio Fundador da empresa foram homenageados com uma singela lembrança entregue pelas mãos dos colaboradores da empresa a fim de agradecer estes homens que muito fizeram e fazem pela Corti/Avioeste. 
Após um delicioso jantar foi servido, unindo a cultura italiana e brasileira. Em seguida foi a vez do cantor Daniel entrar em palco e com toda irreverência e simpatia, interagiu e conquistou o público presente fechando esta grande festa com chave de ouro. 

A HISTÓRIA DA AVIOESTE 
Em 11 de março de 1985, Remi João Stroher, Claudir Zanchet e Ildo Simon fundaram uma empresa especializada no ramo da fabricação de equipamentos avícolas, como bebedouros e comedouros. A ideia era a de aproveitar a técnica adquirida durante anos em que um dos sócios trabalhava no conserto destes itens, fabricando-os por conta própria. Este foi o início da AVIOESTE, que na época ocupava um galpão instalado na cidade de Pinhalzinho e empregava três funcionários. A possibilidade de ampliar os negócios levou seus proprietários a transferir a empresa de Pinhalzinho para Maravilha. A mudança aconteceu em 28 de novembro de 1987. Já era possível então, fabricar equipamentos suficientes para equipar oito aviários/mês de 50 metros de comprimento cada.

O mercado em franca expansão fez com que ao final da década de 80 a qualidade dos produtos AVIOESTE obrigasse a empresa a aumentar sua produção e investir em novos conhecimentos, aperfeiçoando-os. No dia 02 de março de 1995, instalou-se na nova e funcional sede própria com 2.875m² contando com aproximadamente 50 funcionários.

Em 1999, preocupada em atender as exigências do mercado, no sentido de melhorar a qualidade de seus produtos e novas tecnologias, firmou parceria com uma das líderes mundiais na fabricação de acessórios para produção de proteína animal, a CORTI ZOOTECNICI, empresa Italiana, do GRUPO CORTI, sediada em Monvalle/Varese – Itália, de propriedade do Sr. EsterinoCorti, que também atuava no segmento do agronegócio. Com a parceria firmada surgiu a CORTI/AVIOESTE.

Fonte: Ass. de Imprensa da Avioeste

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 13 =

Notícias Agronegócio

Volume exportado cresce, mas faturamento se mantém estável no início de 2019

De janeiro a abril deste ano, as exportações dos produtos do agronegócio cresceram 8% frente às do mesmo período de 2018

Publicado em

em

Ivan Bueno/APPA

Após atingirem volume recorde no ano passado, os embarques dos produtos do agronegócio brasileiro se mantêm firmes em 2019. De acordo com pesquisas realizadas pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, de janeiro a abril deste ano, as exportações (em quantidade) dos produtos do agronegócio brasileiro cresceram 8% frente às do mesmo período de 2018.

Já o faturamento em dólar se limitou a crescer apenas 0,3% no mesmo período. Neste caso, pesquisadores do Cepea destacam que foi a queda dos preços médios em dólar que não permitiu ao setor obter um faturamento maior no primeiro quadrimestre deste ano. Além disso, a valorização da moeda nacional reduziu a atratividade das vendas agrícolas brasileiras. Nesse sentido, foi o volume exportado que manteve o faturamento em dólar do setor no início de 2019 em patamar positivo.

Produtos exportados

Quando comparado o primeiro quadrimestre deste ano frente ao mesmo período de 2018, o algodão em pluma foi o produto que registrou o aumento mais significativo nos embarques, de 75%. As vendas externas de milho e café também apresentaram crescimentos expressivos, de 42% e 32%, respectivamente.

Pesquisadores do Cepea indicam que o ano tem se apresentado promissor para algodão, milho e carnes. Há expectativa de que as carnes continuem apresentado aumentos nas vendas externas, principalmente para os países asiáticos. No caso do algodão, exportadores brasileiros conquistaram a segunda posição no ranking de vendas internacionais do produto.

Destino

A China segue como principal parceira comercial do setor, mas tem uma pauta muito concentrada nos produtos do complexo da soja, com destaque para soja em grão. A Europa é o segundo maior destino dos produtos agrícolas e os Estados Unidos são o terceiro. Países que compõem o grupo “outros” também têm participação significativa de 30% nas exportações brasileiras totais, com destaque para os asiáticos.

2019

Este deve ser mais um ano de boa colheita de grãos, o que deve manter elevada a disponibilidade dos produtos, tanto para consumo doméstico quanto para exportação. O exportador deve se manter atento à disputa comercial entre China e Estados Unidos, tendo em vista que esse contexto favorece o Brasil, que pode manter fatia maior nas exportações de produtos agrícolas à China, inclusive para o mercado de carnes. Por outro lado, os preços no mercado internacional têm se reduzido.

Há que se considerar, também, o efeito do câmbio. O Real tem se desvalorizado com mais força nos últimos meses, o que ajuda a manter a atratividade dos produtos brasileiros no mercado externo, favorecendo o crescimento do volume exportado. Caso a moeda nacional se mantenha mais desvalorizada, o faturamento em Real do setor pode continuar crescendo em 2019.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Segundo Arc Mercosul

Adiantada, colheita de milho do Brasil atinge 12,5% da área

Após plantio antecipado, colheita da safra que promete ser recorde também está adiantada em relação à média de cinco anos

Publicado em

em

Divulgação

O Brasil havia colhido até esta semana 12,5% de sua área de milho segunda safra, em ritmo acelerado que supera os 3,9% registrados na mesma época em 2018, informou na quarta-feira (19) a consultoria Arc Mercosul. Após um plantio antecipado, a colheita da safra que promete ser recorde também está adiantada em relação à média de cinco anos, de 4%, segundo dados da Arc Mercosul.

O Paraná é o Estado mais adiantado nos trabalhos, com 21% da área colhida, disse a consultoria, apontando o mesmo percentual divulgado na véspera pelo Departamento de Economia Rural (Deral), do governo paranaense.

Em Mato Grosso, maior produtor nacional, a colheita avançou para 16,9%, seguido por Goiás, com 7%, segundo a Arc Mercosul.

Com uma segunda safra favorecida por boas condições climáticas, o Brasil deverá colher mais de 100 milhões de toneladas de milho na temporada 2018/19, segundo algumas consultorias especializadas.

Fonte: Reuters
Continue Lendo

Notícias Map autorizou

Produtor pode usar Virginiamicina como melhorador de desempenho

Virginiamicina é retirada da lista de antimicrobianos, que trata da intenção de proibição de comercialização

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A Virginiamicina é autorizada para uso como aditivo melhorador de desempenho na produção animal. A informação foi confirmada por parecer técnico da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SDA/MAPA), divulgado no dia 7 de junho.

Ofício 309/2019 assinado pelo titular da SDA/MAPA, José Guilherme Tollstadius Leal, confirma parecer favorável da Secretária à “manutenção por 24 meses do uso da molécula (Virginiamicina) na finalidade do atual registro”.

Dessa forma, a Virginiamicina é retirada da lista de antimicrobianos da Portaria 171/2018, que trata da intenção de proibição de comercialização.

“A comunicação da SDA/MAPA reconhece o importante papel da Virginiamicina como melhorador de desempenho, possibilitando aos pecuaristas, produtores de leite, suinocultores e avicultores o uso dessa molécula para a melhoria de desempenho na produção animal, com consequente aumento da produtividade”, ressalta Mauricio Graziani, presidente da Phibro Animal Health.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
AB VISTA Quadrado
Biochem site – lateral
Evonik – Aminored

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.