Conectado com

Notícias

Cooperativa realiza 1° Expo Primato

Evento acontece até a sexta-feira (30) e apresenta tecnologias e soluções para agricultura, suinocultura, bovinocultura de leite e corte, piscicultura, ovinocultura, nutrição animal, além de máquinas e implementos agrícolas

Publicado em

em

Disseminar conhecimento ao produtor rural, apresentado o que existe de mais moderno no mercado com melhor custo benefício, é um dos objetivos da primeira edição da Expo Primato, que começou nesta quarta-feira (28) e vai até a sexta-feira (30) em Toledo, PR. A atividade acontece no campo experimental anexo à sede da cooperativa, na BR 163. O evento apresenta tecnologias e soluções para agricultura, suinocultura, bovinocultura de leite e corte, piscicultura, ovinocultura, nutrição animal, além de máquinas e implementos agrícolas.

A abertura oficial foi realizada na terça-feira (27) na Associação da Primato Cooperativa Agroindustrial e contou com a presença da diretoria, conselheiros, cooperados e autoridades do município e do Estado. O presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, agradeceu a todos os envolvidos no projeto. “Para nós é uma imensa satisfação estarmos aqui na abertura de mais um grande projeto que é a Expo Primato”, enalteceu e complementou, “quero agradecer ao nosso corpo técnico que viabilizou todo o trabalho, aos cooperados que acreditam em nossa capacidade e também a todas as autoridades que se fazem presentes aqui”.

Representando a governadora do Paraná, Cida Borghetti, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado, George Hiraiwa, agradeceu o convite para participar do evento. “Em uma viagem o presidente Ilmo me fez o convite para participar da abertura e ser o palestrante da noite. Aceitei na hora e estou muito feliz por estar aqui”, enfatizou Hiraiwa que complementou, “e como representante da governadora do Estado que é uma entusiasta desta região que é polo em desenvolvimento do agronegócio, fica nosso agradecimento e o desejo que o evento seja um sucesso”, afirmou. Em sua palestra, a autoridade falou sobre “As tendências da produção de alimentos no Brasil e no Mundo”, onde abordou tópicos como produção, tecnologia, cooperação, diversificação, além dos desafios como infraestrutura, demandas e mercados internacionais.

Giro Técnico

Durante o evento, na sexta-feira (30) acontece ainda o Giro Técnico da Soja, evento promovido pelo Instituto Emater (PR) e Embrapa Soja, que é realizado em 18 municípios do Paraná na safra de soja 2018/2019. O objetivo é debater os resultados positivos da adoção de boas práticas agrícolas no Estado com técnicos, lideranças locais e produtores de cada região produtora.

O Giro Técnico deve reunir aproximadamente mil produtores nos eventos que serão realizados em Unidades de Referência (URs), instaladas em lavouras de produtores de soja, assistidos pela Emater. Essas URs são conduzidas pelos produtores, a partir de protocolos de boas práticas agrícolas, definidos pela Emater e pela Embrapa.

Esses eventos pretendem debater os desafios na condução das lavouras, assim como incentivar a adoção de práticas sustentáveis que trazem benefícios econômicos e ambientais. Para o coordenador do projeto grãos da Emater, Nelson Harger, o Giro Técnico possibilita a troca de informações e também oferece a oportunidade para apresentação dos resultados obtidos.

Segundo o gerente Regional da Emater, Ivan Decker Raupp, serão debatidos e demonstrados resultados com o trabalho de Manejo Integrado de Pragas, Manejo Integrado de Doenças, Tecnologia de Aplicação, Inoculação, Coinoculação e Manejo e Fertilidade do Solo.

Fonte: O Presente Rural com informações da Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

Notícias Mercado Interno

Indicador do milho chega a menor patamar em cinco meses

Ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

A oferta superior à demanda tem mantido os preços do milho em queda na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Em Campinas (SP), os valores voltaram a operar próximos dos patamares observados em novembro do ano passado. Entre 12 e 18 de abril, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Campinas (SP) caiu 2,32%, a R$ 35,84/sc de 60 kg na quinta-feira (18), o menor patamar nominal desde meados de novembro/18.

No geral, o ritmo de negócios está limitado, tendo em vista a disparidade entre as ofertas de compradores e os pedidos de vendedores. Além disso, alguns produtores têm dado preferência em comercializar a soja – vale lembrar que a cotação da oleaginosa está firme, favorecida pelas altas do dólar e dos preços externos. No campo, o clima segue favorável ao desenvolvimento das lavouras de milho, o que pode resultar em antecipação da colheita.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Mercado

Preços da soja sobem, mas médias mensais são as menores desde janeiro

Apesar dos recentes aumentos, na parcial deste mês, os valores da oleaginosa são os menores desde janeiro de 2019

Publicado em

em

Divulgação

As cotações da soja registraram ligeira alta na semana passada, devido à valorização do dólar frente ao Real, à relativa estabilidade dos prêmios e ao aumento de cotas nos armazéns portuários, cenário que aumentou também a liquidez no mercado.

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá avançou 0,2%, a R$ 76,66/saca de 60 kg nessa quinta-feira (18). No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 0,3%, a R$ 72,11/sc de 60 kg nessa quinta.

Pesquisadores do Cepea afirmam que, apesar dos recentes aumentos, na parcial deste mês, os valores da oleaginosa são os menores desde janeiro de 2019, em termos nominais. Isso se deve à menor procura de indústrias brasileiras, uma vez que grande parcela tem garantido os lotes por contrato a termo e negociado poucos volumes no spot. Além disso, as aquisições são para consumo a médio prazo, visto que agentes esperam preços menores.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Última semana da quaresma é marcada por preços estáveis

No geral, o mercado de ovos apresentou bom desempenho de vendas no período de Quaresma deste ano

Publicado em

em

Divulgação

Apesar da estabilidade nas cotações dos ovos comerciais, o ritmo de negócios esteve mais intenso na semana passada. Com isso, colaboradores do Cepea afirmam que, no geral, o mercado de ovos apresentou bom desempenho de vendas no período de Quaresma deste ano.

Entre 11 e 18 de abril, as cotações do ovo tipo extra, branco, colocado na Grande São Paulo, registraram elevação de 0,3%, com a média da caixa com 30 dúzias passando para R$ 94,42 na última quinta-feira (18).  Para o produto vermelho, entregue na Grande SP, houve alta de 0,9% de 11 a 18 de abril, com a caixa de 30 dúzias comercializada a R$ 110,87 na quinta-feira.

Com o encerramento da Quaresma, avicultores consultados pelo Cepea se mostram receosos com o possível enfraquecimento das vendas nas próximas semanas. Parte dos agentes, inclusive, já cogita intensificar os descartes de poedeiras mais velhas.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Abraves
Biochem site – lateral
Facta 2019
Conbrasul 2019

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.